Almoço vapt-vupt

Não existe nada mais prático na vida de quem mora sozinho do que ter pouca louça para lavar depois de preparar o almoço. Melhor ainda quando é só uma panela, uma tigela e um garfo. Mas como atingir esta façanha sem ficar só no miojo ou numa gororoba qualquer? O segredo é investir em refeições de um prato só ao estilo oriental. Elas sempre trazem sabor e praticidade garantidas.

Segunda-feira já é um dia muito chato e quando vem bem no meio de um feriadão fica quase insuportável para quem tem que trabalhar. Mas com uma comidinha gostosa para saborear ao meio dia tudo pode ficar mais feliz e o dia pode transformar-se completamente. Esta receita certamente tem a capacidade de alegrar o dia de qualquer um.

Tigela de frango com arroz e brócolis

Tigela de frango com arroz e brócolis

1 peito de frango médio
3 col. de sopa cheias de arroz integral pronto
100 g de brócolis congelado
1 polenguinho light
2 col. de sopa de cebolinha picada
1 col. de sopa de amêndoas picadas
azeite, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Prepare o brócolis de acordo com as instruções da embalagem e reserve. Se não tiver arroz integral já pronto na geladeira, prepare de acordo com o indicado no saquinho e reserve.
Aqueça uma frigideira ou wok antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue o peito de frango cortado em cubinhos e temperado com sal e pimenta a gosto até começar a ficar branco. Acrescente a cebolinha e o polenguinho e mexa bem até o queijo derreter.
Junte o arroz e o brócolis já prontos e continue mexendo para incorporar todos os ingredientes e até aquecer bem. Desligue o fogo e finalize com as amêndoas picadas. Sirva a seguir.

Como o polenguinho é um queijo um pouco duro, por mais que seja maleável, sugiro esmagá-lo com um garfo ou colher antes de acrescentar à frigideira para ajudar na hora de derreter. Outra opção é usar 1 col. de sopa de requeijão light no lugar do polenguinho e apenas mexer bem para incorporar e aquecer por completo.

Esta receita é perfeita para quem já tiver restos de arroz e brócolis cozidos guardados na geladeira. Neste caso, tudo fica pronto em menos de 15 minutos e a louça para lavar no final é quase inexistente. Se não tiver brócolis ou preferir outro tipo de vegetal experimente com repolho verde cortado em cubos, vagem picada ou até mesmo folhas de espinafre frescas ou congeladas. Escolha o verde que mais gostar e saboreie esta tigela deliciosa com uma taça de vinho branco. Nada melhor para alegrar uma segunda-feira chuvosa como esta.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Expandindo horizontes

Depois de meses lendo e colecionando milhares de receitas das mais diversas localidades e modalidades tenho orgulho de dizer que criei uma receita própria! Tá, ela não é 100% original (mas convenhamos, que receita é 100% original). Tirei inspirações de vários lugares e acabei criando uma fusão de duas culinárias que adoro: a mexicana e a mediterrânea.

A princípio minha receita pode parecer igualzinha a muitas outras que encontramos por aí. Para ser sincera, não duvido nada que tenham “inventado” um prato idêntico ao meu. Mas desta vez digo com toda autoridade, se existir alguma receita igual a esta, juro que não vi. Esta saiu totalmente da minha cabeça.

Burrito mediterrâneo

Burrito mediterrâneo

1 unidade de pão folha
1/3 de embalagem de grão de bico cozido em conserva
1 peito de frango médio cozido e desfiado
2 folhas de alface
3 col. de sopa de salsa (molho de taco)
4 azeitonas fatiadas
1 pote de iogurte desnatado (estilo grego)

Modo de preparo:
Tempere o peito de frango com sal e pimenta chilli em pó a gosto. Ferva 300 ml de água com meio tablete de caldo de galinha. Acrescente o frango e cozinhe de 15 a 20 minutos ou até ficar pronto. Descarte o caldo, deixe o peito de frango esfriar, desfie e reserve.
Abra a embalagem de grão de bico cozido em conserva. Descarte a salmoura e deixe escorrer água nos grãos por alguns minutos para tirar o excesso de sal. Reserve. Enquanto isso, enrole o pão folha em papel alumínio e leve para aquecer em forno baixo (150˚C) por alguns minutos. Quanto estiver morno, retire do papel alumínio com cuidado.
Para montar o burrito, abra o pão folha num prato. Arrume as folhas de alface e as azeitonas fatiadas. Coloque o frango desfiado e o grão de bico por cima. Regue com a salsa e o iogurte desnatado concentrado. Enrole o pão folha e sirva em seguida.

