Abrindo a mente

Quem disse que vegetariano não pode saborear um belo hambúrguer? E quem disse que carnívoros também não podem se aventurar pelas ondas vegetarianas de vez em quando?

Eu adoro carne e incluo na minha dieta diariamente uma porção de proteína animal magra (carne branca tipo peixe ou frango) e pelo menos duas vezes por semana como uma porção de carne vermelha magra (filé mignon, coxão mole, maminha, alcatra etc.) que é uma fonte importantíssima de ferro para o organismo.

Entretanto, vez ou outra adoro me aventurar pelos mundos vegetarianos para saborear uma bela refeição que não tenha proteína animal. (Só para deixar claro, neste caso não chego a ser radical e não excluo ovos, leite ou queijo dos meus pratos “vegetarianos”.) Sempre tive curiosidade de experimentar um hambúrguer vegetariano, e desta vez resolvi testar uma receita de hambúrguer de palmito super interessante que achei. O resultado ficou fantástico!

Hambúrguer especial de palmito

Hambúrguer especial de palmito

150 g de palmito picado em conserva
25 g de pimentão vermelho picado
2 col. de sopa de cebola picada
1 col. de sopa de mostarda
2 col. de sopa rasas de farinha de rosca
1 col. de sopa rasa de farinha de maracujá
1 ovo
sal, pimenta-do-reino e salsinha picada a gosto

Modo de preparo:
Pique bem o palmito em conserva (mesmo comprando o que já vem picado, é bom deixá-lo ainda menor). Em uma tigela, misture o palmito com a cebola e o pimentão. Acrescente a mostarda e tempere com sal, pimenta e salsinha a gosto. Adicione as farinhas e mexa bem com uma colher. Por fim, acrescente o ovo batido e misture com as mãos até formar uma massa homogênea.
Divida a massa em 3 ou 4 partes e molde os hambúrgueres. Leve à geladeira por 30 minutos antes de assar. Pré-aqueça o forno em 200ºC e coloque os hambúrgueres para assar numa forma refratária antiaderente até dourarem (aproximadamente 25 a 30 minutos). Sirva em seguida.

A primeira vista pode parecer estranha a receita, mas prometo que ficou uma delícia! Nas instruções iniciais, não dizia para acrescentar a farinha de maracujá. Entretanto, quando coloquei as duas col. de sopa de farinha de rosca achei que não tinha dado liga suficiente e resolvi colocar mais uma col. de sopa rasa da farinha da casca de maracujá tão fantástica que comprei para fazer o peixe empanado.

Para mim, o resultado ficou sensacional e a col. de sopa de farinha a mais não deixou os hambúrgueres massentos. A consistência ficou perfeita e o sabor, por mais inusitado e diferente de qualquer coisa que já tenha provado, foi divino. Por já ter sua dose de carboidrato provenientes das farinhas, uma boa pedida para acompanhar este hambúrguer é uma salada leve de folhas verdes com tomate.

No fim acho que vale a pena aventurar-nos de vez em quando em pratos que normalmente não comeríamos. Sem querer podemos esbarrar em algo sensacional que jamais pensaríamos em provar como aconteceu comigo hoje. Recomendo!

Por hoje é só.

Bon appetit!

A nova onda na hora de empanar

Sempre gostei de filé a milanesa, fosse de carne, frango ou peixe. Mas depois que passei pela reeducação alimentar, vi que essa história de fica empanando e fritando os filés não era algo muito saudável para minha vida. Confesso que sinto um pouco de saudade, mas agora descobri uma farinha que, além de ser nutritiva, serve como substituto na hora de preparar o empanado: a farinha de maracujá.

Segundo li em artigos escritos por nutricionistas, a farinha é feita da casca do maracujá e é riquíssima em fibras, vitaminas e minerais. Além disso, tem o poder de baixar as taxas de açúcar no sangue, controlar a glicemia e reduzir a velocidade com que o açúcar entra no sangue, o que é ótimo para quem sofre com diabetes. Por fim, a farinha de maracujá é também um excelente bloqueador de gordura, reduzindo a quantidade que é absorvida pelo organismo. Ou seja, fantástico para quem quer manter a linha e a dieta.

Com todos esses benefícios, não tinha como eu não provar uma receita que achei de peixe empanado com a tal da farinha de maracujá. O resultado ficou divino e, apesar de não ficar tão crocante quanto o tradicional filé a milanesa, vale a pena a substituição para ganhar todos os benefícios que a farinha da casca de maracujá proporciona.

Peixe empanado com maracujá

Peixe empanado com maracujá

1 filé de linguado
1 dente de alho amassado
1 col. de sopa de suco concentrado de maracujá
2 col. de sopa de vinho branco
1 col. de sopa de farinha de maracujá
1 col. de sopa de farinha de rosca
azeite e sal a gosto

Modo de preparo:
Numa forma refratária, tempere o peixe com sal, alho, o suco de maracujá e o vinho branco. Deixe marinar por 30 minutos. Misture a farinha de maracujá com a farinha de rosca e empane os filés. Unte uma forma antiaderente com um fio de azeite e coloque o filé. Regue o peixe com outro fio de azeite e leve ao forno pré-aquecido em 180ºC por 25 minutos. Vire na metade do tempo. Sirva em seguida.

O tipo de peixe que usei não se presta perfeitamente para esta preparação pois é bastante fino e quebradiço. Entretanto, não comprometeu em nada o sabor final do prato. De qualquer maneira, sugiro optar por outros tipos de filés, como namorado, st. pierre, robalo ou pescada.

O gostinho da farinha de maracujá é praticamente o mesmo da farinha de rosca normal, ou seja, não se preocupe se você não gosta muito do gosto do maracujá pois não vai ficar muito forte. Mas caso você seja como eu que adora maracujá, vale fazer a marinada com uma quantidade maior do suco para que o peixe pegue bem o sabor.

Além de ser super nutritivo, este prato é altamente saudável e pouco calórico. O fato de assar o filé no forno ao invés de fritá-lo reduz enormemente o número de calorias e gordura ingerida. O peixe pode não ficar crocante como fica quando é frito, mas os benefícios desta forma de preparação acabam compensando no final.

Por hoje é só.

Bon appetit!