Quando o tempo é curto

Antevéspera de natal e a última coisa que precisamos é mais preocupação com o que fazer para comer, certo? Com tantas coisas para fazer antes de deixar a ceia pronta e perfeita, nada melhor do que uma receita fácil e rápida para não ter muito trabalho na hora de preparar o almoço.

Pensando nisso, minha dica de hoje é um macarrão delicioso que fica pronto em 40 minutos. Uma vantagem de pratos à base de massas é que podem ser refeições completas dependendo dos ingredientes que incluímos. Mais uma facilidade, já que só precisamos nos preocupar em fazer um prato.

Penne integral ao molho cremoso de limão siciliano com aspargos e atum

Penne integral ao molho cremoso de limão siciliano com aspargos e atum

200 g de penne integral
250 g de aspargos frescos
1 lata de atum light em água escorrido
250 ml de leite desnatado
1 col. de sopa de farinha de trigo
2 col. de sopa de mostarda escura
1 limão siciliano
1 col. de sopa de raspas de limão siciliano
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Ferva 500 ml de água com um pouco de sal e coloque a massa para cozinhar. Depois de 7 minutos (quando estiver quase pronta) acrescente os aspargos cortados em pedaços médios e deixe cozinhar por mais 3 minutos até o penne ficar no ponto e o aspargo amolecer um pouco. Escorra e reserve.
Para o molho, dissolva a farinha de trigo no leite em um recipiente. Adicione a mostarda e tempere com sal e pimenta a gosto. Leve ao fogo numa panela antiaderente e cozinhe mexendo sem parar até que comece a engrossar (aproximadamente 3 minutos). Quando estiver neste ponto, junte o suco do limão siciliano e as raspas. Mexa bem e coloque o macarrão com os aspargos cozidos na panela do molho. Abaixe o fogo e vá mexendo delicadamente para o molho terminar de ficar cremoso e envolver completamente toda a massa e as verduras. Sirva a seguir com o atum em pedaços escorrido. Salpique queijo parmesão ralado a gosto.

Rende 3 porções.

A receita original não incluía o atum em lata e funcionava muito bem como um prato vegetariano ou de acompanhamento para outras carne. Entretanto, como falei antes, as vezes gosto de incluir uma proteína no próprio macarrão para assim não precisar me preocupar em fazer mais de uma receita para o almoço.

Dito isso, achei que o atum caiu super bem com o cremosinho do molho da massa. Por ser prático e leve, o atum em lata se presta para agilizar diversas receitas. Além disso, é super saudável e saboroso quando comprado na versão light que vem em água e não óleo.

O molho desta receita fica bastante suave, ótimo para quem não gosta de pratos muito condimentados ou pesados. Entretanto, se você curte algo com pegada mais forte, sugiro aumentar as quantidades de mostarda e limão na hora de fazer o molho. Vá provando durante o preparo e pare quando achar que estiver perfeito. Tenho certeza que ficará divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Criações inusitadas

Sempre adorei fazer misturas inusitadas na hora de preparar patês ou pastas para comer com torradinhas ou fatias de pão. Nas festas de família na minha época de adolescente, era sempre eu quem ficava encarregada de fazer os aperitivos para servir antes do jantar. E eu sempre preparava um dos meus patês especiais.

Partindo disso, resolvi inventar uma maneira diferente para fazer um simples sanduíche de sardinhas enlatadas ficar mais divertido. A receita funciona como uma ótima opção de jantar rápido e prático para dias corridos e o resultado final ficou absolutamente sensacional, por mais que na foto não pareça lá muito apetitoso.

Patê colorido de sardinha

Patê colorido de sardinha

1 lata de sardinha conservada em água
1 col. de sopa de requeijão light
1/2 col. de sopa de mostarda escura
1 col. de sopa de azeitonas pretas picadas
2 rodelas de cebola roxa picada
1 col. de sopa de cebolinha picada
pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Despeje a sardinha numa tigela e remova os ossos e espinhas. Amasse bem com um garfo até ficar completamente desfiada. Adicione o requeijão e a mostarda e misture bem até formar uma pasta homogênea. Acrescente os demais ingredientes e termine de mexer para ficar uniforme. Sirva por cima de pães ou torradas integrais.

