Delícias caseiras

Uma das maiores vantagens de preparar pratos clássicos em casa é a possibilidade de reduzir a quantidade gritante de açúcar ou gordura que os restaurantes ou fast foods acrescentam às comidas. Por exemplo, você sabia que algumas lojas de doces colocam farinha na massa do brigadeiro para fazer render mais? Ninguém merece não é mesmo?

Além de mais saudável, preparar alguns pratos em casa ainda traz aquele gostinho caseiro que amamos tanto. Mas para isso, nem sempre precisamos fazer TUDO. Há mil maneiras de aproveitar pacotes pré-prontos à venda no supermercado mantendo a refeição saudável e, principalmente, super gostosa.

Yakisoba de frango

Yakisoba de frango

1 pacote de macarrão instantâneo sabor yakisoba
2 filés de peito de frango médios
1 bandeja de vegetais para yakisoba (aprox. 400 g de couve-flor, brócolis, cenoura e repolho variados)
1 col. de sobremesa de azeite ou óleo de gergelim
shoyu light a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma frigideira wok e acrescente um fio de azeite ou óleo de gergelim. Corte o frango em pedaços pequenos. Refogue na wok por 5 minutos até o frango ficar quase pronto. Reserve.
Lave bem os vegetais e corte em pedaços pequenos (se já não estiverem cortado). Refogue os vegetais na wok de 2 a 3 minutos até ficarem al dente. Devolva  frango à wok e misture bem. Comece a temperar com shoyu a gosto e continue mexendo.
Enquanto refoga os vegetais, prepare o macarrão instantâneo. Descarte o tempero que vem junto. Quando estiver pronto, escorra e acrescente o macarrão à wok. Continue mexendo para incorporar todos os ingredientes e termine de temperar com shoyu a gosto. Sirva a seguir.

Rende 2 porções.

A vantagem de comprar o macarrão instantâneo sabor yakisoba é ter o tipo de massa característico deste prato. Entretanto, como o tempero que vem junto é descartado completamente, qualquer versão serve. Alias, é possível até fazer com macarrão normal, mas o instantâneo acelera bastante o processo e ajuda a ter uma melhor noção de quantidade nas porções.

Vários supermercados trazem bandejas já prontas de vegetais cortados para preparar yakisoba. Isso facilita e muito a vida já que eles vem numa maior variedade e menor quantidade de cada um evitando o desperdício de comprar muito de cada. Além disso, por já virem cortados, acelera ainda mais o preparo deste prato já super fácil de fazer. Melhor impossível, certo?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Para não desperdiçar

Quem mora sozinho sabe, é duro planejar um cardápio semanal variado. Isso porque muitas vezes é difícil preparar certos alimentos, como arroz, feijão ou equivalentes, em porções individuais. Para não ter que apelar ao desperdício e sempre acabar jogando fora os restos, a imaginação e criatividade são indispensáveis.

Certo dia preparei quinoa para acompanhar meu almoço. Até tentei fazer uma porção pequena, mas acabou sobrando mesmo assim. Aproveitando as sobras da quinoa e de outros ingredientes que também tinham sobrado de dias anteriores acabei inventando esta mistura. Ficou deliciosa.

Quinoa com lentilha e frango desfiado

Quinoa com lentilha e frango desfiado

3 a 4 col. de sopa cheias de quinoa pronta
1 peito de frango médio desfiado
3 a 4 col. de sopa de lentilha cozida
1/4 de cebola
1 dente de alho
50 g de repolho fatiado
1/2 pimentão vermelho pequeno
sal, pimenta e azeite a gosto

Modo de preparo:
Pique a cebola e o alho e refogue numa panela wok antiaderente com alguns pingos de água até murchar (de 3 a 4 minutos). Acrescente o repolho e o pimentão cortado em cubinhos e mexa mais um pouco. Coloque a quinoa, o frango desfiado e a lentilha já cozidos e mexa bem para incorporar todos os ingredientes. Deixe refogar por alguns minutos até aquecer por inteiro. Tempere com sal e pimenta e regue com azeite a gosto. Sirva a seguir.

Não há nenhum mistério nem grandes inovações nesta receita. Ela funciona apenas para ressaltar como um pouco de criatividade e praticidade na cozinha podem gerar refeições simplesmente fantásticas. O legal é usar o que tem na geladeira mesmo, assim cada um acaba criando variações e misturas únicas.

Para incrementar um pouco mais o prato, vale sempre acrescentar outros vegetais à mistura. Mas para manter a praticidade invista em restos que já tem pronto. Brócolis ou espinafre cozidos no vapor complementariam brilhantemente esta combinação de sabores.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para não gastar tempo na cozinha

Nesses dias de dorme tarde/acorda tarde o ânimo para preparar algo elaborado para o almoço sai voando pela janela. Até porque, quem quer ficar horas na cozinha quando há coisas bem mais interessantes para fazer nesta tão esperada folguinha anual? A boa notícia é que não precisamos de muita imaginação ou esforço para deixar qualquer pratinho super gostoso.

