Gostosuras saudáveis

Quem disse que uma alimentação saudável não pode incluir delícias como cachorro quente? Ficou com água na boca? Pois o segredo de manter uma dieta balanceada é poder incluir de vez em quando comidinhas gostosas como esta sem comprometer demais a alimentação.

Uma outra dica é encontrar receitas adaptadas que transformam comidas tipicamente prejudiciais à saúde em gostosuras perfeitamente saudáveis. Neste caso, tanto a salsicha como o queijo utilizado estão na versão light. Já o tradicional pão branco é substituído por uma massa feita de farinha de trigo branca e integral. O resultado é fantástico.

Cachorro quente de forno

Cachorro quente de forno

1/2 xíc. de chá de farinha de trigo
1/2 xíc. de chá de farinha de trigo integral
1 ovo
1 xíc. de chá de leite desnatado
50 g de queijo parmesão ralado light
3 salsichas de peru light picadas
100 g de pimentão verde picado
100 g de tomate picado
sal, pimenta e orégano a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, junte as salsichas, o pimentão verde e o tomate sem semente picados. Tempere com sal, pimenta e orégano a gosto e reserve. Em outro recipiente, misture as farinhas, o ovo e o leite desnatado e bata no liquidificador até formar uma massa homogênea. Acrescente 2/3 do queijo ralado e bata mais um pouco.
Unte uma forma refratária de fundo removível 20×20 com um pouco de margarina e farinha de trigo. Despeje metade da massa na forma e acrescente os ingredientes do recheio. Complete com o restante da massa por cima do recheio e polvilhe o resto do queijo ralado por cima.
Leve ao forno pré-aquecido em 200˚C por aproximadamente 30 minutos ou até que um palito enfiado no meio saia limpo. Sirva quente.

Rende de 3 a 4 porções.

Já tinha comido cachorro quente assado na época que fiz a minha reeducação alimentar e tinha me apaixonado. Quando encontrei esta receita fiquei maravilhada e não quis esperar nenhum minuto para experimentar. No fim ficou sensacional e minha pequena modificação para acrescentar a farinha de trigo integral não alterou em nada o resultado.

O bom desta receita é que apesar de ter sido concebida para ter este recheio, a massa adapta-se facilmente a qualquer sabor que se queira escolher. Em vez de usar salsicha é possível colocar frango ou carne desfiada e em vez de pimentão verde e tomate outros vegetais como cenoura, milho ou ervilha podem ser utilizados. Deixe sua imaginação voar e crie seu próprio “cachorro quente” de forno.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Tudo, mas com moderação.

A minha intenção com a receita de hoje não é ensinar ninguém a fazê-la. (Até porque, quem não sabe fazer um simples queijo quente, não é?) Meu propósito é mostrar que com algumas pequenas modificações é possível apreciar um lanche como este, altamente gorduroso, de vez em quando, sem descuidar completamente da saúde e da alimentação saudável.

Todos já sabemos que para identificar os queijos mais gordurosos temos que olhar para a cor deles. Quanto mais amarelos, mais gordura e quanto mais branco, mais magrinho ele é. Por isso é sempre recomendável optar pelos brancos como minas frescal, ricota ou cottage para saborear no dia a dia.

Entretanto, para um queijo quente ficar verdadeiramente delicioso, o queijo precisa derreter com potência máxima. E para isso, infelizmente, precisamos de um pouco de gordura. Aqui está, então, uma receita um pouco mais leve do que a tradicional, que prioriza um recheio amolecido e encorpado. Afinal, para que gastar calorias com pão se a melhor parte aqui é de fato o queijo, não é mesmo?

Queijo quente (ou como chamam nos states: Grilled cheese)

Queijo quente diferente

1 fatia de pão integral light
40 g de queijo mussarela light (ou babybel light)

Modo de preparo:
Corte a fatia de pão ao meio. Recheie com o queijo e aqueça numa grelha antiaderente. Espere o queijo começar a derreter e sair pelas laterais. Sirva em seguida.

Já que o importante mesmo é o recheio, melhor é investir em “meio” sanduíche com muito queijo do que um sanduíche inteiro onde mal podemos encontrar o recheio. Por isso, dispense a outra fatia de pão e delicie-se com a metade que está na sua frente. A manteiga/margarina também é dispensável já que a grelha é antiaderente. Ponto para nós que conseguimos reduzir um pouco a quantidade de gordura saturada ingerida.

A opção da mussarela light funciona muito bem. Entretanto, pessoalmente prefiro o babybel light, queijo francês que vem em formato de bolinha coberto por uma cera vermelha. Nesta receita utilizei 2 babybels de 20g cada. Além de mais saboroso, o babybel derrete melhor e, se analisado detalhadamente, contem menos gordura e menos calorias do que a mussarela light. Melhor impossível, certo?

