Novas tentativas

Depois que fiz aquela primeira geleia de morango que publiquei aqui sabia que não demoraria muito para querer testar outras receitas. Isso porque apaixonei-me demais por geleias caseiras. Descobri que elas tem um sabor muito mais intenso e delicioso do que as que compramos prontas.

Mas como as versões tradicionais levam bastante açúcar, resolvi testar uma outra receita adaptando os ingredientes para poder usar aquele “açúcar light”, que nada mais é do que uma mistura de açúcar normal com o adoçante sucralose que pode ir ao forno e fogão. O segredo, neste caso, é acrescentar um pouco de suco de limão fresco para ajudar a dar o ponto certo da geleia.

Geleia de cereja caseira

Geleia de cereja caseira

350 g de cereja
125 g de açúcar light
1/2 col. de sopa de suco de limão siciliano

Modo de preparo:
Corte as cerejas ao meio para tirar o caroço ou use um utensílio específico para tirá-los. Junte as cerejas numa panela funda e acrescente um pouco de água apenas para que não grudem no fundo da panela (de 2 a 3 col. de sopa). Ligue o fogo e cozinhe as cerejas até amaciarem bem (aproximadamente 15 minutos).
Abaixe o fogo e acrescente o suco de limão e o açúcar light. Mexa bem até dissolver todo o açúcar. Aumente o fogo para começar a ferver. Em seguida, abaixe e mantenha fogo médio enquanto cozinha. Mexa de vez em quando e retire a espuma que formar com uma colher.
Após 10 minutos, faça o primeiro teste para ver se já está no ponto. Para fazer o teste, coloque um prato no freezer antes de começar a fazer a geleia. Retire-o e pingue algumas gotas do doce. Espere 15 segundos e passe o dedo pela geleia. Se ficar firme e formar um caminho certinho está no ponto. Se a geleia escorrer e juntar novamente, ainda não está pronta.
Continue cozinhando e testando o ponto a cada 5 ou 10 minutos. Assim que ficar na consistência correta, desligue o fogo, deixe esfriar e coloque em potes esterilizados.

Rende aprox. 400 g.

Se fazer geleia já é uma arte, fazer geleia com menos açúcar do que o normal é uma arte mais complicada ainda. A verdade é que esta minha primeira tentativa parecia haver ficado no ponto certo 20 minutos depois que comecei a cozinhá-la. Depois descobri que ela ficou um pouco rala demais. Apesar disso, o sabor ficou uma absolutamente divino! E, convenhamos, é isso que realmente importa no final das contas.

Ela ter ficado rala pode ter acontecido por dois motivos. O fato de ter usado esse açúcar misturado light pode não ter feito com que o doce formasse a consistência correta. Outra possibilidade é eu ter tirado a geleia cedo demais do fogo. Depois dessa experiência, decidi que na minha próxima tentativa vou usar a tal da pectina usada nas receitas com menos açúcar. Essa substância naturalmente presente nas frutas pode ser acrescentada para ajudar a engrossar as geleias. Acho que vai dar certo. Depois conto como foi.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Segredos da família

Amo geleia. Meu café da manhã perfeito sempre inclui 1 ou 2 torradas integrais com um pouco de queijo branco e 1 col. de sobremesa bem generosa de geleia. Gosto tanto dessa delícia que conheço praticamente todas as marcas existentes: as com açúcar, as sem açúcar e com adoçante, as com menos açúcar, as adoçadas com suco de fruta e sem adoçante. Enfim, todas.

Mas nenhuma é tão deliciosa quanto a geleia de morango que a Tia Léo, irmã da minha vó, fazia todos os anos para presentear a família no natal. Por alguma razão, essa geleia trazia consigo um ar diferente de “receita de família” e o gostinho delicioso acompanhava.

Depois que entrei para esse mundo da culinária me bateu uma vontade muito grande de querer aprender a fazer geleias. Sempre achei que seria impossivelmente difícil. E para começar nessa aventura pensei que a primeira receita que testaria teria que ser a geleia da Tia Léo. Descobri que não é nada difícil, apenas trabalhoso. Mas o sabor final compensa e muito!

