Saúde fresquinha

Muitas vezes desprezadas, as sardinhas são peixes pequeninos e deliciosos. Outra vantagem é o custo benefício. Comparado ao salmão, outro peixe com características parecidas já que ambos são ricos em ômega 3 e trazem inúmeros benefícios à saúde quando consumidos regularmente, a sardinha é significativamente mais barata e fácil de encontrar.

A maneira clássica de consumir este peixinho é em lata. Ele pode ser conservado em óleo ou em água, como o atum, mas também vem com molhos especiais, como tomate ou ervas finas. Entretanto, para quem quiser aventurar-se um pouco, a sardinha pode ser comprada fresca e preparada de diversas maneiras diferentes.

Sardinha assada ao molho de ricota com mostarda

Sardinha assada ao molho de ricota com mostarda

2 unidades de sardinhas frescas
1 fatia grossa de ricota
1 col. de sopa de mostarda escura
sal, pimenta e azeite a gosto

Modo de preparo:
Pegue a sardinha fresca cortada ao meio e aberta como uma borboleta. Tempere com sal e pimenta e regue com azeite a gosto. Posicione as sardinhas com a pele para baixo numa forma refratária antiaderente. Leve para assar em forno médio (200˚C) por 15 minutos.
Numa tigela, prepare o molho misturando a ricota com a mostarda com o auxílio de um garfo. Mexa bem para que tudo fique homogêneo. Se quiser, acrescente 1 ou 2 col. de sobremesa de água para deixar o molho um pouco mais ralo e de consistência pastosa.
Após os 15 minutos, retire as sardinhas do forno e coloque o molho por cima delas. Retorne ao forno por mais 5 minutos para terminar de assar. Sirva a seguir.

Super fácil de fazer, sardinhas assadas ficam deliciosas com praticamente qualquer molho. Para quem é acostumado a comer sardinha em lata, o sabor da fresca assada é bastante similar. Entretanto, ele é suavizado um pouco já que não esteve em conserva durante tanto tempo.

Outra dica é tomar cuidado com o grande número de espinhas que as sardinhas têm. Quando cortadas ao meio e abertas como borboletas, as sardinhas não possuem mais o miolo e a coluna vertebral. Entretanto, as inúmeras espinhas menores permanecem lá. Por mais que elas possam ser consumidas sem maiores problemas, vale ter um pouco de atenção para retirar as maiores e saborear com cuidado este peixinho tão delicioso.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s