Para adoçar as tarde de domingo

Já virou rotina ver manchetes de revistas e artigos científicos afirmando que o tão apreciado chocolate não é mais tão vilão da saúde quanto pensávamos. Ao contrário, consumir uma pequena quantidade dessa delícia diariamente pode trazer inúmeros benefícios a nossa saúde. O importante é escolher qual chocolate saborear para que as calorias ingeridas não sejam completamente vazias.

Quanto maior a porcentagem de cacau no chocolate, melhor ele é para nossa alimentação. Isso porque os benefícios estão todos presentes na manteiga do cacau e no pó usado ao preparar o chocolate. As versões ao leite e principalmente o chocolate branco, que não contem nada de cacau em pó, aumentam demais o volume de açúcar da receita e deixam de lado as propriedades benéficas do doce.

Devo confessar que antes de passar pela reeducação alimentar não era muito fã de chocolate amargo. Alias, minha versão preferida era a pior possível: o chocolate branco. Hoje aprendi a saborear a delicadeza marcante do chocolate com maior percentual de cacau. Atualmente, para mim, quanto maior essa porcentagem, melhor.

Mas como ninguém é de ferro e todos merecemos uma escapulida de vez em quando, resolvi experimentar esta receita de muffins de chocolate branco com damasco. A quantidade de chocolate utilizada não é muita mas é perfeitamente suficiente para satisfazer meus desejos sem destruir completamente meu plano alimentar. Sensacional, não?

Mini muffin de chocolate branco com damasco

Mini muffins de chocolate branco com damasco

1 xíc. de chá de farinha de trigo
1/4 de xíc. de chá de açúcar
1 col. de chá de gengibre em pó
1/2 col. de chá de fermento em pó
1 pitada de sal
25 g de chocolate branco picado
90 ml de leite desnatado
1 1/2 col. de sopa de margarina light
1 clara
25 g de damasco seco picado

Modo de preparo:
Junte a farinha de trigo, o açúcar, o gengibre, o fermento, a pitada de sal e o chocolate picado numa tigela e misture bem com um garfo para que fique tudo incorporado. Em outra tigela, misture o leite, a margarina derretida e a clara. Mexa bem com um garfo para que fique homogêneo.
Aos poucos, incorpore a mistura molhada na mistura seca. Mexa com delicadeza apenas para que fique homogêneo mas tenha cuidado para não mexer demais. Por fim acrescente o damasco picado e termine de mexer.
Pré-aqueça o forno em 200˚C. Despeje a massa em forminha de mini muffins antiaderentes untados com spray de azeite. Leve ao forno e deixe assar de 12 a 14 minutos ou até que um palito enfiado no meio saia limpo. Saboreie com uma xícara de chá de frutas no lanche da tarde.

Rende 12 mini muffins.

Sou apaixonada por muffins, ainda mais estes tamanho miniatura já que podemos comer mais de um sem pesar demais a consciência. Tenho várias receitas de sabores diferentes e me divirto experimentando cada uma. Aqui no blog já publiquei outras, como a de banana com farinha integral e a de cacau com chocolate amargo.

Mas sem dúvida esta nova de chocolate branco com damasco tornou-se minha preferida. A mistura de sabores ficou divina e a quantidade utilizada é perfeita para dar aquele gostinho e satisfazer meus desejos sem sobrecarregar demais a receita. O melhor é que podemos congelar os muffins já pronto para saborear um outro dia. Aproveite para fazer muitos e ir comendo ao longo da semana. Aposto que vai adorar.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Para juntar a galera

Ontem à tarde me deu uma vontade louca de inaugurar minha forma de mini muffins que comprei na minha última viagem aos Estados Unidos. O problema disso é que como moro sozinha fazer 12 mini muffins só para mim acaba sendo uma tentação absurda. Não teria como não acabar comendo tudo.

Para reverter a situação, nada melhor do que chamar pessoas amadas para saborear a delícia junto com você. Melhor ainda, estes mini muffins são uma ótima desculpa para juntar todo mundo e saborear um delicioso pote de café ou chá num singelo lanchinho da tarde.

