Superando desafios

Hoje começo já confessando uma coisa. Nunca fui muito fã de nhoque. Sim, eu sei, é super clássico, um prato extremamente adorado na Itália e parte das refeições mais tradicionais do País. Aqui em São Paulo tem até o tal do dia do Nhoque, no qual todo dia 29 do mês é dia de comer nhoque para ter muita fortuna nas semanas seguintes.

Meu problema com esse coitado era que sempre achei pesado demais, com muito gosto de batata e nada que me lembrasse uma massa ou macarrão saboroso. Isso até que conheci esta receita que trago para vocês hoje. Não só foi a minha primeira vez fazendo nhoque caseiro (cuja experiência foi super bem sucedida) mas também descobri finalmente uma receita deliciosa e do meu agrado.

Nhoque de mandioquinha com ricota ao sugo e brócolis

Nhoque de mandioquinha com ricota ao sugo e brócolis

200 g de mandioquinha cozida, bem macia
1 gema
5 col. de sopa de farinha de trigo
100 g de ricota
sal a gosto

molho
1/2 lata de tomate pelado
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
100 g de brócolis em floretes
azeite, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Comece cozinhando a mandioquinha em água salgada até ficar bem macia. Deixe esfriar um pouco e junte a mandioquinha com a gema, a farinha e a ricota esfarelada numa tigela. Misture bem com as mãos até formar uma bola homogênea. Se precisar polvilhe com mais um pouco de farinha.
Transfira a massa para uma superfície enfarinhada e divida em quatro partes. Forme tiras longas e finas com cada parte de modo que fiquem como cobrinhas. Corte cada tirinha em pedaços pequenos de aproximadamente 1 centímetro de largura. Repita com o restante da massa.
Ferva 1 L de água e cozinhe o nhoque em porções por 5 minutos ou até que os pedaços subam até a superfície. Escorra e reserve. Repita até terminar tudo.
Para fazer o molho, refogue a cebola e o alho em um fio de azeite até ficarem aromáticos. Despeje metade da lata de tomate e o brócolis. Cozinhe em fogo médio por 5 a 7 minutos ou até ferver bem e reduzir um pouco. Sirva o nhoque regado com o molho de tomate e brócolis.

Não sei se foi o fato de ter ricota ou se realmente prefiro a mandioquinha por achá-la mais leve que a batata inglesa normal, mas esta receita de nhoque ficou absolutamente deliciosa. O melhor é que ele não me deu a sensação pesada que geralmente sentia quando comia nhoque antes.

Resolvi fazer este molho de tomate com brócolis mais suave para acompanhar o nhoque, mas você pode preparar qualquer molho de sua preferência. O mais clássico, e que cai super bem com esta versão, é o de carne moída, ou tradicional bolonhesa. Mas como sou adepta da inovação, aproveite para usar a imaginação e criar receitas diferentes. Que tipo de molho você escolheria para este prato?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Novos patamares de sabor

Depois que entrei na onda de comer peixe cru e outras delícia da culinária japonesa começou a me dar vontade de experimentar outras iguarias geralmente preparadas sem cozimento. Já tinha provado o ceviche peruano e o kibe cru árabe e me apaixonado. Então, pensei que havia chegado a hora de navegar pelas ondas francesas e testar o famoso steak tartare.

À primeira vista confesso que este prato não parece lá muito apetitoso. A carne utilizada não chega a ser moída, como no caso do kibe cru, e ainda é misturada com gema de ovo crua e molho inglês para dar sabor. Pode parecer uma mistura extremamente bizarra de ingredientes, mas não é que no final da certo? Testado e aprovado!

Steak tartare

Steak tartare

100 g de filé mignon
1/2 gema de ovo
1 col. de chá de alcaparra picada
50 g cebola roxa bem picada
1 col. de chá de molho inglês
1 col. de chá de mostarda Dijon
1 col. de chá de vinagre balsâmico
1 col. de chá de azeite
salsinha, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Pique bem a carne com a ponta da faca até que fique praticamente moída à mão. Numa tigela, misture a carne com os demais ingredientes e tempere com salsinha, sal e pimenta a gosto. Prove e adéque os temperos como preferir. Sirva acompanhado das clássicas batatas chips, de preferências assadas na hora em casa.

Todos já devem saber mas não custa nada repetir: é preciso ter muito cuidado ao consumir produtos como carnes e ovos crus. Certifique-se que seu açougueiro é de confiança e exija sempre a carne mais fresca do dia. O mesmo vale para os ovos. Não utilize aqueles guardados há algum tempo na geladeira, dê preferência para os mais frescos que tiver.

Não vou mentir, o sabor é bem diferente e requer um pouco de tempo para acostumar-se. Mas depois de relaxar e abstrair o que realmente há no prato é possível perceber a complexidade dos sabores presentes. Para manter a refeição saudável, não opte pelas batatas fritas servidas geralmente de acompanhamento. Espere que amanhã ensino como fiz chips de batata doce que comi junto do steak tartare e que ficaram absolutamente divinas!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Festinha com as amigas

Domingo pode já estar terminando mas ainda dá tempo de preparar uma delícia para saborear de sobremesa no jantar. Esta de hoje não é nada light, mas de vez em quando vale a pena deixar a vida regrada de lado e fugir para o paraíso dos doces proibidos.

Super fácil, esta sobremesa não requer muitos ingredientes nem muito tempo para ficar pronta. O único porém é acertar o ponto, mas para quem já é craque em fazer doces como brigadeiro com certeza vai saber o tempo certinho para deixar esta delícia perfeita.

Cocada mole

Cocada mole

1 xic. de chá açúcar ou adoçante para forno e fogão
1 copo de água
1 canela em pau
1 cravo-da-índa
1 xic. de chá de coco ralado
1 col. de chá de margarina light
6 gemas

Modo de fazer:
Ferva o açúcar com a água, a canela e o cravo numa panela antiaderente até obter um caldo em ponto de fio grosso. Acrescente o coco ralado e deixe ferver em fogo baixo por 10 minutos. Junte a margarina e mexa bem.
Deixe esfriar completamente antes de adicionar as gemas. Misture bem para incorporar completamente e leve de novo ao fogo brando. Cozinhe mexendo delicadamente até engrossar (aproximadamente 10 minutos). Sirva em temperatura ambiente.

Rende 10 porções.

Amo cocada de paixão. Nos dias que tenho liberado para comer um docinho geralmente dou preferência para esta delícia. Alias, adoro qualquer sobremesa com coco. Certamente a cocada tradicional é mais prática para guardar em grandes quantidades ou preparar para festas. Mas esta versão mole é deliciosa como substituto do clássico beijinho.

Aproveite a noite de premiações do Oscar de hoje para juntar várias amigas e fazer uma panela desta cocada mole. Sentem-se na frente da TV e peguem uma colher para cada uma. O melhor é comer o doce direto da panela sem ter que se preocupar com mais louça para lavar. Não deixa de ser outra opçõe super saborosa para o tradicional brigadeiro de panela.

Por hoje é só.

Bon appetit!