Misturas práticas

De volta à rotina, segunda-feira é dia de preparar algo mais leve para compensar a comilança do final de semana. Neste caso, o estrago com certeza foi ainda maior já que ontem era o dia internacional de se atracar no chocolate. Espero que tenham se contido um pouco, né? Até porque mesmo coisas boas em quantidades absurdas nunca fazem bem para nossa saúde.

E já que os últimos três dias também com certeza foram intensos na cozinha, que tal preparar algo simples e que suje pouca coisa para lavar depois? Refeições de um prato só são uma ótima pedida para estes casos e esta em especial ficou tão saborosa que tenho certeza todos vão aprovar na primeira garfada.

Cubos de frango ao misso com arroz preto

Cubos de frango ao misso com arroz preto

1 peito de frango médio
1 col. de sopa de misso (pasta de soja)
1 dente de alho
1 col. de sobremesa de gengibre em pó
1/2 cebola pequena picada
1 col. de chá de molho de peixe tailandês
3 col. de sopa cheias de arroz preto já pronto
100 g de shitake fresco fatiado
1 col. de sopa de cebolinha picada
100 g de espinafre fatiado
2 claras
salsinha e shoyu a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, misture o misso com o dente de alho amassado e o gengibre em pó. Passe toda a mistura em volta do frango para que fique bem coberto. Enrole o peito de frango com papel filme com força até ficar bem fechado e apertado. Cozinhe numa panela à vapor durante 20 minutos certificando-se de que a água na parte de baixo não esteja tocando a panela de cima. Reserve o frango e o molho que se formou dentro do plástico.
Aqueça uma panela wok e despeje o molho de peixe, a cebola, o espinafre e o shitake. Mexa até começar a murchar. Junte o frango cozido cortado em pedaços e o molho reservado que se formou dentro do papel filme do cozimento do frango. Mexa até ficar quase pronto. Por fim junte o arroz já cozido, a cebolinha, as 2 claras e o shoyu a gosto. Mexa até que as claras estejam cozidas. Salpique salsinha a gosto e sirva a seguir.

Na receita original a sugestão era fazer com arroz integral tradicional. Entretanto, como já tinha arroz preto feito em casa resolvi usar os restos para não ter que me preocupar em fazer mais isso para o almoço. Da mesma forma, você pode aproveitar o arroz que tiver pronto em casa que sobrou do almoço de ontem. Facilita bastante a vida.

Caso queira preparar algum arroz novo para fazer esta receita, o integral é mesmo a melhor opção. No meu caso, como utilizei o arroz preto ele acabou manchando todo o prato com sua cor característica. O sabor ficou delicioso, mas confesso que a aparência meio “suja” pode ter deixado o prato menos apetitoso. Mas é apenas impressão, viu? Garanto que no fim ficou uma delícia!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Delícias caseiras

Uma das maiores vantagens de preparar pratos clássicos em casa é a possibilidade de reduzir a quantidade gritante de açúcar ou gordura que os restaurantes ou fast foods acrescentam às comidas. Por exemplo, você sabia que algumas lojas de doces colocam farinha na massa do brigadeiro para fazer render mais? Ninguém merece não é mesmo?

Além de mais saudável, preparar alguns pratos em casa ainda traz aquele gostinho caseiro que amamos tanto. Mas para isso, nem sempre precisamos fazer TUDO. Há mil maneiras de aproveitar pacotes pré-prontos à venda no supermercado mantendo a refeição saudável e, principalmente, super gostosa.

Yakisoba de frango

Yakisoba de frango

1 pacote de macarrão instantâneo sabor yakisoba
2 filés de peito de frango médios
1 bandeja de vegetais para yakisoba (aprox. 400 g de couve-flor, brócolis, cenoura e repolho variados)
1 col. de sobremesa de azeite ou óleo de gergelim
shoyu light a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma frigideira wok e acrescente um fio de azeite ou óleo de gergelim. Corte o frango em pedaços pequenos. Refogue na wok por 5 minutos até o frango ficar quase pronto. Reserve.
Lave bem os vegetais e corte em pedaços pequenos (se já não estiverem cortado). Refogue os vegetais na wok de 2 a 3 minutos até ficarem al dente. Devolva  frango à wok e misture bem. Comece a temperar com shoyu a gosto e continue mexendo.
Enquanto refoga os vegetais, prepare o macarrão instantâneo. Descarte o tempero que vem junto. Quando estiver pronto, escorra e acrescente o macarrão à wok. Continue mexendo para incorporar todos os ingredientes e termine de temperar com shoyu a gosto. Sirva a seguir.

