Sequinhas e crocantes

Como comentei no post de ontem, o melhor acompanhamento para o clássico steak tartare são batatas chips assadas. Isso para quem não quiser enfrentar as verdadeiras batatas fritas que geralmente seguem junto do prato nos restaurantes típicos franceses. Não vejo muita vantagem em comer as batatas fritas sendo que estas ficam tão deliciosas quanto, mas cada um, cada um, né?

Já publiquei uma outra receita de batata chips assadas aqui no blog uns tempos atrás. Esta não é lá muito diferente, mas como usa a batata doce ao invés da batata inglesa comum o sabor fica outro e trás à refeição um toque especial. Quem quiser também pode salpicar um pouco de salsinha picada fresca por cima das batatas chips. Como não tinha em casa, fiz sem mesmo.

Chips de batata doce

Chips de batata doce

150 g de batata doce
azeite e sal a gosto

Modo de preparo:
Lave bem a batata e escove para tirar toda a sujeira e terra. Corte bem fininha, mantendo a casca, com o auxílio de um fatiador e legumes. Tempere com sal a gosto e regue com um fio de azeite.
Leve para assar em forno pré-aquecido em 230˚C por 30 minutos ou até que fiquem bem secas e crocantes. Vire as fatias da batata na metade do tempo para assar de maneira uniforme.

Para que as batatas fiquem bem sequinhas elas precisar ser cortadas o mais fino possível. O bom é utilizar um mandolin, espécie de cortador de legumes japonês que fatia vegetais bem fininhos. Eu, como não tinha um, fui na faca mesmo. Com isso, minhas fatias não ficaram de espessuras iguais e algumas não conseguiram ficar tão crocantes assim. Mas o sabor ficou delicioso do mesmo jeito.

Eu sempre indico nas receitas para temperar com sal a gosto pois acredito que cada um sabe a quantidade que agrada. Neste caso, vale ressaltar para colocarem um pouco mais do que seria o normal para vocês. Isso porque o sal ajuda a retirar a água da batata na hora que ela está assando. Desta forma, elas conseguem ficar mais sequinhas e crocantes quando estão no forno.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Buscando a variedade sempre

Não é nenhum segredo que eu adoro comer peixes. E achar receitas novas e diferentes para prepará-los tem se tornado um passatempo predileto meu nas noites sem muito o que fazer. Como adoro saborear estes animais marítimos gosto principalmente de variar a qualidade que como de um dia para o outro. Assim não corro o risco de enjoar de um tipo por comê-lo demais.

Quando comprei sardinha fresca, para preparar a receita de sardinha assada ao molho de ricota com mostarda, que publiquei aqui algumas semanas atrás, vieram 10 na bandeja. Como usei apenas 2, congelei as demais para usar num outro dia. Esta receita de hoje foi a desculpa perfeita para tirar o peixe do congelador e saboreá-lo novamente. Ficou uma delícia.

Sardinha crocante assada

Sardinha crocante assada

2 unidades de sardinha fresca abertas como borboletas
2 col. de sopa de farinha de rosca
1 clara
suco e raspas de 1 limão
azeite, orégano, salsinha e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Tempere a sardinha com o suco de limão e sal a gosto. Numa tigela, misture a farinha de rosca, as raspas de limão, o orégano, a salsinha e a pimenta calabresa. Para empanar o peixe, passe a parte da carne do peixe na clara e depois na mistura de farinha. Repita com a segunda unidade.
Arrume as sardinhas numa forma refratária untada com um pouco de azeite com a pele virada para baixo. Leve para assar em forno médio (200˚C) de 10 a 15 minutos ou até que o peixe fique bem douradinho. Sirva acompanhado de arroz integral ou selvagem e legumes no vapor.

O gostinho azedo das raspas de limão dão um toque sensacional à esta receita. Como o peixe é assado e não frito, ele continua sendo bastante saudável apesar de ser empanado. Caso queira deixá-lo mais nutritivo, opte por farinha de rosca integral ou triture você mesmo duas fatias de pão integral torrado.

A quantidade de farinha indicada na receita é apenas uma base para ter noção de quanto realmente é usado no peixe. Na prática, a melhor maneira de fazer é derramar um pouco mais no prato que será feita a mistura para poder empanar os peixes sem preocupação. Mas como o resto de farinha que sobra é jogado fora, vale a pena não exagerar demais para não desperdiçar muito no final.