Geleia de morango da Tia Léo

Geleia de morango da Tia Léo

1 kg de morango fresco
1 kg de açúcar

Modo de preparo:
Lave bem todos os morangos e retire os talos e as folhas verdes. Deixe as frutas inteiras. Coloque numa bacia grande e derrame todo o açúcar por cima. Cubra e deixe os morangos curtindo no açúcar de 12 a 24 horas em local reservado mas fora da geladeira.
Na hora de fazer a geleia, despeje todo o conteúdo da bacia numa panela funda. É importante que ela seja bem funda mesmo pois o doce sobe bastante quando começa a ferver.
Comece cozinhando em fogo médio baixo até que o açúcar dissolva completamente. Aumente para fogo alto e deixe ferver. Cozinhe em fogo médio mantendo uma leve fervura e mexendo de vez em quando. Retire a espuma que formar com uma colher.
O doce demora de 30 a 50 minutos para ficar pronto, depende da temperatura em que cozinha e do quão maduro estão os morangos. Teste o ponto da geleia após 30 minutos e quanto estiver pronto desligue o fogo.
Para saber se já está no ponto, pegue um prato e coloque no freezer. Derrame um fio da geleia no prato bem gelado. Após 30 segundos passe o dedo no meio da geleia. Caso fique o caminho certinho e não escorra está no ponto.
Desligue o fogo e deixe amornar um pouco na panela. Derrame em potes esterilizados e leve à geladeira. A geleia dura algumas semanas conservada na geladeira ou alguns meses conservadas à vácuo em local fresco e seco.

Rende de 900 g a 1 kg.

Antes de descobrir como era feita essa geleia pensava que seria bem complicado, cheio de truques e segredos que só a Tia Léo conhecia. Afinal, receitas de família tem esse áurea de “secretas”, não é mesmo? Mas a verdade é que a receita é super simples e segue a lógica de praticamente todas as geleias caseiras. Quer lista de ingredientes mais simples do que 1 kg de morango e 1 kg de açúcar?

Como era minha primeira vez fazendo este doce precisava de um controle de qualidade de peso. Peguei um pouco e dei de presente para uma outra tia minha. Assim que ela provou disse que o sabor estava igual a clássica feita pela Tia Léo. Ou seja, funcionou! E o sabor é indescritível. Nenhuma geleia industrializada que você já tenha provado se compara. Teste a receita e comprove. É uma delícia mesmo!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Repondo as energias

Para quem, como eu, acabou de participar de uma das provas da Maratona Internacional de São Paulo, nada melhor do que um docinho refrescante para repor as energias. Não que esta sobremesa seja a mais calórica que eu já tenha publicado aqui no blog ou que seja daquelas apenas para ocasiões especiais.

Alias, esta receita, apesar de servir muito bem como um toque final delicioso para uma refeição de final de semana, é perfeita para atletas que acabaram de praticar alguma atividade física. Isso porque combina carboidratos e vitaminas vindas das frutas com as proteínas do leite que são super importantes para a reposição muscular.

Sorvete de banana

Sorvete de banana

1 banana média ou 2 pequenas (aprox. 125 g)
45 ml de leite
1 punhado de nozes picadas

Modo de preparo:
Corte a banana em rodelas e coloque numa sacolinha de plástico. Leve ao freezer até congelar (pelo menos 6 horas ou de um dia para o outro).
Tire as rodelas de banana do congelador e coloque no liquidificador. Acrescente o leite e bata até ficar completamente homogêneo e cremoso. Sirva em seguida salpicado com as nozes picadas.

A quantidade indicada nos ingredientes traz a proporção perfeita para fazer com que o sorvete fique cremoso na medida certa. Além disso, a porção feita rende uma bola generosa. Ou seja, ideal para uma pessoa ter um docinho instantâneo depois do almoço. Caso queira fazer para mais pessoas, basta aumenta as quantidades proporcionalmente.

É incrível como o fato da banana ter sido congelada antes de fazer esta receita transforma o que seria uma simples “vitamina de banana” em algo cremoso e de consistência igual a de um sorvete. Além disso, o toque final das nozes em pedaços salpicadas por cima do sorvete dá a sobremesa uma complexidade deliciosa de sabores.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Economias refrescantes

Para os que não viajaram no carnaval e estão com tempo livre e preguiçoso, nada melhor do que uma receitinha gostosa e super simples de fazer para adoçar esta tarde de domingo. E nestes dias quentes de verão, uma ótima pedida inclui um frozen iogurte bem caseiro. A melhor parte? Não custa nem a metade do preço do que pagamos por aí.

