A globalização da culinária

A globalização que vivemos hoje já atingiu tantos níveis da sociedade que não tinha como a gastronomia ficar de fora. Por um lado isso é ótimo já que permite que todos conheçam as diversas culinárias que existem no mundo. O problema é que com essa globalização inevitavelmente ocorrem também a generalização das comidas.

Explico: muitos pratos típicos de algumas regiões são alterados ou modificados levemente para adequar-se ao paladar do local em que são introduzidos. Com isso, corre-se o risco de várias comidas, teoricamente diferentes, acabarem ficando com sabor extremamente parecido.

Bife mongol

Bife mongol

10 ml de shoyu
1/2 col. de sopa de açúcar
1/2 col. de sopa de maizena
1 col. de chá de molho de ostra
1 col. de chá de vinagre de arroz
1 col. de chá de curry vermelho
100 g de filé mignon
200 g de abobrinha
10 g de cebolinha
1 dente de alho
azeite, gengibre, sal e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela pequena, junte o shoyu, o açúcar, a maizena, o molho de ostra, o vinagre de arroz e o curry vermelho até que fique bem homogêneo. Reserve.
Aqueça uma panela wok antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue o dente de alho amassado até que fique aromático. Acrescente a abobrinha cortada em tirinhas e refogue por 2 minutos até começar a amolecer. Acrescente a carne cortada em tiras e refogue por alguns minutos até que fique quase no ponto.
Junte a cebolinha cortada também em tirinhas, salpique com gengibre em pó e sal a gosto e mexa mais um pouco. Derrame o molho reservado e a pimenta calabresa a gosto. Termine de mexer até o molho encorpar levemente e a carne atingir o ponto desejado. Sirva com arroz integral ou jasmim.

Muitos já devem ter achado que as comidas de países asiáticos como a China, Tailândia, Indonésia e Vietnã são todas iguais. A verdade é que elas possuem verdadeiras semelhanças, até pela proximidade dos países o que acaba resultando numa familiaridade entre os ingredientes usados.

Apesar disso, todas essas culinárias possuem toques diferentes e quando são apreciadas da maneira original podem ser identificadas pelo que realmente são. A receita de hoje trás toques especiais da Mongólia, mas certamente a receita que testei não deixa de ter também elementos dessa culinária “globalizada”. Acho que para comer um bife mongol de verdade só mesmo indo visitar a Mongólia. Quem sabe um dia, não é?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Jantar sem complicações

Depois da comemoração de ontem pelos nove meses de blog, estou de volta com outra receita super prática para continuar no clima da correria da semana. Este prato requer um pouco de preparo prévio, mas na hora de cozinhar ele fica pronto em menos de 10 minutos. Perfeito para um jantar express depois de um dia longo no trabalho.

O clássico salteado oriental preparado na panela wok admite uma infinidade de combinações de ingredientes. Às vezes me divirto pegando a primeira coisa que vejo na geladeira para criar pratos novos. O segredo é escolher uma boa dose de legumes crocantes, uma fonte de proteína gostosa e um molho básico para arrematar. Esta versão que criei ficou especialmente gostosa.

Salteado simples de carne com vegetais

Salteado simples de carne com vegetais

100 g de coxão mole
100 g de vagem
100 g de pimentão
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
1 col. de sopa de cebolinha picada
10 ml de shoyu light
30 ml de caldo de galinha
15 ml de molho de ostra oriental
5 ml de vinagre de arroz
1 col. de chá de maizena
azeite e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Corte a carne, a vagem e o pimentão em tiras finas e reserve. Pique a cebola e o alho. Numa tigela, misture o shoyu, o caldo de galinha, o molho de ostra, o vinagre e a maizena. Mexa bem até ficar completamente homogêneo.
Aqueça uma frigideira wok em fogo médio e regue com um fio de azeite. Comece refogando a cebola e o alho até ficarem macios. Acrescente a carne e mexa constantemente até começar a dourar. Por fim, junte a vagem e o pimentão e continue mexendo até que tudo esteja cozido mas ainda al dente.
Derrame o molho e mexa até engrossar um pouco (aprox. 3 minutos). Sirva acompanhado de arroz branco ou integral e salpicado com a cebolinha picada e a pimenta calabresa.

O mais importante para lembrar quando estamos preparando salteados deste estilo na wok é deixar todos os ingredientes pré prontos e cortados e deixar o molho pronto numa tigela. Todos este passos são essenciais já que depois que começa o processo de cozimento dos alimentos, o tempo total de preparo não passa de 10 minutos. Tudo fica pronto super rápido.

Com certeza este não será o último salteado oriental que irei preparar na vida. Realmente adoro esta receita já que ela permite várias substituições e funciona muito bem num dia corrido. Quando sei que vou chegar em casa tarde à noite, já deixo os ingredientes pré cortados e guardados na geladeira. Assim, depois de chegar em casa meu jantar fica pronto num flash. E fica absolutamente delicioso.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Fugindo do tradicional

Para quem não curte muito comida feita com leite de coco a culinária tailandesa pode realmente parecer pouco apetitosa. Conhecida pelos seus pratos adocicados e picantes ao mesmo tempo e que geralmente são feitos à base de leite de coco, açúcar, temperos e especiarias, a comida da Tailândia é especializada nesses sabores.

Entretanto, para aqueles que torcem o nariz a essas delícias há uma outra receita clássica que pode parecer bem mais agradável. Suave e simples, lembra os sabores da culinária chinesa, temperos mais conhecidos do paladar brasileiro. A olho nu pode até parecer um frango xadrez genérico, mas este é inspirado em outro país do extremo oriente.

Frango com castanha à moda tailandesa

Frango com castanha à moda tailandesa

15 ml de shoyu light
30 ml de caldo de galinha
1 col. de sopa cheia de molho de ostra
1 col. de chá de vinagre de vinho branco
1 col. de sobremesa de mel
1 col. de chá de maizena
1 peito de frango cortado em cubos
1/2 pimentão verde pequeno
¼ de cebola
1 col. de chá de gengibre em pó
1 dente de alho
1 col. de sopa cheia de cebolinha picada
castanha de caju a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, misture metade do shoyu e da maizena. Corte o frango em cubos e junte à mistura. Mexa bem para o que o frango fique totalmente coberto. Reserve. Numa outra tigela, junte o resto do shoyu e da maizena com o caldo de galinha, o molho de ostra, o vinagre e o mel. Reserve. Corte o pimentão e a cebola em tirinhas e pique o alho. Salpique o gengibre em pó por cima. Reserve.
Aqueça uma panela wok em fogo médio. Acrescente o frango com a marinada e refogue por alguns minutos até começar a cozinhar. Reserve na tigela. Despeje os vegetais temperados com o gengibre à wok e refogue de 3 a 5 minutos até amaciarem. Retorne o frango à wok e adicione o molho reservado. Cozinhe mexendo sempre até o frango ficar pronto e o molho engrossar. Salpique a castanha por cima e sirva acompanhado de arroz integral.

Sou simplesmente apaixonada por este prato. O molho fica uma delícia e, apesar de ser docinho, não chega a arruinar completamente uma alimentação balanceada e saudável. Além disso, qualquer refeição preparada em casa tem a vantagem de conseguirmos controlar a quantidade de gordura e açúcar acrescentada o que a torna mais saudável.

O molho de ostra utilizado nesta receita é bem tradicional e muito utilizado em diversas preparações orientais. Ele não é muito comum aqui no Brasil mas também não chega a ser extremamente difícil de encontrar. Procure nas seções de comida asiática de um grande supermercado ou em lojas especializadas.

Por hoje é só.

Bon appetit!