Começando de leve

Hoje é um dia muito especial: meu aniversário! Sim, sou daquelas pessoas que AMA comemorar o aniversário, ADORA receber presentes e ser paparicada. Afinal, é só um dia no ano, não é mesmo? Nada melhor do que juntar as pessoas amadas nesses dias e fazer uma grande festa com bastante comida e bebida boa.

E para comemorar com vocês começo o dia com um docinho bem light e saudável para ir esquentando o clima. Sim, porque para quem vai “chutar o pau da barraca”, como diz minha mãe, na festa de hoje à noite, tem que começar de leve para não correr o risco de despirocar total.

Musse de iogurte de chocolate

Musse de iogurte de chocolate

1 pote de iogurte natural desnatado
1 col. de sopa de cacau em pó
1 col. de sopa de mel

Modo de preparo:
Despeje o iogurte natural numa tigela. Acrescente o cacau em pó e o mel e mexa bem para que fique tudo completamente homogêneo. Se quiser, acrescente framboesas ou mirtílos por cima da musse para decorar. Fica uma delícia!

A receita é absurdamente simples e funciona super bem como uma sobremesa leve depois do almoço ou mesmo como um lanchinho esperto no meio da tarde. Seja como for que você escolha saborear esta receita, a quantidade de mel acrescentada fica ao critério de cada um. Se preferir mais docinho, pode colocar mais.

O mesmo vale para o cacau em pó. Como gosto bastante do sabor intenso do cacau puro, ou seja, sem ser adoçado, optei por fazer essa combinação de quantidades. Assim, obtive um adocicado leve do mel mas o sabor que sobressaiu foi do delicioso cacau em pó de primeira qualidade. Ficou absolutamente divino!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Combinações surpreendentes

Recentemente descobri as maravilhas da batata doce. Além de ser uma ótima fonte de carboidratos, ela contem diversas vitaminas e minerais essenciais para termos uma alimentação saudável. Sua versatilidade permite que seja saboreada assada, cozida ou até em forma de purês e como ingrediente base de doces e pães deliciosos.

Outra vantagem deste tubérculo saboroso é que, apesar de não ser um carboidrato complexo, o índice glicêmico da batata doce é menor do que o do arroz branco ou o da batata inglesa comum. Com isso, os picos de glicose no sangue são reduzidos e a sensação de fome nada agradável que surge pouco tempo depois de almoçar demora para aparecer.

Purê de batata doce com leite de coco

Purê de batata doce com leite de coco

150 g de batata doce
45 ml de leite de coco light
sal e gengibre em pó a gosto
folhas de coentro para decorar

Modo de preparo:
Ferva 500 ml de água. Descasque a batata e corte em cubos. Coloque para cozinhar na água fervente e deixe por 20 minutos ou até que fique bem macia.
Escorra a água e despeje os pedaços de batata numa tigela. Com o auxílio de um garfo, amasse bem os cubos para que comece a formar um purê. Junte o leite de coco e tempere com sal e gengibre em pó a gosto. Sirva de acompanhamento de um belo filé mignon e decore com folhas de coentro.

Achei esta receita num dos sites de culinária americana que visito diariamente. Na versão original, a batata utilizada era a de cor alaranjada. O problema é que até então eu não sabia que existiam tantas variedades de batata doce. Quando fui procurar a batata doce no supermercado encontrei apenas a com casca rosada que é branca por dentro. Apesar de achar a alaranjada mais bonita, aposto que o sabor não deve ser muito diferente.

O que me chamou a atenção nesta receita foi a combinação deliciosa e surpreendente da batata doce com o leite de coco e o gengibre em pó. Com toques que lembram a culinária tailandesa, este prato ficou absolutamente divino e caiu super bem como acompanhamento do frango assado que fiz no mesmo dia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Delícias saudáveis

Depois da primeira tentativa bem sucedida na qual fiz mini muffins de cacau com chocolate amargo, resolvi testar outra receita destes docinhos miniatura tipicamente norte-americanos. Desta vez optei por uma receita um pouco mais saudável já que leva na sua composição farinha de trigo integral e bananas.

O gostoso de preparar estes bolinhos é a grande versatilidade e enormidade de sabores possíveis. São tantas receitas existentes que dá vontade de testar uma diferente a cada dia. Como adoro fazer sobremesas de frutas, escolhi esta de banana para experimentar. O melhor é que eles também servem perfeitamente de café da manhã especial num domingo qualquer.