O legal dos patês são as  inúmeras combinações de sabores e ingredientes que podem ser utilizados. Para quem preferir uma pasta um pouco mais rala, vale incluir 1/2 col. de sopa de azeite na mistura. Já para quem gostar de um sabor picante, sugiro acrescentar uma pitada de tabasco ou pimenta calabresa. Assim, o sanduíche ganha uma pegada mais forte com intensidade fantástica.

Por fim, quem quiser pode decorar o sanduíche com 1 folha de alface e 1 ou 2 rodelas de tomate antes de acrescentar a pasta de sardinha. Nada melhor do que uma mini saladinha para dar o toque final a este saboroso lanche express.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Cardápio completo

Minha sugestão de cardápio de hoje fui eu quem criei. Não inventei o molho, esse eu peguei de um livro de receitas (se bem que também acabei fazendo algumas modificações). Mas a combinação do filé com o brócolis cozido foi minha maneira de criar um prato nutritivo e saboroso para um belo jantar.

Como é de costume, as quantidades sugeridas servem uma pessoa. Mas essa minha janta ficou tão deliciosa que sugiro prepará-la para um jantarzinho romântico. Com certeza vai agradar e muito.

Filé mignon com brócolis ao molho de mostarda cítrico

Filé mignon com brócolis ao molho de mostarda cítrico

1 medalhão de filé mignon (100 g)
suco de 1 limão
2 col. de sopa de mostarda escura
1/2 col. de sopa de mel
75 ml de suco de laranja s/ açúcar
50 ml de água
75 g de brócolis
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Tempere o filé com sal e pimenta-do-reino a gosto. Coloque numa forma refratária antiaderente e leve ao forno médio (200ºC) de 15 a 20 minutos até assar por fora e ficar vermelhinho por dentro.
Ferva 300 ml de água e coloque os ramos de brócolis. Cozinhe por 10 minutos até ficarem macios mas ainda al dente.
Para o molho, misture os ingredientes numa tigela até obter um creme homogêneo. Despeje numa panela antiaderente e leve ao fogo. Quando ferver, abaixe o fogo e mexa por aproximadamente 10 minutos até reduzir pela metade. Regue por cima do filé ainda quente e sirva em seguida.

A grande modificação que fiz no molho foi levá-lo ao fogo para reduzir um pouco. Isso porque quando misturei todos os ingredientes achei que ele tinha ficado ralo demais. Talvez fosse o caso de não acrescentar os 50 ml de água na mistura, mas isso terei que testar da próxima vez que fizer.

De qualquer maneira, o sabor ficou excepcional. Diferente do outro molho de mostarda e limão que compartilhei com vocês na receita do frango, este tem um quê de agridoce por causa do mel e o leve gostinho cítrico é diferente já que inclui suco de laranja e não só limão. Pode até ter ficado um pouco ralo pro meu gosto, mas isso não diminuiu em nada a combinação perfeita criada entre o molho, o filé e os brócolis cozidos. Absolutamente divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Revitalizando sobras deliciosas

Quem mora sozinho sabe: mesmo quando tentamos preparar o almoço fazendo uma porção só sempre acaba sobrando um pouquinho aqui, outro pouquinho ali. E a pior coisa do mundo é chegar no final da semana e ver-se obrigado a jogar fora todos esses restinhos de comida super saborosos e perfeitamente comíveis.

Pensando nisso, resolvi pegar alguns restos que tinha na geladeira para preparar um almoço deveras criativo, colorido e prático. A combinação ficou tão boa que serve até para preparar especificamente com essa finalidade e não necessariamente esperar ter sobras para revitalizar. Por isso, resolvi criar esta receita.

