Aquecendo o inverno

O frio parece ter chegado com tudo e não demonstra vontade de ir embora, pelo menos por enquanto. Por isso, continuo na minha busca por receitas de sopinhas e outros pratos deliciosos que aquecem e nos deixam com aquela sensação gostosa de conforto nas noites frias do inverno.

Desta vez achei uma que para muitos pode parecer nada saudável à primeira vista. Alias, sempre que vemos a palavra “cremosa” ou “creme” de qualquer coisa num cardápio já ficamos com o pé atrás imaginando quilos de creme de leite gorduroso que possa ter sido utilizado para preparar o prato. A receita que trago hoje vem para desmentir essa impressão e provar que podemos preparar sopas super cremosas e deliciosas em casa sem prejudicar a alimentação.

Sopa cremosa de aspargo

Sopa cremosa de aspargo

150 g de aspargo
120 ml de caldo de vegetais
1 col. de chá de tomilho fresco
1 folha de louro
1 dente de alho
1/2 col. de sopa de farinha
120 ml de leite semidesnatado
1 pitada de noz moscada
1/2 col. de chá de margarina light
sal e raspas de limão a gosto

Modo de preparo:
Ferva o caldo de vegetais e cozinhe o aspargo com as folhas de tomilho fresco, a folha de louro e o alho picado por 10 minutos em fogo baixo ou até que ele fique bem macio. Descarte a folha de louro e bata o restante do conteúdo da panela no liquidificador até ficar homogêneo.
Dissolva a farinha de trigo no leite e despeje na panela. Acrescente a mistura de aspargo e uma pitada de noz moscada. Mexa bem e deixe ferver. Abaixe o fogo e cozinhe mantendo uma leve fervura por 5 minutos.
Retire do fogo e acrescente a margarina light, o sal e as raspas de limão a gosto. Mexa bem e sirva salpicado com mais um pouco de noz moscada e folhas de tomilho fresco. Saboreie acompanhado de torradinhas integrais e uma salada verde.

Uma das coisas que mais adorei nesta receita é a cor verde linda e vibrante da sopa pronta. Além disso, o sabor delicado do aspargo foi potencializado pelas folhas de tomilho fresco e a noz moscada salpicada por cima no final. Leve, apesar de cremosa, este prato fica uma delícia saboreado puro ou como entrada de um jantar mais sofisticado.

Aproveite a noite fresquinha para provar esta sopa acompanhada de tortas como estas que compartilhei aqui no blog: cachorro quente de forno, quiche pudim de legumes, torta de carne à jardineira ou torta de peito de peru com cottage. O creme de aspargo também fica uma delícia acompanhado de uma salada reforçada como estas: salada de frango grelhado com limão siciliano ou salada de beterraba com espinafre e feijão branco.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Complementando sabores

Adoro descobrir novos molhos para fazer como acompanhamento de um bom medalhão de filé mignon. As inúmeras combinações de ingredientes funcionam como inspiração de novas criações que um dia posso chegar a fazer (quando estiver num nível mais avançado de habilidades na cozinha).

Enquanto esse dia não chega aproveito para testar algumas receitas interessantes que ando descobrindo por aí. Esta de hoje preparei para minha mãe quando ela estava me visitando. Da minha parte achei o molho delicioso e pelo que ela me contou também achou que ficou bem gostoso. Se era mentira ou não para agradar a filhinha não tenho como saber, mas a cara está bastante apetitosa, não?

Filé mignon ao porto com mostarda

Filé mignon ao porto com mostarda

2 medalhões de filé mignon
60 ml de caldo de carne
60 ml de vinho do porto
2 col. de sopa cheias de mostarda com grãos
sal, pimenta e tomilho a gosto

Modo de preparo:
Tempere os filés com sal e pimenta a gosto. Arrume numa travessa antiaderente e leve para assar em forno pré-aquecido a 200˚C por 20 minutos ou até ficar no ponto desejado. Reserve.
Para fazer o molho, aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio. Coloque o vinho do porto e o caldo de carne na panela e deixe começar a ferver. Acrescente tomilho a gosto e mexa para cozinhar e reduzir um pouco (aproximadamente 3 minutos). Por fim, adicione a mostarda e mexa bem para incorporar. Deixe ferver mais um pouco (de 30 segundos a 1 minutos) e regue por cima do filé. Sirva acompanhado de arroz selvagem e legumes cozidos.