Mini muffins de cacau com chocolate amargo

Mini muffins de cacau com chocolate amargo

14 col. de sopa de farinha de trigo
1/4 de xíc. de chá de açúcar mascavo
2 col. de sopa de cacau em pó sem açúcar
1/2 col. de chá de fermento em pó
1/2 col. de chá de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
120 ml de água
1/2 col. de sobremesa de essência de baunilha
1/2 col. de sopa de vinagre de vinho branco
30 g de chocolate amargo (70% cacau ou mais)
30 ml de óleo de canola
1 clara

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno a 200˚C. Unte uma forma refratária de mini cupcakes com 12 unidades com um pouco de azeite. Reserve. Quebre o chocolate amargo em quadradinhos pequenos e reserve.
Numa tigela, misture os ingredientes secos (da farinha até o sal) e misture delicadamente com uma colher até ficar homogêneo. Em outra tigela, junte os demais ingredientes (menos o chocolate amargo) e bata ligeiramente com um garfo até misturar completamente.
Abra um buraco no meio da tigela com os ingredientes secos e derrame a mistura de óleo, água e a clara. Comece a mexer com cuidado com o auxílio de uma colher ou garfo até que fique tudo bem misturado. Cuidado para não mexer demais se não os muffins podem ficar duros. Acrescente 2/3 do chocolate picado e misture à massa.
Divida a massa entre os 12 recipientes da forma de mini muffins até que todos fiquem cheios. Pegue o resto do chocolate picado e coloque um pedacinho por cima de cada muffin. Leve para assar de 8 a 9 minutos ou até que um palito enfiado no meio saia limpo. Sirva como acompanhamento de uma bela xícara de chá ou café como lanche da tarde.

Rende 12 mini muffins.

Não há palavras para descrever a delícia que ficaram estes mini muffins. Absurdamente fofinhos e macios, eles derretem na boca e levam o sabor espetacular do cacau a um patamar nunca antes atingido. A receita original era para fazer 12 muffins do tamanho normal. Entretanto, como a minha forma era de mini muffins, dividi a receita ao meio e fiz 12 do tamanho pequeno.

Caso você queira preparar estas delícias do tamanho tradicional, esta quantidade indicada rende 6. Para fazer 12, apenas dobre os ingredientes. E neste caso, não se esqueça de aumentar o tempo de forno para 15 minutos, aproximadamente. Mas vamos combinar, os pequenininhos são muito mais fofos e, por serem mini, podemos comer mais de um sem culpa. Melhor impossível, não é?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Variações deliciosas

Clássico da culinária mexicana, o chili já foi incorporado por quase todas as cozinhas do mundo. Com toques diferentes e pequenas modificações nos ingredientes cada lugar acaba colocando um quê de especial na sua receita de chili. Em especial, a fusão tex-mex do sudeste americano popularizou o chili e o transformou em um dos pratos mais pedidos.

A versão que trago hoje é uma pequena variação da tradicional. Em vez de carne moída, colocamos pedaços de peito de frango cortados. Em vez de feijão carioca, a opção é acrescentar feijão branco. De resto reina o básico, com direito à pimentinha clássica e aos temperos característicos deste prato tão saboroso.

Chili branco de frango

Chili branco de frango

1 peito de frango médio
1/2 lata de feijão branco em conserva
2 col. de sopa de cebolinha picada
1 dente de alho
1/4 de cebola picada
1 col. de chá de cominho em pó
1 col. de chá de orégano
250 ml de caldo de frango
1 col. de chá de molho de pimenta malagueta
sal, pimenta e coentro a gosto.

Modo de preparo:
Dissolva 1/2 tablete de caldo de frango em 250 ml de água fervente. Reserve.
Corte o peito de frango em pedaços pequenos. Tempere com sal e pimenta a gosto. Numa panela antiaderente, refogue o frango com a cebola picada e o alho amassado. Quando o frango estiver quase cozido, acrescente o cominho e o orégano e continue mexendo.
Despeje o caldo de frango e o feijão branco na panela. Deixe ferver e cozinhe em fogo baixo com a panela semi tampada por 10 minutos para reduzir um pouco do caldo. Acrescente a pimenta malagueta e a cebolinha picada. Mexa bem e sirva a seguir decorado com folhas de coentro a gosto e acompanhado de torradinhas integrais.