Spaghetti ao frango cítrico com brócolis

Spaghetti ao frango cítrico com brócolis

70 g de spaghetti integral
70 g de brócolis cozido picado
90 g de peito de frango
suco de 1 limão tahiti
suco de 1 limão siciliano
2 col. de sopa de mostarda escura
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Ferva 200 ml de água e cozinhe o brócolis durante 8 minutos até ficar macio e al dente. Pique em pedacinhos e reserve.
Corte o peito de frango em pedaços grandes e tempere com pimenta a gosto. Numa frigideira antiaderente, esprema os dois limões e coloque os pedaços de frango para cozinhar no suco. Vire constantemente para que cozinhe de ambos os lados. Quando começar a branquear (após 2 ou 3 minutos), adicione a mostarda e mexa bem para formar o molho. Continue mexendo o frango e deixe cozinhar em fogo baixo por aproximadamente 10 minutos até o molho engrossar um pouco. Quando estiver pronto, desligue o fogo e reserve.
Em outra panela, ferva 500 ml de água e coloque o spaghetti. Cozinhe por 5 minutos até ficar al dente. Escorra o macarrão e arrume num prato. Pegue o frango cozido e corte em pedaços menores. Junte ao brócolis picado e mexa bem. Despeje a mistura por cima do spaghetti e sirva em seguida.

Acho que deu para notar que o frango é aquele mesmo ao limão e mostarda que fiz e publiquei a receita alguns posts atrás. Como sobrou um pouco na minha geladeira, resolvi pegar um pouco de brócolis e cozinhar para misturar com o frango e usar como molho do macarrão instantâneo integral da Mãe Terra do qual também já falei algumas vezes aqui no blog.

No fundo, adoro brincar com possibilidades novas e criar molhos divertidos e saudáveis para comer com macarrão. A massa não precisa ser uma vilã numa dieta saudável e balanceada. A chave está em preparar os molhos de maneira que não fiquem carregados de gordura e calorias desnecessárias.

Para isso, fuja dos queijos gordurosos e outros molhos à base de creme de leite. Invista sempre numa proteína magra, como o peito de frango, e legumes diversos. Assim, o macarrão fica saboroso e não pesa tanto na balança. Outra dica é sempre optar pela versão integral que contêm fibras e ajuda a saciar por mais tempo.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Suculento na medida certa

Tenho um carinho especial por esta receita. O motivo? Por mais que sempre tenha feito doces e sobremesas desde minha infância, este foi o primeiro prato salgado de carne ou frango que preparei eu mesma quando fui morar sozinha. Não deixa de ser um avanço. E para deixar tudo mais especial ainda, o sabor deste frango em especial é absolutamente incrível.

Para quem estiver começando a se aventurar na cozinha, esta é uma ótima opção pois é super fácil de fazer e não tem muito como errar. Além disso, serve tanto para um almoço qualquer ou até para fazer num jantar mais chique. Você impressiona seus convidados com um prato sofisticado e super saboroso sem precisar contar que foi super fácil de fazer. Quer coisa melhor?

Frango ao limão e mostarda

Frango ao limão e mostarda

200 g de filé de peito de frango
suco de 1 limão siciliano
suco de 2 limões tahiti
3 col. de sopa de mostarda
pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Corte o peito de frango em pedaços médios (aprox. 2/3 centímetros cada um) e tempere com pimenta-do-reino a gosto. Coloque todo o frango numa frigideira antiaderente para começar a cozinhar. Em seguida acrescente o suco dos dois limões. O frango deve ficar todo coberto já que vai cozinhar apenas no suco dos limões. Mexa de vez em quando para que os pedaços do frango cozinhem bem dos dois lados.
Após uns 3 minutos, acrescente a mostarda e misture bem no suco para formar o molho. Deixe o frango cozinhar em fogo baixo por aproximadamente 10 minutos nesta mistura virando os pedaços de vez em quando. O molho do limão com mostarda deve ir secando até ficar mais grosso no final. Sirva em seguida.

Rende 2 porções.

