Divinamente molhadinho

Sempre que possível gosto de experimentar com ingredientes novos. Tenho uma tendência de comer sempre a mesma coisa quando gosto muito de algo. Para evitar que isso aconteça, procuro me forçar a trocar os ingredientes dos meus cardápios pelo menos semanalmente.

Muito por esse motivo, faz tempo que não como salmão, ou pelo menos não preparo salmão em casa. Amo salmão. Se pudesse comia todos os dias. Mas para dar uma variada (mais do que necessária) desta vez resolvi escolher uma receita com outro tipo de peixe. Escolhi o robalo, peixe branco, divinamente saboroso e fresquinho como nunca.

Robalo ao molho de tomate com alcaparras e champignon

Robalo ao molho de tomate com alcaparras e champignon

1 kg de filé de robalo fresco
200 g de cogumelo paris fresco
400 g de aspargo fresco
1 vidro de alcaparras em conserva
1 lata de tomates pelados
4 dentes de alho amassados
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Corte o filé de robalo em cubos médios. Tempere com sal e pimenta a gosto e reserve. Numa panela funda, junte os cogumelos e os aspargos bem lavados. Acrescente o alho amassado e a lata de tomates pelados.
Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe por 5 a 7 minutos em fogo baixo mantendo uma leve fervura. Coloque as alcaparras o os cubos de robalo e mexa bem. Cozinhe por mais 3 a 5 minutos ou até que o peixe fique no ponto. Sirva com couscous marroquino ou arroz selvagem.

Rende de 4 a 6 porções.

Esta receita não preparei apenas para mim, por isso a quantidade de porções é maior. Entretanto, ela pode muito bem ser adaptada para servir apenas uma pessoa. Nesse caso, diminua a quantidade de robalo para uma posta média de filé e use apenas metade ou um terço dos demais ingredientes.

Super fácil de fazer, esta receita não deixa de ser quase que um ensopado de peixe já que ele cozinha dentro da panela no caldo formado pelos tomates. Muito por isso, o prato é bastante molhado e combina bem com algo como couscous marroquino que funciona como esponja para sugar o molho delicioso. Nada melhor do que uma receita diferente e simples como essa para saborear no dia a dia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Outro clássico

Sempre fui apaixonada pela culinária chinesa. Quando era pequena, meus pais deixavam nós, os filhos, escolhermos o cardápio do jantar ou almoço especial no dia dos nossos aniversários. Na minha vez não tinha dúvida: restaurante chinês e de preferência com muita comida!

Entretanto, com o passar dos anos fui percebendo que a maneira como a comida tradicional chinesa é preparada, pelo menos a que eu mais gostava e nos restaurantes que frequentava, não é lá das mais saudáveis pois inclui bastante gordura e fritura. Por essa razão, agora eu evito comer essas delícias.

A exceção é quando consigo encontrar uma receita para testar eu mesma em casa. Assim, posso controlar a maneira como o prato é preparado e saboreio minha refeição sem nenhum peso na consciência, já que sei que o que estou comendo é altamente saudável. Nada melhor, então, do que compartilhar minha escolha de hoje, o sempre favorito frango xadrez.

Frango xadrez

Frango xadrez

100 g de filé de frango cortado em cubos
80 g de pimentão vermelho cortado em quadrados
50 g de champignon em conserva
1/2 cebola cortada em quadrados
1 dente de alho picado
100 ml de água
1 col. de chá de amido de milho
pimenta-do-reino e shoyu light a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com a pimenta e reserve. Numa panela antiaderente, refogue a cebola e o alho com um pouco de shoyu até amaciar. Retire a cebola e reserve. Na mesma panela, acrescente o pimentão e o champignon e refogue com um pouco mais de shoyu por aproximadamente 5 minutos. Retire os vegetais e reserve.
Ainda na mesma panela, cozinhe o frango até ficar macio. Dilua o amido de milho na água e despeje na panela mexendo sempre para não “empelotar”. Cozinhe em fogo baixo até engrossar. Por fim, devolva os vegetais reservados à panela e mexa bem por mais alguns instantes para que todos os ingredientes peguem o tempero e terminem de cozinhar. Sirva em seguida.

A vantagem do frango xadrez é que, por mais que pareça elaborado, a preparação na verdade é bastante simples. Outro fato legal é a possibilidade de poder brincar com as cores dos pimentões. Desta vez, fiz apenas com pimentão vermelho pois era o que tinha sobrando em casa. Mas, para deixar o prato mais colorido, misture o verde e o amarelo junto na hora de preparar o prato.

Outro toque final que pode ser feito para deixar a receita ainda mais saborosa é acrescentar amendoim ou castanha de caju por cima do frango quando estiver pronto. Além de dar um sabor sensacional, as frutas oleaginosas proporcionam ao organismo gorduras essenciais. Entretanto, vale um alerta: por serem bastante calóricas, elas devem ser consumidas sempre com moderação. Uma colher de sobremesa salpicada no prato está de ótimo tamanho.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Tornando clássicos gordurosos em pratos leves sem perder o sabor

Quem não gosta de um farto prato de strogonoff de frango com arroz branco e batata palha? A combinação, originária da Russia, já é considerada parte integral da culinária brasileira e aparece com frequência nas refeições nacionais. Alias, o prato é bastante popular em várias partes do mundo, sendo que cada país dá seu toque especial à preparação.

Tudo isso é muito legal, mas não podemos esquecer que a receita clássica de strogonoff leva bastante creme de leite, um pecado gorduroso para qualquer dieta balanceada. Mas é possível degustar de variações deste tradicional prato sem abrir mão de uma alimentação saudável. Algumas poucas modificações tornam o strogonoff leve e prático, e nem por isso deixa de ser altamente saboroso.

