Superando desafios

Hoje começo já confessando uma coisa. Nunca fui muito fã de nhoque. Sim, eu sei, é super clássico, um prato extremamente adorado na Itália e parte das refeições mais tradicionais do País. Aqui em São Paulo tem até o tal do dia do Nhoque, no qual todo dia 29 do mês é dia de comer nhoque para ter muita fortuna nas semanas seguintes.

Meu problema com esse coitado era que sempre achei pesado demais, com muito gosto de batata e nada que me lembrasse uma massa ou macarrão saboroso. Isso até que conheci esta receita que trago para vocês hoje. Não só foi a minha primeira vez fazendo nhoque caseiro (cuja experiência foi super bem sucedida) mas também descobri finalmente uma receita deliciosa e do meu agrado.

Nhoque de mandioquinha com ricota ao sugo e brócolis

Nhoque de mandioquinha com ricota ao sugo e brócolis

200 g de mandioquinha cozida, bem macia
1 gema
5 col. de sopa de farinha de trigo
100 g de ricota
sal a gosto

molho
1/2 lata de tomate pelado
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
100 g de brócolis em floretes
azeite, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Comece cozinhando a mandioquinha em água salgada até ficar bem macia. Deixe esfriar um pouco e junte a mandioquinha com a gema, a farinha e a ricota esfarelada numa tigela. Misture bem com as mãos até formar uma bola homogênea. Se precisar polvilhe com mais um pouco de farinha.
Transfira a massa para uma superfície enfarinhada e divida em quatro partes. Forme tiras longas e finas com cada parte de modo que fiquem como cobrinhas. Corte cada tirinha em pedaços pequenos de aproximadamente 1 centímetro de largura. Repita com o restante da massa.
Ferva 1 L de água e cozinhe o nhoque em porções por 5 minutos ou até que os pedaços subam até a superfície. Escorra e reserve. Repita até terminar tudo.
Para fazer o molho, refogue a cebola e o alho em um fio de azeite até ficarem aromáticos. Despeje metade da lata de tomate e o brócolis. Cozinhe em fogo médio por 5 a 7 minutos ou até ferver bem e reduzir um pouco. Sirva o nhoque regado com o molho de tomate e brócolis.

Não sei se foi o fato de ter ricota ou se realmente prefiro a mandioquinha por achá-la mais leve que a batata inglesa normal, mas esta receita de nhoque ficou absolutamente deliciosa. O melhor é que ele não me deu a sensação pesada que geralmente sentia quando comia nhoque antes.

Resolvi fazer este molho de tomate com brócolis mais suave para acompanhar o nhoque, mas você pode preparar qualquer molho de sua preferência. O mais clássico, e que cai super bem com esta versão, é o de carne moída, ou tradicional bolonhesa. Mas como sou adepta da inovação, aproveite para usar a imaginação e criar receitas diferentes. Que tipo de molho você escolheria para este prato?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Um toque especial

Posso não ter comentado explicitamente, mas acho que já deu para perceber que a grande maioria das receitas que publico aqui não são de minha autoria. Geralmente encontro elas em livros de culinária saudável, resolvo testá-las em casa e quando vejo que dão certo e são gostosas compartilho no blog.

Dito isso, sempre acabo dando um toquezinho diferente nas receitas. São coisas pequenas, mas de vez em quando mudo um ou outro ingrediente (seja por praticidade ou gosto) ou então ajusto a quantidade ou modo de preparo de acordo com as minhas necessidades.

A receita de hoje não é originalmente minha. Mas fiz uma importante modificação já que a maneira como estava sugerida me pareceu que não ia funcionar muito bem. O resultado foi sensacional e acho que não ficou devendo em nada com relação ao modo de preparo descrito no livro. De qualquer maneira, aqui está a versão que eu fiz.

Nhoque de ricota e espinafre

Nhoque de ricota e espinafre

85 g de espinafre
1 dente de alho picado
1/4 de cebola picada
50 g de ricota fresca
1/2 tomate cortado em cubos
sal, pimenta-do-reino, orégano e manjericão a gosto

Modo de preparo:
Pique o espinafre e refogue numa panela antiaderente com a cebola, o alho, sal e pimenta-do-reino. Mexa até murchar e despeje a água que soltar do refogado. Numa tigela, esfarele a ricota com um garfo e misture com o espinafre. Amasse bem com as mãos até formar uma massa homogênea. Faça pequenas bolinhas e reserve.
Leve o tomate picado para uma panela antiaderente e tempere com manjericão e orégano a gosto. Cozinhe em fogo baixo apenas para aquecer e amolecer. Arrume as bolinhas num prato e regue com o molho de tomate por cima. Sirva em seguida.

Na receita original dizia para acrescentar 1 col. de chá de farinha de trigo nas bolinhas e cozinhá-las em água quente por 10 minutos. Entretanto, logo percebi que isso seria impossível pois certamente desmoronariam. E foi o que aconteceu com uma primeira que coloquei como teste.

No fim, resolvi não fazer isso e creio que não fez a menor falta. O sabor deste prato ficou uma maravilha e a combinação ricota, espinafre, tomate, manjericão e orégano é uma que não cansa nunca. Apesar de bastante saudável, esta receita não é exatamente leve nem pouco calórica já que contém uma quantidade considerável de queijo (que mesmo branco tem lá sua dose de gordura).

Entretanto, apreciando com moderação, a ricota é uma ótima fonte de proteína e uma excelente alternativa aos outros queijos amarelos mais gordurosos ainda. Vale a pena deixar-se deliciar com esta iguaria de vez em quando. E se for junto do espinafre, melhor ainda.

Por hoje é só.

Bon appetit!