Sabores naturais

Em dias quentes de verão, nada melhor do que um lanche leve e saudável para saborear à tarde ou no jantar. Sanduíches naturais combinados com sucos de frutas ou vitaminas são ótimos pois trazem vitaminas e minerais sem acrescentar muita gordura ou calorias à refeição.

Melhor ainda é quando preparamos estes lanches super saborosos em casa. Quanto mais natural e menos processado o sanduíche, melhor para a sua alimentação. Com isso, trago uma opção totalmente feita em casa de sanduíche natural de sardinha. Desta vez optei por assar a sardinha em casa mesmo e não usar a versão em lata. Ficou uma delícia.

Sanduíche natural de sardinha assada

Sanduíche natural de sardinha assada

1 sardinha fresca limpa e aberta ao meio
2 fatias de pão integral light
4 folhas de escarola (ou alface lisa)
4 azeitonas verdes sem caroço fatiadas
2 col. de sopa de cenoura ralada
1 col. de sopa de requeijão light
1 col. de sopa de mostarda escura

Modo de preparo:
Pincele a sardinha com azeite e tempere com sal e pimenta a gosto. Leve para assar numa forma refratária antiaderente de 12 a 15 minutos em forno médio (200˚C).
Passe o requeijão e a mostarda nas fatias de pão integral. Eu gosto de passar um em cada fatia, mas você pode misturar os dois em cada fatia se preferir. Arrume as folhas de escarola, a cenoura ralada e as azeitonas fatiadas em uma fatia. Coloque a sardinha assada por cima e feche com a outra fatia. Corte ao meio e sirva em seguida.

Sardinhas frescas são fontes super práticas de gorduras boas provenientes dos peixes. Você pode encontrá-las num bom supermercado ou feira. Peça para o peixeiro cortá-las ao meio para que fiquem abertas como uma borboleta e limpá-las para retirar a cabeça e o miolo.

Há quem não goste muito de sardinhas assadas assim pois elas têm bastante espinha. Entretanto, por serem pequenas, elas podem ser comidas sem maiores preocupações. Caso não queira correr nenhum risco, pode desfiar a sardinha depois de assada e preparar uma pasta com o requeijão e a mostarda para passar no pão. Também fica uma delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Preparando-se para a noitada

Sexta-feira já é final de semana. E nada melhor do que uma saidinha com os amigos para deixar a noite mais agradável e desestressar da semana de trabalho que, finalmente, chegou ao fim. Mas como fazer para não exagerar e garantir, mesmo assim, uma vida saudável? A dica é jantar em casa e restringir o consumo no bar apenas aos drinks.

Indo de barriga cheia, eliminamos a vontade e necessidade de petiscar no local. Assim, além do corpo, o próprio bolso agradece já que a conta vem bem menor no final da noite. Minha sugestão de hoje é bem leve mas altamente nutritiva. Desta maneira, não ficamos com a sensação de barriga muito cheia, mas estamos bem alimentados para aproveitar a noite.

Wrap de salmão defumado

Wrap de salmão defumado

100 g de salmão defumado
1 unidade de pão folha
1 col. de sopa de requeijão light
3 folhas de escarola ou alface
1/2 pepino pequeno fatiado
1 col. de sobremesa de alcaparras

Modo de preparo:
Abra o pão folha sobre um prato ou superfície lisa. Espalhe o requeijão light em todo o pão, deixando espaço na borda para não escorrer para fora quando for enrolar. Posicione o pepino e as folhas de escarola por cima do requeijão. Coloque as fatias de salmão defumado em cima das folhas e regue com as alcaparras. Enrole o wrap deixando o feixe para baixo. Corte ao meio e sirva frio.

Não canso de ressaltar os benefícios de preparar wraps para jantares leves, saudáveis e super saborosos. Além de permitiram inúmeros recheios, os wraps são práticos pois não requerem muito tempo nem dificuldade para prepará-los. Neste caso, o salmão defumado é o mais prático de todos pois pode ser comprado pronto. Na hora, é só descongelar.

