Para entrar no clima natalino

Começo o mês de dezembro em clima natalino. Não prometo ter apenas receitas temáticas no blog neste fim de ano, mas com certeza algumas vão ser especiais para incluir nas ceias de natal e ano novo. E na verdade, esta receita de hoje nem é de natal exatamente e sim ótima para fazer no reveillon. Mas garanto que cai super bem na ceia do dia 24 também.

Tipicamente servidos na virada do ano, pratos feitos à base de lentilhas são sempre divinos. O único porém é ter que pré cozinhar essas deliciosas leguminosas para poder acrescentá-las a pratos como saladas ou fazer caldos ou sopas. Entretanto, meu faro de quem mora sozinha e busca facilidades na cozinha diariamente descobriu uma ótima alternativa.

A marca Camil tem uma coleção de produtos que já vem prontos em conserva, como feijões, lentilhas, soja e grão de bico. Já comprei o pacote de feijão branco e gostei tanto que dessa vez resolvi testar o de lentilha. Ambos são deliciosos e valem super a pena para economizar um pouco de mão de obra na cozinha.

Tenho apenas uma dica, como eles vem em conserva trazem junto aquela água carregada de sódio. O ideal é passar a lentilha ou o feijão em água corrente por alguns segundos para lavar bem e depois deixar escorrer um pouco antes de consumir. Assim é possível tirar um pouco do excesso de sal e o coração agradece.

Salda de lentilha e frango defumado

Salada de lentilha e frango defumado

80 g de lentilha cozida e escorrida
100 g de tomate picado
100 g de pimentão verde picado
1/2 cebola roxa picada
2 col. de sopa de vinagre balsâmico
1 col. de sopa de azeite
80 g de frango defumado desfiado (ou peito de frango defumado picado)
1 col. de sopa de queijo cottage
50 g de palmito pupunha fresco desfiado
pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, junte a lentilha já cozida, escorrida e seca com o tomate, o pimentão e a cebola. Acrescente o vinagre balsâmico e o azeite e mexa bem. Reserve.
Num outro recipiente, misture o frango defumado desfiado com o queijo cottage até obter uma espécie de pasta semi-homogênea. Reserve.

montagem
Para montar a salada, coloque metade da mistura de lentilhas com os vegetais numa forma refrataria ou recipiente de vidro. Em seguida, faça uma camada com toda a pasta de frango e cottage. Despeje o restante da lentilha em outra camada e por fim decore com o palmito desfiado. Salpique pimenta-do-reino a gosto e sirva com torradas integrais.

O palmito pupunha fresco pode ser encontrado em qualquer supermercado. Ele vem em três versões: inteiro, cortado em rodelas como carpaccio ou desfiado. Nada melhor do que comprar o que já vem desfiado e não ter mais esse trabalho na hora de preparar o prato.

Com relação ao frango defumado, o melhor mesmo é comprar o frango inteiro e abri-lo tirando a pele para desfiar a carne. Entretanto, como estava preparando só para mim e não queria comprar um frango inteiro de 400 g resolvi comprar peito de frango defumado em fatias mesmo e picá-las antes de misturar com o cottage. Funciona perfeitamente.

Por fim, o cottage pode ser substituído por ricota se você preferir um recheio mais soltinho na salada. Como preferi fazer uma espécie de pasta com o frango, optei pelo cottage que dá uma consistência mais pastosa quando misturado com a carne. Mas ambos tornam a receita deliciosa.

Por hoje é só.

Bom appetit!

Leveza versátil

A necessidade de incluir no cardápio diário várias porções de legumes e vegetais para manter uma alimentação saudável implica na busca constante por receitas que deixem esses pratos mais apetitosos. Isso porque ninguém aguenta viver de legumes cozidos no vapor por muito tempo. Não há quem não enjoe rapidinho.