Por hoje é só.

Bon appetit!

A importância da variedade

Com a semana santa batendo à porta chega a hora de tirar o pó de todas as receitas que temos guardadas de peixes suculentos e deliciosos. Entretanto, comer uma coisa só tanto tempo seguido pode enjoar. O bom é garantir uma variedade nos ingredientes das preparações que antecedem o festival de frutos do mar que está por vir.

Pensando nisso, nada melhor do que aproveitar esta quinta-feira pré sexta-feira santa para saborear um belo medalhão de filé mignon. Esta receita não tem nada de muito elaborado, criei num momento de extrema correria no qual tinha pouquíssimos ingredientes em casa. Mas ela ficou tão saborosa que tinha que compartilhar.

Filé mignon aromático

Filé mignon aromático

1 medalhão de filé mignon médio
1 dente de alho amassado
1 col. de chá de tomilho
1 col. de chá de sálvia
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Tempere o filé com sal e pimenta a gosto. Amasse o dente de alho e misture com o tomilho e a sálvia. Cubra toda a carne com essa misture e leve para assar numa forma refratária anti-aderente em forno pré-aquecido a 200˚C. Asse em forno médio-baixo por 20 minutos para que cozinhe por completo e lentamente. Assim a carne não ficará ressecada e permanecerá suculenta e levemente rosada por dentro. Sirva acompanhado de vegetais no vapor.

O bom desta receita é que não requer nenhuma sofisticação nem muito tempo de esforço para deixá-la saborosa. Nada melhor do que tirar este dia para preparar algo simples e guardar as energias para o grande e agitado final de semana que vem por aí.

Caso você não goste muito do sabor impactante de ervas como tomilho e sálvia secas, pode deixá-las apenas durante o tempo de preparo da carne e retirá-las na hora de comer. Deixando-as durante os 20 minutos que a carne está assando já é suficiente para dar um sabor deliciosamente suave ao filé mignon.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para um café da manhã especial

O fim de semana pode já estar acabando, mas nada impede que você se divirta mais um pouco enquanto ele ainda está aqui. Para deixar as manhãs de domingo mais gostosas, gosto de preparar um café da manhã especial e diferente. Assim sinto que estou curtindo um pouco mais esses momentos de tranquilidade e sem muita preocupação.

Adoro preparar aveia cozida no microondas com leite e mel. Alias, já publiquei aqui minha receita preferida de mingau de aveia à la americana. A versão que trago hoje é uma variação mais elaborada do mesmo conceito. Demora um pouquinho mais para ficar pronta, mas é tão delicioso que vale a pena esperar.

Aveia assada

Aveia assada

2 xic. de chá de aveia em flocos
1/3 xic. de chá de açúcar mascavo
2 col. de sopa de uva passa ou outra fruta seca de sua preferência
2 col. de sopa de castanha picada
1 col. de chá de fermento
1 1/2 xic. de chá de leite desnatado
1/2 xic. de chá de papinha de maçã
2 claras

Modo de preparo:
Misture os ingredientes secos numa tigela. Aos poucos, acrescente o leite mexido com a papinha de maçã e as claras. Misture tudo e incorpore as uvas passas na massa até ficar homogênea. Unte uma forma refratária 20×20 com uma pitada de margarina light e despeje a mistura. Leve para assar em forno médio (200˚C) de 30 a 40 minutos ou até que um palito inserido no meio saia limpo. Deixe descançar por 5 minutos e sirva a seguir.

Rende de 4 a 6 porções.

Uma dica que posso dar é para ficar de olho enquanto a aveia estiver assando no forno. Na receita original dizia para assar por 20 minutos. Entretanto, passado esse tempo vi que a minha ainda estava totalmente crua. Acabei deixando 38 minutos até que ficasse no ponto. Mas é preciso ter cuidado para que não queime, principalmente nas bordas.

Fiquei absolutamente encantada com esta receita. Super saborosa, ela é ótima também para preparar com antecedência já que permite congelar as outras porções para comer outros dias. No meu caso, fiz e congelei outros 3 pedaços em tigelas individuais. No dia que quero comer uma, apenas deixo na geladeira para descongelar da noite para o dia seguinte e aqueço no microondas 1 minuto e meio. Fica divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sabores naturais

Em dias quentes de verão, nada melhor do que um lanche leve e saudável para saborear à tarde ou no jantar. Sanduíches naturais combinados com sucos de frutas ou vitaminas são ótimos pois trazem vitaminas e minerais sem acrescentar muita gordura ou calorias à refeição.