A opção da mostarda é livre. Vale usar qualquer uma a gosto do cliente (ou do cozinheiro). Geralmente, preparo esta receita com mostarda temperada com mel para dar um gostinho agridoce ao prato. Entretanto, outra opção é prepará-la com mostarda escura levemente apimentada com fiz hoje. Fica uma delícia.

O sabor do molho cítrico fica bastante acentuado. Por esta razão, vale optar por acompanhamentos suaves como arroz branco e salada verde. Mas se a intenção é fazê-lo como prato principal de um jantar mais sofisticado, sugiro como acompanhamento espinafre refogado com cebola picada e cogumelos frescos. A combinação cítrica com o amarguinho do espinafre fica absolutamente sensacional.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Abrindo a mente

Quem disse que vegetariano não pode saborear um belo hambúrguer? E quem disse que carnívoros também não podem se aventurar pelas ondas vegetarianas de vez em quando?

Eu adoro carne e incluo na minha dieta diariamente uma porção de proteína animal magra (carne branca tipo peixe ou frango) e pelo menos duas vezes por semana como uma porção de carne vermelha magra (filé mignon, coxão mole, maminha, alcatra etc.) que é uma fonte importantíssima de ferro para o organismo.

Entretanto, vez ou outra adoro me aventurar pelos mundos vegetarianos para saborear uma bela refeição que não tenha proteína animal. (Só para deixar claro, neste caso não chego a ser radical e não excluo ovos, leite ou queijo dos meus pratos “vegetarianos”.) Sempre tive curiosidade de experimentar um hambúrguer vegetariano, e desta vez resolvi testar uma receita de hambúrguer de palmito super interessante que achei. O resultado ficou fantástico!

Hambúrguer especial de palmito

Hambúrguer especial de palmito

150 g de palmito picado em conserva
25 g de pimentão vermelho picado
2 col. de sopa de cebola picada
1 col. de sopa de mostarda
2 col. de sopa rasas de farinha de rosca
1 col. de sopa rasa de farinha de maracujá
1 ovo
sal, pimenta-do-reino e salsinha picada a gosto

Modo de preparo:
Pique bem o palmito em conserva (mesmo comprando o que já vem picado, é bom deixá-lo ainda menor). Em uma tigela, misture o palmito com a cebola e o pimentão. Acrescente a mostarda e tempere com sal, pimenta e salsinha a gosto. Adicione as farinhas e mexa bem com uma colher. Por fim, acrescente o ovo batido e misture com as mãos até formar uma massa homogênea.
Divida a massa em 3 ou 4 partes e molde os hambúrgueres. Leve à geladeira por 30 minutos antes de assar. Pré-aqueça o forno em 200ºC e coloque os hambúrgueres para assar numa forma refratária antiaderente até dourarem (aproximadamente 25 a 30 minutos). Sirva em seguida.

A primeira vista pode parecer estranha a receita, mas prometo que ficou uma delícia! Nas instruções iniciais, não dizia para acrescentar a farinha de maracujá. Entretanto, quando coloquei as duas col. de sopa de farinha de rosca achei que não tinha dado liga suficiente e resolvi colocar mais uma col. de sopa rasa da farinha da casca de maracujá tão fantástica que comprei para fazer o peixe empanado.

Para mim, o resultado ficou sensacional e a col. de sopa de farinha a mais não deixou os hambúrgueres massentos. A consistência ficou perfeita e o sabor, por mais inusitado e diferente de qualquer coisa que já tenha provado, foi divino. Por já ter sua dose de carboidrato provenientes das farinhas, uma boa pedida para acompanhar este hambúrguer é uma salada leve de folhas verdes com tomate.

No fim acho que vale a pena aventurar-nos de vez em quando em pratos que normalmente não comeríamos. Sem querer podemos esbarrar em algo sensacional que jamais pensaríamos em provar como aconteceu comigo hoje. Recomendo!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Tornando clássicos gordurosos em pratos leves sem perder o sabor

Quem não gosta de um farto prato de strogonoff de frango com arroz branco e batata palha? A combinação, originária da Russia, já é considerada parte integral da culinária brasileira e aparece com frequência nas refeições nacionais. Alias, o prato é bastante popular em várias partes do mundo, sendo que cada país dá seu toque especial à preparação.