"Burrito bowl"

Duas observações
Primeiramente, para preparar o iogurte desnatado concentrado (estilo grego) coloque um filtro de coar café numa peneira com furos finos. Despeje o iogurte dentro do filtro e deixe escorrer a água que soltar para dentro de um copo. Tampe com filme plástico e deixe na geladeira por algumas horas. Quanto mais tempo ficar escorrendo, mais concentrado (e mais parecido com creme azedo) o iogurte ficará.

A segunda questão envolve uma peculiaridade minha. O pão folha não é grande o suficiente para comportar todo o recheio. Por isso, coloquei uma parte dentro do pão (fazendo o burrito tradicional) e o restante coloquei numa tigela, criando assim um “burrito bowl“. Esta tática não deixa de ser uma opção ótima para quando não tiver (ou quiser usar) a tortilha. Todos os sabores do burrito estão lá sem o acréscimo do pão. Perfeito para um jantarzinho singelo saboroso.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Refeições de um prato só

Inspirada na culinária oriental, refeições de um prato só como esta que trago hoje são ótimas opções para facilitar a vida na hora de pensar no almoço. Até para quem come no trabalho esta dica funciona perfeitamente já que pode ser acomodada em apenas um taper-wear e armazenada na geladeira do escritório até chegar o horário do almoço.

O espaço reduzido para acomodar toda a comida força uma interação interessante dos ingredientes da receita. Apesar de ser possível comer uma coisa de cada vez, a mistura de sabores dentro da tigela traz uma combinação fantástica para o prato.

Rice bowl (tigelinha de arroz)

Rice bowl

1/2 xic. de chá de arroz integral cozido
1 filé de tilápia (130 g)
50 g de vagem holandesa
50 g de couve-flor
50 g de cenoura
1 col. de sopa vinagre de vinho branco
1 col. de sopa vinagre balsâmico
1/2 col. de sopa de missô vermelho
1/2 limão
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela pequena, misture o missô com os vinagres até formar um líquido homogêneo. Reserve. Cozinhe o arroz integral de acordo com as instruções indicadas. Reserve.
Lave bem as verduras. Corte a cenoura em rodelas e a couve-flor em floretes pequenos. Ferva 400 ml de água e escalde os legumes num escorredor. Despeje as verduras imediatamente num recipiente com água gelada e cubinhos de gelo. Reserve.
Para fazer o peixe, tempere com sal e pimenta a gosto. Esprema meio limão e leve ao forno médio (200ºC) pré-aquecido numa forma refratária por aproximadamente 25 minutos. Para montar o prato, coloque o arroz numa tigela e cubra com os vegetais e o filé de peixe em pedaços por cima. Por fim, regue com a mistura de missô e vinagre.

Esta forma de cozinhar os legumes pode parecer diferente, mas é muito utilizada também para preparar vegetais que são acrescentados a saladas. Além de reterem suas cores vibrantes, as verduras não perdem a textura crocante deliciosa e característica de quando são consumidos crus. Isso sem contar que escaldar os legumes ao invés de fervê-los é super rápido e fácil, o que ajuda e muito na hora de preparar a comida.

Pelo tamanho pequeno da tigela pode até parecer na foto que não tem arroz no prato. Mas acredite, ele está muito bem coberto e acaba sendo melhor temperado dessa maneira. Isso porque toda a mistura de missô com vinagre e vinagre balsâmico acaba escorrendo e embebedando o arroz que fica por baixo, uma ótima pedida para incrementar o que seria um arroz integral sem graça.

Por hoje é só.

Bon appetit!