A minha sorte é que existem inúmeras maneiras de se preparar qualquer acompanhamento de vegetais para compor perfeitamente um prato saboroso e ainda por cima extremamente saudável. Na maioria das vezes evito comer suflês, pois a combinação leite, ovo e farinha pode ser bastante calórica. Mas a receita que testei hoje ficou tão levinha que não tinha como deixar passar. Confira.

Suflê de brócolis e palmito

Suflê de brócolis e palmito

100 g de brócolis lavado e cortado em ramos
50 g de palmito picado em conserva
1/2 cebola picada
1 dente de alho picado
10 ml de leite desnatado
1 col. de sobremesa rasa de farinha de trigo
1 ovo batido
sal a gosto

Modo de preparo:
Em uma panela antiaderente, refogue a cebola e o alho com um pouco de água para não queimar. Quando estiverem macios, junte o brócolis e o palmito. Acrescente um pouco de água (aproximadamente 20 ml) para auxiliar enquanto os legumes são refogados. Tempere com sal a gosto e cozinhe por 10 minutos até ficarem al dente e a água evaporar completamente. Reserve e deixe esfriar.
Dissolva a farinha no leite desnatado, mexendo bem para não “empelotar”. Acrescente o ovo batido e os legumes já em temperatura ambiente e leve ao multiprocessador. Bata tudo até obter um creme homogêneo. Transfira a mistura para duas forminhas tipo ramekin e leve ao forno médio (200ºC) pré-aquecido por 20 minutos até dourar. Deixe descansar alguns minutos antes de desenformar e servir.

Rende 2 porções.

Nunca provei um suflê tão fofo e leve quanto esse. A melhor parte é a facilidade com a qual um simples brócolis cozido pode ser transformado num acompanhamento sofisticado e capaz de incrementar qualquer carne grelhada.

A quantidade sugerida aqui rende duas porções se a intenção for comer como acompanhamento no almoço. Entretanto, como o volume total preparado não é muito grande, vale também saborear a receita completa como jantar acompanhada de uma bela salada.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Abrindo a mente

Quem disse que vegetariano não pode saborear um belo hambúrguer? E quem disse que carnívoros também não podem se aventurar pelas ondas vegetarianas de vez em quando?

Eu adoro carne e incluo na minha dieta diariamente uma porção de proteína animal magra (carne branca tipo peixe ou frango) e pelo menos duas vezes por semana como uma porção de carne vermelha magra (filé mignon, coxão mole, maminha, alcatra etc.) que é uma fonte importantíssima de ferro para o organismo.

Entretanto, vez ou outra adoro me aventurar pelos mundos vegetarianos para saborear uma bela refeição que não tenha proteína animal. (Só para deixar claro, neste caso não chego a ser radical e não excluo ovos, leite ou queijo dos meus pratos “vegetarianos”.) Sempre tive curiosidade de experimentar um hambúrguer vegetariano, e desta vez resolvi testar uma receita de hambúrguer de palmito super interessante que achei. O resultado ficou fantástico!

Hambúrguer especial de palmito

Hambúrguer especial de palmito

150 g de palmito picado em conserva
25 g de pimentão vermelho picado
2 col. de sopa de cebola picada
1 col. de sopa de mostarda
2 col. de sopa rasas de farinha de rosca
1 col. de sopa rasa de farinha de maracujá
1 ovo
sal, pimenta-do-reino e salsinha picada a gosto

Modo de preparo:
Pique bem o palmito em conserva (mesmo comprando o que já vem picado, é bom deixá-lo ainda menor). Em uma tigela, misture o palmito com a cebola e o pimentão. Acrescente a mostarda e tempere com sal, pimenta e salsinha a gosto. Adicione as farinhas e mexa bem com uma colher. Por fim, acrescente o ovo batido e misture com as mãos até formar uma massa homogênea.
Divida a massa em 3 ou 4 partes e molde os hambúrgueres. Leve à geladeira por 30 minutos antes de assar. Pré-aqueça o forno em 200ºC e coloque os hambúrgueres para assar numa forma refratária antiaderente até dourarem (aproximadamente 25 a 30 minutos). Sirva em seguida.