Esta é a segunda receita de chili que testei. A primeira, que publiquei aqui antes, é mais tradicional e certamente mais conhecida de todos. Entretanto, esta versão com peito de frango e feijão branco acaba sendo mais leve do que a outra já que é feita com carne mais magra.

Ambas são super saborosas e caem bem como jantar leve e super saudável. Aproveite as noites de outono que estão começando a refrescar para deliciar-se com uma bela tigela de chili acompanhado de saladinha verde e torradinhas integrais. Nada melhor do que uma refeição simpática como esta para fechar o dia bem.

Por hoje é só.

Bom appetit!

Um dia de vegetariana

Adoro comer carne. E de qualquer tipo: frango, carne vermelha, peixe. Mesmo assim gosto de tirar um dia para ser “vegetariana” e apreciar pratos sem proteína animal. Não há nada de mais nisso. Alias, é até saudável uma vez na semana evitar as gorduras saturadas presentes nas carnes de origem animal.

Dito isso, é importante saber escolher bem os ingredientes dos pratos vegetarianos para certificar-se de que nenhum nutriente importante fique de fora. Minha dica de hoje combina feijão branco com espinafre, ambas ótimas fontes de proteína e ferro. Sem contar que ficou uma delícia.

Sopa de feijão branco com espinafre

Sopa de feijão branco com espinafre

160 g de feijão branco cozido
150 g de espinafre
2 col. de sopa de cebola picada
1 dente de alho amassado
200 ml de caldo de galinha
1 fio de azeite

Modo de preparo:
Corte o espinafre em tirinhas pequenas. Numa panela antiaderente, refogue a cebola, o dente de alho e o espinafre por 1 minutos apenas até o espinafre começar a murchar. Acrescente o feijão branco já cozido e escorrido e o caldo de galinha. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe por aproximadamente 10 minutos para engrossar um pouco. Desligue o fogo, regue com um fio de azeite e sirva em seguida com torradinhas ou palitinhos integrais.

Além de deliciosa, esta sopa é super prática para quem não tem muito tempo para dedicar à cozinha. Para facilitar, é possível, e até mais rápido, aproveitar o feijão que já foi preparado para o almoço e sobrou. Basta apenas acrescentá-lo à sopa. Com isso, o tempo de preparo e cozimento da sopa fica bem reduzido.

Outra opção é usar os feijões em conserva que já vem prontos. Neste caso é importante escorrer as leguminosas e deixar cair água corrente para lavá-las bem. Assim, o excesso de sal presente na salmoura da conserva é retirado e evita que a sopa fique com níveis muito altos de sódio, importante para não aumentar a pressão arterial do sangue.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Petiscos prazerosos

Filezinhos de peixe empanados, os clássicos nuggets, são petiscos deliciosos e super práticos para um jantarzinho vapt-vupt. Entretanto, as versões industrializadas à venda nos supermercados nem sempre são uma boa opção para quem quer seguir uma alimentação saudável.

A boa notícia é que não precisamos nos privar deste pequeno prazer de comer nuggets besuntados com uma bela mostarda Dijon picante enquanto assistimos aquele filme romântico no sábado à noite. A receita destes filezinhos de peixe é super simples e ainda dá aos tradicionais nuggets um quê à mais.

Nuggets de peixe

Nuggets de peixe

1 posta de cação ou outro peixe branco (120 g)
1/2 col. de sopa de farinha de maracujá
1/2 col. de sopa de queijo parmesão ralado
suco de um limão
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Tempere a posta de cação com sal e pimenta a gosto. Regue com o suco de limão e corte a posta em pequenos pedaços de aproximadamente 2 cm.
Nume tigela, misture a farinha com o parmesão e passe cada pedaço de peixe para empanar. Arrume numa forma refratária antiaderente e leve ao forno pré-aquecido em 200ºC por aproximadamente 20 minutos. Sirva quente.