Manter uma alimentação saudável não precisa significar abrir mão de todos os prazeres da vida, muito menos os da culinária. Com algumas pequenas modificações podemos saborear uma imensidão altamente diversificada de comidas. Basta saber balancear. Se hoje comi um queijo quente de lanche, que tal optar por uma salada reforçada com proteína magra no jantar? Assim podemos comer de tudo sem culpa. O que, alias, é o melhor mesmo para nossa saúde: tudo, mas com moderação.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Especiarias do além

Adoro os sabores da culinária mundial. Acho fascinante que cada cantinho do mundo tem seus pratos e características diferentes na hora de preparar a comida. E desde que mergulhei no mundo da cozinha minha maior diversão (e meu maior desafio) é experimentar com os temperos e gostos de diversas tradições gastronômicas.

A culinária indiana é bastante característica e está relativamente bem difundida pelo mundo. A base dos pratos são os temperos e o sabor intenso que eles trazem à comida. Decidi começar com algo simples, peito de frango marinado com especiarias típicas. Aos poucos pretendo ir testando preparações mais elaboradas e desafiantes.

Frango picante com especiarias

Frango picante com especiarias

120 g de peito de frango
1/2 pote de iogurte natural desnatado
1 col. de chá de garam masala
1/2 col. de chá de molho de pimenta malagueta
sal a gosto
1 pêssego fresco (ou 2 metades de pêssego em calda)

Modo de preparo:
Corte o peito de frango em tiras pequenas. Numa tigela, misture o iogurte, o garam masala e o molho de pimenta. Tempere com sal a gosto. Separe 1/4 do molho e guarde na geladeira para a hora de servir. Despeje o restante dentro de um saquinho de plástico. Acrescente os pedaços de frango e misture bem para que tudo fique bem temperado. Feche o saquinho e deixe marinando na geladeira por 30 minutos.
Aqueça uma frigideira antiaderente e coloque os pedaços de frango para cozinhar descartando o molho da marinada. Mexa o frango para ir cozinhando de maneira uniforme por aproximadamente 5 minutos (ou até ficar pronto). Reserve.
Corte o pêssego em pedaços e retire o caroço. Aqueça durante 2 minutos no microondas num prato apropriado. Na hora de servir, arrume os pedaços de frango e do pêssego assado em cima de 3 col. de servir de arroz integral e regue com o molho reservado na geladeira.

O garam masala é um tempero tipicamente indiano. Feito à base de uma mistura de especiarias, sua composição varia de região para região. Alguns dos ingrediente mais usados são cravo, canela, cominho, cardamomo, coentro e pimenta preta. Essa mistura é bem forte e traz uma pegada quente a qualquer preparação.

Pode até parecer estranho incluir o pêssego no meio desse prato, mas acredite, o docinho da fruta (ainda mais se você resolver optar pela versão em calda) ajuda e muito a contrapor os temperos fortes usados no molho indiano do frango. Eu sugiro ficar com o pêssego in natura assado no microondas (para não acrescentar açúcar demais presente nas frutas em calda). Caso não simpatize muito com pêssegos, pode trocar por outras frutas como a manga.

Por hoje é só.

Bon appetit!

A constante busca pela variedade

Não canso de enfatizar a importância de começar todo almoço ou jantar com um belo prato de salada. Além de garantir uma variedade maior de cores ao cardápio, ajuda a satisfazer o estômago e previne contra exageros desnecessários durante o restante da refeição.

Ao mesmo tempo, ninguém merece ficar só no alface, tomate e cenoura ralada pro resto da vida. Por isso, tenho me empenhado em achar receitas diversificadas e interessantes para incrementar minhas saladas diárias. Esta de hoje é bem diferente pois, além de combinar ingredientes inusitados, é refogada e deve ser servida quente. Ficou uma delícia.

Salada quente de repolho

Salada quente de repolho

100 g de repolho verde cortado em tiras finas
1/4 cebola roxa picada
40 g de pimentão vermelho picado
4 azeitonas verdes em rodelas

Modo de preparo:
Numa panela antiaderente, refogue a cebola e o repolho até murcharem. Desligue o fogo e acrescente os demais ingredientes. Para temperar, regue com 1 col. de sobremesa de azeite, 1 col. de sobremesa de vinagre e uma pitada de sal. Sirva quente.

Apesar de ser refogada, a salada continua extremamente saudável pois o processo é feito sem adição de gorduras. Apenas algumas gotinhas de água são suficientes para cozinhar os ingredientes se você utilizar uma panela antiaderente. Caso não tenha uma, use o mínimo de azeite possível no preparo da salada.

Sempre vale lembrar que o azeite de oliva extra virgem é super saudável e contem gorduras essenciais para o bom funcionamento do organismo. Entretanto, estes benefícios só funcionam quando o azeite é consumido cru e frio. Ou seja, no momento em que ele é aquecido para o preparo de qualquer receita perde sua característica e a gordura boa é transformada em gordura prejudicial à saúde.

Nunca tinha provado uma salada como esta. O sabor ficou sensacional e a combinação da cebola roxa com o repolho, o pimentão e a azeitona, além de deixar o prato super colorido, encaixou perfeitamente com os temperos. Se quiser elaborar mais um pouco a salada, vale acrescentar cenoura ralada e folhas de rúcula rasgadas. O resultado é fantástico.

Por hoje é só.

Bom appetit!