Tudo isso é muito legal, mas não podemos esquecer que a receita clássica de strogonoff leva bastante creme de leite, um pecado gorduroso para qualquer dieta balanceada. Mas é possível degustar de variações deste tradicional prato sem abrir mão de uma alimentação saudável. Algumas poucas modificações tornam o strogonoff leve e prático, e nem por isso deixa de ser altamente saboroso.

Confira uma receita levemente modificada para quem deseja degustar um belo strogonoff sem comprometer a busca por uma alimentação saudável.

Strogonoff de frango

Strogonoff de frango

100 g de filé de frango
1/4 de cebola picada
1 dente de alho picado
100 g de tomate picado
50 g de champignon fatiados em conserva
100 ml de leite desnatado
1 col. de sopa de molho inglês
1 col. de chá de catchup
1 col. de chá de mostarda
1 col. de sopa rasa de farinha de trigo
sal, pimenta-do-reino, orégano e salsa a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com sal e pimenta-do-reino e corte em cubinhos. Em uma panela antiaderente, refogue a cebola, o alho e o frango com o molho inglês e o orégano até que a carne fique branca e macia. Acrescente o tomate, o champignon e a salsa e cozinhe em fogo baixo por alguns minutos até que o tomate murche.
No liquidificador, bata o leite, a farinha, a mostarda e o catchup até ficar homogêneo. Junte aos demais ingredientes na panela e cozinhe em fogo baixo, mexendo sempre, até o molho engrossar. Sirva em seguida.

Não vou mentir, o gosto não é exatamente o mesmo do strogonoff tradicional com creme de leite. Entretanto, a pequena substituição do creme pelo leite desnatado e a farinha deixa a receita mais leve e não fica devendo em nada com relação ao sabor. É tão, ou mais, saborosa quanto a original.

Pessoalmente, nunca fui muito chegada em strogonoff com creme de leite. Mesmo antes de conhecer esta nova receita, fazia sempre da maneira tradicional até a hora de acrescentar o creme, que acabava dispensando. Com esta receita, a consistência do molho fica igual ao tradicional, mas sem aquele gosto pesado característico. Ou seja, acaba sendo uma versão bem mais leve e gostosa ao meu ver.

Se você não abre mão do strogonoff tradicional, procure usar o creme de leite light que tem menos gordura. Mas prove esta receita também. Aposto que vai aprovar a novidade. Ela é realmente uma delícia!

Por hoje é só.

Bon appetit!

O sabor delicado dos peixes

Depois que descobri as maravilhas dos peixes minha vida mudou completamente. Entre as carnes é a melhor opção, já que concentra gorduras essenciais para o bom funcionamento do organismo, como a ômega 3, sem ter altas quantidades de gordura saturada que prejudicam a saúde, como ocorre nas carnes vermelhas.

O que para muitos é uma desvantagem nos peixes, para mim o sabor suave que eles apresentam é um dos seus principais atributos. Por não ter um gosto acentuado demais, o salmão e o atum são exceções a regra já que tem um sabor bastante pronunciado, admite qualquer tipo de tempero, molho ou acompanhamento na hora do preparo. Que cozinheira não adoraria poder brincar com a imaginação sem ter que se preocupar se os diversos temperos vão entrar em conflito na hora da refeição?

Por essas razões, hoje minha dieta baseia-se em grande parte no consumo de peixes nas mais variadas combinações. E para meu almoço de hoje, resolvi testar uma receita que me pareceu bastante simples com potencial para ser incrivelmente saborosa. Acertei em cheio.