Rende 2 porções.

A vantagem de comprar o macarrão instantâneo sabor yakisoba é ter o tipo de massa característico deste prato. Entretanto, como o tempero que vem junto é descartado completamente, qualquer versão serve. Alias, é possível até fazer com macarrão normal, mas o instantâneo acelera bastante o processo e ajuda a ter uma melhor noção de quantidade nas porções.

Vários supermercados trazem bandejas já prontas de vegetais cortados para preparar yakisoba. Isso facilita e muito a vida já que eles vem numa maior variedade e menor quantidade de cada um evitando o desperdício de comprar muito de cada. Além disso, por já virem cortados, acelera ainda mais o preparo deste prato já super fácil de fazer. Melhor impossível, certo?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sofisticando o simples

Decidi que minha nova missão na vida é converter os céticos do tofu. Apaixonei-me tão completamente por esta delícia que procuro diariamente novas maneiras de prepará-lo e aumentar meu arsenal de receitas. E esse vício não poderia ser melhor. Isso porque este queijo feito à base de soja é super saudável e ótimo para quem tem intolerância a lactose.

Por ter um sabor tão suave, muitas vezes a razão pela qual as pessoas torcem o nariz para ele, o tofu aceita praticamente qualquer tempero. São estas combinações diferentes e inusitadas que fazem as receitas ficarem instigantes e deliciosas.

Steak de tofu com vegetais

Steak de tofu com vegetais

200 g de tofu firme
100 g de shitake fresco
100 g de baby carrots
2 dentes de alho
1 col. de sopa de mel
3 col. de sopa de shoyu light
1/2 col. de sopa de vinagre de vinho branco
1/2 col. de sobremesa de pimenta calabresa moída

Modo de preparo:
Corte o tofu em quatro pedaços iguais. Coloque num recipiente pequeno e regue com um pouco de shoyu. Deixe marinando por pelo menos 30 minutos. Numa tigela, misture 1 col. de sopa de shoyu, o mel, o vinagre e a pimenta calabresa. Reserve.
Aqueça uma frigideira antiaderente e refogue o alho e a cenoura com alguns pingos de água. Mexa por alguns minutos até começar a cozinhar. Acrescente o shitake cortado em tiras e refogue por mais alguns minutos até amaciar. Despeje o molho preparado reservado e mexa bem de 3 a 5 minutos até engrossar. Reserve os vegetais num prato.
Coloque 1 col. de sopa de shoyu na frigideira e posicione as fatias de tofu. Deixe aquecer sem mexer por 2 ou 3 minutos até começar a escurecer. Vire e repita o procedimento do outro lado. Sirva acompanhado dos legumes reservados e torradinhas integrais.

Das várias maneiras de preparar tofu que já testei algumas se destacaram e tornaram-se minhas preferidas, como o tofu assado com aspargos e o tofu texano. Mas a nova que trago hoje certamente entrou para a lista. Com ar gourmet, estes “filezinhos” de tofu são deliciosos e perfeitos para um jantar leve e sofisticado.

O bom desta mistura é que aceita algumas modificações caso prefira outros vegetais ou não tenha cenouras em casa. Vale testar com vagem macarrão, tiras de pimentão verde ou vermelho ou mesmo aspargos. A princípio qualquer vegetal de consistência firme combina bem com os “filezinhos”  de tofu.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sabor e praticidade num só lugar

Uma das maneiras mais fáceis de preparar um belo prato com filé é fazendo um simples stir-fry oriental. Já compartilhei diversas receitas de stir-fry, mas até agora não tinha chamado por este nome. O stir-fry nada mais é do que pegar uma carne, alguns vegetais e um molho e preparar na panela wok.

Não chega a ser uma fritura já que o formato da panela evita com que os ingredientes fiquem nadando na sua própria gordura. Além disso, a rapidez com que os pratos são preparados fazem com que seja necessário quantidades mínimas de óleo (ou nenhum se a panela for antiaderente). O resultado são receitas super saborosas e saudáveis.

