O recomeço

Hoje inauguro uma nova fase do blog. A fase que passarei a chamar de “versão hobby”. Como comentei no post passado, infelizmente não dá mais para publicar uma nova receita todo dia. Mas como não quero abandonar este projeto tão especial que só me trouxe tantas alegrias vou tentar compartilhar uma dia sim, dia não.

E tem outra coisa, tem sido muito difícil achar receitas novas e diferentes ou divertidas para testar. Alguém tem alguma sugestão? No fim acabo inventando qualquer coisa da minha cabeça mesmo. Muitas vezes nem é tão especial, mas certamente nenhuma deixou de ser absolutamente deliciosa.

Farfale com frango desfiado e ervilha

Farfale integral com frango desfiado e ervilha

55 g de farfale integral
1 peito de frango
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
1/2 lata de tomate pelado
1/3 lata de ervilha em conserva
sal, pimenta, sálvia e orégano a gosto

Modo de preparo:
Ferva 500 ml de água e acrescente um tablete de caldo de galinha. Cozinhe o peito de frango por 15 minutos até ficar completamente cozido. Despeje a água, deixe o frango esfriar e desfie completamente. Reserve.
Aqueça uma panela antiaderente e refogue a cebola e o alho picados com um fio de azeite. Acrescente os tomates pelados junto com parte do suco e mexa bem com uma colher de pau para desmanchar os tomates. Assim que começar a ferver, junte o frango desfiado e a ervilha. Tempere com sal, pimenta, sálvia e orégano a gosto e deixe cozinhar por alguns minutos.
Enquanto isso, ferva 500 ml de água e cozinhe o macarrão de acordo com as instruções na embalagem até ficar al dente. Coloque a massa na panela com o molho e misture bem até ficar completamente incorporado. Sirva com uma saladinha verde.

Esta receita é perfeita para fazer com antecedência e levar para almoçar no trabalho. Inclusive, preparei o dobro da receita para facilitar minha vida e apenas dividi em duas porções para saborear em duas ocasiões diferentes. Não peguei esta receita de nenhum lugar específico. Apenas juntei alguns ingredientes simples e práticos para fazer um almoço rápido e gostoso.

Outra vantagem é a praticidade e simplicidade desta receita. No total gastei 40 minutos para fazê-la. A demora depois foi só a parte de ter que lavar a louça. Tem dez meses que comecei a cozinhar de verdade. Já aprendi tantas receitas deliciosas, algumas simples e outras bem sofisticadas. Mas por algum motivo não consegui descobrir ainda como fazer para a louça se lavar sozinha. Se alguém descobrir, me conta!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Saúde saborosa

Nada melhor do que uma segunda-feira para retomar aquela alimentação balanceada e saudável que deixamos escapar pelo caminho nos finais de semana. E começar com um franguinho cozido é simplesmente sensacional. Isso se ele for feito da maneira correta, claro.

Sim, porque não tem nada pior do que ter que comer peito de frango sem gosto todo dia só para não sair da dieta. Minha missão nesses muitos meses de blog que já acumulei sempre foi mostrar como é possível comer bem e saborear coisas deliciosas sem que elas sejam gordurosas e ultra calóricas. A receita de hoje é mais uma prova que só porque algo é saudável não quer dizer que seja sem graça ou sem gosto.

Frango ensopado com aspargo

Frango ensopado com aspargo

1 peito de frango
150 g de aspargo
1/2 lata de tomate pelado
50 g de cebola roxa picada
1 dente de alho amassado
60 ml de caldo de galinha
30 ml de vinho branco
azeite, sal, pimenta, tomilho e cominho a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com sal e pimenta a gosto. Aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola picada e o alho amassado até ficarem macios e aromáticos. Despeje o vinho e deixe refogar mais um pouco até evaporar completamente.
Junte meia lata de tomate pelado, o caldo de galinha, o tomilho e o cominho em pó a gosto. Deixe ferver e acrescente o peito de frango. Cozinhe por 15 minutos em fogo baixo mantendo uma leve fervura.
Quando estiver quase pronto, junte o aspargo fresco cortado em pedaços médios. Deixe mais 5 minutos até que o aspargo fique al dente. Sirva a seguir.

O melhor desta receita é a sua simplicidade absurda. Ela serve como coringa de qualquer dia ou noite corrida e com falta de inspiração. E apesar de ser super fácil e levar poucos ingredientes, se preparada e apresentada da maneira certa, ela serve perfeitamente para um jantar mais sofisticado.

Isso porque justamente sua simplicidade faz com que combine com qualquer acompanhamento. Se quiser fazer este prato para uma ocasião mais especial, aproveite para investir num risoto de limão siciliano que complementa muito bem o frango com aspargo. A combinação fica completa com uma bela taça de vinho e uma mousse de chocolate no fim.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Viajando pela gastronomia mundial

Devo confessar que não conheço muito da culinária grega. Alguns poucos pratos aqui e ali formam o mínimo de experiência que já tive com esta cozinha mediterrânea tão saborosa. Mas apesar disso, sempre procuro me aventurar por caminhos novos e desconhecidos.

