Delícias sem o menor esforço

Tem dias que a preguiça toma conta da gente de uma forma monumental. Nesses dias, só de pensar em ter que cozinhar algum prato muito elaborado nos deixa exaustos e sem vontade de nem abrir a geladeira quanto mais o forno. Por sorte, com alguns simples temperos que encontramos por aí, é possível fazer refeições deliciosas e sem o menor esforço.

De modo geral, as cozinhas orientais são mestres em misturar temperos para dar um sabor excepcional e único a uma receita. Uma mistura de especiarias contendo anis estrelado, cravo, canela, funcho e fagara formam uma combinação especial chamada de “cinco especiarias chinesas”. Este tempero pode ser usado para temperar peixes e frangos e deixa o sabor do prato delicioso.

Tilápia às cinco especiarias

Tilápia às cinco especiarias

1 filé de tilápia médio
1 col. de chá de tempero “cinco especiarias”
2 col. de sopa de shoyu light
1 col. de sobremesa de açúcar mascavo
um fio de azeite

Modo de preparo:
Tempere o filé de tilápia com as “cinco especiarias”. Certifique-se de que todo o peixe esteja coberto uniformemente com o tempero. Unte uma forma refratária com um fio de azeite e coloque o filé. Leve para assar em forno médio pré-aquecido (200˚C) por 20 minutos ou até ficar no ponto desejado. Cubra para não esfriar e reserve.
Numa panela pequena antiaderente despeje a mistura de shoyu com o açúcar mascavo. Cozinhe em fogo baixo por alguns minutos até engrossar e formar um molho viscoso. Regue por cima do peixe e sirva a seguir.

Por ser um pouco exótico, este tempero de “cinco especiarias chinesas” pode ser um pouco difícil de achar em supermercados comuns. Entretanto, procure em mercados específicos de alimentos orientais ou lojas especiais de comidas e temperos diferenciados. Para quem mora em São Paulo, encontrei esta mistura na Casa Santa Luzia, ótima para temperos diferentes como este.

A simplicidade desta preparação é sensacional. Só a mistura de temperos encontrada nas “cinco especiarias” já é suficiente para deixar o filé de tilápia divino. Entretanto, o acréscimo do molho de shoyu reduzido com o açúcar mascavo dá um toque agridoce delicioso ao prato final. Experimente saborear com arroz selvagem, fica super sofisticado.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Os quatro elementos do sabor

Esses dias aproveitei uma noite livre e fui fazer um curso de cozinha tailandesa numa escola de culinária aqui de São Paulo. Além de saborear delícias dessa comida milenar, pude ver pessoalmente alguns truques básicos que transformam todo prato tailandês numa experiência gastronômica fantástica.

Segredos e detalhes das receitas à parte, uma das coisas mais interessantes que descobri nessa aula foi a importância que os quatro sabores exercem na culinária tailandesa. Segundo a professora e chef que estava ministrando o curso, todos os pratos incluem ingredientes para ressaltar o picante, o salgado, o doce e o azedo. A ordem de importância dos quatro e a quantidade usada na receita indica a ordem na qual devemos senti-los ao provar o prato.

Curry de salmão com berinjela

Curry de salmão com berinjela

1 lata de filé de salmão em água
1 col. de sobremesa de azeite
1 col. de sopa cheia de pasta de curry tailandesa vermelha
1 dente de alho
1/2 berinjela média cortada em cubos
100 g de vagem macarrão cortada em pedaços
60 ml de leite de coco light
1 col. de chá de açúcar mascavo
1 col. de chá de molho de peixe
suco de 1/2 limão

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com o azeite. Acrescente a pasta de curry e o alho picado e refogue por 1 ou 2 minutos para soltar os temperos até sentir o aroma da pasta. Coloque os pedaços da berinjela e da vagem e mexa bem até que fique tudo coberto com a pasta.
Adicione o leite de coco aos poucos e mexa bem para misturar os ingredientes. Por fim coloque o açúcar, o molho de peixe e o limão e deixe ferver. Abaixe o fogo e cozinhe de 5 a 7 minutos mantendo uma leve fervura até que os vegetais fiquem macios e crocantes e o molho reduza e engrosse um pouco.
Desligue o fogo, mexa bem e acrescente o filé de salmão em pedaços. Sirva por cima de arroz integral ou arroz jasmim.

Este curry, como a grande maioria deles, foca no picante e inclui o doce, salgado e azedo apenas como toques refrescantes sentidos no fundo. De certa forma, os quatro sabores ficam brigando entre si para saber qual será o vencedor e, neste caso, o picante acaba ganhando com uma pequena margem.