Tirinhas de carne apimentada

Tirinhas de carne apimentada

1 pedaço pequeno de filé magro
1 col. de sopa de shoyu light
1 col. de sopa de vinagre de arroz
1 col. de chá de açúcar mascavo
1/2 cebola
1 col. de chá de gengibre em pó
1/2 cenoura pequena ralada
1 col. de sobremesa de pimenta calabresa
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Tempere a carne com sal e pimenta a gosto e corte o pedaço de filé em tiras bem fininhas com uma faca afiada. Numa tigela, misture o shoyu, o vinagre de arroz e o açúcar mascavo. Acrescente a carne e mexa bem para incorporar todo o tempero. Deixe marinando por 30 minutos.
Aqueça uma panela wok antiaderente e refogue a cebola picada com o gengibre em pó. Adicione a cenoura ralada bem fininha e refogue por mais alguns segundos. Por fim, coloque a carne junto com o molho da marinada na panela. Mexa bem e deixe refogar até a carne cozinhar por completo (de 2 a 3 minutos). Salpique com pimenta calabresa e sirva por cima de arroz integral.

Uma dica para conseguir cortar a carne bem fininha é fazê-lo enquanto ela ainda estiver um pouco congelada. Assim fica mais fácil manipular o filé. Se quiser deixar o prato mais interessante, corte a cebola em tiras invés de picá-la. Com isso os pedaços de cenoura e cebola ficam do mesmo tamanho e deixam a receita esteticamente mais bonita.

Como toda receita oriental a intensidade do sabor depende dos temperos e da quantidade utilizada. A melhor parte desta carne desfiada é a pimentinha calabresa acrescentada ao final. Entretanto, se você não gostar muito de pratos picantes pode deixar de fora já que a marinada utilizada é bastante saborosa.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Fugindo do tradicional

Para quem não curte muito comida feita com leite de coco a culinária tailandesa pode realmente parecer pouco apetitosa. Conhecida pelos seus pratos adocicados e picantes ao mesmo tempo e que geralmente são feitos à base de leite de coco, açúcar, temperos e especiarias, a comida da Tailândia é especializada nesses sabores.

Entretanto, para aqueles que torcem o nariz a essas delícias há uma outra receita clássica que pode parecer bem mais agradável. Suave e simples, lembra os sabores da culinária chinesa, temperos mais conhecidos do paladar brasileiro. A olho nu pode até parecer um frango xadrez genérico, mas este é inspirado em outro país do extremo oriente.

Frango com castanha à moda tailandesa

Frango com castanha à moda tailandesa

15 ml de shoyu light
30 ml de caldo de galinha
1 col. de sopa cheia de molho de ostra
1 col. de chá de vinagre de vinho branco
1 col. de sobremesa de mel
1 col. de chá de maizena
1 peito de frango cortado em cubos
1/2 pimentão verde pequeno
¼ de cebola
1 col. de chá de gengibre em pó
1 dente de alho
1 col. de sopa cheia de cebolinha picada
castanha de caju a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, misture metade do shoyu e da maizena. Corte o frango em cubos e junte à mistura. Mexa bem para o que o frango fique totalmente coberto. Reserve. Numa outra tigela, junte o resto do shoyu e da maizena com o caldo de galinha, o molho de ostra, o vinagre e o mel. Reserve. Corte o pimentão e a cebola em tirinhas e pique o alho. Salpique o gengibre em pó por cima. Reserve.
Aqueça uma panela wok em fogo médio. Acrescente o frango com a marinada e refogue por alguns minutos até começar a cozinhar. Reserve na tigela. Despeje os vegetais temperados com o gengibre à wok e refogue de 3 a 5 minutos até amaciarem. Retorne o frango à wok e adicione o molho reservado. Cozinhe mexendo sempre até o frango ficar pronto e o molho engrossar. Salpique a castanha por cima e sirva acompanhado de arroz integral.

Sou simplesmente apaixonada por este prato. O molho fica uma delícia e, apesar de ser docinho, não chega a arruinar completamente uma alimentação balanceada e saudável. Além disso, qualquer refeição preparada em casa tem a vantagem de conseguirmos controlar a quantidade de gordura e açúcar acrescentada o que a torna mais saudável.

