Uma sinfonia de sabores deliciosos

Como comentei neste post anterior, tenho adorado brincar de fazer molhos para peixes e outras carnes à base de frutas frescas. Se a receita daquele dia combinava mais com carnes vermelhas ou outras mais pesadas, a de hoje é perfeita para regar por cima de opções mais delicadas como um delicioso filé de peixe branco ou um peito de frango grelhado.

Ambas as receitas ficaram divinas e são ótimas maneiras de incluirmos mais frutas na nossa alimentação. Todos os nutricionistas e profissionais de saúde já concordam que precisamos comer de 3 a 5 frutas diferentes por dia. Para quem não é tão fã assim dessas gostosuras, juntá-las num molho delicioso como estes ajuda a cumprir a meta sem muita dificuldade.

Tilápia ao molho de pêra com damasco

Tilápia ao molho de pêra com damasco

1 filé de tilápia
1 pêra média
25 g (+/- 2 und.) de damasco seco
60 ml de vinho branco seco
suco de 1/2 limão siciliano
1 folha de louro
raspas de limão e sal a gosto

Modo de preparo:
Tempere a tilápia com sal a gosto e leve para assar numa forma refratária antiaderente em forno médio-baixo pré-aquecido em 200˚C. Deixe assar por 20 minutos ou até atingir o ponto desejado. Reserve.
Enquanto o peixe cozinha, corte a pêra em cubos pequenos descartando o miolo. Caso deseje também pode descascar a fruta mas não é necessário. Coloque numa tigela e regue com o suco do limão siciliano. Acrescente as raspas do limão a gosto e reserve.
Despeje o vinho branco numa panela antiaderente e acrescente os damascos inteiros. Deixe ferver e abaixe o fogo. Cozinhe mantendo uma leve fervura por 10 minutos ou até que os damascos estejam bem macios. Retire-os da panela e deixe esfriar num prato até conseguir manusear. Corte em pedaços pequenos.
Coloque os pedaços da pêra junto com o suco e as raspas da marinada dentro da panela com o resto do vinho. Deixe ferver novamente e abaixe o fogo para cozinhar mantendo uma leve fervura. Após 5 minutos, acrescente os damascos cortados em cubinhos. Deixe cozinhar por mais 5 a 7 minutos até que a pêra fique bem macia, os damascos amoleçam mais e o molho reduza e engrosse um pouco. Regue por cima do peixe assado e sirva em seguida.

Apaixonei-me completamente por esta receita. Parece que a combinação do docinho dos damascos com o azedo do limão e a neutralidade da pêra uniram-se para criar a mais bela sinfonia de sabores que já experimentei na vida. A receita original ainda sugeria acrescentar alecrim ao molho na hora do preparo no fogo. Achei desnecessário, não coloquei e acredito que não fez a menor falta.

De qualquer maneira, gostei tanto do sabor final que acabei fazendo algo que não costumo fazer e repeti a doze alguns dia depois. Contei para minha mãe da receita que tinha preparado e ela ficou tão interessada em provar que pediu para que preparasse para ela. Na segunda vez colocamos o molho por cima de peito de frango assado em papelote de alumínio. Ficou absolutamente divino e concluí que a receita funciona mesmo já que deu certo nas duas vezes que testei.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para adoçar as tarde de domingo

Já virou rotina ver manchetes de revistas e artigos científicos afirmando que o tão apreciado chocolate não é mais tão vilão da saúde quanto pensávamos. Ao contrário, consumir uma pequena quantidade dessa delícia diariamente pode trazer inúmeros benefícios a nossa saúde. O importante é escolher qual chocolate saborear para que as calorias ingeridas não sejam completamente vazias.

Quanto maior a porcentagem de cacau no chocolate, melhor ele é para nossa alimentação. Isso porque os benefícios estão todos presentes na manteiga do cacau e no pó usado ao preparar o chocolate. As versões ao leite e principalmente o chocolate branco, que não contem nada de cacau em pó, aumentam demais o volume de açúcar da receita e deixam de lado as propriedades benéficas do doce.

