Receitas de família

Tem dias que não estou muito inspirada para procurar receitas novas em livros ou sites de culinária. O bom disso é que aproveito para testar meus dotes na cozinha preparando algumas delícias tradicionais de família. Lembro que passei boa parte da minha infância comendo um prato que minha mãe fazia super bem. Resolvi testar para ver se conseguia também.

O conceito é bastante simples. Ao invés de preparar panquecas da forma tradicional, enroladas e cobertas com molho de tomate, elas viram uma espécie de lasanha já que são posicionadas uma em cima da outra formando camadas que intercalam com as de carne moída. O resultado final é surpreendente e divinamente maravilhoso.

Panqueca de carne moída em camadas

Panqueca de carne moída em camadas

4 unidades de panqueca integral pré-pronta
200 g de coxão mole moído
100 g de mix de vegetais congelados
1/2 cebola média picada
2 dentes de alho picados
1 col. de sopa de extrato de tomate
60 g de queijo muçarela light ralado
sal, pimenta calabresa e azeite a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e os dentes de alho picados até ficarem aromáticos e macios. Acrescente a carne moída e mexa bem para quebrar os pedaços. Tempere com sal e pimenta calabresa a gosto e refogue até começar a dourar.
Junte o mix de vegetais congelados e o extrato de tomate e misture tudo para que fique homogêneo. Deixe cozinhar em fogo médio mantendo uma leve fervura por 5 a 7 minutos até que a carne esteja pronta e o líquido evapore todo.
Para montar o prato, comece com uma camada de panqueca no fundo de uma forma refratária antiaderente untada com um fio de azeite. Arrume 1/3 da mistura de carne moída e salpique um pouco do queijo ralado por cima. Posicione a segunda camada de panqueca e continue o processo até terminar toda a carne alternando as camadas. Certifique-se de que a última camada seja a quarta unidade da panqueca.
Salpique com o rest0 do queijo ralado por cima de tudo e leve para assar em forno pré-aquecido em 230˚C por 10 a 15 minutos ou até dourar e derreter o queijo de cima da panqueca. Sirva em seguida acompanhado de uma saladinha verde.

Rende 2 porções.

Apesar da receita ser criação da minha mãe, confesso que adaptei algumas coisas para torná-la um pouco mais saudável e completa. Além de usar panquecas integrais pré-prontas, o que facilita a vida além de incluir mais fibras no prato, também acrescentei a seleta de legumes no refogado da carne moída. Com isso, o prato ganhou mais valor nutricional e ficou mais completo.

O sabor final não foi o mesmo da receita da minha mãe que lembro tanto de ter comido na infância. Mas no fim ficou tão delicioso quanto. O bom de receitas caseiras como esta é que podemos ir adaptando-as ao nosso gosto e criando coisas novas a cada geração. Nada melhor para manter tradições familiares vivas.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Trocadilhos singelos

Não tenho a pretensão de ser uma grande mestre na cozinha e muito menos criar receitas mirabolantes e sensacionais. Também não é minha intenção utilizar um termo tradicional da culinária incorretamente, ainda mais uma culinária muldialmente venerada como a italiana que eu conheço muito superficialmente.

Dito isso, estava folheando meus livros de receitas saudáveis hoje e me veio uma inspiração para inventar um filé super simples e gostoso a partir de uma modificação da receita que encontrei. O prato ficou tão fantástico que precisei compartilhar aqui no blog e por isso dei a ele um nome que me pareceu apropriado pelo sabor final. Mas, no fundo, o nome é para ser apenas um trocadilho e apenas uma grande brincadeira. Espero que curtam também.

Filé mignon à piazzolo

Filé mignon à piazzolo

1 medalhão de filé mignon (+/- 80 g)
1 rodela de tomate
1 col. de sobremesa de orégano
1 col. de chá de queijo ralado light
sal e pimenta-do-reino a gosto
1 punhado de cebolinha picada para decorar

Modo de preparo:
Desenrole o medalhão de filé mignon e amasse a carne com a palma da mão para ela achatar e ficar maior. Tempere com sal e pimenta a gosto. Numa forma refratária, arrume o filé com a rodela de tomate por cima. Salpique o orégano e o queijo no tomate e leve para assar em forno médio (200ºC) de 20 a 25 minutos até o tomate murchar e o queijo derreter. Decore o prato com a cebolinha e sirva em seguida.

O tempo de cozimento no fundo depende do ponto de preferência da carne. Para quem gosta dela mais vermelha por dentro o recomendado é deixar de 15 a 20 minutos. Já quem prefere a carne mais bem passada pode deixá-la assando durante os 25 minutos. Entretanto, recomendo não deixar muito mais do que isso para não correr o risco do filé ficar duro e seco.

Modéstia à parte, achei sensacional esta minha invenção. No fundo é a receita mais simples de preparar (especialmente para quem mora sozinho) e não deixa de ser uma excelente alternativa para quem quiser comer um hambúrguer com gostinho de pizza sem extrapolar na alimentação saudável.

E para continuar seguindo a linha saudável e sem exageros, uma ótima opção de acompanhamento para esta carne inclui legumes cozidos no vapor ou aquela salada verde que inventei e compartilhei com vocês num post anterior. O azedinho da maçã-verde e o frescor do pepino caem super bem com o toque à piazzolo deste filé mignon.

Por hoje é só.

Bon appetit!