O molho de ostra utilizado nesta receita é bem tradicional e muito utilizado em diversas preparações orientais. Ele não é muito comum aqui no Brasil mas também não chega a ser extremamente difícil de encontrar. Procure nas seções de comida asiática de um grande supermercado ou em lojas especializadas.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Dando aquela ajudazinha

As vezes lemos coisas contraditórias sobre como manter uma alimentação saudável. Já virou unanimidade o conceito de que é interessante reduzir a quantidade de carne vermelha que ingerimos e optarmos, sempre que possível, por carnes brancas como frango ou peixe. Isso porque os níveis de gordura saturada nas carnes brancas é menor, evitando o acúmulo delas nas artérias.

Até aí tudo bem. O problema é o risco que corremos de essa mudança gerar deficiências de nutrientes importantes como o ferro. Imprescindível para o transporte do oxigênio no sangue, o ferro tem como sua principal fonte justamente as carnes vermelhas.

Mas também não adianta apenas comer um filé dia sim dia não. Isso porque para ser melhor absorvido pelo organismo, o ferro requer uma boa dose de vitamina C, presente em grande quantidade nas frutas cítricas. A receita de hoje é uma combinação perfeita desses dois nutrientes. Com isso temos a certeza de que, mesmo nas poucas vezes em que comemos carne vermelha, o tão importante ferro será bem absorvido pelo corpo.

Carne à moda oriental com molho de laranja

Carne à moda oriental ao molho de laranja

1 filé magro pequeno (alcatra, patinho, filé mignon)
1 laranja
30 ml de suco de laranja
1 col. de chá de amido de milho
1 col. de sobremesa de shoyu light
50 g de cebolinha
50 g de aspargos frescos
1 col. de chá de pimenta calabresa
1/4 de cebola

Modo de preparo:
Corte a carne, a cebola, a cebolinha e os aspargos em tiras finas. Reserve. Numa tigela, misture o suco de laranja, o amido de milho e o shoyu. Reserve. Descasque a laranja e reserve 3 ou 4 tiras da casca (apenas a parte laranja). Corte a laranja em gomos e reserve.
Aqueça uma wok (ou frigideira grande) antiaderente. Refogue a carne com alguns pingos de água mexendo sempre até começar a cozinhar (aproximadamente 5 minutos). Reserve. Acrescente à wok a cebola, a cebolinha, os aspargos e as tiras da casca de laranja. Refogue por alguns minutos e adicione o molho reservado. Mexa bem por 1 minuto até começar a engrossar.
Devolva a carne à wok e misture aos vegetais. Mexa bem para terminar de cozinhar a carne e incorporar ao molho. Sirva com os gomos da laranja e a pimenta calabresa salpicada por cima a gosto.

Além de auxiliar na absorção do ferro, juntar frutas com carnes sempre traz uma mistura deliciosa de sabores ao prato. O toque azedinho do molho, cortesia da casca de laranja, fica uma delícia quando combinado com a cebolinha e os aspargos.

A técnica tradicionalmente oriental de usar a wok para este tipo de preparação facilita muito a vida na hora de fazer o almoço. A dica é deixar tudo pré arrumado já que a praticidade do preparo exige agilidade e rapidez. Se você quiser dar um toque agridoce ao molho, acrescente 1/2 col. de sobremesa de açúcar mascavo à mistura antes de colocá-la na wok. Fica divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Simples e saboroso

Uma das fontes mais magras de proteína é o peito de frango. Clássico e protagonista de quase todas as dietas ou planos alimentares, pode tornar-se entediante ou sem graça quando ficamos só nele. Uma alternativa é aventurar-se por outros corte do frango como coxas e sobre coxas. Quando cozidos sem a pele, estas carnes também são uma ótima fonte de proteína magra para incluir na alimentação.

A pele presente nestes cortes cotem altos índices de gordura que, quando não retirada, acaba infiltrando-se na carne. Apesar de não perder o sabor quando cozida sem a pele, a coxa de frango pode ficar um pouco simples demais se feita pura. A solução? É só caprichar no molho. Este que testei hoje é super simples e suave e ficou uma delícia.

Coxa de frango ao limão com gengibre

Coxa de frango ao limão com gengibre

2 coxas de frango
suco de 1 limão siciliano
1 col. de sobremesa de raspas de limão
1/2 col. de chá de gengibre em pó
1 col. de sobremesa de mel
1/2 col. de sobremesa de shoyu light
1 col. de sobremesa de água
sal a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, misture as raspas de limão com o gengibre e uma pitada de sal. Em outra tigela, junte o suco do limão, o mel, a água e o shoyu. Tempere as coxas de frango com a mistura de raspas de limão e gengibre. Massageie com as mãos para ter certeza de que as coxas estejam bem impregnadas com o tempero.
Aqueça uma frigideira antiaderente e coloque o frango. Deixe cozinhar por aproximadamente 5 minutos de cada lado até começar a dourar. Acrescente o molho, abaixe o fogo e cozinhe tampado por mais 5 minutos ou até que o frango esteja pronto e o molho tenha reduzido e caramelizado. Sirva acompanhado de legumes no vapor.