A dica de hoje é ridiculamente simples e pode ser preparada 30 minutos antes da hora de comer. Se tiver pedaços ou sobras de peito de frango cozido guardado na geladeira o tempo cai para 10 minutos. Isso sem contar que os demais ingredientes são aqueles que sempre temos na despensa. Ou seja, esta é uma receita perfeita para fazer quando a fome aperta e as opções parecem inexistentes.

Frango desfiado com repolho ao molho de tomate

Frango desfiado com repolho ao molho de tomate

1 pedaço médio de peito de frango desfiado
100 g de repolho fatiado
1/4 de cebola fatiada
1 dente de alho
3 col. de sopa de molho de tomate light
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Leve para ferver 500 ml de água com um tablete de caldo de galinha dissolvido. Coloque o peito de frango temperado com sal e pimenta a gosto para cozinhar abaixando o fogo e mantendo uma leve fervura. Após 15 ou 20 minutos desligue o fogo, descarte o caldo, espere o frango esfriar um pouco e desfie.
Na mesma panela antiaderente, refogue a cebola fatiada e o alho picado com alguns pingos de água por 2 ou 3 minutos. Acrescente o repolho e mexa bem até começar a murchar. Por fim coloque o frango desfiado e o molho de tomate. Misture tudo e mexa por mais alguns segundos para terminar de aquecer por completo. Sirva acompanhado de arroz integral e legumes cozidos.

Se achar a receita muito simples e quiser incrementar um pouco há inúmeras sugestões de ingredientes que podem ser acrescentados ao refogado. Entre as opções destacam-se cenoura ralada, pimentão verde em tirinhas, vagem picada, ervilha fresca ou aspargos cortados no sentido longitudinal.

Outra dica para deixar a receita mais especial é preparar o molho de tomate em casa com 1 tomate cortado em cubinhos bem pequenos. Entretanto, o prato preparado da maneira indicada (como eu fiz) fica uma delícia por si só. E talvez o fato dele ser tão fácil, tão rápido e tão prático de fazer só aumente ainda mais seu poder de ser uma delícia. Quem disse que praticidade precisa significar falta de criatividade e sabor?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Descobrindo novas delícias

No começo, quando ia a restaurantes tailandeses eu sempre comia a mesma coisa: ou me deliciava com o tradicional Pad Thai (prato típico de macarrão com um molho agridoce delicioso) ou ficava no frango em cubos com castanha de caju (cuja receita publiquei aqui). Mas desta vez, quando estava de férias nos Estados Unidos e almocei no meu restaurante tailandês preferido por lá resolvi me aventurar um pouco.

A surpresa foi fantástica. Descobri sopas maravilhosas que antes pensava terem combinações um pouco estranhas de ingredientes. A melhor parte é que estas sopas funcionam tão bem como entrada, acompanhamento ou prato principal, basta adequar o tamanho da porção à refeição indicada.

Sopa tailandesa de macarrão transparente

Sopa tailandesa de macarrão transparente

300 ml de água
15 g de shitake seco
1/2 pepino médio
1 dente de alho
40 g de harussame (macarrão transparente)
1 col. de sopa de shoyu light
1 col. de sobremesa de açúcar mascavo
100 g de repolho em fatias finas
150 g de tofu firme
coentro picado a gosto

Modo de preparo:
Deixe o shitake seco de molho em água quente (mas não fervendo) por pelo menos 30 minutos para hidratar. Enquanto isso, coloque o pepino cortado, o alho e o repolho fatiado num multiprocessador. Bata até formar uma mistura homogênea e quase lisa.
Despeje a mistura numa panela e acrescente os 300 ml de água fervendo. Cozinhe com uma leve fervura em fogo médio por 2 ou 3 minutos. Coe o líquido para outra panela e descarte os restos que sobrarem.
Levante mais uma vez uma leve fervura e adicione o shitake hidratado com metade do líquido no qual estava. Acrescente o harussame e o açúcar mascavo dissolvido no shoyu light. Deixe cozinhar por 5 minutos até o macarrão amolecer.
Prove o sal e se for preciso tempere com mais um pouco de shoyu. Corte o tofu em cubos médios e coloque numa tigela. Por cima, derrame o conteúdo da sopa e decore com folhas de coentro picadas a gosto. Sirva acompanhado de torradinhas integrais.

A primeira vista a sopa pode não parecer lá muito apetitosa, mas a combinação do pepino com o repolho como base do caldo acrescentados ao shitake tornaram o sabor mais interessante. Uma das vantagens desta sopa, alias, é justamente a suavidade de todos os sabores que, quando misturados, não perdem suas características individuais.