Devo confessar que antes de passar pela reeducação alimentar não era muito fã de chocolate amargo. Alias, minha versão preferida era a pior possível: o chocolate branco. Hoje aprendi a saborear a delicadeza marcante do chocolate com maior percentual de cacau. Atualmente, para mim, quanto maior essa porcentagem, melhor.

Mas como ninguém é de ferro e todos merecemos uma escapulida de vez em quando, resolvi experimentar esta receita de muffins de chocolate branco com damasco. A quantidade de chocolate utilizada não é muita mas é perfeitamente suficiente para satisfazer meus desejos sem destruir completamente meu plano alimentar. Sensacional, não?

Mini muffin de chocolate branco com damasco

Mini muffins de chocolate branco com damasco

1 xíc. de chá de farinha de trigo
1/4 de xíc. de chá de açúcar
1 col. de chá de gengibre em pó
1/2 col. de chá de fermento em pó
1 pitada de sal
25 g de chocolate branco picado
90 ml de leite desnatado
1 1/2 col. de sopa de margarina light
1 clara
25 g de damasco seco picado

Modo de preparo:
Junte a farinha de trigo, o açúcar, o gengibre, o fermento, a pitada de sal e o chocolate picado numa tigela e misture bem com um garfo para que fique tudo incorporado. Em outra tigela, misture o leite, a margarina derretida e a clara. Mexa bem com um garfo para que fique homogêneo.
Aos poucos, incorpore a mistura molhada na mistura seca. Mexa com delicadeza apenas para que fique homogêneo mas tenha cuidado para não mexer demais. Por fim acrescente o damasco picado e termine de mexer.
Pré-aqueça o forno em 200˚C. Despeje a massa em forminha de mini muffins antiaderentes untados com spray de azeite. Leve ao forno e deixe assar de 12 a 14 minutos ou até que um palito enfiado no meio saia limpo. Saboreie com uma xícara de chá de frutas no lanche da tarde.

Rende 12 mini muffins.

Sou apaixonada por muffins, ainda mais estes tamanho miniatura já que podemos comer mais de um sem pesar demais a consciência. Tenho várias receitas de sabores diferentes e me divirto experimentando cada uma. Aqui no blog já publiquei outras, como a de banana com farinha integral e a de cacau com chocolate amargo.

Mas sem dúvida esta nova de chocolate branco com damasco tornou-se minha preferida. A mistura de sabores ficou divina e a quantidade utilizada é perfeita para dar aquele gostinho e satisfazer meus desejos sem sobrecarregar demais a receita. O melhor é que podemos congelar os muffins já pronto para saborear um outro dia. Aproveite para fazer muitos e ir comendo ao longo da semana. Aposto que vai adorar.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Quebrando o preconceito

Confesso que antes de provar tinha total preconceito contra o tofu. Achava que seria sem graça, sem gosto e servia só para quem queria perder peso. Hoje minha concepção mudou radicalmente. Além de experimentar esta delícia em restaurantes que sabiam como torná-la especial, também encontrei algumas receitas que preparei em casa. Todas me ajudaram a provar de uma vez por todas que tofu é gostoso sim, basta saber o que fazer com ele.

A princípio preparar uma refeição com base no tofu não é lá muito difícil. Por ter um sabor bem delicado e suave, este queijo feito de soja tem a capacidade de absorver praticamente qualquer tempero ou demais ingrediente que é adicionado a ele durante o cozimento. Outra dica é deixar o tofu marinando nos temperos que serão usados na receita antes de começar. Assim ele fica ainda mais empapado de sabor.

