A redenção do renegado

Adoro a versatilidade do peito de frango. Muitas pessoas acham que essa é uma das carnes mais sem graça que existe e é sinônimo absoluto de uma palavra: dieta. Mas eu me recuso a pensar desta maneira e acho que a suavidade do peito de frango é o que faz dele uma das melhores opções na cozinha.

Justamente por não ter um sabor muito pronunciado, esta carne aceita as mais diversas combinações de ingredientes, temperos e texturas na hora do preparo. Apesar de dar um pouco mais de trabalho, adoro comprar o peito inteiro e cortá-lo em casa. Assim, consigo separar uma metade completa para poder recheá-la. Fica uma delícia.

Peito de frango mediterrâneo recheado

Peito de frango mediterrâneo recheado

1 metade de peito de frango
1 unidade de pimentão vermelho em conserva picado
5 azeitonas pretas picadas
1 col. de sopa de cottage
manjericão, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno em temperatura alta (220˚C). Pegue o peito de frango e faça um pequeno corte no meio para começar a abri-lo na metade. Pare antes de chegar no final para formar uma espécie de bolsa interna na carne.
Pique bem o pimentão vermelho em conserva e as azeitonas pretas. Misture numa tigela com o cottage e o manjericão rasgado bem miúdo. Tempere com sal e pimenta a gosto e recheie a bolsa interna do frango.
Prenda as duas metades com palitos para assegurar que ele não irá abrir enquanto cozinha. Tempere o peito de frango com sal e pimenta a gosto por fora e regue com um fio de azeite.
Forme uma trouxinha com papel alumínio e leve o frango para assar no papelote por 20 a 25 minutos no forno pré-aquecido. Após 20 minutos, olhe para ver se já está no ponto desejado. Sirva acompanhado de arroz 7 grãos e legumes no vapor.

Como a receita inclui uma mistura de sabores tipicamente mediterrâneos, como as azeitonas, o pimentão vermelho e o manjericão, o nome acabou ficando esse. No original a sugestão era incluir queijo feta (aquele feito de leite de cabra) esfarelado. Entretanto, como ele é mais caro e mais calórico acabei optando pelo cottage que já tinha em casa.

Assar o peito de frango no papelote de alumínio faz com que ele não perca a suculência durante o preparo. Assim evitamos que a carne fique muito ressecada, um dos grandes problemas quando assamos frango. Além disso, o papelote ajuda a manter o recheio perfeitamente dentro da bolsa criada e dá ao prato final uma sofisticação a mais. Adorei esta receita, ela ficou divinamente maravilhosa.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s