Quentinho e gostoso

Julho está logo alí e esse clima friozinho pede uma deliciosa sopa para esquentar o corpo e a alma. Claro que existem as soluções super práticas de sopas de saquinhos que basta ferver a água e está pronta sua janta. Mas neste caso, para mim, não há nada melhor do que preparar uma versão bem caseira cheia de legumes e verduras gostosas.

Dito isso, como vocês sabem, também sou adepta da praticidade na cozinha. Certas preparações compensam picar cada vegetal separadamente e cozinhá-los aos poucos. Neste caso não há o menor problema em usar aquelas combinações de legumes já cortados e congelados. Facilita muito a vida e a sopa fica tão gostosa quanto.

Minestrone à jardineira

Minestrone à jardineira

50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
70 g de espinafre congelado
100 g de mix de legumes congelados
50 g de penne integral
1/2 lata de tomate pelado
350 ml de caldo de frango
azeite, orégano, sal, pimenta a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho até ficarem aromáticos. Acrescente o mix de legumes congelados e mexa levemente para começar a separar os pedaços.
Despeje metade de uma lata de tomate pelado junto com o caldo e quebre os tomates em pedaços. Mexa bem até começar a ferver. Junte o caldo de frango, deixe ferver novamente, abaixe o fogo e cozinhe mantendo uma leve fervura por 10 a 15 minutos.
Acrescente o macarrão para começar a cozinhar. Após 5 minutos junte o espinafre congelado. Deixe cozinhar mais alguns minutos até que a massa esteja no ponto desejado. Tempere com orégano, sal e pimenta a gosto e sirva com torradinhas.

Adorei esta versão prática e rápida da clássica minestrone italiana. O bom desta sopa é que ela funciona perfeitamente bem como uma refeição completa e é uma ótima opção para uma noite vegetariana no meio da semana. Por outro lado, caso queira acrescentar cubos de carne para deixá-la ainda mais completa a combinação fica perfeita.

Há quem seja contra usar esses pacotes de legumes congelados na comida. Realmente em certos pratos não há nada melhor do que comprar as versões mais fresquinhas da feira. Neste caso, preparar uma sopinha numa noite preguiçosa de inverno pede a facilidade dos pré-prontos. Aproveite o tempo extra que não vai ser usado na cozinha para aconchegar-se no sofá com a pessoa amada e assistir a um bom filme.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Pratos completos e balanceados

Com certeza você é como eu e acabou exagerando um pouco nas comilanças do final de semana. Nada melhor do que uma segunda-feira para voltar à rotina e encarar de novo os princípios de uma alimentação balanceada e saudável. Uma boa dose de proteína magra com legumes variados e carboidratos complexos é a combinação perfeita.

E para começar a semana com o pé direito, um filé de peito de frango cai super bem. Mas minha sugestão não é aquela sem graça de tantas dietas que vemos por aí nas revistas nas quais eles nos mandam ficar só no franguinho grelhado sem gosto e sem nada. Com alguns ingredientes diferentes conseguimos transformar uma refeição leve em algo super saboroso sem desandar a alimentação.

Frango à camponesa

Frango à camponesa

1 peito de frango
suco de 1/2 laranja
100 g de mix de vegetais congelados
50 g de cebola picada
1 dente de alho picado
2 col. de sopa de extrato de tomate
120 ml de água
azeite, sal e salsinha a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com sal a gosto. Coloque numa tigela e derrame o suco de laranja. Deixe marinando por pelo menos 1 hora.
Enquanto isso, aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho picados até ficarem aromáticos e começarem a amaciar. Acrescente o extrato de tomate e o mix de vegetais congelados. Mexa bem para que fique tudo incorporado e os legumes comecem a separar.
Junte a água e o peito de frango com o suco da marinada. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe por 10 minutos mantendo uma leve fervura até que o frango fique cozido e o molho reduza um pouco. Na hora de servir, salpique salsinha fresca a gosto. Sirva com arroz selvagem ou este couscous de quinoa delicioso.

Optei por usar um mix de vegetais congelados com vagem, ervilha e cenoura por pura praticidade já que isso diminui o tempo de preparo do prato. Além disso, não preciso ficar me preocupando em lavar, descascar e picar os legumes que iria usar. Entretanto, se você preferir pode comprar uma combinação de vegetais diferente como abobrinha, cenoura e vagem para cortar em cubinhos e usar no preparo do prato.

O bom desta receita é que ela já inclui uma boa dose de legumes no próprio prato. Assim, não precisamos ficar pensando em outras receitas para fazer de acompanhamento e servir na hora do almoço. Aqui, com apenas alguns minutos, temos uma refeição completa e balanceada perfeita para começar a semana bem.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Opções leves para o jantar

Nas últimas semanas compartilhei algumas receitas deliciosas de tortas e afins que são perfeitas para um jantarzinho simples e saboroso. As opções são inúmeras podendo incluir tortas de carne como esta ou mesmo uma torta com borda de massa mais tradicional como esta.