Dia desses achei uma receita do tal de “moussaka”. Prato característico da culinária da Grécia, ele é uma espécie de lasanha à base de carne de carneiro com batata, berinjela e molho de tomate. Muito provavelmente a versão que encontrei e preparei não é a mais tradicional já que no nome dizia ser a versão “rápida”. Mas nem por isso deixou de ser uma experiência fantástica e nova.

Moussaka de carne

Moussaka de carne

1 batata pequena
100 g de coxão mole moído
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
1/2 lata de tomate pelado em cubos
60 ml de leite
1 clara
150 g de berinjela picada
1 col. de chá de canela em pó
1 col. de chá de noz moscada
2 col. de chá de cominho em pó
azeite, sal, orégano e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno em 230˚C.
Aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho até ficarem macios e aromáticos. Acrescente a carne e refogue até começar a dourar.
Tempere com sal, orégano, canela em pó, noz moscada, pimenta do reino e cominho em pó a gosto. Despeje metade da lata de tomate pelado em cubos e mexa bem para incorporar todos os temperos. Junte a berinjela picada e deixe ferver. Cozinhe em fogo médio mantendo uma leve fervura por 10 minutos ou até reduzir um pouco e a carne e a berinjela ficarem macias.
Unte uma forma refratária com um fio de azeite. Corte a batata em tiras bem finas com o auxílio de um cortador de legumes. Arrume uma primeira camada de batata no refratário e despeje a mistura de carne por cima. Acrescente o restante da batata formando uma outra camada.
Numa tigela, bata levemente com um garfo o leite e a clara até ficar homogêneo. Despeje por cima da mistura na forma refratária e leve para assar no forno pré-aquecido por 30 minutos ou até que o molho de leite fique firme. Sirva quente.

Moussaka enformado

Eu sei que esta não é a versão mais tradicional do prato típico grego só pelo fato de usar carne de vaca e não carneiro na composição. De qualquer maneira, prefiro usar essa já que é bem mais fácil de achar no supermercado. Mas apesar de não ser a versão “real”, meu mussaka de carne ficou absolutamente divino, principalmente pela mistura de temperos acrescentadas.

Sempre me divirto achando pratos de culinárias diferentes para testar. Posso até optar pelas versões mais simplificadas de receitas complicadas como esta, mas qualquer aventura no desconhecido precisa começar devagar. Com certeza irei tentar preparar a mais tradicional das mussakas num futuro próximo porque me encantei demais com o sabor deste prato.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Novidades inusitadas

Quem me acompanha desde o princípio do blog sabe que estou sempre à procura de receitas divertidas, diferentes e, mais importante, saudáveis. Às vezes é difícil achar uma combinação que inclua todos esses elementos, mas quando encontro preciso provar para ver se vale à pena.

Foi o que aconteceu com esta receita de hoje. Apesar de conhecer algo sobre a culinária mexicana, confesso que nunca tinha ouvido falar deste prato específico. Muito provavelmente isso se deve ao fato da minha experiência ser mais com a comida dita “tex-mex” que tem muita influência da culinária do sul dos Estados Unidos e que já virou uma mescla de tradições gastronômicas.

Puebla-style chicken mole

Puebla-style chicken mole

1 peito de frango
1 dente de alho amassado
50 g de cebola picada
120 ml de caldo de galinha
1/2 lata de tomate pelado
15 g de uva passa branca
1 col. de sopa rasa de cacau em pó
azeite, sal, pimenta calabresa, casca de laranja, cominho e canela a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho até ficarem macios. Salpique o cominho e a canela em pó a gosto e mexa bem para incorporar os temperos.
Derrame o caldo de galinha e acrescente a tira de casca de laranja, a uva passa e metade de uma lata de tomates pelados. Deixe ferver e coloque o peito de frango para cozinhar.
Quando o frango estiver cozido, retire e desfie com cuidado pois estará quente. Salpique o cacau em pó e mexa bem para não formar nenhuma bolinha e certificar-se de que está totalmente dissolvido.
Retorne o frango desfiado à panela e misture tudo para incorporar os sabores e ficar homogêneo. Deixe ferver por 10 a 15 minutos ou até reduzir bem. Sirva por cima de arroz ou macarrão e salpique pimenta calabresa a gosto.

O que mais me chamou a atenção nesta receita foi a lista de ingredientes. Nunca tinha pensado em colocar cacau em pó num prato que basicamente funciona como um molho de frango ótimo para acompanhar arroz, macarrão ou, como fiz no meu caso, polenta cremosa.