Mini muffin integral de banana

Mini muffin integral de banana

12 col. de sopa cheias de farinha de trigo integral
4 col. de sopa cheias de farinha de trigo branca
1 col. de sobremesa de fermento em pó
1 col. de chá de canela em pó
1 pitada de sal
1 1/2 banana prata madura amassada com um garfo
1 ovo
6 col. de sopa de açúcar mascavo
40 ml de leite semidesnatado
1 1/2 col. de sopa de margarina light sem sal
1 col. de chá de essência de baunilha

Modo de preparo:
Numa tigela, misture as farinhas, o fermento, a canela e o sal. Misture delicadamente com uma colher para juntar todos os ingredientes.
Em outra tigela, junte o ovo levemente batido com um garfo, as bananas amassadas e a margarina em temperatura ambiente. Acrescente o açúcar, o leite desnatado e a essência de baunilha e mexa bem com um garfo até que fique bem homogêneo.
Abra um buraco no centro dos ingredientes secos e despeje a mistura de banana mexendo delicadamente com o garfo. Misture apenas até ficar tudo incorporado. Cuidado para não bater demais para que os muffins não fiquem duros.
Unte uma forma antiaderente de 12 mini muffins com um pingo de azeite em cada potinho. Despeje aproximadamente 1 col. de sopa da massa em cada recipiente até dividir completamente por todos os 12. Asse em forno pré-aquecido em 190˚C por 18 minutos ou até que um palito enfiado no meio saia limpo. Deixe esfriar por 5 minutos, desenforme e sirva como lanchinho acompanhado de uma xícara de café ou chá.

Rende 12 mini muffins.

Estes mini muffins podem até não parecer tão apetitosos à primeira vista quanto os outros que preparei. Entretanto, não canso de repetir que as aparências enganam. Absolutamente divinos, estes bolinhos integrais de banana tem uma grande vantagem já que realmente são mais saudáveis que os outros. Além disso, seu sabor é tão delicioso quanto qualquer outra sobremesa que já tenha feito.

Outra vantagem desta receita é a possibilidade de congelar os muffins depois de prontos. Para fazer isso, basta lembrar de deixá-los esfriarem antes de guardar num recipiente hermeticamente fechado no freezer. Quando quiser saboreá-los novamente, deixe descongelando na geladeira de um dia para o outro ou por algumas horas em temperatura ambiente.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para juntar a galera

Ontem à tarde me deu uma vontade louca de inaugurar minha forma de mini muffins que comprei na minha última viagem aos Estados Unidos. O problema disso é que como moro sozinha fazer 12 mini muffins só para mim acaba sendo uma tentação absurda. Não teria como não acabar comendo tudo.

Para reverter a situação, nada melhor do que chamar pessoas amadas para saborear a delícia junto com você. Melhor ainda, estes mini muffins são uma ótima desculpa para juntar todo mundo e saborear um delicioso pote de café ou chá num singelo lanchinho da tarde.

Mini muffins de cacau com chocolate amargo

Mini muffins de cacau com chocolate amargo

14 col. de sopa de farinha de trigo
1/4 de xíc. de chá de açúcar mascavo
2 col. de sopa de cacau em pó sem açúcar
1/2 col. de chá de fermento em pó
1/2 col. de chá de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
120 ml de água
1/2 col. de sobremesa de essência de baunilha
1/2 col. de sopa de vinagre de vinho branco
30 g de chocolate amargo (70% cacau ou mais)
30 ml de óleo de canola
1 clara

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno a 200˚C. Unte uma forma refratária de mini cupcakes com 12 unidades com um pouco de azeite. Reserve. Quebre o chocolate amargo em quadradinhos pequenos e reserve.
Numa tigela, misture os ingredientes secos (da farinha até o sal) e misture delicadamente com uma colher até ficar homogêneo. Em outra tigela, junte os demais ingredientes (menos o chocolate amargo) e bata ligeiramente com um garfo até misturar completamente.
Abra um buraco no meio da tigela com os ingredientes secos e derrame a mistura de óleo, água e a clara. Comece a mexer com cuidado com o auxílio de uma colher ou garfo até que fique tudo bem misturado. Cuidado para não mexer demais se não os muffins podem ficar duros. Acrescente 2/3 do chocolate picado e misture à massa.
Divida a massa entre os 12 recipientes da forma de mini muffins até que todos fiquem cheios. Pegue o resto do chocolate picado e coloque um pedacinho por cima de cada muffin. Leve para assar de 8 a 9 minutos ou até que um palito enfiado no meio saia limpo. Sirva como acompanhamento de uma bela xícara de chá ou café como lanche da tarde.

Rende 12 mini muffins.

Não há palavras para descrever a delícia que ficaram estes mini muffins. Absurdamente fofinhos e macios, eles derretem na boca e levam o sabor espetacular do cacau a um patamar nunca antes atingido. A receita original era para fazer 12 muffins do tamanho normal. Entretanto, como a minha forma era de mini muffins, dividi a receita ao meio e fiz 12 do tamanho pequeno.