O bom de receitas como esta é que podemos adaptá-las um pouco ao nosso gosto. Se você não é muito chegado num prato picante demais pode diminuir a quantidade de pasta de curry usada. Dessa forma a briga entre os quatro sabores ficará ainda mais intensa e poderá ser percebida com maior felicidade. Incrível, não?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para um café da manhã especial

O fim de semana pode já estar acabando, mas nada impede que você se divirta mais um pouco enquanto ele ainda está aqui. Para deixar as manhãs de domingo mais gostosas, gosto de preparar um café da manhã especial e diferente. Assim sinto que estou curtindo um pouco mais esses momentos de tranquilidade e sem muita preocupação.

Adoro preparar aveia cozida no microondas com leite e mel. Alias, já publiquei aqui minha receita preferida de mingau de aveia à la americana. A versão que trago hoje é uma variação mais elaborada do mesmo conceito. Demora um pouquinho mais para ficar pronta, mas é tão delicioso que vale a pena esperar.

Aveia assada

Aveia assada

2 xic. de chá de aveia em flocos
1/3 xic. de chá de açúcar mascavo
2 col. de sopa de uva passa ou outra fruta seca de sua preferência
2 col. de sopa de castanha picada
1 col. de chá de fermento
1 1/2 xic. de chá de leite desnatado
1/2 xic. de chá de papinha de maçã
2 claras

Modo de preparo:
Misture os ingredientes secos numa tigela. Aos poucos, acrescente o leite mexido com a papinha de maçã e as claras. Misture tudo e incorpore as uvas passas na massa até ficar homogênea. Unte uma forma refratária 20×20 com uma pitada de margarina light e despeje a mistura. Leve para assar em forno médio (200˚C) de 30 a 40 minutos ou até que um palito inserido no meio saia limpo. Deixe descançar por 5 minutos e sirva a seguir.

Rende de 4 a 6 porções.

Uma dica que posso dar é para ficar de olho enquanto a aveia estiver assando no forno. Na receita original dizia para assar por 20 minutos. Entretanto, passado esse tempo vi que a minha ainda estava totalmente crua. Acabei deixando 38 minutos até que ficasse no ponto. Mas é preciso ter cuidado para que não queime, principalmente nas bordas.

Fiquei absolutamente encantada com esta receita. Super saborosa, ela é ótima também para preparar com antecedência já que permite congelar as outras porções para comer outros dias. No meu caso, fiz e congelei outros 3 pedaços em tigelas individuais. No dia que quero comer uma, apenas deixo na geladeira para descongelar da noite para o dia seguinte e aqueço no microondas 1 minuto e meio. Fica divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Descobrindo novas delícias

No começo, quando ia a restaurantes tailandeses eu sempre comia a mesma coisa: ou me deliciava com o tradicional Pad Thai (prato típico de macarrão com um molho agridoce delicioso) ou ficava no frango em cubos com castanha de caju (cuja receita publiquei aqui). Mas desta vez, quando estava de férias nos Estados Unidos e almocei no meu restaurante tailandês preferido por lá resolvi me aventurar um pouco.

A surpresa foi fantástica. Descobri sopas maravilhosas que antes pensava terem combinações um pouco estranhas de ingredientes. A melhor parte é que estas sopas funcionam tão bem como entrada, acompanhamento ou prato principal, basta adequar o tamanho da porção à refeição indicada.

Sopa tailandesa de macarrão transparente

Sopa tailandesa de macarrão transparente

300 ml de água
15 g de shitake seco
1/2 pepino médio
1 dente de alho
40 g de harussame (macarrão transparente)
1 col. de sopa de shoyu light
1 col. de sobremesa de açúcar mascavo
100 g de repolho em fatias finas
150 g de tofu firme
coentro picado a gosto

Modo de preparo:
Deixe o shitake seco de molho em água quente (mas não fervendo) por pelo menos 30 minutos para hidratar. Enquanto isso, coloque o pepino cortado, o alho e o repolho fatiado num multiprocessador. Bata até formar uma mistura homogênea e quase lisa.
Despeje a mistura numa panela e acrescente os 300 ml de água fervendo. Cozinhe com uma leve fervura em fogo médio por 2 ou 3 minutos. Coe o líquido para outra panela e descarte os restos que sobrarem.
Levante mais uma vez uma leve fervura e adicione o shitake hidratado com metade do líquido no qual estava. Acrescente o harussame e o açúcar mascavo dissolvido no shoyu light. Deixe cozinhar por 5 minutos até o macarrão amolecer.
Prove o sal e se for preciso tempere com mais um pouco de shoyu. Corte o tofu em cubos médios e coloque numa tigela. Por cima, derrame o conteúdo da sopa e decore com folhas de coentro picadas a gosto. Sirva acompanhado de torradinhas integrais.

