Leve e saudável

Tudo bem que o frio do inverno parece já ter ido embora. Mas nada impede de tomar uma sopinha deliciosa e investir num jantar mais leve de vez em quando. Melhor ainda se a sopa for super fácil de fazer e demorar quase nada para ficar pronta. O segredo é comprar ingredientes já pré-prontos como a beterraba cozida no vapor e embalada à vácuo deste caso.

O que me encantou nesta sopa, também, foi a cor vibrante do resultado final. Alias, várias sopas assim acabam com uma cor linda. É o caso desta outra de mandioquinha que publiquei alguns dias atrás aqui no blog. Sem contar com o contraste lindo do caldo verde que também compartilhei com vocês.

Sopa de beterraba

Sopa de beterraba

300 g de beterraba cozida
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
240 ml de caldo de legumes
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Junte a beterraba cozida cortada em cubos pequenos com a cebola picada e o dente de alho amassado no liquidificador. Acrescente caldo de legumes aos poucos a gosto e vá batendo até atingir a consistência cremosa de sopa desejada.
Leve a mistura à panela e tempere com sal e pimenta a gosto. Ligue o fogo e deixe ferver. Cozinhe por 5 a 10 minutos até ficar bem quente, mexendo de vez em quando. Sirva com uma salada verde e torradinhas integrais.

Neste caso optei por fazer uma sopa totalmente vegetariana e investir numa refeição sem carne. Para quem quiser colocar uma proteína no jantar pode acrescentar à sopa um peito de frango cozido e desfiado na hora que for esquentá-la na panela. Outra opção seria juntar uma latinha de sardinha ou atum na salada que acompanha a sopa.

Adoro saborear uma bela sopa como opção rápida e leve para o jantar. Uma vantagem das sopas é que elas podem ser feita com bastante antecedência e aquecidas rapidamente apenas na hora de comer. Para quem não tiver muito tempo, vale preparar várias porções e congelar cada uma separadamente, facilita, e muito, a vida.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Brincando com uma só cor

Sou a primeira a dizer que quando mais colorido o prato mais você tem certeza de estar consumindo o maior número de minerais e nutrientes possível. Ainda mais numa salada, onde a possibilidade de torná-la ultra colorida é ainda mais fácil.

Dito isso, ontem resolvi mudar um pouco e me aventurar por uma cor só. Para minha salada de acompanhamento da lasanha de abobrinha escolhi o verde para fazer combinações diferentes que nunca havia provado. No fim, foi refrescante brincar com uma cor só e ver até aonde minha imaginação era capaz de chegar.

Claro que poderia ter ido muito além. Mas como a intenção também era usar poucos ingredientes para fazer uma preparação simples sem gastar muito, acabei ficando só com três tipos de verde. De qualquer forma, a salada ficou uma delícia. Confira a receita.

Salada esverdeada

Salada esverdeada

4 folha de alface lisa bem lavadas
60 g de pepino
1/2 maçã-verde
suco de 1/2 limão tahiti
1 col. de sopa de azeite
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Lave bem as folhas de alface e rasgue-as para que fiquem em pedaços menores. Corte o pepino e a maçã-verde em cubinhos pequenos. Para temperar, regue a salada com o suco de limão e o azeite. Salpique sal e pimenta-do-reino a gosto.

Se você contar que o limão e o azeite também são verdes, pode elevar para 5 o número de ingredientes verdes que usei no preparo da salada. Mas, brincadeiras à parte, o sabor final ficou uma delícia. O azedinho da maçã-verde e do limão contrastou muito bem com a sensação refrescante do pepino. E a neutralidade da alface ajudou a suavizar o conjunto no final.

Sal e pimenta-do-reino são ótimos temperos para qualquer salada. O único porém é saber controlar a quantidade de sal colocada para não exagerar. No fim, gostei tanto da minha invenção de uma cor só que acho que vou brincar de fazer outras saladas monocromáticas para ver o que sai. Prometo compartilhar as que ficarem gostosas.

Por hoje é só.

Bon appetit!