Um arco-íris no prato

Desde que aprendi a preparar almôndegas caseiras e vi o quão fáceis são de fazer tenho preparado bastante para almoçar. Além de ser uma opção super saudável de incluir carne vermelha na alimentação, as almôndegas permitem uma infinidade de molhos diferentes e saborosos como acompanhamento.

Como busco sempre incluir uma boa dose de legumes e verduras junto com o resto da refeição achei perfeita esta receita de almôndegas ao molho de pimentões tricolores. Já imaginava que o resultado final ficaria divinamente delicioso mas pensei que incluir as três cores de pimentões no prato também o deixaria colorido e bonito. Estava certa.

Almôndegas com pimentões tricolores

Almôndegas com pimentões tricolores

50 g de pimentão vermelho
50 g de pimentão verde
50 g de pimentão amarelo
300 ml de caldo de carne
100 g de coxão mole moído
50 g de cebola picada
1 dente de alho picado
1/2 clara
1/2 fatia de pão integral
1/2 col. de sopa de farinha de trigo
15 ml de água
5 ml de vinagre de vinho branco
manjericão, orégano, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Corte os pimentões em tiras finas. Ferva o caldo de carne e acrescente os pimentões. Deixe cozinhar por 10 minutos em fogo baixo mantendo uma leve fervura até que os legumes fiquem macios mas não tenham se desmanchado.
Enquanto isso, prepare as almôndegas. Junte numa tigela a carne moída, a cebola e o alho picados, 1/2 clara de ovo e 1/2 fatia de pão integral triturada. Tempere com sal e pimenta a gosto e misture tudo com as mãos até formar uma bola. Tire pequenos pedaços e molde as almôndegas. Com esta quantidade é possível fazer de 7 a 9 almôndegas pequenas.
Unte uma forma refratária antiaderente com um fio de azeite e arrume as almôndegas. Leve para assar em forno pré-aquecido em 220˚C por 30 minutos ou até que fiquem completamente cozidas. Vire as almôndegas na metade do tempo para que assem de maneira uniforme.
Enquanto as almôndegas assam, termine de preparar o molho. Junte 1/2 col. de sopa de farinha de trigo com 15 ml de água numa tigela e mexa bem para que fique completamente homogêneo. Despeje a mistura na panela com o caldo de carne e os pimentões e cozinhe mexendo constantemente até engrossar e reduzir um pouco (de 3 a 5 minutos). Acrescente o vinagre de vinho branco e o manjericão e orégano frescos a gosto. Desligue o fogo e tampe para manter o caldo aquecido enquanto as almôndegas terminam de assar.
Na hora de servir, regue as almôndegas com o molho de pimentões. Sirva acompanhado de polenta cremosa ou arroz integral.

Apesar de parecer trabalhosa, a receita fica pronta em aproximadamente 45 minutos, dependendo apenas do tempo que demora para as almôndegas assarem por completo. O sabor final também compensa a demora já que a combinação dos três pimentões com as almôndegas assadas e regadas no delicioso molho de carne fica divino.

Ao invés de assá-las no forno você pode também fritá-las levemente numa frigideira antiaderente untada com um fio de azeite por alguns minutos e depois terminar de cozinhá-las junto com o caldo de pimentões. Desta forma elas acabam cozinhando mais rápido. Entretanto, eu optei por assá-las no forno já que é a maneira mais saudável de prepará-las por não utilizar quase óleo nem gordura.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sabores naturais

Em dias quentes de verão, nada melhor do que um lanche leve e saudável para saborear à tarde ou no jantar. Sanduíches naturais combinados com sucos de frutas ou vitaminas são ótimos pois trazem vitaminas e minerais sem acrescentar muita gordura ou calorias à refeição.

Melhor ainda é quando preparamos estes lanches super saborosos em casa. Quanto mais natural e menos processado o sanduíche, melhor para a sua alimentação. Com isso, trago uma opção totalmente feita em casa de sanduíche natural de sardinha. Desta vez optei por assar a sardinha em casa mesmo e não usar a versão em lata. Ficou uma delícia.

Sanduíche natural de sardinha assada

Sanduíche natural de sardinha assada

1 sardinha fresca limpa e aberta ao meio
2 fatias de pão integral light
4 folhas de escarola (ou alface lisa)
4 azeitonas verdes sem caroço fatiadas
2 col. de sopa de cenoura ralada
1 col. de sopa de requeijão light
1 col. de sopa de mostarda escura

Modo de preparo:
Pincele a sardinha com azeite e tempere com sal e pimenta a gosto. Leve para assar numa forma refratária antiaderente de 12 a 15 minutos em forno médio (200˚C).
Passe o requeijão e a mostarda nas fatias de pão integral. Eu gosto de passar um em cada fatia, mas você pode misturar os dois em cada fatia se preferir. Arrume as folhas de escarola, a cenoura ralada e as azeitonas fatiadas em uma fatia. Coloque a sardinha assada por cima e feche com a outra fatia. Corte ao meio e sirva em seguida.

Sardinhas frescas são fontes super práticas de gorduras boas provenientes dos peixes. Você pode encontrá-las num bom supermercado ou feira. Peça para o peixeiro cortá-las ao meio para que fiquem abertas como uma borboleta e limpá-las para retirar a cabeça e o miolo.

Há quem não goste muito de sardinhas assadas assim pois elas têm bastante espinha. Entretanto, por serem pequenas, elas podem ser comidas sem maiores preocupações. Caso não queira correr nenhum risco, pode desfiar a sardinha depois de assada e preparar uma pasta com o requeijão e a mostarda para passar no pão. Também fica uma delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Tentando de novo

Estou sempre em busca de novidades para testar na cozinha. As vezes não procuro um prato em si ou uma receita completa e sofisticada. Em muitas ocasiões apenas molhos diferentes já trazem um toque especial e inovador ao almoço diário e conseguem transformar uma simples refeição em algo espetacular.

