Uma complexidade de sabores

Já publiquei aqui no blog diversas receitas super gostosas e nutritivas feitas com cevadinha, esse grão integral tão maravilhoso e indispensável para quem deseja ter uma alimentação saudável. Uma das minha preferidas é a sopa de cevadinha com carne, absolutamente deliciosa e perfeita para essas noites frias de inverno.

A receita de hoje é parecida com outra que também já publiquei aqui mas tem um toque diferente. Ao invés de servir como uma espécie de risoto, como é o caso desta outra receita, a de hoje transforma-se numa deliciosa salada diferente. Aproveite um dia mais calmo para brincar e testar novos sabores na cozinha. Assim aprendemos e descobrimos coisas maravilhosas.

Salada de cevadinha tostada com vagem e shitake

Salada de cevadinha tostada com vagem e shitake

45 g de cevadinha
400 ml de água
100 g de shitake
100 g de vagem
5 ml de óleo de gergelim torrado
5 ml de shoyu
1 sache de mel
1 dente de alho
1 col. de sopa de cebolinha
gengibre a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente e regue com o óleo de gergelim torrado. Toste a cevadinha, mexendo sempre, por alguns minutos até que fique aromática. Despeje os 400 ml de água fervente, abaixe o fogo e cozinhe mantendo uma leve fervura por 40 a 50 minutos ou até que a cevadinha fique macia.
Enquanto isso, ferva mais 300 ml de água e cozinhe a vagem por 3 a 5 minutos até que fique al dente. Escorra e coloque a vagem numa bacia com água e gelo para parar o cozimento. Reserve.
Aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio e refogue o shitake fatiado até começar a murchar. Acrescente a cevadinha já cozida e escorrida e a vagem. Mexa bem para incorporar todos os ingredientes e aquecer levemente.
Numa tigela, misture o shoyu com o mel, o dente de alho amassado e o gengibre em pó a gosto. Na hora de servir, regue a salada com o molho e salpique cebolinha picada a gosto. Sirva com um mix de folhas verdes para um jantar vegetariano numa noite especial.

O fato de usar o óleo de gergelim torrado para tostar a cevadinha no início da receita traz um nível de sabor ao prato indescritível. Por ser bastante impactante, recomendo que tenham muito cuidado ao utilizar o óleo. Um pequeno fio já é mais do que suficiente para trazer esse sabor diferente e inovador à receita.

Outro toque especial desta receita é justamente a leve tostada dada à cevadinha antes de cozinhá-la. Esse grão tem naturalmente um sabor com leves toque de nozes. Ao tostá-la, esse sabor é liberado e ajuda a elevar a complexidade do prato final. Recomendo degustar desta salada em temperatura ambiente depois que tenha esfriado um pouco do final do preparo.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Conforto e sabor caseiro

Para mim, uma noite fresquinha de outono é sinônimo de um bom filme, uma taça de vinho e um delicioso prato de sopa caseira. Seja sozinha ou acompanhada, adoro saborear um gostoso caldinho feito com amor e temperos criativos. E a melhor parte é que podemos abusar da imaginação para brincar com as mais diversas combinações de ingredientes.

Mas, sempre que possível, procuro novas receitas para nunca correr o risco de cair na mesmice. Minha casa já virou praticamente uma biblioteca de livros de culinária dos mais diversos assuntos e cantos do mundo. Para hoje, escolhi uma sopa de um livro que conta os benefícios de incluir grãos integrais variados na alimentação. E o mais importante, ficou uma delícia.

Sopa de abobrinha, cevadinha e shitake

Sopa de cevadinha, abobrinha e shitake

45 g de cevadinha crua
1/2 cebola
1 dente de alho
500 ml de caldo de vegetais
1 folha de louro
150 g de shitake fresco
200 g de abobrinha
azeite, tomilho, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue o alho e a cebola picados até ficarem macios e aromáticos. Acrescente a cevadinha e refogue de 30 segundos a 1 minuto. Despeje o caldo de vegetais e coloque a folha de louro. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe mantendo uma leve fervura até que a cevadinha fique pronta (entre 40 e 50 minutos).
Retire a folha de louro e acrescente o shitake e a abobrinha cortados em tiras finas. Coloque alguns ramos de tomilho fresco a gosto. Cozinhe por mais 5 a 8 minutos até que os vegetais fiquem macios. Caso o caldo tenha evaporado todo, acrescente mais um pouco para que a sopa atinja a consistência desejada.
Tempere com sal e pimenta a gosto e saboreie acompanhado de uma bela salada verde.

Apesar do caldo ter evaporado quase todo enquanto cozinhava a cevadinha acabei colocando bem pouco depois para terminar de preparar a sopa. Isso porque eu prefiro que o caldo da receita fique um pouco mais grosso. No final acrescentei apenas mais meia xíc. de chá de água.

Como queria preparar um prato verdadeiramente vegetarianos optei por usar caldo de vegetais na hora do preparo da sopa. Entretanto, se você preferir pode usar caldo de carne ou de galinha na hora de cozinhar a cevadinha. Outra opção é incluir alguns pedaços de carne à receita. A combinação fica deliciosa.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Variações deliciosamente criativas

Amo risoto. Um belo prato cremoso de arroz especial com ingredientes deliciosos. Tem coisa melhor? Mas também adoro encontrar variações criativas para pratos tradicionais. É incrível como existem pessoas que conseguem criar receitas sensacionais com pequenas alterações às clássicas. Fico impressionada com tamanha esperteza.