A receita pode parecer bem simples mas fica absolutamente deliciosa. Se o molho tiver reduzido demais e o frango não estiver cozido ainda, acrescente mais um pouco de limão e mel. Assim o tempero continua caramelizado e saboroso. Em último caso, coloque mais 1 col. de sopa de água para não secar completamente.

Este prato é ótimo para fazer num dia de semana corrido. Por não exigir nenhuma preparação sofisticada ou demorada, pode ser feito meia hora antes do horário do almoço sem correria. O sabor também não fica muito intenso, perfeito para quem prefere receitas mais suaves e delicadas.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sabores agridoces orientais

Nada melhor do que investir no consumo de peixes para manter uma alimentação balanceada e saudável. Isso porque os frutos do mar de modo geral são ricos em ômega 3, um tipo de gordura insaturada indispensável para abaixar os níveis do colesterol ruim e aumentar o nível do colesterol bom no sangue.

O salmão constitui uma das melhores fontes de ômega 3 entre os peixes. Delicioso e com sabor bem característico, pode ser saboreado de inúmeras maneiras. A culinária japonesa investe pesado no consumo de salmão na forma de sushis e sashimis. Mas para quem não gosta muito de comer peixe cru, pode preparar um belo filé de salmão com molhos deliciosos para acompanhar, como na receita divina de hoje.

Salmão assado ao molho de maracujá

Salmão assado ao molho de maracujá

1 filé de salmão (120 g)
polpa de 1 maracujá azedo
1/4 de pote de iogurte desnatado
1/2 col. de sopa de shoyu light
1/2 col. de sopa de azeite
1/2 col. de sobremesa de mel

Modo de preparo:
Posicione o filé de salmão numa forma refratária antiaderente. Regue com um fio de azeite e leve ao forno pré-aquecido em 180ºC por 20 minutos para começar a assar.
Para o molho, misture a polpa do maracujá, o iogurte, o shoyu, o azeite e o mel numa tigela. Mexa bem até formar uma pasta homogênea. Regue o salmão com o molho e volte para o forno por mais 5 minutos para terminar de assar. Sirva a seguir.

Por mais que o salmão tenha bastante gordura boa, é sempre bom regar com o mínimo de azeite ao colocá-lo para assar para evitar que fique muito seco. Normalmente evito usar óleos ou azeite quando cozinho pois a gordura boa do azeite se transforma em gordura ruim quando aquecido. Entretanto, usar bem pouquinho de vez em quando não chega a comprometer completamente uma alimentação saudável.

O molho de maracujá preparado desta maneira fica absolutamente divino. Isso porque mistura o azedinho do maracujá e do iogurte com o docinho do mel formando um sabor agridoce fantástico. Além disso, o shoyu ajuda a dar um toque oriental à receita, transformando este molho no acompanhamento perfeito para peixes como o salmão.

Por hoje é só.

Bom appetit!

Outro clássico

Sempre fui apaixonada pela culinária chinesa. Quando era pequena, meus pais deixavam nós, os filhos, escolhermos o cardápio do jantar ou almoço especial no dia dos nossos aniversários. Na minha vez não tinha dúvida: restaurante chinês e de preferência com muita comida!

Entretanto, com o passar dos anos fui percebendo que a maneira como a comida tradicional chinesa é preparada, pelo menos a que eu mais gostava e nos restaurantes que frequentava, não é lá das mais saudáveis pois inclui bastante gordura e fritura. Por essa razão, agora eu evito comer essas delícias.

A exceção é quando consigo encontrar uma receita para testar eu mesma em casa. Assim, posso controlar a maneira como o prato é preparado e saboreio minha refeição sem nenhum peso na consciência, já que sei que o que estou comendo é altamente saudável. Nada melhor, então, do que compartilhar minha escolha de hoje, o sempre favorito frango xadrez.

