Um arco-íris saudável

Está cansado da saladinha simples de alface e tomate que sempre servem nos restaurantes ou nos quilos da vida? Eu sempre procuro variar o máximo possível minha alimentação. Mas isso inclui também a salada que acompanha e não apenas o prato principal escolhido do dia.

Tem dias que vou ao supermercado só pensando nos ingredientes específicos que quero usar na minha próxima salada. Mas como nem sempre tenho tempo para fazer isso, geralmente tenho guardado no freezer alguns vegetais básicos que deixam qualquer salada mais completa ou simplesmente deliciosa.

Salada colorida

Salada colorida

50 g de cebola roxa
50 g de edamame congelado
70 g de milho congelado
50 g de tomate cereja
sal, azeite, suco de limão e vinagre a gosto

Modo de preparo:
Ferva 500 ml de água e dê um choque térmico no edamame e no milho congelados. Escalde-os na água fervente por 2 minutos e em seguida coloque numa bacia com água e gelo. Escorra e coloque numa tigela. Reserve.
Corte a cebola em cubinhos pequenos e o tomate cereja em quatro pedaços cada. Junte ao edamame e ao milho na tigela e misture bem. Tempere com sal, azeite, suco de limão e vinagre a gosto. Sirva a seguir.

Esta foi uma saladinha um pouco mais incrementada que inventei um dia desses porque queria algo à mais do que a tradicional alface com tomate para acompanhar meu jantar. Resolvi pegar ingredientes básicos que já tinha em casa e fazer algo bem bonito investindo na diversidade das cores.

Alias, isso é algo que as pessoas costumam esquecer. A primeira sensação que temos com a comida é a visual. A aparência do prato feito antes de comer é tão ou mais importante quanto o sabor em si. Não há nada menos apetitoso do que algo que parece feio ou estragado. Invista no arco-íris das cores ao montar sua próxima salada. Além de bonita você vai estar garantindo um maior número de vitaminas e nutrientes tão importantes para a saúde.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Adaptações caseiras

Desde que vim morar em São Paulo, há um ano e quatro meses, apaixonei-me perdidamente pela culinária japonesa. Também, não é para menos. Não sei os números exatos, mas se existem 6 mil pizzarias aqui na capital, certamente existem pelo menos 4 mil restaurantes japoneses, entre os mais tradicionais e as temakerias ou outras variedades com comida “rápida”.

Já provei de tudo: sushi, tempurá, yakisoba, temaki, tepan. Mas meu preferido com certeza é o bom e simples sashimi. Se pudesse, comeria num restaurante japonês diferente cinco dias na semana. O problema é que não é uma comida exatamente barata. E dá para entender. Peixes frescos de boa qualidade também não são todos baratos e para comê-los cru tem que ser o melhor, certo?

Banquete japonês caseiro

Banquete japonês caseiro

150 g de atum fresco
100 g de edamame congelado
azeite e shoyu light a gosto

Modo de preparo:
Pegue uma faca bem afiada e vá cortando o atum em tiras finas em sentido diagonal do filé. Respeite também o comprimento natural do peixe.
Ferva 300 ml de água e derrame o edamame congelado. Quando voltar a ferver, cozinhe por 2 a 3 minutos e escorra. Sirva regado com um fio de azeite.

Tudo bem que este banquete não é lá um BANQUETE, mas resolvi fazer para mim numa noite qualquer na qual me bateu uma vontade absurda de comer sashimi mas estava com preguiça de sair de casa. Como tinha um filé lindo de atum em casa resolvi testar minhas habilidades de sushiwoman para ver no que dava.

Confesso que não ficou perfeito, certamente precisaria de algumas horas de aula com um profissional da área para conseguir cortar o sashimi da maneira correta. Mas meu jantarzinho singelo ficou uma delícia! O edamame geralmente é servido salpicado de sal grosso mas eu prefiro comê-lo regado com azeite. No fim ficou tudo divino e a conta saiu bem mais barata. Melhor impossível.

Por hoje é só.

Bon appetit!

As deliciosas leguminosas

Para muitos brasileiros a ideia de não comer arroz e feijão diariamente no almoço parece loucura. Essa combinação, uma das mais saudáveis possíveis segundo inúmeros nutricionistas e médicos, já faz parte da rotina e tradição brasileira. Com isso, conseguimos ter em nossa alimentação a quantidade perfeita de leguminosas, tão essenciais para nossa saúde.