A primeira vista a sopa pode não parecer lá muito apetitosa, mas a combinação do pepino com o repolho como base do caldo acrescentados ao shitake tornaram o sabor mais interessante. Uma das vantagens desta sopa, alias, é justamente a suavidade de todos os sabores que, quando misturados, não perdem suas características individuais.

Se você não for muito fã de tofu, vale preparar este prato usando também pedaços pequenos de peixe cozido (como filé de tilápia ou linguado) ou até mesmo cubinhos de peito de frango. Entretanto, a suavidade do tofu faz com que o sabor da sopa não seja sobrecarregado de temperos forte demais. Para mim, a melhor parte continua sendo o gostinho único do harussame. Desde que descobri este macarrão transparente tipicamente oriental me apaixonei.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sabor e praticidade num só lugar

Uma das maneiras mais fáceis de preparar um belo prato com filé é fazendo um simples stir-fry oriental. Já compartilhei diversas receitas de stir-fry, mas até agora não tinha chamado por este nome. O stir-fry nada mais é do que pegar uma carne, alguns vegetais e um molho e preparar na panela wok.

Não chega a ser uma fritura já que o formato da panela evita com que os ingredientes fiquem nadando na sua própria gordura. Além disso, a rapidez com que os pratos são preparados fazem com que seja necessário quantidades mínimas de óleo (ou nenhum se a panela for antiaderente). O resultado são receitas super saborosas e saudáveis.

Tirinhas de carne apimentada

Tirinhas de carne apimentada

1 pedaço pequeno de filé magro
1 col. de sopa de shoyu light
1 col. de sopa de vinagre de arroz
1 col. de chá de açúcar mascavo
1/2 cebola
1 col. de chá de gengibre em pó
1/2 cenoura pequena ralada
1 col. de sobremesa de pimenta calabresa
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Tempere a carne com sal e pimenta a gosto e corte o pedaço de filé em tiras bem fininhas com uma faca afiada. Numa tigela, misture o shoyu, o vinagre de arroz e o açúcar mascavo. Acrescente a carne e mexa bem para incorporar todo o tempero. Deixe marinando por 30 minutos.
Aqueça uma panela wok antiaderente e refogue a cebola picada com o gengibre em pó. Adicione a cenoura ralada bem fininha e refogue por mais alguns segundos. Por fim, coloque a carne junto com o molho da marinada na panela. Mexa bem e deixe refogar até a carne cozinhar por completo (de 2 a 3 minutos). Salpique com pimenta calabresa e sirva por cima de arroz integral.

Uma dica para conseguir cortar a carne bem fininha é fazê-lo enquanto ela ainda estiver um pouco congelada. Assim fica mais fácil manipular o filé. Se quiser deixar o prato mais interessante, corte a cebola em tiras invés de picá-la. Com isso os pedaços de cenoura e cebola ficam do mesmo tamanho e deixam a receita esteticamente mais bonita.

Como toda receita oriental a intensidade do sabor depende dos temperos e da quantidade utilizada. A melhor parte desta carne desfiada é a pimentinha calabresa acrescentada ao final. Entretanto, se você não gostar muito de pratos picantes pode deixar de fora já que a marinada utilizada é bastante saborosa.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Em busca da eterna praticidade

Carro chefe da culinária tailandesa, os currys nada mais são do que pratos com uma fonte básica de proteína (seja ela tofu, frango, carne ou peixe), cozidos com um misto de vegetais e temperados com diversas ervas e especiarias marcantes. Estes pratos também fazem parte em grande escala da gastronomia indiana, sendo que a grande diferença está na presença de outro ingrediente indispensável nos pratos tailandeses: o leite de coco.

Existem diversas maneiras de preparar os currys. Uma técnica um pouco mais “de raiz” seria pegar cada tempero que será utilizado na sua forma in natura e amassá-los para que juntos formassem um pó colorido. Esta mistura então seria adicionada à carne e aos vegetais numa panela ou wok enquanto fossem cozidos. Para facilitar a vida de cozinheiros mundo afora, existem hoje as pastas de curry. O tempero já vem em forma pastosa e sua aplicação no prato torna o preparo dele muito mais fácil.

