Investindo nas variações diárias

Como tudo que é bom um dia chega ao fim, hoje tem a última receita do cardápio que preparei para o jantar de quarta-feira à noite: um filé mignon especial. Um dos segredos de manter uma alimentação saudável é investir no maior número de variedades possível à mesa. Ou seja, nada de ficar comendo só carne ou só frango o tempo todo. O ideal é misturar e comer carne branca (peixes ou frango) de 4 a 5 vezes na semana e carne vermelha apenas 2 ou 3 vezes.

Quando for optar por incluir carne no cardápio, outra sugestão é procurar as versões mais magras, como filé mignon, lagarto ou maminha. E claro, investir sempre em acompanhamentos como vegetais grelhados e fartas saladas de folhas verdes que deixam o prato mais colorido e saboroso.

Para este filé, usei uma receita que encontrei no livro Saúde & Sabor com Equilíbrio, elaborado pela nutricionista Roseli Rossi. Alias, as outras duas receitas anteriores que fiz para o jantar também saíram daqui. O livro é bem variado e inclui opções que parecem ser super deliciosas para todos os gostos. Estas três primeiras que testei, pelo menos, ficaram ótimas.

Mignon conquistador

Mignon conquistador

800g de filé mignon sem gordura
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1 colher de sobremesa de margarina light
1 tablete de caldo de carne
2 col. de sopa (cheias) de farinha de trigo
3 col. de sopa de requeijão light
1 pote de iogurte natural desnatado
120 g de champignon fatiados
4 col. de sopa de milho verde em conserva
40 g de azeitona preta em rodelas

Modo de preparo:
Em uma panela antiaderente, refogue a cebola e o alho na margarina light até dourar. Acrescente o filé mignon cortado em cubinhos ou tirinhas e refogue mais um pouco até que a carne solte seu suco (aproximadamente 5 minutos). Em seguida, junte o caldo de carne dissolvido em 500 ml de água fervente e cozinhe em fogo brando até a carne amolecer.
Quando a carne estiver macia, retire-a aos poucos com uma escumadeira de forma que o caldo continue na panela. Peneire sobre este molho a farinha de trigo mexendo sem parar até engrossar. Acrescente o iogurte e o requeijão, mexa bem e deixe ferver de 2 a 3 minutos. Reserve.
Para a montagem, espalhe o filé cozido num refratário médio. Por cima, coloque uma camada do champignon, o milho verde e as azeitonas. Em seguida, regue com o molho reservado. Leve ao forno médio, pré-aquecido, por cerca de 15 minutos até que o molho esteja borbulhando. Sirva em seguida.

Rende 8 porções.

Esta receita é ótima pois acrescenta na porção diversos vegetais além da carne. Assim, numa colherada evitamos de colocar muito filé e acabamos levando junto ingredientes menos calóricos e gordurosos, mas igualmente saborosos. Além disso, a escolha dos acompanhamentos acaba tendo certa liberdade. Vale optar por incluir pimentões cortados em cubinhos ou cenouras em rodelas para substituir qualquer um dos ingredientes das camadas.

Alias, como sou uma pessoa bastante visual, minha única reclamação com relação ao prato pronto é que não ficou tão colorido quanto esperava. Outra sugestão que pensei foi substituir a azeitona preta por azeitona verde. Parece coisa boba, mas certamente daria uma outra cara ao prato, além de variar bastante as cores das camadas. (Não que no final ele tenha ficado com uma aparência ruim, pelo contrário. Basta olhar a foto para ver que ficou com uma cara deveras apetitosa!)

Por hoje é só.

Bon appetit!

A primeira vez a gente nunca esquece

Oi. Tem alguém aí?

Dizem que quando se está perdido na vida sem saber que rumo tomar a melhor coisa a se fazer é começar a escrever. Para uma jornalista isso deveria ser fácil. Quantas vezes já não ouvi de amigos, familiares e conhecidos que deveria começar um blog? O problema é que não tenho assunto, não sei sobre o QUE escrever. E isso complica um pouco.

De qualquer maneira, resolvi unir o útil ao agradável. Recentemente tenho me aprofundado na arte e terapia da culinária saudável. Sempre amei cozinhar, mas ultimamente entrei numa onda de comidas saudáveis que muitas pessoas acreditam ser sem gosto ou sem graça. Não estou aqui para provar o contrário nem pretendo ser uma expert no assunto. Apenas resolvi compartilhar receitas deliciosas que aprendi e testei e comprovo que ajudam a manter uma alimentação equilibrada.

Também não vou fazer promessas do tipo “vou testar uma nova receita todos os dias e venho contar como foi”. Sei que isso é uma ilusão e muito provavelmente (como já aconteceu inúmeras vezes comigo antes) vou cansar disso aqui em pouco tempo e acabar abandonando o barco. (ESPERO que não!!! Mas confesso que é uma real possibilidade.)

De qualquer maneira, sempre vale a tentativa. Prometo, então, TENTAR publicar pelo menos duas receitas por semana. Ou também, compartilhar dicas e sugestões de cardápios que aprecio e acredito serem balanceados para quem busca uma alimentação saudável.

Mas agora chega de blá, blá, blá.

Aqui vai a minha primeira dica.

Semana passada testei pela primeira vez o Ritto Prato Feito da Mãe Terra.
É delicioso! A melhor parte é que mistura grãos integrais com lentilha e feijão branco. Para alguém como eu, que não sei fazer feijão e moro sozinha, é a solução perfeita. Até porque é muito difícil fazer uma panela de feijão para uma pessoa só, né? E guardar feijão na geladeira durante semanas a perder de vista não é muito legal.

Por isso me viciei no Ritto Prato Feito. É super prático e fácil de fazer e dá para fazer em pequenas quantidades.

Como não como muito, faço 1/2 xíc. de chá para três dias. Dá certinho. Depois é só guardar na geladeira e esquentar no dia seguinte. Fica muito gostoso e não perde nada do sabor ao ser “requentado”, até porque são pouco dias.

Minha receita do dia é para o jantar.

Pizza light

1 unidade de Massa de Pizza para Frigideira Integral tamanho individual
3 fatias finas de mussarela light
4 fatias finas de peito de peru light
2 col. de sopa de Molho de Tomate
6 tomates cereja cortados ao meio

Modo de preparo:
Coloque a massa de pizza numa frigideira antiaderente já aquecida. Não precisa de azeite nem óleo nem nada. Cubra a massa com o molho de tomate. Distribua o queijo, o peito de peru e os tomates. Deixe esquentar até que o queijo derreta. Sirva em seguida.

O bom desta pizza é que a massa é super fininha e integral. Além disso, como não precisa de azeite nem óleo para fritar, não engorda o prato. É uma ótima solução para não deixar de comer algo tão delicioso como uma bela pizza, mesmo cuidando da alimentação e da balança. Como acompanhamento, sugiro uma bela salada de folhas verdes com baby carrots. Pronto, jantar completo.

A cobertura da pizza é livre, mas é sempre bom ficar de olho nos ingredientes super calóricos. Fuja dos queijos amarelos e gordos e dos embutidos como calabresa ou pepperoni, que têm muito sódio e muita gordura. Outra opção é cobrir com queijo tipo cottage, rúcula e champignon fresco. Fica uma delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!