Melhor ainda é quando preparamos estes lanches super saborosos em casa. Quanto mais natural e menos processado o sanduíche, melhor para a sua alimentação. Com isso, trago uma opção totalmente feita em casa de sanduíche natural de sardinha. Desta vez optei por assar a sardinha em casa mesmo e não usar a versão em lata. Ficou uma delícia.

Sanduíche natural de sardinha assada

Sanduíche natural de sardinha assada

1 sardinha fresca limpa e aberta ao meio
2 fatias de pão integral light
4 folhas de escarola (ou alface lisa)
4 azeitonas verdes sem caroço fatiadas
2 col. de sopa de cenoura ralada
1 col. de sopa de requeijão light
1 col. de sopa de mostarda escura

Modo de preparo:
Pincele a sardinha com azeite e tempere com sal e pimenta a gosto. Leve para assar numa forma refratária antiaderente de 12 a 15 minutos em forno médio (200˚C).
Passe o requeijão e a mostarda nas fatias de pão integral. Eu gosto de passar um em cada fatia, mas você pode misturar os dois em cada fatia se preferir. Arrume as folhas de escarola, a cenoura ralada e as azeitonas fatiadas em uma fatia. Coloque a sardinha assada por cima e feche com a outra fatia. Corte ao meio e sirva em seguida.

Sardinhas frescas são fontes super práticas de gorduras boas provenientes dos peixes. Você pode encontrá-las num bom supermercado ou feira. Peça para o peixeiro cortá-las ao meio para que fiquem abertas como uma borboleta e limpá-las para retirar a cabeça e o miolo.

Há quem não goste muito de sardinhas assadas assim pois elas têm bastante espinha. Entretanto, por serem pequenas, elas podem ser comidas sem maiores preocupações. Caso não queira correr nenhum risco, pode desfiar a sardinha depois de assada e preparar uma pasta com o requeijão e a mostarda para passar no pão. Também fica uma delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Ano novo, vida nova

Venho por meio deste registrar o último post do ano. Um ano cheio de tristezas (grande novidade na minha vida), mas também um acho cheio de renovações e aventuras novas. A começar por esta, minha grande aventura no mundo da culinária saudável que faz você pensar antes de escolher o que comer e que me trouxe de volta o prazer de saborear inúmeros pratos desconhecidos.

Como 2011 terminou com um gostinho amargo para mim (e para muitas pessoas que conheço) nada melhor do que uma receita docinha para entrar em 2012 com o pé direito. Super leve este prato serve tanto para uma sobremesa light depois de uma ceia pesada na virada do ano como para um lanchezinho esperto para segurar a fome e não se atracar na primeira coisa que aparecer pela frente na noite do réveillon (mesmo não sendo a melhor opção do cardápio).

Pêssego assado com mel e canela

Pêssego assado com mel e canela

1 pêssego cortado em quatro (sem o caroço)
1 col. de sobremesa de mel
1 col. de chá de canela em pó

Modo de preparo:
Pegue um pêssego maduro e corte em quatro pedaços cuidadosamente para ir retirando o caroço. Numa forma refratária, arrume os pedaços e regue com o mel e a canela em pó. Leve ao microondas em potência alta por 2 ou 3 minutos (dependendo do forno, os tempos podem variar). Sirva quente.

Adoro doces feitos com frutas pois são ótimas alternativas para satisfazer a vontade de comer sobremesa sem precisar se atracar numa fatia de bolo de chocolate recheado. Além disso, uma boa dica é escolher as frutas da estação para preparar os doces já que elas estarão mais maduras e com isso mais docinhas e saborosas na hora de degustar.

Frutas assadas no forno ou no microondas com canela já são deliciosas puras, mas se você quiser extrapolar um pouquinho (afinal é final de ano e todo mundo merece uma extravagância de vez em quando) saboreie com uma bola de sorvete de creme. Uma opção mais light seria comer com uma bola de iogurte frozen que não tem gordura. Vai do paladar (e da consciência) de cada um. =P

Por hoje é só.

Que 2012 seja melhor do que 2011 e pior do que 2013 para todos.

E, como sempre, bon appetit!