Aqui vale uma ressalva. A quantidade indicada dos ingredientes é exatamente a que estava na receita original. Quando fui provando o prato, à medida que cozinhava, achei que o sabor do cacau estava um pouco forte demais. Acabei acrescentando o restante da lata de tomates pelados para dar uma quebrada. No fim, achei o gosto sensacional. Se você adora experimentar coisas novas vale à pena com certeza! Mas vá com calma na hora de colocar o cacau em pó e não esqueça de ir provando o tempero para adequá-lo ao seu gosto.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Na correria básica de todos os dias

Correria tem sido a palavra básica dos meus dias ultimamente. Mal tenho tempo de respirar, quanto mais pensar em algo elaborado para preparar para o almoço. Como imagino que esta seja a realidade de muitos de vocês, nada melhor do que compartilhar algumas das minha receitas chave para dias como esses.

Geralmente acho boas ideias nos sites que frequento e faço apenas algumas poucas modificações para ficarem mais práticas ainda. Esta de hoje pedia grão de bico, mas como tinha ervilha e vagem em casa resolvi adaptar para facilitar minha vida. No fim ficou super saboroso mostrando que na cozinha praticamente qualquer combinação é válida.

Frango à italiana

Frango à italiana

1 peito de frango
50 g de ervilha em conserva
100 g de vagem congelada
50 g de pimentão vermelho picado
1/2 lata de tomate pelado
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
azeite, sal, pimenta, salsinha, manjericão e orégano a gosto

Modo de preparo:
Corte o peito de frango em cubos médios e tempere com sal e pimenta a gosto. Aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho até ficarem macios e aromáticos. Acrescente o frango e mexa para começar a dourar.
Junte metade de uma lata de tomate pelado, e a vagem congelada. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe de 5 a 7 minutos mantendo uma leve fervura até que o frango fique pronto. Por fim, acrescente o pimentão picado, a ervilha e tempere com salsinha, manjericão e orégano a gosto. Sirva com arroz integral ou macarrão al dente.

Adoro pratos rápidos e completos como este que ficam prontos em menos de 20 minutos. A praticidade de ter legumes congelados facilita demais a vida de quem, como eu, vive na correria. Apesar de parecer menos saudável que os frescos, na verdade os vegetais congelados retêm todo seu valor nutricional e não deixam a desejar em nada em comparação com as versões compradas na hora.

O mais importante para lembrar quando se vive em constante correria é ter ingredientes básicos guardados no congelador e na despensa. Tendo sempre uma lata de tomate pelado, pacotes de verduras congeladas e carnes guardadas em porções individuais no freezer é possível preparar uma bela refeição sem o menor esforço. Melhor impossível, não?

Por hoje é só.

Bon appetit!

As deliciosas leguminosas

Para muitos brasileiros a ideia de não comer arroz e feijão diariamente no almoço parece loucura. Essa combinação, uma das mais saudáveis possíveis segundo inúmeros nutricionistas e médicos, já faz parte da rotina e tradição brasileira. Com isso, conseguimos ter em nossa alimentação a quantidade perfeita de leguminosas, tão essenciais para nossa saúde.

Entretanto, neste ponto eu não sou brasileira mesmo. Gosto do clássico arroz com feijão, mas confesso que não é dos meus pratos preferidos e certamente não está presente todos os dias na minha alimentação. Por isso, tive que encontrar outras maneiras de comer vegetais leguminosos e esta receita de hoje é a solução perfeita.

Ensopado de lentilha com edamame

Ensopado de lentilha com edamame

1/2 caixa de lentilha em conserva
100 g de edamame congelado
1/2 cebola roxa picada
1 dente de alho amassado
1/2 lata de tomate pelado
suco de 1 limão
azeite, salsinha, hortelã, cominho, canela, sal e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Escorra a lentilha e passe por água corrente por alguns minutos para retirar o excesso de sal da conserva. Reserve numa tigela. Enquanto isso, ferva 300 ml de água e leve o edamame congelado para cozinhar assim que começar a ferver. Deixe por 2 minutos, escorra a água e passe por água gelada para parar o cozimento. Junte à lentilha reservada.
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola picada e o alho amassado até ficarem aromáticos. Junte 1/2 lata de tomate pelado junto com o caldo e mexa bem para quebrar todos os pedaços de tomate que tiver. Deixe ferver, abaixe o fogo e acrescente a lentilha e o edamame reservado. Tempere com salsinha, hortelã, cominho, canela, sal e pimenta calabresa a gosto para que fique saboroso. Cozinhe mantendo uma leve fervura por mais 2 ou 3 minutos. Sirva com torradinhas integrais.

Na receita original havia sugestões de quantidades de cada tempero para acrescentar na hora do preparo. Entretanto, prefiro deixar “a gosto” pois entendo que cada pessoa tem paladares diferentes. E certamente a melhor parte de cozinhar é conseguir adequar a receita ao nosso gosto pessoal.

Entretanto, vale ir provando à medida que são adicionados os temperos. No meu caso, coloquei 1 col. de sopa cada de salsinha e hortelã picadas e 1 col. de chá de cominho e canela em pó. O sal e a pimenta calabresa foi de olho. No fim a combinação de temperos trouxe uma delicadeza e complexidade deliciosa ao prato. Não deixa de ser uma refeição perfeita para uma noite fresca de outono.

Por hoje é só.

Bon appetit!