Entretanto, neste ponto eu não sou brasileira mesmo. Gosto do clássico arroz com feijão, mas confesso que não é dos meus pratos preferidos e certamente não está presente todos os dias na minha alimentação. Por isso, tive que encontrar outras maneiras de comer vegetais leguminosos e esta receita de hoje é a solução perfeita.

Ensopado de lentilha com edamame

Ensopado de lentilha com edamame

1/2 caixa de lentilha em conserva
100 g de edamame congelado
1/2 cebola roxa picada
1 dente de alho amassado
1/2 lata de tomate pelado
suco de 1 limão
azeite, salsinha, hortelã, cominho, canela, sal e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Escorra a lentilha e passe por água corrente por alguns minutos para retirar o excesso de sal da conserva. Reserve numa tigela. Enquanto isso, ferva 300 ml de água e leve o edamame congelado para cozinhar assim que começar a ferver. Deixe por 2 minutos, escorra a água e passe por água gelada para parar o cozimento. Junte à lentilha reservada.
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola picada e o alho amassado até ficarem aromáticos. Junte 1/2 lata de tomate pelado junto com o caldo e mexa bem para quebrar todos os pedaços de tomate que tiver. Deixe ferver, abaixe o fogo e acrescente a lentilha e o edamame reservado. Tempere com salsinha, hortelã, cominho, canela, sal e pimenta calabresa a gosto para que fique saboroso. Cozinhe mantendo uma leve fervura por mais 2 ou 3 minutos. Sirva com torradinhas integrais.

Na receita original havia sugestões de quantidades de cada tempero para acrescentar na hora do preparo. Entretanto, prefiro deixar “a gosto” pois entendo que cada pessoa tem paladares diferentes. E certamente a melhor parte de cozinhar é conseguir adequar a receita ao nosso gosto pessoal.

Entretanto, vale ir provando à medida que são adicionados os temperos. No meu caso, coloquei 1 col. de sopa cada de salsinha e hortelã picadas e 1 col. de chá de cominho e canela em pó. O sal e a pimenta calabresa foi de olho. No fim a combinação de temperos trouxe uma delicadeza e complexidade deliciosa ao prato. Não deixa de ser uma refeição perfeita para uma noite fresca de outono.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para o dia em que a preguiça apertar

Dia desses fiquei morrendo de preguiça de fazer um jantar muito elaborado para mim num dia de semana qualquer. Sim, eu que amo cozinhar e testar receitas diferentes e sofisticadas também tenho meus dias de preguiça e vontade de passar longe da cozinha. Entretanto, a ideia de pedir comida ou comer qualquer coisa também não me pareceu muito interessante.

Com isso, resolvi abrir a geladeira, o freezer e a despensa para ver o que tinha em casa. Com alguns ingredientes básicos e práticos consegui inventar uma gororoba que no final ficou absolutamente deliciosa. Minha intenção aqui é mostrar que você não precisa de muito refinamento para fazer uma refeição gostosa, nutritiva e ainda por cima saudável para o seu dia a dia. As vezes com apenas 20 minutinhos seu jantar pode transformar-se em algo especial.

Miojo de harussame com tilápia e vegetais

Miojo de harussame com tilápia e vegetais

70 g de harussame
1 filé de tilápia
100 g de brócolis congelado
100 g de edamame congelado
sal, pimenta, azeite e tempero “cinco especiarias” a gosto

Modo de preparo:
Tempere o filé de tilápia com o tempero chinês “cinco especiarias” a gosto. Leve para assar numa forma refratária antiaderente em forno pré-aquecido a 200˚C por 20 minutos ou até atingir o ponto desejado.
Enquanto o peixe cozinha, ferva 500 ml de água e tempere com sal a gosto. Assim que ferver, despeje o brócolis e o edamame congelados. Quando levantar fervura novamente, conte 3 minutos e desligue o fogo. Escorra a água e reserve os vegetais numa tigela.
Ferva mais 500 ml de água temperada com sal a gosto. Cozinhe o harussame por 7 minutos. Escorra e jogue água gelada por cima para dar um choque térmico na massa. Junte aos vegetais na tigela e reserve.
Quando o peixe estiver cozido, corte em pedaços médios com cuidado para não despedaçar completamente. Junte à tigela com os demais ingredientes. Misture tudo e tempere com azeite e pimenta do reino moída na hora a gosto. Saboreie com uma taça de vinho branco seco e um belo pedaço de chocolate 70% cacau de sobremesa.