Caso você queira preparar estas delícias do tamanho tradicional, esta quantidade indicada rende 6. Para fazer 12, apenas dobre os ingredientes. E neste caso, não se esqueça de aumentar o tempo de forno para 15 minutos, aproximadamente. Mas vamos combinar, os pequenininhos são muito mais fofos e, por serem mini, podemos comer mais de um sem culpa. Melhor impossível, não é?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Misturas práticas

De volta à rotina, segunda-feira é dia de preparar algo mais leve para compensar a comilança do final de semana. Neste caso, o estrago com certeza foi ainda maior já que ontem era o dia internacional de se atracar no chocolate. Espero que tenham se contido um pouco, né? Até porque mesmo coisas boas em quantidades absurdas nunca fazem bem para nossa saúde.

E já que os últimos três dias também com certeza foram intensos na cozinha, que tal preparar algo simples e que suje pouca coisa para lavar depois? Refeições de um prato só são uma ótima pedida para estes casos e esta em especial ficou tão saborosa que tenho certeza todos vão aprovar na primeira garfada.

Cubos de frango ao misso com arroz preto

Cubos de frango ao misso com arroz preto

1 peito de frango médio
1 col. de sopa de misso (pasta de soja)
1 dente de alho
1 col. de sobremesa de gengibre em pó
1/2 cebola pequena picada
1 col. de chá de molho de peixe tailandês
3 col. de sopa cheias de arroz preto já pronto
100 g de shitake fresco fatiado
1 col. de sopa de cebolinha picada
100 g de espinafre fatiado
2 claras
salsinha e shoyu a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, misture o misso com o dente de alho amassado e o gengibre em pó. Passe toda a mistura em volta do frango para que fique bem coberto. Enrole o peito de frango com papel filme com força até ficar bem fechado e apertado. Cozinhe numa panela à vapor durante 20 minutos certificando-se de que a água na parte de baixo não esteja tocando a panela de cima. Reserve o frango e o molho que se formou dentro do plástico.
Aqueça uma panela wok e despeje o molho de peixe, a cebola, o espinafre e o shitake. Mexa até começar a murchar. Junte o frango cozido cortado em pedaços e o molho reservado que se formou dentro do papel filme do cozimento do frango. Mexa até ficar quase pronto. Por fim junte o arroz já cozido, a cebolinha, as 2 claras e o shoyu a gosto. Mexa até que as claras estejam cozidas. Salpique salsinha a gosto e sirva a seguir.

Na receita original a sugestão era fazer com arroz integral tradicional. Entretanto, como já tinha arroz preto feito em casa resolvi usar os restos para não ter que me preocupar em fazer mais isso para o almoço. Da mesma forma, você pode aproveitar o arroz que tiver pronto em casa que sobrou do almoço de ontem. Facilita bastante a vida.

Caso queira preparar algum arroz novo para fazer esta receita, o integral é mesmo a melhor opção. No meu caso, como utilizei o arroz preto ele acabou manchando todo o prato com sua cor característica. O sabor ficou delicioso, mas confesso que a aparência meio “suja” pode ter deixado o prato menos apetitoso. Mas é apenas impressão, viu? Garanto que no fim ficou uma delícia!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Alternativas crocantes

Além de hoje ser domingo, é páscoa! Com isso, não tinha outra possibilidade se não colocar uma receita deliciosa e absolutamente achocolatada. Afinal, PÁSCOA = CHOCOLATE! E para quem também se assustou profundamente com os preços dos ovos de páscoa este ano, não precisa ficar preocupado. Esta receita que trago hoje é bem mais barata, rende bastante e fica uma DELÍCIA!

Sempre quis me aventurar em receitas mais elaboradas que demandam um pouco mais de técnica e sofisticação. Como hoje é uma data comemorativa especial, resolvi unir o útil ao agradável e aproveitar a ocasião para testar meus dotes culinários mais a fundo. O resultado foi impressionante. E posso dizer com orgulho que deu tudo certo. Não poderia estar mais feliz.

Biscoito italiano “biscotti” de cacau com chocolate

Biscoito italiano "biscotti" de cacau com chocolate

1 1/2 xíc. de chá de farinha de trigo
1 xíc. de chá de açúcar
1/2 xíc. de chá de cacau em pó sem açúcar
1 col. de chá de pó de café instantâneo
50 g de chocolate meio amargo 70% cacau picado (ou gotinhas de chocolate meio amargo)
1/2 col. de chá de fermento em pó
1/2 col. de chá de bicarbonato de sódio
1/2 col. de chá de sal
1 col. de chá de essência de baunilha
2 ovos
1 clara