A sugestão aqui é fazer de um sabor só com uma fruta que é unanimidade total, o morango. Entretanto, a receita pode ser preparada com praticamente qualquer fruta. O que vale é seu gosto pessoal. Dito isso, é importante escolher frutas congeladas para ajudar na consistência da sobremesa. Se tiver apenas frutas in natura, acrescente algumas pedras de gelo na hora do preparo.

Frozen iogurte de morango

Frozen iogurte de morango

200 g de morango congelado
1 iogurte semi-desnatado
1 col. de sopa de açúcar
3 copinhos de plástico ou papel de 200 ml
3 palitinhos de madeira

Modo de preparo:
Bata no liquidificador os morangos e o iogurte. Acrescente o açúcar e bata mais um pouco até ficar uma consistência bem lisa e homogênea. Divida a mistura entre os três copinhos e leve ao congelador para começar a gelar. Depois de 10 minutos, posicione os palitinhos de madeira no meio do frozen e devolva ao congelador. Deixe gelar por pelo menos 4 horas antes de comer.

Rende 3 porções.

A quantidade de açúcar indicada na receita não chega a ser uma regra, ela funciona mais como um parâmetro. Para meu gosto, essa quantidade foi mais do que suficiente, dando um leve toque adocicado mas sem sobrecarregar demais o sabor. O fato dos morangos já serem bem docinhos também ajuda a não precisar acrescentar muito açúcar refinado à receita.

Entretanto, para o típico paladar brasileiro (que adora uma sobremesa bem doce) sugiro colocar mais um pouquinho. Com certeza se você for da turma que prefere algo mais adocicado vai querer colocar algumas colheres a mais na hora de misturar os ingredientes. Vale a dica de ir provando um pouquinho enquanto bate os ingredientes para adequar a quantidade a gosto.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Fala americano?

Vocês podem estar pensando: “Sério que ela vai nos ensinar a fazer MINGAU de AVEIA? Sério mesmo?” Pois é, gente, querendo ou não a receita de hoje, grosso modo, é apenas mais um mingau de aveia. Explico. Morei muitos anos nos Estados Unidos e, querendo ou não, incorporei vários hábitos (culinários entre outros) dos nossos amigos norte-americanos.

Alias, vocês já devem ter percebido que muitas receitas que publico aqui são inspiradas em pratos típicos do dia-a-dia americano. Enfim, vocês podem pensar então no post de hoje como mais um mingau de aveia qualquer. Ou podem encará-lo como o próprio nome diz: um reforçado café da manhã, bem gringo mesmo.

Breakfast oatmeal

Breakfast oatmeal

1/4 de xíc. de chá (20 g) de aveia em flocos
1/2 de xíc. de chá (120 ml) de leite desnatado
1/2 maçã em cubinhos
1 col. de sopa de mel
canela em pó a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, misture a aveia, o leite e a maçã picada em cubinhos. Leve ao microondas por 2 minutos. Mexa bem e acrescente o mel e a canela. Coma quente.

O que mais gosto neste café da manhã é que ele é reforçado e contem todos os elementos imprescindíveis para começar bem o dia: leite, fibras e frutas. Outro ponto positivo é sua grande versatilidade. Se não quiser usar maçã vale trocar por uma variedade de frutas igualmente saborosas como banana, pêssego, pêra ou até morango e mamão.

Além disso, para deixar o prato com mais cara de americano ainda, o mel pode ser substituído por manteiga de amendoim. Se preferir algo mais simples, troque o mel e a manteiga de amendoim por 1 col. de sobremesa de açúcar mascavo que adoça sem acrescentar outros sabores ao mingau. Por fim, uma ótima pedida é salpicar castanha picada por cima. Assim até gorduras insaturadas boas são adicionadas ao café da manhã que fica completinho.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Ano novo, vida nova

Venho por meio deste registrar o último post do ano. Um ano cheio de tristezas (grande novidade na minha vida), mas também um acho cheio de renovações e aventuras novas. A começar por esta, minha grande aventura no mundo da culinária saudável que faz você pensar antes de escolher o que comer e que me trouxe de volta o prazer de saborear inúmeros pratos desconhecidos.