Quando vi que tinha harussame (aquele macarrão transparente à base de broto de feijão) em casa, resolvi inspirar-me em toques orientais para criar meu jantar. Com isso, escolhi temperar a tilápia com o pozinho chinês “cinco especiarias” que comentei com vocês neste post.

Outro toque asiático que dei ao prato foi com a escolha dos vegetais. O edamame, feijão de soja verde, é muito utilizado na culinária japonesa e é rico em nutrientes e minerais indispensáveis para uma alimentação saudável. Talvez se eu quisesse ter completado minha “inspiração oriental” devesse ter optado por regar tudo com shoyu no final. Entretanto, não quis exagerar na quantidade de sódio utilizada e fiquei no azeite de oliva extra virgem mesmo. Um toque final super saboroso ao meu miojo caseiro e praticamente instantâneo. Ficou uma delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Saúde criativa

Aqui no Brasil já nascemos sabendo a importância de comer arroz e feijão diariamente. Aprendemos desde cedo que essa combinação é uma das mais saudáveis que existe e acaba sendo indispensável para ter uma alimentação nutritiva e balanceada.

Mas para quem não é daqui o hábito de comer feijão todos os dias não é tão disseminado. Entretanto, incluir as leguminosas no cardápio diário é extremamente importante para obter todos os minerais e as vitaminas necessárias para o organismo. Além disso, feijões possuem altos níveis de fibras o que auxilia o bom funcionamento do intestino.

Salada de dois feijões com frango desfiado

Salada de dois feijões com frango desfiado

1/2 caixa de feijão fradinho em conserva
1/2 xíc. de chá de edamame congelado
1 peito de frango médio
1/2 tomate grande picado
1/2 cebola média picada
azeite, sal, pimenta e salsinha a gosto

Modo de preparo:
Tempere o peito de frango com sal e pimenta a gosto. Ferva 300 ml de água ou caldo de galinha numa panela funda e cozinhe o frango de 15 a 20 minutos. Escorra, deixe esfriar e desfie o frango. Reserve numa tigela.
Abra a caixa de feijão fradinho e deixe escorrer água corrente abundantemente para retirar o excesso de sal da conserva. Cozinhe o edamame em 200 ml de água fervente de 2 a 3 minutos. Escorra e coloque numa tigela de água gelada com gelo para parar o cozimento. Junte os feijões à tigela com o frango.
Por fim, adicione o tomate e a cebola picados na tigela. Tempere com azeite e salsinha a gosto e mexa bem. Coma acompanhado de torradinhas integrais.

Em países como os Estados Unidos onde o hábito de comer arroz e feijão diariamente não é tão comum criou-se outras opções para incluir as leguminosas na alimentação das pessoas. Saladas como esta com uma, duas ou três variedades de feijões são ótimas maneiras de saborear estes alimentos tão saudáveis e indispensáveis para a saúde.

Além das leguminosas, incluí nesta salada ingredientes básicos como tomate e cebola mas você pode adicionar outros vegetais como pepino, azeitona, ou mesmo cenoura ralada se preferir. Para tornar a salada completa e fazer dela uma refeição não esqueça de colocar uma boa fonte de proteína. Neste caso optei pelo frango desfiado mas atum enlatado ou camarões cozidos também complementam muito bem a combinação de feijões.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sobras inusitadas

Alguns dias atrás publiquei aqui uma receita de edamame, ou soja verde, que pode ser encontrada congelada ainda na vagem e é bastante comum na culinária japonesa e norte-americana. Como a receita que preparei rendia 2 porções, aproveitei para comer naquele dia como salada de acompanhamento no jantar e guardei o restante para saborear de almoço no dia seguinte.

O legal  desta receita é que ela é bastante versátil e serve justamente para diversos momentos ou tipos de refeições. Desta vez optei por refogar alguns camarões congelados que tinha comprado e juntá-los ao succotash de edamame que havia sobrado. Meu almoço ficou completo e bastante saboroso.