Modo de preparo:
Numa tigela, misture os primeiros 8 ingredientes (até o sal) e mexa delicadamente com uma colher até ficar homogêneo. Sempre que se prepara receitas com bicarbonato não se deve mexer demais para não perder sua elasticidade e poder de crescimento.
Em outra tigela, misture os ovos com a clara e a essência de baunilha. Mexa bem com um garfo até ficar bem homogêneo. Vá acrescentando a mistura dos ovos aos poucos aos ingredientes secos. Comece a misturar delicadamente com um batedor de ovo. Mexa bem, sempre com cuidado, até que tudo fique bem homogêneo. A mistura ficará bastante pegajosa. Caso seja necessário, ajude a mexer também com uma colher de pau.
Com as mão esfarinhadas, termine de misturar a massa e divida em duas partes iguais. Faça um rolo com uma das metades e achate levemente até ficar com aproximadamente 30 centímetros de comprimento e 1 centímetro de altura. Repita com a segunda metade da massa. Coloque para assar numa assadeira antiaderente coberta com papel manteiga untado com um pouco de óleo de canola ou azeite.
Asse em forno pré-aquecido em 175˚C por 22 minutos. Retire do forno e deixe esfriar durante 10 minutos numa superfície fria e lisa. Corte os rolos em biscoitos de aproximadamente 1 centímetro de largura. Arrume os biscoitos em pé na assadeira e volte ao forno agora em 165˚C e asse durante 15 minutos. Retire e deixe esfriar completamente. Sirva com café ou chá no lanche da tarde.

Rende 36 biscoitos.

Não vou mentir, a receita dá um pouco de trabalho, mas o gostinho de chocolate absurdamente crocante faz todo o esforço valer a pena. Tipicamente italiano, estes biscottis podem ser feitos de diversos sabores. Escolhi esta receita para testar hoje justamente por ser tema indispensável na páscoa.

E para quem ficou preocupado com os ingredientes nada light destes biscoitos acredite, eles são uma versão mais saudável do que outras receitas que encontrei por aí já que eles não levam óleo e têm bem pouca gordura na sua composição.

Mas como hoje é páscoa e é uma data especial, uma leve escapulida não faz mal a ninguém. Aproveite que estes biscoitos são feitos de chocolate amargo e possuem os benefícios do cacau em pó e saboreie junto com a família com gosto.

Por hoje é só.

Bon appetit!

É tempo de comemorar

Hoje é um dia especial para mim. Meu querido filho, este blog que venho cultivando com carinho diariamente desde outubro, está completando seis meses de vida! E só tenho que agradecer todos vocês que vem me acompanhando nessa viagem gastronômica e terapêutica na cozinha. Sem o apoio e incentivo diário não teria durado tanto nem seria tão prazeroso para mim. Muito obrigada mesmo!

E para comemorar, uma delícia da minha categoria preferida: os peixes! Sou apaixonada por peixes. Salmão, bacalhau, sardinha, cação, linguado, namorado. Cada um tem seu lugar, sabor e característica especial. A enorme variedade desses animais marítimos nos permite criar diversas receitas deliciosas para saborear no dia a dia.

Steak de atum com vegetais grelhados

Steak de atum com vegetais grelhados

1 posta média de atum fresco
1/2 abobrinha média
1 pimentão verde pequeno
1 dente de alho
suco de meio limão
1 col. de chá de chili em pó
1 col. de chá de cominho em pó
1 col. de sobremesa de azeite
sal a gosto

Modo de preparo:
Corte a abobrinha e o pimentão em pedaços médios. Reserve. Tempere o atum com sal a gosto e reserve. Numa tigela, misture o dente de alho amassado com o azeite, o suco de limão, o chili e o cominho em pó. Com o auxílio de uma colher ou pincel, besunte os vegetais e a posta de atum com a mistura até que tudo fique bem coberto e molhado. Guarde o restinho do molho para auxiliar na hora de grelhar.
Aqueça uma grelha elétrica em temperatura média-alta. Coloque os vegetais e a posta de atum e grelhe por aproximadamente 3 minutos de cada lado. Se quiser, besunte com mais um pouco do molho reservado quando virar o lado. Cuidado para não passar o ponto do atum. Quando estiver pronto, ele deve desfiar com facilidade com um garfo mas ainda ficar levemente rosa no meio. Sirva acompanhado de arroz selvagem.

O atum é um peixe super conhecido e prático na versão enlatada. Quem nunca abriu uma lata para colocar na salada e deixá-la mais fortificada quando estava sem muito tempo para cozinhar? Entretanto, sempre quis testar postas de atum fresco e depois de achar algumas receitas apetitosas resolvi que já estava em tempo de experimentar. O resultado foi fantástico!

Por sorte consegui acertar o ponto de cozimento perfeitamente! Nessa temperatura média-alta da minha grelha elétrica foram exatamente 7 minutos no total, 4 de um lado e 3 do outro. Uma vantagem que vi nesta receita foi sua praticidade e facilidade. Além disso, ela é super rápida de preparar. Ou seja, não há mais desculpa para não provar o atum na sua versão fresca. O sabor mais delicado do que o da versão enlatada vale a pena o esforço.

Por hoje é só.

Bon appetit!