Seguindo essa linha, hoje trouxe para vocês uma outra opção que cai super bem num dia mais corrido. Desta vez a torta é mais parecida com uma quiche mas sem a borda de massa e sem o creme de leite fresco bastante pesado e gorduroso que faz parte das receitas tradicionais. A versão mais leve não deixa nada a desejar e ficou uma delícia.

Quiche pudim de legumes

Quiche pudim de legumes

1 caixa de seleta de legumes
2 ovos
1 clara
60 ml de leite desnatado
60 g de peito de peru light
2 col. de sopa cheias de queijo cottage
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Abra a caixa de seleta de legumes e escorra. Deixe sob água corrente alguns segundos para retirar o excesso de sal. Pique o peito de peru em fatias finas e reserve.
Numa tigela, bata levemente os ovos com um garfo. Junte o leite e o cottage e misture bem. Tempere com sal e pimenta a gosto.
Unte uma forma refratária antiaderente com um fio de azeite. Arrume os legumes no fundo da forma e coloque as fatias de peito de peru por cima. Despeje a mistura de ovos e leve ao forno pré-aquecido em 220˚C de 40 a 50 minutos ou até ficar completamente cozido. Sirva com uma saladinha verde e torradas integrais.

Rende 2 porções.

Quando preparei esta receita para mim estava sem muito tempo. Por isso usei a caixa de seleta de legumes que tinha uma mistura de ervilha, cenoura e batata em cubinhos. Entretanto, a melhor opção seria cortar vegetais frescos variados para incluir na quiche. Dessa forma também é possível escolher seus preferidos para colocar na receita.

O tempo de cozimento pode variar muito de forno para forno. O importante é retirar apenas quando a parte central da quiche estiver completamente cozida. Assim nos asseguramos de que os ovos estão totalmente prontos. Planeje-se com um pouquinho de antecedência para que o prato fique pronto na hora que for comer. Mas tenho certeza que a espera valerá a pena. O resultado final ficou divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para aquecer as noites de outono

O frio vem chegando e com ele surge aquele clima perfeito para saborear deliciosas sopas. Uma boa tigela de sopa fortificada funciona como um jantarzinho perfeito para noites com vento fresco e companhias agradáveis. A receita que trago hoje é bastante conhecida nos países anglo-saxões, mas adapta-se super bem aos dias frescos do sudeste brasileiro.

Além de super saborosa, esta sopa é extremamente saudável. A cevadinha é uma versão mais integral da cevada já que apenas a camada externa foi removida. Assim, retém um maior valor nutricional e armazena uma maior quantidade de fibras que trazem diversos benefícios para a saúde.

Sopa de lagarto com cevadinha

Sopa de lagarto com cevadinha

2 pedaços médios de lagarto
1/4 de xíc. de chá de cevadinha
1/2 lata de mix de legumes picados
1/2 cebola picada
1 dente de alho amassado
250 ml de caldo de carne
2 col. de sopa de molho de tomate
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Passe água corrente na cevadinha e lave bem. Deixe escorrendo enquanto prepara os demais ingredientes. Corte a carne em pedaços pequenos e tempere com sal e pimenta a gosto.
Numa panela antiaderente, refogue a cebola, o alho e a carne por alguns minutos até a carne dourar e o restante ficar macio. Acrescente a cevadinha e refogue por alguns segundos.
Despeje o caldo de carne e mais 500 ml de água na panela. Deixe ferver e misture o molho de tomate e os legumes ao caldo. Abaixe o fogo e cozinhe com a panela semi tampada por 35 a 40 minutos até a cevadinha ficar macia.
Caso toda a água evapore durante o tempo de cozimento acrescente mais 300 ml e deixe ferver por mais alguns minutos até reduzir um pouco e engrossar bem. Acerte o sal e a pimenta e sirva a sopa acompanhada de salada verde.

O caldo de carne e o molho de tomate já trazem temperos bem saborosos para a sopa. Entretanto, vale acrescentar algumas outras ervas a gosto para deixar a sopa ainda mais deliciosa. Uma sugestão é temperar com folhas de tomilho, alecrim ou mesmo orégano que combinam super bem com carne vermelha e dão um toque especial.

Outra dica que tenho é preparar a sopa com algumas horas (ou mesmo um dia) de antecedência para deixá-la curtindo no tempero. No meu caso fiz a sopa algumas horas antes de comer e deixei ela na própria panela por 2 horas. Quando fui comer, o sabor estava absolutamente espetacular e curtido.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Quanto mais simples, melhor

Quando moramos sozinhos, as vezes o que mais buscamos na hora de preparar um prato é praticidade e facilidade. Mas encontrar algo que seja rápido e saboroso e dê apenas para uma pessoa pode ser complicado. Por isso, nada melhor do que deparar-se com uma única receita que cumpre com todas as exigências de uma alimentação balanceada. E mais, que seja deliciosa.