Cação ao molho de amêndoas

Cação ao molho de amêndoas

2 postas médias de cação
1 dente de alho picado
1/4 de cebola picada
1 tomate italiano picado
2 rodelas de pimentão vermelho picadas
30 g de amêndoas trituradas
1 col. de sopa de mostarda
1 col. de chá de amido de milho
1 limão
2 col. de sopa de raspas de casca de limão
sal, pimenta-do-reino, sálvia e salsinha a gosto

Modo de preparo:
Tempere o peixe com sal, pimenta, sálvia e suco de limão e deixe marinar por 1 hora. Após esse tempo, ferva 500 ml de água em uma panela de vapor com as raspas de casca de limão e a salsinha. Coloque o cação, tampe e cozinhe em fogo baixo até ficar macio (aproximadamente 20 minutos).
Para o molho, refogue a cebola, o alho, o tomate, o pimentão e a mostarda em uma panela antiaderente. Cozinhe em fogo baixo até reduzir. Deixe esfriar e bata no multiprocessador com o amido de milho até ficar homogêneo. Retorne para a panela e cozinhe em fogo baixo por mais alguns minutos. Acrescente as amêndoas e misture bem. Na hora de servir, regue o molho por cima da posta de cação.

Nesta receita, as amêndoas deram um toque essencial ao que normalmente seria um simples molho de tomate. Além disso, a mostarda deixou o prato com um gostinho levemente apimentado. No fim, a combinação ficou uma delícia.

Tendo dito isso, neste caso percebi que meu jeito tradicional de fazer molho de tomate talvez não tenha sido o melhor neste caso. Por não peneirar o molho, os pedaçinhos de tomate e cebola que ficam no molho competiram com as amêndoas trituradas. Acho que para poder sentir melhor o sabor delicado delas, deveria ter peneirado o molho e acrescentado um pouco de água na preparação para que ele ficasse um pouco mais ralo.

De qualquer maneira, ficou bastante saboroso da forma como preparei. O bom é que vamos aprendendo coisas novas com cada preparação e agora já tenho algo novo para testar da próxima vez que fizer este prato.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Depois do pecado vem a redenção

Nenhuma ditadura de regime sobrevive intacta por muito tempo. Alias, não é nada saudável para a mente e para a alma fazer uma dieta na qual você não pode fugir de vez em quando dela. O clássico é se deixar relaxar um pouco nos finais de semana. Tendo consciência dessas fugidas e fazendo escolhas inteligentes melhora o humor e te deixa mais leve espiritualmente. Mas atenção: é preciso saber voltar para a alimentação balanceada depois das “férias”.

Por isso, depois de comer uma bela pizza baby de vegetais no sábado à noite no Ráscal (alias, para mim a melhor pizza de São Paulo), nada melhor do que uma bela e reforçada salada para terminar meu domingo com o pé direito e entrar a semana com as energias renovadas.

A princípio sempre achei engraçado ter receita para salada. A verdade é que são tantas opções de combinações que as escolhas dependem no final das contas do gosto de cada um. De qualquer maneira, aqui está uma das minhas receitas para uma salada reforçada com direito a proteína e carboidrato para valer como refeição completa. E claro, aproveitei para usar o resto do molho delicioso de mostarda light que fiz ontem no almoço.

Salada verde de atum com molho de mostarda light

Salada verde de atum com molho de mostarda light

Mix de folhas verdes
4 tomates-cereja
4 baby carrots
60 g de brócolis bem lavado
30 g de queijo minas frescal light cortado em cubinhos
80 g de atum em pedaços ao natural light (enlatado em água, sem óleo)
molho de mostarda light (ver receita aqui)

Modo de preparo:
Arrume todos os ingredientes no prato. Despeje o molho de mostarda e misture. Sirva em seguida.

Para acompanhar a salada, uma boa pedida é um pacotinho de club social integral. Se você preferir, pode comer também uma fatia de pão integral com geleia sem açúcar. O bom dessa segunda opção é que dá um gostinho doce ao jantar e evita que você queira se atracar numa sobremesa depois da refeição. Vale também comer uma fruta ou um potinho de gelatina light para finalizar. Nada melhor do que um jantar leve como este para terminar o domingo com chave de ouro e entrar na segunda renovada.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Vivendo e aprendendo

Ontem era para ter sido um jantar perfeito. Entretanto, no dia a dia vamos aprendendo que a arte de cozinhar não é uma ciência exata e as vezes as coisas não saem exatamente como planejadas.

