O ilustre renegado

Pouco apreciado e sofredor de grande preconceito, o fígado de boi é uma carne bastante renegada. Isso se deve principalmente ao sabor bastante forte e característico que algumas pessoas não estão acostumadas a sentir. Entretanto, o fígado é uma das melhores fontes de ferro existentes na alimentação.

Justamente por isso, esta carne é a mais indicada para quem sofre com alguma deficiência deste mineral tão importante. Os principais grupos de risco são as mulheres grávidas e aquelas com princípios de anemia. Entretanto, vale ressaltar que o fígado possui índices bastante altos de colesterol. Por isso, seu consumo deve ser moderado, de uma a duas vezes por mês.

Picadinho de fígado

Picadinho de fígado

150 g de fígado de boi
1/2 cebola média
1 tomate pequeno
1/2 pimentão verde médio
1/2 cenoura pequena ralada
1 col. de sopa cheia de molho chimichurri
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Corte o fígado em pedaços pequenos e tempere com sal e pimenta a gosto. Reserve.
Pique a cebola, o tomate e o pimentão em pedacinhos. Numa panela antiaderente, refogue os legumes por alguns minutos até começarem a ficar macios. Acrescente a cenoura ralada e mexa mais um pouco. Coloque o fígado em pedaços e o molho chimichurri. Cozinhe mexendo de vez em quando até a carne ficar pronta (de 5 a 7 minutos). Sirva acompanhado de arroz integral ou purê de batata.

Uma maneira clássica de preparar fígado é em forma de bife levemente frito ou grelhado numa frigideira com cebola cortada em rodelas. Entretanto, esta maneira de preparo realça o sabor marcante do fígado e torna-o pouco apetitoso para aquelas pessoas que não apreciam muito seu sabor.

Cozinhando o fígado desta maneira em pedacinhos o sabor dele é suavizado. Além disso, os legumes picados e o molho chimichurri acrescentados dão um toque a mais na carne. O picante delicado presente no molho chimichurri, principalmente, ajuda a camuflar o gosto intenso do fígado fazendo com que todos os sabores do prato se juntem e formem uma mescla saborosa.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Um dia de vegetariana

Adoro comer carne. E de qualquer tipo: frango, carne vermelha, peixe. Mesmo assim gosto de tirar um dia para ser “vegetariana” e apreciar pratos sem proteína animal. Não há nada de mais nisso. Alias, é até saudável uma vez na semana evitar as gorduras saturadas presentes nas carnes de origem animal.

Dito isso, é importante saber escolher bem os ingredientes dos pratos vegetarianos para certificar-se de que nenhum nutriente importante fique de fora. Minha dica de hoje combina feijão branco com espinafre, ambas ótimas fontes de proteína e ferro. Sem contar que ficou uma delícia.

Sopa de feijão branco com espinafre

Sopa de feijão branco com espinafre

160 g de feijão branco cozido
150 g de espinafre
2 col. de sopa de cebola picada
1 dente de alho amassado
200 ml de caldo de galinha
1 fio de azeite

Modo de preparo:
Corte o espinafre em tirinhas pequenas. Numa panela antiaderente, refogue a cebola, o dente de alho e o espinafre por 1 minutos apenas até o espinafre começar a murchar. Acrescente o feijão branco já cozido e escorrido e o caldo de galinha. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe por aproximadamente 10 minutos para engrossar um pouco. Desligue o fogo, regue com um fio de azeite e sirva em seguida com torradinhas ou palitinhos integrais.

Além de deliciosa, esta sopa é super prática para quem não tem muito tempo para dedicar à cozinha. Para facilitar, é possível, e até mais rápido, aproveitar o feijão que já foi preparado para o almoço e sobrou. Basta apenas acrescentá-lo à sopa. Com isso, o tempo de preparo e cozimento da sopa fica bem reduzido.

Outra opção é usar os feijões em conserva que já vem prontos. Neste caso é importante escorrer as leguminosas e deixar cair água corrente para lavá-las bem. Assim, o excesso de sal presente na salmoura da conserva é retirado e evita que a sopa fique com níveis muito altos de sódio, importante para não aumentar a pressão arterial do sangue.

Por hoje é só.

Bon appetit!