Na receita original, a sugestão era usar a farinha de quinoa e não de maracujá. Entretanto, como já tinha a de maracujá em casa e ela funciona perfeitamente para empanar carnes como neste caso, resolvi usar ela mesma. Como já falei num post anterior, o peixe empanado com outra farinha que não de rosca e assado ao invés de frito perde a testura crocante que muitos adoram.

De qualquer maneira, esta forma mais saudável de preparação não fica devendo em nada em relação ao sabor. Sugiro até temperar os nuggets com um pouquinho de limão e pimenta calabresa depois de prontos além da mostarda. O sabor final fica divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

A arte de fazer adaptações

O fato de morar sozinha às vezes implica na arte de adaptar receitas para caber no bolso ou aproveitar ingredientes que sobraram na geladeira de preparações passadas. Por isso, nem sempre consigo seguir 100% as sugestões presentes nos livros. Incrivelmente, algumas dessas mudanças acabam criando pratos tão bom quanto, ou mesmo até melhores dos pretendidos.

Pra variar, hoje fiz adaptações numa receita de lasanha de abobrinha para não ter que sair para comprar ingredientes diferentes que iriam, de novo, sobrar na minha geladeira. Em vez disso, usei os que já tinha comprado para fazer outros pratos ao longo da semana e o resultado ficou sensacional. Talvez na foto não pareça, mas aposto que o gosto da minha lasanha estava tão bom quanto se tivesse seguido à risca a receita do livro.

Lasanha de abobrinha

Aqui compartilho a minha adaptação na receita. Depois explico quais eram os ingredientes inicialmente sugeridos.

Lasanha de abobrinha

200 g de abobrinha italiana
60 g de blanquet de peito de peru light
2 col. de sopa de queijo cotage
80 ml de leite desnatado
1 col. de sobremesa de farinha de trigo
10 g de ricota fresca esfarelada para polvilhar
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Numa panela antiaderente, ferva 500 ml de água com sal a gosto. Corte a abobrinha em fatias finas no sentido do comprimento e leve para cozinhar por 3 minutos na água. Quando estiver al dente, retire as fatias e reserve.
Dissolva a farinha de trigo no leite desnatado. Coloque numa panela antiaderente e tempere com pimenta-do-reino a gosto. Cozinhe em fogo baixo até engrossar e formar um creme homogêneo, mexendo sempre para não “empelotar”.

Montagem:
Em uma forma refratária, disponha uma camada com 1/3 da abobrinha. Por cima, acrescente uma camada com metade do peito de peru e metade do queijo cotage. Repita a operação para formar mais uma camada de cada ingrediente. Certifique-se que, no fim, a última camada seja de abobrinha. Despeje o molho branco por cima da lasanha e salpique a ricota esfarelada. Leve ao forno pré-aquecido em 200ºC até gratinar (aproximadamente 20 minutos).

A grande alteração que fiz em relação à receita original foi usar blanquet de peito de peru light em vez de carne moída. Fiz isso simplesmente pela facilidade de já ter o peito de peru em casa. Mas a outra opção certamente ficaria uma delícia também. Para quem quiser fazer com a carne moída, a sugestão é refogá-la numa panela antiaderente com alho e cebola picados, sal, tomilho e molho inglês a gosto. Depois é só montar a lasanha da mesma maneira alternando camadas de abobrinha com camadas de carne moída.

Outra mudança que fiz foi utilizar o queijo cotage e a ricota esfarelada. Na receita original, as camadas da lasanha não incluíam queijo. Apenas na última camada acrescentava-se uma col. de sobremesa de mussarela light ralada para polvilhar na hora de gratinar. Entretanto, quis colocar o cotage para dar um pouco mais de sabor e volume à minha lasanha. Da mesma forma, resolvi substituir a mussarela light pela ricota por dois motivos: o primeiro era o fato de já ter ricota em casa e o segundo por esta ser uma opção mais light já que contem menos gordura que a mussarela.

Fazer lasanha com vegetais como abobrinha ou berinjela é uma ótima alternativa à usar a tradicional massa. Além de ficar bastante saboroso, evita-se comer muito carboidrato desnecessariamente e torna a dieta rica em fibras e nutrientes. Vale também preparar uma lasanha que alterne camadas de abobrinha e berinjela. Fica uma delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!