Desde que vi uma primeira receita de molho de hortelã encasquetei em testá-la e conseguir reproduzir aquilo que pensava seria uma experiência gastronômica divina. Como compartilhei aqui no comecinho do blog, minha primeira tentativa não foi lá muito bem sucedida. Dia desses, então, resolvi testar outra opção de molho de hortelã, bem diferente daquele.

Filé grelhado ao molho de hortelã

Filé grelhado ao molho de hortelã

1 pedaço médio de filé magro
1 fatia de pão integral
2 maços de hortelã fresco
2 col. de sobremesa de azeite
1 col. de sobremesa de vinagre de vinho branco
40 ml de água
1 dente de alho picado
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Rasgue a fatia de pão e coloque num multiprocessador. Acrescente as folhas de hortelã, o azeite, o vinagre e o alho. Triture até ficar homogêneo. Coloque a água aos poucos até atingir a consistência desejada. Reserve.
Tempere o filé com sal e pimenta a gosto. Aqueça uma grelha elétrica em temperatura alta e grelhe o filé por aproximadamente 5 minutos (ou até o ponto desejado). Sirva com o molho regado por cima.

Certamente este molho de hortelã ficou bem mais saboroso do que o primeiro que tentei fazer. Uma das razões é bem simples e diz respeito mais às minhas habilidades como cozinheira do que às receitas em si. Desta vez não exagerei na quantidade de hortelã acrescentada à receita o que fez com que o sabor ficasse bem mais delicado e gostoso.

Entretanto, continuo achando que deve existir uma receita melhor de molho de hortelã por aí. Esta que preparei para este preto ficou um pouco massenta demais, culpa talvez de uma quantidade muito grande de pão indicada nos ingredientes. Dito tudo isso, o sabor não ficou de todo ruim. Alias, deu para apreciar bastante esta minha nova aventura. Quem sabe você não consegue melhorar ainda mais o molho com seu toque pessoal? Aproveite para compartilhar suas dicas também nos comentários.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Um pedacinho da Itália na sua casa

A culinária italiana realmente tem uma variedade incrível de pratos absolutamente deliciosos. O único problema são as porções exuberantes de macarrões regados com molhos altamente gordurosos que são servidas nos restaurantes mais tradicionais. Por isso mesmo, a melhor forma de saborear essas delícias da península são no aconchego da sua casa.

Minha sugestão de hoje é um belo polpetone recheado e regado com molho de tomate. Para quem não conhece, o polpetone nada mais é do que uma almôndega gigante que pode ser recheada com os mais diversos ingredientes. A versão tradicional inclui muçarela e presunto. Já na receita que testei (e super aprovei!), o recheio foi trocado para transformar o prato numa versão mais light. E digo sem sombra de dúvidas, ficou sensacional!

Polpetone recheado com queijo minas frescal e espinafre

Polpetone regado com molho de tomate

150 g de carne magra moída (ex. contra filé, coxão mole, alcatra, patinho etc.)
1 fatia de pão de forma integral light
1/2 cebola ralada
1 dente de alho ralado
60 g de queijo minas frescal light
100 g de folhas de espinafre cozidas
1 clara
1 col. de sopa de cebolinha picada
1 col. de sopa de salsinha
1/2 lata de tomate pelado
sal e orégano a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, hidrate a fatia de pão integral em 100 ml de água. Escorra a água, esprema bem e reserve. Em outra tigela, junte a carne moída, a cebola, o alho, a cebolinha, a salsinha, a fatia de pão hidratada e a clara. Tempere com sal a gosto e misture bem até ficar uma massa lisa e homogênea.
Divida a massa em 2 porções e forme bolinhos. Achate um dos bolinhos e coloque o queijo minas picado e o espinafre pré-cozido no meio. Feche a massa modelando em forma de polpetone. Certifique-se de que todo o recheio foi coberto. Repita o procedimento com o restante da massa.
Coloque os polpetones numa assadeira antiaderente e leve para assar em forno médio (210ºC) por 30 minutos. Vire na metade do tempo para assarem de maneira uniforme.
Para o molho, despeje 1/2 lata de tomates pelados numa panela antiaderente. Tempere com sal e orégano a gosto e cozinhe por 5 minutos mexendo bem para não queimar. Sirva os polpetones regados com o molho.

Rende 2 porções.

Polpetone recheado com queijo minas frescal e espinafre

Confesso que foi minha primeira vez fazendo polpetones (ou mesmo almôndegas, diga-se) então estava um pouco nervosa para saber se ia dar conta. No fim, deu super certo e o prato ficou uma delícia. Na receita original, o recheio do polpetone incluía apenas o queijo minas frescal. Entretanto, resolvi acrescentar o espinafre para encrementar um pouco mais.

De qualquer forma, como disse antes, o polpetone é um prato extremamente versátil que aceita diversos recheios diferentes. Se você preferir ficar no tradicional uma pequena variação usando muçarela light e peito de peru ao invés de presunto já ajuda a emagrecer um pouco a receita.

Outra opção é rechear a carne com vegetais como cenoura, pimentão vermelho e abobrinha cortados em cubinhos. Também fica sensacional. Como sempre, deixe sua imaginação voar e escolha ingredientes que agradem o seu paladar. Comer um belo prato com prazer não tem igual.

Por hoje é só.

Bon appetit!