Em busca da porção ideal

Não tem como não se encantar com as delícias da culinária italiana. Pratos saborosos e fartos fazem parte desta tradicional gastronomia apreciada e devorada por todos. Além de fantásticas, as receitas tipicamente italianas sempre trazem consigo um ar de maternal, como se tivessem sido preparadas com muito amor e carinho pela nonna.

Até aí tudo ótimo. O problema está nas porções, especialmente para quem mora sozinho. Preparar um espaguetti simples para uma pessoa só não é tão problemático. Mas degustar de uma bela lasanha em porção única exige um pouco mais de dor de cabeça. Caso contrário você acaba com restos que irão durar a semana toda. A solução está no meu achado de hoje: a tal da lasanha enrolada.

Lasanha enrolada

Lasanha enrolada

3 folhas de lasanha
2 col. de sopa de queijo cottage
100 g de espinafre
100 g de shitake fresco
1 col. de sopa de azeitona preta picada
1 un. de queijo Babybel bolinha light ralado (ou 20 g de mussarela light ralada)
7 col. de sopa de molho de tomate light industrializado
pimenta calabresa e sal a gosto

Modo de preparo:
Ferva 500 ml de água e coloque as folhas de lasanha para amolecer (apenas 2 ou 3 minutos). A intenção é apenas deixá-las maleáveis e não cozidas. Reserve.
Corte o espinafre e o shitake em tiras finas. Numa panela antiaderente, refogue os dois até murcharem (aproximadamente 5 minutos). Transfira para uma tigela e acrescente o cottage, as azeitonas e metade do molho de tomate. Tempere com sal e pimenta calabresa a gosto.
Para montar os enrolados, posicione uma das folhas de lasanha em cima de um prato. Acrescente 1/3 do recheio e enrole com cuidado. Arrume numa forma antiaderente com a aba para baixo. Repita o procedimento com as demais folhas. Regue os enrolados com o restante do molho e decore por cima com o queijo bolinha light ralado.
Leve ao forno médio (200˚C) pré-aquecido por 30 minutos (ou até que as folhas de lasanha estejam cozidas e o queijo derretido). Sirva quente.

Quando descobri esta maneira diferente e divertida de preparar uma lasanha individual fiquei fascinada. A melhor parte é que, como toda lasanha, o recheio está aberto a modificações dependendo do gosto e disponibilidade dos ingredientes. O único problema que vejo é a demora em ficar pronta, mas isso é um mal necessário de qualquer lasanha.

Outra vantagem é a possibilidade de escolher quantos enrolados preparar. Ou seja, não só é possível degustar desta receita num almoço solitário de sábado como também num almoço familiar de domingo. Se não quiser ter o trabalho de ferver a água para amolecer as folhas de lasanha invista nas versões frescas refrigeradas que são naturalmente macias. Assim você terá um trabalho a menos na hora de preparar esta delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Tudo, mas com moderação.

A minha intenção com a receita de hoje não é ensinar ninguém a fazê-la. (Até porque, quem não sabe fazer um simples queijo quente, não é?) Meu propósito é mostrar que com algumas pequenas modificações é possível apreciar um lanche como este, altamente gorduroso, de vez em quando, sem descuidar completamente da saúde e da alimentação saudável.

Todos já sabemos que para identificar os queijos mais gordurosos temos que olhar para a cor deles. Quanto mais amarelos, mais gordura e quanto mais branco, mais magrinho ele é. Por isso é sempre recomendável optar pelos brancos como minas frescal, ricota ou cottage para saborear no dia a dia.

Entretanto, para um queijo quente ficar verdadeiramente delicioso, o queijo precisa derreter com potência máxima. E para isso, infelizmente, precisamos de um pouco de gordura. Aqui está, então, uma receita um pouco mais leve do que a tradicional, que prioriza um recheio amolecido e encorpado. Afinal, para que gastar calorias com pão se a melhor parte aqui é de fato o queijo, não é mesmo?

Queijo quente (ou como chamam nos states: Grilled cheese)

Queijo quente diferente

1 fatia de pão integral light
40 g de queijo mussarela light (ou babybel light)

Modo de preparo:
Corte a fatia de pão ao meio. Recheie com o queijo e aqueça numa grelha antiaderente. Espere o queijo começar a derreter e sair pelas laterais. Sirva em seguida.

Já que o importante mesmo é o recheio, melhor é investir em “meio” sanduíche com muito queijo do que um sanduíche inteiro onde mal podemos encontrar o recheio. Por isso, dispense a outra fatia de pão e delicie-se com a metade que está na sua frente. A manteiga/margarina também é dispensável já que a grelha é antiaderente. Ponto para nós que conseguimos reduzir um pouco a quantidade de gordura saturada ingerida.

A opção da mussarela light funciona muito bem. Entretanto, pessoalmente prefiro o babybel light, queijo francês que vem em formato de bolinha coberto por uma cera vermelha. Nesta receita utilizei 2 babybels de 20g cada. Além de mais saboroso, o babybel derrete melhor e, se analisado detalhadamente, contem menos gordura e menos calorias do que a mussarela light. Melhor impossível, certo?

Manter uma alimentação saudável não precisa significar abrir mão de todos os prazeres da vida, muito menos os da culinária. Com algumas pequenas modificações podemos saborear uma imensidão altamente diversificada de comidas. Basta saber balancear. Se hoje comi um queijo quente de lanche, que tal optar por uma salada reforçada com proteína magra no jantar? Assim podemos comer de tudo sem culpa. O que, alias, é o melhor mesmo para nossa saúde: tudo, mas com moderação.

Por hoje é só.

Bon appetit!