Peito de frango ao curry tailandês com espinafre

Peito de frango ao curry tailandês com espinafre

1 peito de frango médio em cubos
1/2 maço de espinafre
100 g de floretes de couve-flor
1 col. de sopa de pasta de curry vermelha tailandesa
60 ml de leite de coco light
1 col. de chá de açúcar mascavo
sal e coentro a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, misture o leite de coco com o açúcar e a pasta de curry vermelha. Acrescente folhas de coentro picadas a gosto.
Tempere o peito de frango com sal e pimenta. Aqueça uma panela wok antiaderente e acrescente os cubos de frango para que comecem a cozinhar. Pingue algumas gotas de água para auxiliar no cozimento. Quando o frango estiver quase pronto, adicione o espinafre cortado e os floretes de couve-flor. Despeje o molho preparado e mexa bem para incorporar ao prato inteiro. Deixe cozinhar por mais alguns minutos mexendo sempre até ficar pronto. Sirva acompanhado de arroz integral.

Currys tailandeses preparados dessa maneira ficam absolutamente deliciosos. Principalmente pelo molho farto e picante que proporciona um sabor único ao prato. Uma das vantagens de servir acompanhado de arroz é que este acaba sugando todo esse molho e ficando bem molhadinho.

É importante lembrar que a pasta de curry vermelha traz uma intensidade bem picante ao prato. A sugestão de quantidade indicada na receita, entretanto, rende um molho apenas com um leve toque apimentado. Vale lembrar que quanto mais pasta acrescentada mais picante fica o prato. Sugiro ir provando o molho para adequar ao seu paladar. No meu caso, acabei colocando um pouco mais da pasta para que o sabor ficasse mais intenso. Ficou fantástico.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Uma luz ao término do final de semana

Domingo à noite é sempre assim, momento depressão porque acabou o fim de semana. Mas querendo é sempre possível encontrar algo para nos deixar feliz, mesmo amanhã sendo segunda-feira. Que tal começar a semana com um delicioso café da manhã com direito a uma refeição nutritiva, saudável e docinha?

É verdade que para preparar a sugestão de hoje é necessário instrumentos especiais. Uma das desvantagens de querer fazer um waffle tipicamente americano é ter que ter em casa o forno especial para tal função. Entretanto, aqui vai uma dica muitas vezes desconhecida. Mesmo você não tendo um forno de waffle, a mesma receita serve para fazer panquecas na frigideira. E convenhamos, o gosto é uma delícia. Importa em qual formato vem?

Waffles de iogurte

Waffles de iogurte

1 ovo
1 1/2 pote de iogurte natural desnatado
3 col. de sopa rasas de margarina
150 g de farinha integral
1 1/2 col. de sopa de açúcar mascavo
1 col. de café de bicarbonato de sódio
1 col. de chá de essência de baunilha

Modo de preparo:
Bata a clara em neve e reserve. Numa tigela, junte a gema, a margarina, o iogurte e a essência de baunilha. Mexa bem até ficar homogêneo. Aos poucos, acrescente a farinha, o açúcar e o bicarbonato. Misture delicadamente só até incorporar tudo. Por fim, junte a clara em neve e mexa com cuidado até ficar homogêneo.
Aqueça o forno próprio para fazer waffle e derrame metade da massa. Asse de acordo com as instruções do forno até ficar crocante e tostado. Repita com o restante da mistura. A receita rende 6 unidades. Mesmo que não vá comer todos na hora, prepare a receita inteira e congele as unidades não consumidas. Quando for comer, apenas asse novamente numa torradeira convencional.

Já comi vários waffles comprados pré-prontos congelados. Achei esta receita infinitamente superior. O triste é que só consegui comê-lo pois estava na casa da minha mãe neste final de semana. Entretanto, pretendo testar a receita fazendo panquecas na frigideira quando voltar para minha casa.

De modo geral, para preparar panquecas com receitas tipo essa a medida é de 3 a 4 col. de sopa de massa para cada panqueca. Em uma frigideira antiaderente, é só derramar a quantidade certa da mistura e espalhar pela panela virando-a pelo cabo com a mão. Quando estiver começando a dourar na parte de baixo, vira-se com o auxílio de uma espátula. Ao todo são menos de cinco minutos de espera antes de saborear um café da manhã delicioso. Melhor impossível.

Por hoje é só.

Bon appetit!