Tofu ao molho de tomate com shitake

Tofu ao molho de tomate e shitake

200 g de tofu firme
15 g de shitake seco
100 g tomate
1/4 de cebola picada
1 col. de sobremesa de azeite
manjericão fresco picado a gosto

Modo de preparo:
Retire a água da embalagem de tofu e seque o queijo com algumas folhas de papel toalha. Quando estiver bem sequinho, corte em cubos grandes e reserve. Numa tigela, coloque 200 ml de água quente e acrescente o shitake seco. Deixe descansar para hidratar por no mínimo 30 minutos. Descarte a água e reserve os cogumelos.
Numa panela antiaderente, coloque os pedaços do tofu com um fio de azeite e deixe cozinhar de 5 a 7 minutos de cada lado até dourar. Não precisa ir mexendo os cubos enquanto cozinham, apenas vire após o tempo indicado para que todos os lados dourem de maneira uniforme.
Acrescente à panela o tomate picado e o shitake hidratado. Mexa com cuidado até começarem a murchar. Por fim, coloque o manjericão picado a gosto. Sirva imediatamente com torradinhas integrais.

Se não conseguir achar manjericão fresco uma opção é usar 1 col. de sopa de molho pesto pronto. Eu prefiro sempre usar ingredientes frescos ou naturais, até porque os frascos de molho pesto industrializados geralmente vem com níveis de gordura bastante altos. Entretanto, esta dica ajuda a tornar o preparo mais rápido e prático.

Entre as receitas de tofu que já provei a versão assada com molho de laranja e aspargos ainda é a minha predileta. Entretanto, este prato chega bem perto em segundo lugar. O fato de ter shitake e molho caseiro de tomate com manjericão ajudam a deixar o tofu com um gostinho fantástico e foge dos sabores tradicionalmente asiáticos, o que não deixa de ser uma variação super bem vinda de vez em quando.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Toque festivo

Damasco seco é quase símbolo desta época do ano. Impossível não encontrar uma linda tábua de frutas secas e nozes misturadas decorando a mesa na noite de natal. Mas damascos são ótimas frutas não apenas para comer puras ou com nozes. Elas também funcionam super bem como base para criar molhos incríveis para peixes, frangos ou sobremesas.

Não sou muito de inventar receitas. Entretanto, desta vez a minha sugestão foi quase completamente criada por mim. Apenas peguei uma receita de um livro e adaptei e modifiquei bastante de acordo com meu gosto. No fim acho que deu super certo (e ainda acho que ficou melhor do que a receita original).

Peito de frango ao molho de damascos

Peito de frango ao molho de damascos

100 g de peito de frango cortado em pedaços grandes
80 ml de suco de pêssego light
1 dente de alho
1/4 de cebola picada
sal e pimenta-do-reino a gosto
4 damascos secos
100 ml de água

Modo de preparo:
Tempere o peito de frango cortado com sal e pimenta a gosto. Despeje o suco de pêssego numa panela antiaderente. Acrescente a cebola, o alho e o frango e cozinhe em fogo médio até o frango ficar macio e o suco reduzir pela metade (aproximadamente 10 minutos).
Pique os damascos em pedaços pequenos e coloque numa tigela com a água para amaciar. Deixe na geladeira de 15 a 20 minutos. Depois de amaciar um pouco, coloque os damascos picados junto com a água numa panela antiaderente e deixe ferver. Abaixe o fogo e cozinhe até os damascos desmancharem quase por completo e a água reduzir pela metade (aproximadamente 15 minutos).
Por fim, despeje o molho encorpado dos damascos na panela com o frango e o restinho do suco de pêssego. Cozinhe mais alguns minutos para o molho terminar de encorpar e o frango pegar o sabor dos damascos. Sirva a seguir.

Para quem curte doce com salgado esta receita é a essência da perfeição. Por serem frutas secas, os damascos têm uma concentração maior do açúcar que existe naturalmente nas frutas. Assim, ao preparar o molho, o açúcar vai incorporando na água e quando engrossa transforma o sabor deixando-o incrivelmente docinho.

Justamente por isso, este prato não comporta acompanhamentos muito fortes ou que também tenham sabor pronunciado para evitar que os gostos não competirem entre si. Minha sugestão é preparar um arroz integral simples e legumes delicados como brócolis ou couve-flor fervidos rapidamente. A combinação fica uma delícia e o sabor do molho de damasco ainda combina super bem regado por cima das verduras.

Por hoje é só.

Bon appetit!