Para o meu almoço de hoje resolvi testar uma receita que encontrei na revista Cozinha Caseira Light. São várias em cada edição e todas super práticas e simples de fazer. O único problema é a quantidade de rendimento de cada prato. Mas fiz adaptações pequenas e cortei pela metade a porção de cada ingrediente para que desse só para mim mesmo. No fim, fiquei extremamente satisfeita com o resultado.

Arroz de forno

Arroz de forno

1/2 xíc. de chá de arroz integral cru
80 g de coxão mole picado (ou moído)
1 tablete de caldo de legumes
1/2 vidro de palmito picado
3 col. de sopa de milho verde em conserva
3 col. de sopa de cenoura em tirinhas
5 azeitonas verdes picadas
1 col. de chá de margarina light
sal, pimenta-do-reino e salsinha picada a gosto

Modo de preparo:
Unte um refratário com a margarina. Tempere a carne com sal e pimenta-do-reino a gosto. Misture todos os ingredientes dentro do refratário. Ferva 500 ml de água e dissolva o caldo de legumes. Acrescente o caldo ao refratário e leve ao forno médio (210ºC) por aproximadamente 1 hora. Certifique-se de que o arroz esteja bem cozido e a água tenha evaporado por completo. Salpique salsinha e pimenta-do-reino a gosto e sirva a seguir.

Rende de 2 a 3 porções.

Eu simplesmente amei esta receita. Ela é muito prática, super fácil de fazer, não gasta muito e, o melhor, não tem muita louça para lavar no fim. Isso sem contar que você pode substituir os acompanhamentos por qualquer coisa. Em vez de carne, pode usar frango. Em vez de milho, pode usar ervilha. Em vez de cenoura, vagem. Em vez de palmito, aspargos. As possibilidades são infinitas.

No fim, este arroz de forno não deixa de ser uma versão mais light do tradicional yakimeshi chinês. Ou seja, arroz misturado com carne e legumes. A diferença é que na versão oriental ele é frito e temperado com shoyu. Aqui, por ser assado no forno, reduz enormemente o valor calórico e a quantidade de gordura ingerida. E nada impede que você tempere com um pouco de shoyu antes de servir para dar aquele toque oriental ao prato.

Por hoje é só.

Bon appetit!

As vezes a inspiração surge do nada

Foi só eu falar que não gostava de inovar na cozinha que acabei inventando meu almoço de hoje misturando uma receita que achei no livro Comer Light (aquele da Lucilia Diniz) com ingredientes que já tinha em casa fazendo pequenas alterações. A sugestão dela era fazer um macarrão com legumes, sendo eles abobrinha, cenoura e vagem cortados em tirinhas. Já tinha ouvido falar que quando fossemos optar por comer macarrão é sempre bom ter como acompanhamento legumes cozidos e fugir dos molhos carregados de gordura como aqueles com muito queijo e creme de leite. Então, nada melhor do que neste caso fazer um molho com os próprios vegetais.

Além disso, quando resolvo me atracar num belo prato de massa dou preferência pelo macarrão integral, que, como já falei, traz muitos benefícios ao organismo mesmo tendo uma carga calórica praticamente igual ao do refinado. Como moro sozinha e cozinho em pequenas porções, geralmente opto pelo Caseiro da Mãe Terra. Funciona do mesmo jeito que outros miojos tradicionais, mas é integral e não é frito no processo de preparação como os comuns. Além disso, não tem conservantes entre os ingredientes, o que é sempre um plus.

Aqui vai um alerta: viver de macarrão instantâneo destroi qualquer chance de manter uma alimentação saudável, mas como o problema deles está mais no tempero (carregado de sódio e gordura) do que na massa em si, aproveitar a praticidade que eles proporcionam e comê-los de vez em quando não faz mal. Neste caso, é sempre uma ótima pedida preparar o molho de acompanhamento em casa. Foi o que fiz.

Juntei a ideia do livro de unir legumes com o macarrão e inventei um molho vermelho com aspargos verdes frescos (que tinha sobrando em casa) e uma cenoura cortada em tirinhas. Para dar o toque final, acrescentei 4 colheres de sopa de molho de tomate Pomarola Lévia que tem menos sódio e menos gordura que os outros molhos industrializados. Se você quiser deixar seu prato ainda mais saudável, prepare o molho de tomate na hora com tomates picados, cebola, alho e um pouco de manjericão fresco. Como não tinha tempo hoje, resolvi usar o que já vem pronto.

No fim ficou uma delícia.

Se você tiver mais tempo e quiser incrementar ainda mais o prato, pode picar uma cebola e um dente de alho e acrescentar na preparação do molho. Além disso, pode salpicar um pouco de manjericão fresco por cima do macarrão quando estiver pronto. Gosto muito de usar manjericão nos pratos que preparo pois acho que ele traz um gostinho a mais que deixa a comida muito saborosa.

Por hoje é só.

Bon appetit!

P.S. Acabei de me dar conta que seria bom começar a publicar fotos das minhas preparações para acompanhar os textos. Ficar só no blá, blá, blá não é lá muito interessante. Prometo incluir imagens da próxima vez.