Se você não for muito fã de tofu, vale preparar este prato usando também pedaços pequenos de peixe cozido (como filé de tilápia ou linguado) ou até mesmo cubinhos de peito de frango. Entretanto, a suavidade do tofu faz com que o sabor da sopa não seja sobrecarregado de temperos forte demais. Para mim, a melhor parte continua sendo o gostinho único do harussame. Desde que descobri este macarrão transparente tipicamente oriental me apaixonei.

Por hoje é só.

Bon appetit!

A constante busca pela variedade

Não canso de enfatizar a importância de começar todo almoço ou jantar com um belo prato de salada. Além de garantir uma variedade maior de cores ao cardápio, ajuda a satisfazer o estômago e previne contra exageros desnecessários durante o restante da refeição.

Ao mesmo tempo, ninguém merece ficar só no alface, tomate e cenoura ralada pro resto da vida. Por isso, tenho me empenhado em achar receitas diversificadas e interessantes para incrementar minhas saladas diárias. Esta de hoje é bem diferente pois, além de combinar ingredientes inusitados, é refogada e deve ser servida quente. Ficou uma delícia.

Salada quente de repolho

Salada quente de repolho

100 g de repolho verde cortado em tiras finas
1/4 cebola roxa picada
40 g de pimentão vermelho picado
4 azeitonas verdes em rodelas

Modo de preparo:
Numa panela antiaderente, refogue a cebola e o repolho até murcharem. Desligue o fogo e acrescente os demais ingredientes. Para temperar, regue com 1 col. de sobremesa de azeite, 1 col. de sobremesa de vinagre e uma pitada de sal. Sirva quente.

Apesar de ser refogada, a salada continua extremamente saudável pois o processo é feito sem adição de gorduras. Apenas algumas gotinhas de água são suficientes para cozinhar os ingredientes se você utilizar uma panela antiaderente. Caso não tenha uma, use o mínimo de azeite possível no preparo da salada.

Sempre vale lembrar que o azeite de oliva extra virgem é super saudável e contem gorduras essenciais para o bom funcionamento do organismo. Entretanto, estes benefícios só funcionam quando o azeite é consumido cru e frio. Ou seja, no momento em que ele é aquecido para o preparo de qualquer receita perde sua característica e a gordura boa é transformada em gordura prejudicial à saúde.

Nunca tinha provado uma salada como esta. O sabor ficou sensacional e a combinação da cebola roxa com o repolho, o pimentão e a azeitona, além de deixar o prato super colorido, encaixou perfeitamente com os temperos. Se quiser elaborar mais um pouco a salada, vale acrescentar cenoura ralada e folhas de rúcula rasgadas. O resultado é fantástico.

Por hoje é só.

Bom appetit!

Inovando na salada

Como já falei aqui, sempre achei engraçado ver receita de salada. São tantas as opções e variações que no fim o que conta mesmo é o gosto pessoal na escolha dos ingredientes. Entretanto, tenho visto tantas sugestões diferentes e interessantes nos livros de culinária saudável que estou comprando que resolvi testar uma delas no meu almoço de ontem.

Me interessei pelos ingredientes, coisas simples que nunca tinha pensado em combinar numa salada. Além do fato de ser bom variar de vez em quando e não comer sempre uma salada com mix de folhas verdes e tomate. Enjoa. E não é que a inovação valeu a pena? Ficou deliciosa! A seguir compartilho a facílima receita que tirei do mesmo livro, Receitas maravilhosas do Spamed para uma dieta de manutenção, que usei para fazer o cação assado.

Salada de repolho, cenoura e uva-passa

Salada de repolho, cenoura e uvas-passas

40 g de repolho branco ralado
1/2 cenoura pequena ralada
1/2 pepino baby cortado em rodelas finas
1 col. de sopa de uvas-passas

Modo de preparo:
Misture num prato o repolho, a cenoura e o pepino. Decore por cima com as uvas-passas.

As quantidades indicadas são suficiente para fazer uma porção. Se quiser preparar para mais pessoas é só aumentar o montante dos ingredientes de acordo com o gosto de cada um.

No almoço de ontem, resolvi não condimentar a salada com nenhum molho para poder ter a experiência de comê-la pura e sentir o gosto real dela. Ficou deliciosa. A combinação do frescor do pepino com o docinho da uva-passa deixa a salada com um toque mais do que especial.

Entretanto, pode-se preparar um molho de iogurte simples e saudável para acompanhá-la. Sugiro misturar 1 pote de iogurte natural desnatado, suco de 1 limão, 1 col. de sopa de azeite de oliva, sal e pimenta-do-reino a gosto. É o molho mais fácil de preparar e fica bem gostoso. Minha mãe fez para acompanhar a salada dela e quando provei vi que combinou perfeitamente.

Outra opção de molho é substituir o iogurte natural por queijo cottage, sendo, aproximadamente, de 3 a 4 col. de sopa para as medidas dos outros ingredientes.

Por hoje é só.

Bon appetit!