Como 2011 terminou com um gostinho amargo para mim (e para muitas pessoas que conheço) nada melhor do que uma receita docinha para entrar em 2012 com o pé direito. Super leve este prato serve tanto para uma sobremesa light depois de uma ceia pesada na virada do ano como para um lanchezinho esperto para segurar a fome e não se atracar na primeira coisa que aparecer pela frente na noite do réveillon (mesmo não sendo a melhor opção do cardápio).

Pêssego assado com mel e canela

Pêssego assado com mel e canela

1 pêssego cortado em quatro (sem o caroço)
1 col. de sobremesa de mel
1 col. de chá de canela em pó

Modo de preparo:
Pegue um pêssego maduro e corte em quatro pedaços cuidadosamente para ir retirando o caroço. Numa forma refratária, arrume os pedaços e regue com o mel e a canela em pó. Leve ao microondas em potência alta por 2 ou 3 minutos (dependendo do forno, os tempos podem variar). Sirva quente.

Adoro doces feitos com frutas pois são ótimas alternativas para satisfazer a vontade de comer sobremesa sem precisar se atracar numa fatia de bolo de chocolate recheado. Além disso, uma boa dica é escolher as frutas da estação para preparar os doces já que elas estarão mais maduras e com isso mais docinhas e saborosas na hora de degustar.

Frutas assadas no forno ou no microondas com canela já são deliciosas puras, mas se você quiser extrapolar um pouquinho (afinal é final de ano e todo mundo merece uma extravagância de vez em quando) saboreie com uma bola de sorvete de creme. Uma opção mais light seria comer com uma bola de iogurte frozen que não tem gordura. Vai do paladar (e da consciência) de cada um. =P

Por hoje é só.

Que 2012 seja melhor do que 2011 e pior do que 2013 para todos.

E, como sempre, bon appetit!

O doce sabor do natal

Nada melhor do que as festas de final de ano para relaxar um pouco e curtir a vida. São tantas delícias diferentes que aparecem apenas nesta época do ano que mal conseguimos escolher qual saborear. Se você é daqueles que não resiste a um doce, que tal maneirar nos pratos salgados e optar por aquela sobremesa especial para comer sem culpa?

Já se você prefere os salgados, pode (e deve) deixar-se deliciar com os salpicões e perus assados especiais. Neste caso, nada melhor do que uma sobremesa leve e pouco calórica para completar a noite. Confira esta receita super simples de fazer que fica linda numa mesa de natal e tem um sabor inigualável.

Torta de ricota com calda de damasco

Torta de ricota com calda de damasco

180 g de ricota fresca
400 ml de leite desnatado
4 col. de sopa de leite em pó desnatado
2 col. de chá de essência de baunilha
4 col. de sopa de adoçante para forno e fogão
4 ovos
10 damascos
200 ml de suco de pêssego light
nozes picadas para decorar

Modo de preparo:
Bata no liquidificador a ricota, os ovos, o leite em pó, o leite, o adoçante e a baunilha até ficar homogêneo. Disponha em uma assadeira de fundo removível, com 20 cm de diâmetro, untada com o mínimo possível de óleo. Asse em forno médio (200ºC), pré-aquecido, por cerca de 50 minutos, ou até que fique totalmente homogêneo.
Para a calda, cozinhe os damascos picados com o suco de pêssego por 20 minutos até que as frutas desmanchem bem, fiquem macias e a calda engrosse um pouco. Se quiser, acrescente 1 col. de chá de amido de milho para engrossar mais um pouco. Retire a torta do forno, deixe esfriar e regue com a calda. Sirva gelada, decorada com as nozes picadas.

A torta fica absurdamente leve e deliciosa. Como os damascos são docinhos naturalmente, a falta de açúcar substituído pelo adoçante na receita não faz nenhuma falta. Já as nozes picadas ajudam a dar um toque crocante e, por ser um ingrediente tipicamente natalino, decora a mesa de natal como ninguém.

O bom desta sobremesa é que a ricota aceita praticamente qualquer cobertura. Os damascos são ótimas opções para esta época do ano, mas é possível fazer caldas com as mais diversas frutas para regar a torta. Algumas sugestões incluem, frutas vermelhas para o inverno, goiaba para um toque à la Romeu e Julieta ou até abacaxi com hortelã para um quê mais exótico. Deixe sua imaginação voar e saboreie sem moderação. (Só dessa vez, ok?)

Por hoje é só.

Bon appetit!