Foi o caso desta receita que achei e me senti na obrigação de testar. Parecia tão divinamente maravilhosa que o poder dela sobre mim foi incontrolável. E não estava errada. O resultado ficou tão fantástico que já entrou para minha lista de receitas espetaculares. Prove e comprove, é de matar de tão perfeita.

Risoto de cevadinha com shitake e aspargo

Risoto de cevadinha com shitake e aspargo

45 g de cevadinha crua
100 g de shitake fresco
150 g de aspargo fresco
1/2 cebola média
1 dente de alho
30 ml de vinho branco seco
500 ml de caldo de vegetais
10 g de parmesão light
sal, pimenta e azeite a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela funda antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho picados até amaciarem e soltarem o aroma. Acrescente a cevadinha e refogue por 30 segundos mexendo sempre para fritar levemente. Junte o vinho branco e cozinhe até o líquido evaporar.
Despeje 1/2 xíc. do caldo de vegetais e deixe ferver. Mantenha uma leve fervura em fogo médio-baixo e cozinhe mexendo de vez em quando até o líquido evaporar quase todo. Acrescente mais 1/2 xíc. do caldo e repita o procedimento até a cevadinha cozinhar e começar a ficar macia. O processo deve demorar de 30 a 40 minutos.
Enquanto o risoto fica pronto, ferva 300 ml de água e cozinhe o aspargo de 2 a 3 minutos até ficar al dente. Escorra e deixe correr água fria para parar o cozimento. Reserve. Em outra panela, refogue o shitake cortado em fatias por alguns minutos até amaciarem levemente. Reserve.
Quando a cevadinha estiver pronta, deixe o líquido restante evaporar quase todo, junte o aspargo e o shitake e mexa bem. Desligue o fogo e acrescente o parmesão light ralado. Misture tudo para incorporar todos os ingredientes e ficar levemente cremoso. Sirva como prato principal ou de acompanhamento para uma carne grelhada.

A cevadinha é uma ótima alternativa para o arroz arbório tradicionalmente usado em risotos italianos já que cozinha praticamente da mesma forma. Entretanto, a vantagem de substituir o arroz pela cevadinha é que ela é um grão integral e ajuda a manter o bom funcionamento do organismo dentro de uma alimentação saudável.

Além de ser mais nutritiva que o arroz arbório, a cevadinha também possui um leve sabor com toques de nozes que traz ao risoto um outro nível de complexidade ao paladar. Fiquei encantada com esta receita e não tenho palavras para descrever o sabor absolutamente divino do resultado final. Foi amor à primeira garfada.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para aquecer as noites de outono

O frio vem chegando e com ele surge aquele clima perfeito para saborear deliciosas sopas. Uma boa tigela de sopa fortificada funciona como um jantarzinho perfeito para noites com vento fresco e companhias agradáveis. A receita que trago hoje é bastante conhecida nos países anglo-saxões, mas adapta-se super bem aos dias frescos do sudeste brasileiro.

Além de super saborosa, esta sopa é extremamente saudável. A cevadinha é uma versão mais integral da cevada já que apenas a camada externa foi removida. Assim, retém um maior valor nutricional e armazena uma maior quantidade de fibras que trazem diversos benefícios para a saúde.

Sopa de lagarto com cevadinha

Sopa de lagarto com cevadinha

2 pedaços médios de lagarto
1/4 de xíc. de chá de cevadinha
1/2 lata de mix de legumes picados
1/2 cebola picada
1 dente de alho amassado
250 ml de caldo de carne
2 col. de sopa de molho de tomate
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Passe água corrente na cevadinha e lave bem. Deixe escorrendo enquanto prepara os demais ingredientes. Corte a carne em pedaços pequenos e tempere com sal e pimenta a gosto.
Numa panela antiaderente, refogue a cebola, o alho e a carne por alguns minutos até a carne dourar e o restante ficar macio. Acrescente a cevadinha e refogue por alguns segundos.
Despeje o caldo de carne e mais 500 ml de água na panela. Deixe ferver e misture o molho de tomate e os legumes ao caldo. Abaixe o fogo e cozinhe com a panela semi tampada por 35 a 40 minutos até a cevadinha ficar macia.
Caso toda a água evapore durante o tempo de cozimento acrescente mais 300 ml e deixe ferver por mais alguns minutos até reduzir um pouco e engrossar bem. Acerte o sal e a pimenta e sirva a sopa acompanhada de salada verde.

O caldo de carne e o molho de tomate já trazem temperos bem saborosos para a sopa. Entretanto, vale acrescentar algumas outras ervas a gosto para deixar a sopa ainda mais deliciosa. Uma sugestão é temperar com folhas de tomilho, alecrim ou mesmo orégano que combinam super bem com carne vermelha e dão um toque especial.

Outra dica que tenho é preparar a sopa com algumas horas (ou mesmo um dia) de antecedência para deixá-la curtindo no tempero. No meu caso fiz a sopa algumas horas antes de comer e deixei ela na própria panela por 2 horas. Quando fui comer, o sabor estava absolutamente espetacular e curtido.

Por hoje é só.

Bon appetit!