A primeira vista pode parecer estranha a receita, mas prometo que ficou uma delícia! Nas instruções iniciais, não dizia para acrescentar a farinha de maracujá. Entretanto, quando coloquei as duas col. de sopa de farinha de rosca achei que não tinha dado liga suficiente e resolvi colocar mais uma col. de sopa rasa da farinha da casca de maracujá tão fantástica que comprei para fazer o peixe empanado.

Para mim, o resultado ficou sensacional e a col. de sopa de farinha a mais não deixou os hambúrgueres massentos. A consistência ficou perfeita e o sabor, por mais inusitado e diferente de qualquer coisa que já tenha provado, foi divino. Por já ter sua dose de carboidrato provenientes das farinhas, uma boa pedida para acompanhar este hambúrguer é uma salada leve de folhas verdes com tomate.

No fim acho que vale a pena aventurar-nos de vez em quando em pratos que normalmente não comeríamos. Sem querer podemos esbarrar em algo sensacional que jamais pensaríamos em provar como aconteceu comigo hoje. Recomendo!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Quanto mais simples, melhor

Quando moramos sozinhos, as vezes o que mais buscamos na hora de preparar um prato é praticidade e facilidade. Mas encontrar algo que seja rápido e saboroso e dê apenas para uma pessoa pode ser complicado. Por isso, nada melhor do que deparar-se com uma única receita que cumpre com todas as exigências de uma alimentação balanceada. E mais, que seja deliciosa.

Para o meu almoço de hoje resolvi testar uma receita que encontrei na revista Cozinha Caseira Light. São várias em cada edição e todas super práticas e simples de fazer. O único problema é a quantidade de rendimento de cada prato. Mas fiz adaptações pequenas e cortei pela metade a porção de cada ingrediente para que desse só para mim mesmo. No fim, fiquei extremamente satisfeita com o resultado.

Arroz de forno

Arroz de forno

1/2 xíc. de chá de arroz integral cru
80 g de coxão mole picado (ou moído)
1 tablete de caldo de legumes
1/2 vidro de palmito picado
3 col. de sopa de milho verde em conserva
3 col. de sopa de cenoura em tirinhas
5 azeitonas verdes picadas
1 col. de chá de margarina light
sal, pimenta-do-reino e salsinha picada a gosto

Modo de preparo:
Unte um refratário com a margarina. Tempere a carne com sal e pimenta-do-reino a gosto. Misture todos os ingredientes dentro do refratário. Ferva 500 ml de água e dissolva o caldo de legumes. Acrescente o caldo ao refratário e leve ao forno médio (210ºC) por aproximadamente 1 hora. Certifique-se de que o arroz esteja bem cozido e a água tenha evaporado por completo. Salpique salsinha e pimenta-do-reino a gosto e sirva a seguir.

Rende de 2 a 3 porções.

Eu simplesmente amei esta receita. Ela é muito prática, super fácil de fazer, não gasta muito e, o melhor, não tem muita louça para lavar no fim. Isso sem contar que você pode substituir os acompanhamentos por qualquer coisa. Em vez de carne, pode usar frango. Em vez de milho, pode usar ervilha. Em vez de cenoura, vagem. Em vez de palmito, aspargos. As possibilidades são infinitas.

No fim, este arroz de forno não deixa de ser uma versão mais light do tradicional yakimeshi chinês. Ou seja, arroz misturado com carne e legumes. A diferença é que na versão oriental ele é frito e temperado com shoyu. Aqui, por ser assado no forno, reduz enormemente o valor calórico e a quantidade de gordura ingerida. E nada impede que você tempere com um pouco de shoyu antes de servir para dar aquele toque oriental ao prato.

Por hoje é só.

Bon appetit!