Algumas substituições possíveis nesta receita caso não goste de algum ingrediente incluem usar peito de peru light no lugar do salmão defumado e qualquer outra folha verde no lugar da escarola. Gosto dela pois as folhas são grandes e fáceis de enrolar no wrap. Entretanto, rúcula, agrião, acelga, ou mesmo alface funcionam perfeitamente.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Criações inusitadas

Sempre adorei fazer misturas inusitadas na hora de preparar patês ou pastas para comer com torradinhas ou fatias de pão. Nas festas de família na minha época de adolescente, era sempre eu quem ficava encarregada de fazer os aperitivos para servir antes do jantar. E eu sempre preparava um dos meus patês especiais.

Partindo disso, resolvi inventar uma maneira diferente para fazer um simples sanduíche de sardinhas enlatadas ficar mais divertido. A receita funciona como uma ótima opção de jantar rápido e prático para dias corridos e o resultado final ficou absolutamente sensacional, por mais que na foto não pareça lá muito apetitoso.

Patê colorido de sardinha

Patê colorido de sardinha

1 lata de sardinha conservada em água
1 col. de sopa de requeijão light
1/2 col. de sopa de mostarda escura
1 col. de sopa de azeitonas pretas picadas
2 rodelas de cebola roxa picada
1 col. de sopa de cebolinha picada
pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Despeje a sardinha numa tigela e remova os ossos e espinhas. Amasse bem com um garfo até ficar completamente desfiada. Adicione o requeijão e a mostarda e misture bem até formar uma pasta homogênea. Acrescente os demais ingredientes e termine de mexer para ficar uniforme. Sirva por cima de pães ou torradas integrais.

O legal dos patês são as  inúmeras combinações de sabores e ingredientes que podem ser utilizados. Para quem preferir uma pasta um pouco mais rala, vale incluir 1/2 col. de sopa de azeite na mistura. Já para quem gostar de um sabor picante, sugiro acrescentar uma pitada de tabasco ou pimenta calabresa. Assim, o sanduíche ganha uma pegada mais forte com intensidade fantástica.

Por fim, quem quiser pode decorar o sanduíche com 1 folha de alface e 1 ou 2 rodelas de tomate antes de acrescentar a pasta de sardinha. Nada melhor do que uma mini saladinha para dar o toque final a este saboroso lanche express.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Cremoso sem perder a forma

Muitas pessoas reclamam da falta de sabor quando comem simples filés de peixes brancos grelhados ou assados. De fato, se não investirmos em adicionar diversos temperos na hora de preparar estes peixes, eles perdem qualquer possibilidade de ficarem saborosos ou interessantes.

Entretanto, isso não quer dizer que uma simples combinação de sal, pimenta e limão não possa trazer também uma simplicidade singela a um bom filé de peixe. Mas, de qualquer maneira, quando encontro receitas de molhos ou formas de preparo que me parecem diferentes e chamam a minha atenção corro logo para experimentar.

Filé de peixe cremoso

Filé de peixe cremoso

1 posta de cação (ou outro peixe a sua escolha)
1/2 pacote de sopa de cebola cremosa em pó
1 col. de sopa de requeijão light
1 col. de chá de gergelim
suco de 1 limão
pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Tempere o peixe com pimenta-do-reino a gosto e reserve. Numa tigela, misture a sopa de cebola em pó com o requeijão até formar uma pasta homogênea. Besunte o filé inteiro com a mistura de maneira uniforme. Arrume numa forma refratária antiaderente e salpique as sementes de gergelim por cima. Leve ao forno pré-aquecido em 200 C por 15 minutos. Antes de servir, regue com o suco de limão.

É importante deixar claro que não há necessidade de temperar o peixe com sal previamente pois a sopa de cebola em pó já é bastante salgada. No máximo, utilize pimenta-do-reino ou pimenta calabresa para dar uma pegada mais forte se for o caso.

Como o requeijão derrete quando aquecido no forno, a pasta que cobre o filé do peixe fica cremosa e deliciosa. Já as sementes de gergelim ajudam a dar ao prato um toque oriental singelo. Até por isso, para os mais aventureiros, vale pegar um pouco de wasabi (uma raiz bem forte, tipicamente utilizada na culinária japonesa) e acrescentar na hora de comer. De qualquer maneira, só o peixe com o cremezinho e o gergelim já fica divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!