Succotash de edamame com camarão

Succotash de edamame com camarão

200 g de camarão limpo, cozido e congelado
150 g de edamame congelado na vagem
100 g de milho verde congelado
1 col. de sobremesa de azeite
1/2 pimentão verde ou vermelho pequeno
1/2 cebola
1 dente de alho
15 ml de vinho branco
10 ml de vinagre de arroz
salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o edamame e o milho verde congelados em uma panela com água fervente por 3 a 5 minutos. Escorra bem e passe por água corrente para parar o cozimento. Retire a soja da vagem e reserve juntamente com o milho.
Descongele o camarão numa tigela deixando na geladeira da noite pro dia. Escorra a água que soltar. Aqueça uma panela wok ou frigideira antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue o camarão salpicado com sal e pimenta a gosto por 2 ou 3 minutos até aquecer bem. Transfira o camarão para um prato e reserve.
Acrescente a cebola picada, o pimentão picado e o alho amassado à wok e refogue com um fio de azeite. Mexa bem até começar a ficar macio. Junte o milho, o edamame e o vinho branco. Refogue bem mexendo constantemente até evaporar quase todo o líquido.
Retorne o camarão à panela e continue mexendo para misturar e aquecer bem todos os ingredientes. Desligue o fogo e tempere com o vinagre de arroz e a salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto.

Rende 2 porções.

Nada melhor do que receitas práticas como esta para preparar num dia corrido de meio de semana. Alias, este prato mostra como é possível aproveitar sobras deliciosas do dia anterior para criar refeições inusitadas e diferentes no dia seguinte.

Se você já sabe que a semana vai ser corrida, aproveite um dia mais light para cozinhar pratos como este e guardar um pouco de sobras para aproveitar nos dias seguintes. Assim você não gasta tanto tempo na cozinha, não deixa de ter variedade nas refeições e de quebra consegue manter uma alimentação super saudável com receitas nutritivas e balanceadas.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Novidades reforçadas

Pouco conhecido no Brasil, o edamame, ou soja verde, faz parte da alimentação cotidiana na culinária japonesa. Muito por isso, também já foi bastante incorporada no dia a dia norte-americano. Riquíssima em proteína e fibras, é uma aliada fundamental para quem deseja manter uma alimentação saudável.

O edamame é encontrado normalmente congelado ainda na vagem e deve ser cozido em água fervente por alguns minutos. Depois, deve ser retirado da vagem e comido apenas o grão. Entretanto, também é possível encontrar a soja verde já retirada da vagem e congelada em pacotes de 300 g. O processo de cozimento é o mesmo, bastam 3 a 5 minutos na água fervente que está pronta para ser deliciada.

Succotash de edamame com milho verde

Succotash de edamame com milho verde

150 g de edamame congelado na vagem
100 g de milho verde congelado
1 col. de sobremesa de azeite
1/2 pimentão verde ou vermelho pequeno
1/2 cebola
1 dente de alho
15 ml de vinho branco
10 ml de vinagre de arroz
salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o edamame e o milho verde congelados em uma panela com água fervente por 3 a 5 minutos. Escorra bem e passe por água corrente para parar o cozimento. Retire a soja da vagem e reserve juntamente com o milho.
Aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio. Regue com um fio de azeite e refogue a cebola picada, o pimentão picado e o alho amassado. Mexa bem até começar a ficar macio. Acresente o milho, o edamame e o vinho branco. Refogue bem mexendo constantemente até evaporar quase todo o líquido para misturar todos os ingredientes.
Desligue o fogo e tempere com o vinagre de arroz e a salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto. Sirva como acompanhamento de um grelhado de sua preferência.

Rende 2 porções.

São inúmeras as maneira de saborear o edamame. Esta receita encontrei num site de comidas norte-americanas e diz ser um prato típico desse país. Entretanto, também é possível comer o edamame como lanche da tarde apenas cozido na vagem e temperado com o pouco de sal. O importante é lembrar de retirar da vagem antes de comer.

Adorei esta mistura de edamame com milho. Fiz para saborear de duas maneiras. Na primeira noite comi como salada mesmo, apenas com estes ingredientes. Já na noite seguinte, aproveitei as sobras e grelhei camarões para acompanhar. O tempero do vinho branco misturado com o vinagre de arroz deu um toque divino à preparação simples e singela.

Por hoje é só.

Bon appetit!