Frango xadrez

Frango xadrez

100 g de filé de frango cortado em cubos
80 g de pimentão vermelho cortado em quadrados
50 g de champignon em conserva
1/2 cebola cortada em quadrados
1 dente de alho picado
100 ml de água
1 col. de chá de amido de milho
pimenta-do-reino e shoyu light a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com a pimenta e reserve. Numa panela antiaderente, refogue a cebola e o alho com um pouco de shoyu até amaciar. Retire a cebola e reserve. Na mesma panela, acrescente o pimentão e o champignon e refogue com um pouco mais de shoyu por aproximadamente 5 minutos. Retire os vegetais e reserve.
Ainda na mesma panela, cozinhe o frango até ficar macio. Dilua o amido de milho na água e despeje na panela mexendo sempre para não “empelotar”. Cozinhe em fogo baixo até engrossar. Por fim, devolva os vegetais reservados à panela e mexa bem por mais alguns instantes para que todos os ingredientes peguem o tempero e terminem de cozinhar. Sirva em seguida.

A vantagem do frango xadrez é que, por mais que pareça elaborado, a preparação na verdade é bastante simples. Outro fato legal é a possibilidade de poder brincar com as cores dos pimentões. Desta vez, fiz apenas com pimentão vermelho pois era o que tinha sobrando em casa. Mas, para deixar o prato mais colorido, misture o verde e o amarelo junto na hora de preparar o prato.

Outro toque final que pode ser feito para deixar a receita ainda mais saborosa é acrescentar amendoim ou castanha de caju por cima do frango quando estiver pronto. Além de dar um sabor sensacional, as frutas oleaginosas proporcionam ao organismo gorduras essenciais. Entretanto, vale um alerta: por serem bastante calóricas, elas devem ser consumidas sempre com moderação. Uma colher de sobremesa salpicada no prato está de ótimo tamanho.

Por hoje é só.

Bon appetit!

No fundo cozinhar é uma arte

Não sei se cometi um sacrilégio pois não conhecia a receita, mas achei um prato super interessante numa revista e resolvi fazer algumas modificações para torná-lo, a meu ver, ainda mais saboroso e saudável. Digo que talvez tenha cometido um pecado porque o nome da receita remete à uma cidade. Vai que o prato é super conhecido e eu “estraguei” mudando algumas coisinhas.

Dito isso, sou sempre a favor de adaptar receitas ao gosto do chef e da clientela (no caso, eu) e confesso que nunca sigo uma receita 100% como está escrita. No fundo, cozinhar é uma arte que tem lá suas técnicas e modos de preparação básicos, mas que deve sempre ser baseado no toque individual se quem está preparando o prato. Saber ter aquele feeling para mudar alguns temperos ou ingredientes e tornar a comida mais interessante e saborosa é fundamental.

Enfim, vamos a receita de hoje.

Pimentão paulista

Pimentão paulista

1/2 pimentão vermelho
1/2 cebola
2 col. de sopa de shoyu light
3 col. de sopa de vinagre de vinho branco
pimenta-do-reino e orégano a gosto

Modo de preparo:
Corte o pimentão em tiras largas e retire as sementes. Leve ao forno médio (200ºC) numa forma refratária até murcharem (aproximadamente 30 minutos).
Numa panela antiaderente, refogue a cebola cortada em rodelas médias com o shoyu e o vinagre até ficarem macias. Acrescente pimenta e orégano a gosto. Por fim, junte os pimentões assados e deixe refogar por mais 2 minutos. Sirva em seguida.

A única grande mudança que fiz na receita, na verdade, foi usar o shoyu light ao invés do azeite para refogar a cebola e o pimentão. Fiz isso para dar mais um temperinho aos vegetais e para evitar usar gordura no preparo. Como o shoyu já é bastante salgado, também não houve necessidade de acrescentar sal ao tempero.

O sabor deste prato ficou absolutamente divino. Na receita original sugeriam servir acompanhado de torrada integral. Realmente, este pimentão daria uma ótima entrada servido como canapé em alguma festa ou jantar. Entretanto, fiz o prato para acompanhar um filé mignon simples que preparei para meu jantar.

A combinação caiu super bem e mostrou que o prato também serve perfeitamente para acompanhar um grelhado ou carne assada. Isso sem contar que o pimentão vermelho é super saudável e contem vitaminas e minerais indispensáveis para o bom funcionamento do organismo.

Por hoje é só.

Bon appetit!