Confira uma receita levemente modificada para quem deseja degustar um belo strogonoff sem comprometer a busca por uma alimentação saudável.

Strogonoff de frango

Strogonoff de frango

100 g de filé de frango
1/4 de cebola picada
1 dente de alho picado
100 g de tomate picado
50 g de champignon fatiados em conserva
100 ml de leite desnatado
1 col. de sopa de molho inglês
1 col. de chá de catchup
1 col. de chá de mostarda
1 col. de sopa rasa de farinha de trigo
sal, pimenta-do-reino, orégano e salsa a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com sal e pimenta-do-reino e corte em cubinhos. Em uma panela antiaderente, refogue a cebola, o alho e o frango com o molho inglês e o orégano até que a carne fique branca e macia. Acrescente o tomate, o champignon e a salsa e cozinhe em fogo baixo por alguns minutos até que o tomate murche.
No liquidificador, bata o leite, a farinha, a mostarda e o catchup até ficar homogêneo. Junte aos demais ingredientes na panela e cozinhe em fogo baixo, mexendo sempre, até o molho engrossar. Sirva em seguida.

Não vou mentir, o gosto não é exatamente o mesmo do strogonoff tradicional com creme de leite. Entretanto, a pequena substituição do creme pelo leite desnatado e a farinha deixa a receita mais leve e não fica devendo em nada com relação ao sabor. É tão, ou mais, saborosa quanto a original.

Pessoalmente, nunca fui muito chegada em strogonoff com creme de leite. Mesmo antes de conhecer esta nova receita, fazia sempre da maneira tradicional até a hora de acrescentar o creme, que acabava dispensando. Com esta receita, a consistência do molho fica igual ao tradicional, mas sem aquele gosto pesado característico. Ou seja, acaba sendo uma versão bem mais leve e gostosa ao meu ver.

Se você não abre mão do strogonoff tradicional, procure usar o creme de leite light que tem menos gordura. Mas prove esta receita também. Aposto que vai aprovar a novidade. Ela é realmente uma delícia!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Investindo nas variações diárias

Como tudo que é bom um dia chega ao fim, hoje tem a última receita do cardápio que preparei para o jantar de quarta-feira à noite: um filé mignon especial. Um dos segredos de manter uma alimentação saudável é investir no maior número de variedades possível à mesa. Ou seja, nada de ficar comendo só carne ou só frango o tempo todo. O ideal é misturar e comer carne branca (peixes ou frango) de 4 a 5 vezes na semana e carne vermelha apenas 2 ou 3 vezes.

Quando for optar por incluir carne no cardápio, outra sugestão é procurar as versões mais magras, como filé mignon, lagarto ou maminha. E claro, investir sempre em acompanhamentos como vegetais grelhados e fartas saladas de folhas verdes que deixam o prato mais colorido e saboroso.

Para este filé, usei uma receita que encontrei no livro Saúde & Sabor com Equilíbrio, elaborado pela nutricionista Roseli Rossi. Alias, as outras duas receitas anteriores que fiz para o jantar também saíram daqui. O livro é bem variado e inclui opções que parecem ser super deliciosas para todos os gostos. Estas três primeiras que testei, pelo menos, ficaram ótimas.

Mignon conquistador

Mignon conquistador

800g de filé mignon sem gordura
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1 colher de sobremesa de margarina light
1 tablete de caldo de carne
2 col. de sopa (cheias) de farinha de trigo
3 col. de sopa de requeijão light
1 pote de iogurte natural desnatado
120 g de champignon fatiados
4 col. de sopa de milho verde em conserva
40 g de azeitona preta em rodelas

Modo de preparo:
Em uma panela antiaderente, refogue a cebola e o alho na margarina light até dourar. Acrescente o filé mignon cortado em cubinhos ou tirinhas e refogue mais um pouco até que a carne solte seu suco (aproximadamente 5 minutos). Em seguida, junte o caldo de carne dissolvido em 500 ml de água fervente e cozinhe em fogo brando até a carne amolecer.
Quando a carne estiver macia, retire-a aos poucos com uma escumadeira de forma que o caldo continue na panela. Peneire sobre este molho a farinha de trigo mexendo sem parar até engrossar. Acrescente o iogurte e o requeijão, mexa bem e deixe ferver de 2 a 3 minutos. Reserve.
Para a montagem, espalhe o filé cozido num refratário médio. Por cima, coloque uma camada do champignon, o milho verde e as azeitonas. Em seguida, regue com o molho reservado. Leve ao forno médio, pré-aquecido, por cerca de 15 minutos até que o molho esteja borbulhando. Sirva em seguida.

Rende 8 porções.

Esta receita é ótima pois acrescenta na porção diversos vegetais além da carne. Assim, numa colherada evitamos de colocar muito filé e acabamos levando junto ingredientes menos calóricos e gordurosos, mas igualmente saborosos. Além disso, a escolha dos acompanhamentos acaba tendo certa liberdade. Vale optar por incluir pimentões cortados em cubinhos ou cenouras em rodelas para substituir qualquer um dos ingredientes das camadas.

Alias, como sou uma pessoa bastante visual, minha única reclamação com relação ao prato pronto é que não ficou tão colorido quanto esperava. Outra sugestão que pensei foi substituir a azeitona preta por azeitona verde. Parece coisa boba, mas certamente daria uma outra cara ao prato, além de variar bastante as cores das camadas. (Não que no final ele tenha ficado com uma aparência ruim, pelo contrário. Basta olhar a foto para ver que ficou com uma cara deveras apetitosa!)

Por hoje é só.

Bon appetit!