Quando a criatividade entra em cena

Couscous marroquino é uma opção ótima de acompanhamento para qualquer carne numa refeição simples e sofisticada ao mesmo tempo. Feito de semiolina de trigo, parece uma massa triturada e transformada em flocos. Muito por isso, é super fácil de preparar e fica pronto em 5 minutos já que precisa apenas ser hidratado com água fervente.

Depois de hidratado, podemos usá-lo como base para fazer diversas combinações diferentes. Por ter um sabor delicado, o couscous aceita inúmeros ingredientes e é nessa hora que a imaginação do cozinheiro pode voar. Aproveite para juntar seus legumes preferidos e criar um prato único e saboroso como só você faria.

Couscous mediterrâneo

Couscous mediterrâneo

1/3 de xíc. de chá de couscous marroquino integral
1/2 pimentão verde médio
1/2 pepino médio
10 un. de tomate cereja
1/2 caixa de grão de bico em conserva
2 col. de sopa de cebolinha picada
suco de 1/2 limão
raspas de limão, azeite, sal e pimenta

Modo de preparo:
Ferva 80 ml de água para hidratar o couscous marroquino. Junte a água ao couscous e deixe descansar por 5 minutos numa tigela tampada. Solte os grãos delicadamente com a ajuda de um garfo e reserve.
Pique o pimentão e o pepino em cubinhos pequenos. Corte os tomates em quatro e reserve. Escorra o grão de bico e deixe cair água corrente por cima para retirar o excesso de sal. Junte os legumes numa tigela com o grão de bico e misture bem.
Acrescente o coucous à mistura de vegetais. Esprema o suco de limão e salpique com as raspas da casca de limão e a cebolinha picada. Tempere com azeite, sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto. Sirva com frango grelhado ou carne assada.

Rende 2 porções.

Já fiz várias combinações de couscous diferentes com pequenas variações entre elas. Esta ficou especialmente saborosa pelo acréscimo do suco de limão e das raspas da casca que deram um toque azedinho delicioso ao prato. Chamei esta receita de “couscous mediterrâneo” por juntar o grão de bico à combinação. Funcionou muito bem e deixou o prato ainda mais nutritivo.

O couscous é tão versátil que podemos preparar versões adocicadas também. Experimente juntar damasco picado com uva passa e frango desfiado. Junte tudo e tempere com o suco de laranja e um pouco de raspas da casca. A combinação de sabores agridoces fica absolutamente divina.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Buscando a variedade sempre

Não é nenhum segredo que eu adoro comer peixes. E achar receitas novas e diferentes para prepará-los tem se tornado um passatempo predileto meu nas noites sem muito o que fazer. Como adoro saborear estes animais marítimos gosto principalmente de variar a qualidade que como de um dia para o outro. Assim não corro o risco de enjoar de um tipo por comê-lo demais.

Quando comprei sardinha fresca, para preparar a receita de sardinha assada ao molho de ricota com mostarda, que publiquei aqui algumas semanas atrás, vieram 10 na bandeja. Como usei apenas 2, congelei as demais para usar num outro dia. Esta receita de hoje foi a desculpa perfeita para tirar o peixe do congelador e saboreá-lo novamente. Ficou uma delícia.

Sardinha crocante assada

Sardinha crocante assada

2 unidades de sardinha fresca abertas como borboletas
2 col. de sopa de farinha de rosca
1 clara
suco e raspas de 1 limão
azeite, orégano, salsinha e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Tempere a sardinha com o suco de limão e sal a gosto. Numa tigela, misture a farinha de rosca, as raspas de limão, o orégano, a salsinha e a pimenta calabresa. Para empanar o peixe, passe a parte da carne do peixe na clara e depois na mistura de farinha. Repita com a segunda unidade.
Arrume as sardinhas numa forma refratária untada com um pouco de azeite com a pele virada para baixo. Leve para assar em forno médio (200˚C) de 10 a 15 minutos ou até que o peixe fique bem douradinho. Sirva acompanhado de arroz integral ou selvagem e legumes no vapor.

O gostinho azedo das raspas de limão dão um toque sensacional à esta receita. Como o peixe é assado e não frito, ele continua sendo bastante saudável apesar de ser empanado. Caso queira deixá-lo mais nutritivo, opte por farinha de rosca integral ou triture você mesmo duas fatias de pão integral torrado.

A quantidade de farinha indicada na receita é apenas uma base para ter noção de quanto realmente é usado no peixe. Na prática, a melhor maneira de fazer é derramar um pouco mais no prato que será feita a mistura para poder empanar os peixes sem preocupação. Mas como o resto de farinha que sobra é jogado fora, vale a pena não exagerar demais para não desperdiçar muito no final.

Por hoje é só.

Bon appetit!