Dando aquela ajudazinha

As vezes lemos coisas contraditórias sobre como manter uma alimentação saudável. Já virou unanimidade o conceito de que é interessante reduzir a quantidade de carne vermelha que ingerimos e optarmos, sempre que possível, por carnes brancas como frango ou peixe. Isso porque os níveis de gordura saturada nas carnes brancas é menor, evitando o acúmulo delas nas artérias.

Até aí tudo bem. O problema é o risco que corremos de essa mudança gerar deficiências de nutrientes importantes como o ferro. Imprescindível para o transporte do oxigênio no sangue, o ferro tem como sua principal fonte justamente as carnes vermelhas.

Mas também não adianta apenas comer um filé dia sim dia não. Isso porque para ser melhor absorvido pelo organismo, o ferro requer uma boa dose de vitamina C, presente em grande quantidade nas frutas cítricas. A receita de hoje é uma combinação perfeita desses dois nutrientes. Com isso temos a certeza de que, mesmo nas poucas vezes em que comemos carne vermelha, o tão importante ferro será bem absorvido pelo corpo.

Carne à moda oriental com molho de laranja

Carne à moda oriental ao molho de laranja

1 filé magro pequeno (alcatra, patinho, filé mignon)
1 laranja
30 ml de suco de laranja
1 col. de chá de amido de milho
1 col. de sobremesa de shoyu light
50 g de cebolinha
50 g de aspargos frescos
1 col. de chá de pimenta calabresa
1/4 de cebola

Modo de preparo:
Corte a carne, a cebola, a cebolinha e os aspargos em tiras finas. Reserve. Numa tigela, misture o suco de laranja, o amido de milho e o shoyu. Reserve. Descasque a laranja e reserve 3 ou 4 tiras da casca (apenas a parte laranja). Corte a laranja em gomos e reserve.
Aqueça uma wok (ou frigideira grande) antiaderente. Refogue a carne com alguns pingos de água mexendo sempre até começar a cozinhar (aproximadamente 5 minutos). Reserve. Acrescente à wok a cebola, a cebolinha, os aspargos e as tiras da casca de laranja. Refogue por alguns minutos e adicione o molho reservado. Mexa bem por 1 minuto até começar a engrossar.
Devolva a carne à wok e misture aos vegetais. Mexa bem para terminar de cozinhar a carne e incorporar ao molho. Sirva com os gomos da laranja e a pimenta calabresa salpicada por cima a gosto.

Além de auxiliar na absorção do ferro, juntar frutas com carnes sempre traz uma mistura deliciosa de sabores ao prato. O toque azedinho do molho, cortesia da casca de laranja, fica uma delícia quando combinado com a cebolinha e os aspargos.

A técnica tradicionalmente oriental de usar a wok para este tipo de preparação facilita muito a vida na hora de fazer o almoço. A dica é deixar tudo pré arrumado já que a praticidade do preparo exige agilidade e rapidez. Se você quiser dar um toque agridoce ao molho, acrescente 1/2 col. de sobremesa de açúcar mascavo à mistura antes de colocá-la na wok. Fica divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Abrindo a mente

Quem disse que vegetariano não pode saborear um belo hambúrguer? E quem disse que carnívoros também não podem se aventurar pelas ondas vegetarianas de vez em quando?

Eu adoro carne e incluo na minha dieta diariamente uma porção de proteína animal magra (carne branca tipo peixe ou frango) e pelo menos duas vezes por semana como uma porção de carne vermelha magra (filé mignon, coxão mole, maminha, alcatra etc.) que é uma fonte importantíssima de ferro para o organismo.

Entretanto, vez ou outra adoro me aventurar pelos mundos vegetarianos para saborear uma bela refeição que não tenha proteína animal. (Só para deixar claro, neste caso não chego a ser radical e não excluo ovos, leite ou queijo dos meus pratos “vegetarianos”.) Sempre tive curiosidade de experimentar um hambúrguer vegetariano, e desta vez resolvi testar uma receita de hambúrguer de palmito super interessante que achei. O resultado ficou fantástico!

Hambúrguer especial de palmito

Hambúrguer especial de palmito

150 g de palmito picado em conserva
25 g de pimentão vermelho picado
2 col. de sopa de cebola picada
1 col. de sopa de mostarda
2 col. de sopa rasas de farinha de rosca
1 col. de sopa rasa de farinha de maracujá
1 ovo
sal, pimenta-do-reino e salsinha picada a gosto

Modo de preparo:
Pique bem o palmito em conserva (mesmo comprando o que já vem picado, é bom deixá-lo ainda menor). Em uma tigela, misture o palmito com a cebola e o pimentão. Acrescente a mostarda e tempere com sal, pimenta e salsinha a gosto. Adicione as farinhas e mexa bem com uma colher. Por fim, acrescente o ovo batido e misture com as mãos até formar uma massa homogênea.
Divida a massa em 3 ou 4 partes e molde os hambúrgueres. Leve à geladeira por 30 minutos antes de assar. Pré-aqueça o forno em 200ºC e coloque os hambúrgueres para assar numa forma refratária antiaderente até dourarem (aproximadamente 25 a 30 minutos). Sirva em seguida.

A primeira vista pode parecer estranha a receita, mas prometo que ficou uma delícia! Nas instruções iniciais, não dizia para acrescentar a farinha de maracujá. Entretanto, quando coloquei as duas col. de sopa de farinha de rosca achei que não tinha dado liga suficiente e resolvi colocar mais uma col. de sopa rasa da farinha da casca de maracujá tão fantástica que comprei para fazer o peixe empanado.

Para mim, o resultado ficou sensacional e a col. de sopa de farinha a mais não deixou os hambúrgueres massentos. A consistência ficou perfeita e o sabor, por mais inusitado e diferente de qualquer coisa que já tenha provado, foi divino. Por já ter sua dose de carboidrato provenientes das farinhas, uma boa pedida para acompanhar este hambúrguer é uma salada leve de folhas verdes com tomate.

No fim acho que vale a pena aventurar-nos de vez em quando em pratos que normalmente não comeríamos. Sem querer podemos esbarrar em algo sensacional que jamais pensaríamos em provar como aconteceu comigo hoje. Recomendo!

Por hoje é só.

Bon appetit!