Convidei meus tios e meu primo para jantarem na minha casa e pretendia preparar um cardápio sofisticado, mas simples, saboroso e saudável. De entrada, uma salada verde com cenoura ralada e tomate cereja. Nada de muito elaborado e confesso que comprei aqueles pacotes que já vem pronto para facilitar minha vida. Depois, servi medalhões de filé mignon ao molho de hortelã acompanhados de arroz com tomate seco. Por fim, a sobremesa foi uma espécie de gelatina de café cuja receita havia achado na internet há meses e estava esperando uma ocasião especial para testar.

O jantar aconteceu e a comida estava gostosa, mas várias coisas deram erradas durante o preparo. Primeiro, a sobremesa precisava ser batida na batedeira e eu só tenho liquidificador. Nota mental: comprar uma batedeira! Não vou entrar em detalhes, mas não funcionou muito bem e o que era para ter sido misturado não misturou direito. No fim o sabor estava bom, mas não fotografei para mostrar porque não ficou com uma cara muito apetitosa. Da próxima vez que fizer, se der certo, tiro uma foto para compartilhar.

A carne também não saiu exatamente do jeito que queria pois acabou passando um pouco do ponto. Confesso que foi a primeira vez que fiz filé mignon e não calculei bem o tempo que precisava ficar no forno. Deixei 40 minutos a 230ºC e ela ficou “bem passada”, o que não chega a ser um grande problema para quem prefere assim. Mas como todos os convidados, inclusive eu, preferimos carne “ao ponto”, não atingiu as expectativas. Agora já sei que o tempo ideal de preparo são no máximo 25 minutos.

Já o molho de hortelã ficou um pouco forte demais. Talvez tenha colocado hortelã demais durante o preparo. Mas colocando bem pouquinho em cima da carne deixou o prato bastante saboroso e com gosto diferente do que estava acostumada. Para o arroz, usei aqueles de saquinho que basta acrescentar água e deixar cozinhar por 20 minutos. Nada de mistério e ficou uma delícia.

O bom é que vamos aprendendo a cada dia com as novas experiências na cozinha. E como estou aprendendo a inovar e inventar coisas a partir do que sobrou, para meu almoço de hoje resolvi pegar o filé do jantar e acrescentar um molho diferente. Desta vez, fiz um de mostarda light para acompanhar a carne e ramos de couve flor cozidas. Foi uma ótima solução para salvar o que talvez não tenha saído perfeito da primeira vez.

A seguir a receita do molho de mostarda do cardápio de hoje. As receitas que não funcionaram muito bem do jantar de ontem compartilho num outro momento quando testar de novo e aprimorar o que fazer para ficarem perfeitas.

Molho de mostarda light

Molho de mostarda light

1/2 dente de alho amassado
Suco de 1/2 limão
1 col. de sopa de mostarda amarela ou escura
1/2 col. de sobremesa de azeite
1/2 pote de iogurte desnatado (+/- 100g)
1 envelope de adoçante (ou 1/2 col. de chá)
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Em uma tigela misture com uma colher o alho, o suco de limão, a mostarda, o adoçante e o azeite. Em seguida, acrescente o iogurte a pimenta e o sal. Mexa bem até ficar com uma consistência homogênea. O molho fica bastante pastoso e muito saboroso.

Para quem é como eu e adora mostarda, vale colocar um pouquinho a mais para que o sabor fique mas acentuado. Já para quem preferir o molho um pouco mais fino, basta acrescentar água até atingir a consistência desejada. O bom desta receita é que possibilita a utilização do molho com praticamente qualquer coisa. Hoje usei para acompanhar filé e couve flor. Amanhã pretendo usar o que sobrou para temperar uma bela salada.

E como prometido, uma foto do meu almoço de hoje. Este sim ficou uma delícia!

Filé mignon ao molho de mostarda light, arroz com tomate seco e couve flor

Por hoje é só.

Bon appetit!