Rende 2 porções.

Super fácil de fazer o molho combina sabores bem interessantes que acabam complementando-se. O doce do vinho do porto e o picante e intenso da mostarda formam um par delicioso e combinam brilhantemente com o sabor característico da carne vermelha.

Se quiser deixar o molho ainda mais especial e completo vale acrescentar cebolinha picada e alho amassado. Confesso que não coloquei no dia que preparei pois não tinha esses ingredientes em casa. Numa próxima vez que fizer este prato penso também em incluir um toque de limão. Acho que o sabor irá ficar completo e maravilhoso.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Forrando o estômago

Sexta-feira é dia de fazer um happy hour legal com o pessoal do trabalho depois do espediente. Ou então sair para curtir com a galera num barzinho que acabou de abrir ou numa balada super divertida que vai durar madrugada adentro. E já pensando nas extravagâncias que vão rolar, nada melhor do que um jantarzinho leve para forrar o estômago.

Saladas completas são ótimas opções para jantares mais leves. E mesmo se você preferir não comer muito porque pretende extravasar à noite saiba, a pior coisa que se pode fazer é sair para badalar de estômago vazio. Uma pequena refeição completa, nem que seja uma salada com peito de frango grelhado e torradinhas para acompanhar, é indispensável para curtir a noite tranquila.

Salada de frango grelhado com limão siciliano

Salada de frango grelhado com limão siciliano

1 peito de frango médio
45 ml de suco de limão siciliano (+/- 1 unidade grande)
1 col. de sopa de azeite
1 abobrinha média
1/2 pimentão verde médio
1/2 pimentão amarelo médio
sal, pimenta, coentro e tomilho a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com sal e pimenta a gosto. Junte o suco de limão, o azeite e o tomilho numa sacolinha de plástico. Coloque o peito de frango dentro e deixe marinando por pelo menos 1 hora na geladeira.
Aqueça uma grelha elétrica na temperatura média-alta. Descarte a marinada e grelhe o frango de 5 a 7 minutos ou até que fique no ponto desejado. Deixe esfriar um pouco e corte em tiras.
Para preparar a salada, corte a abobrinha em tiras finas. Ferva 300 ml de água e cozinhe as tiras até ficarem al dente (aproximadamente 3 minutos). Retire do fogo e coloque numa tigela com água gelada para cortar o cozimento e manter a consistência crocante e a cor vibrante.
Corte os pimentões em tiras finas e arrume num prato. Adicione as tiras de abobrinha cozidas e os pedaços de frango. Tempere com pimenta, coentro e azeite a gosto. Coma com torradinhas integrais para acompanhar.

O bom desta salada é que ela funciona como refeição completa nesses dias em que preferimos jantares mais leves. Entretanto, ela fica uma delícia também em versão menor como entrada de um almoço ou jantarzinho sofisticado. Absurdamente fácil de fazer, o troque está na marinada. Quanto mais tempo o frango ficar curtindo no suco do limão mais seu sabor vai ficar intenso e delicioso.

Outra vantagem deste prato são as combinações de vegetais diferentes possíveis de serem feitas dependendo do gosto pessoal de cada um. Se não gostar de pimentão, prove a salada com ervilha torta ou vagem macarrão. Já para algo mais colorido, invista em tirinhas de cenoura ou berinjela cozidas. Fica divinamente leve e gostoso.

Por hoje é só.

Bon appetit!

A importância da variedade

Com a semana santa batendo à porta chega a hora de tirar o pó de todas as receitas que temos guardadas de peixes suculentos e deliciosos. Entretanto, comer uma coisa só tanto tempo seguido pode enjoar. O bom é garantir uma variedade nos ingredientes das preparações que antecedem o festival de frutos do mar que está por vir.

Pensando nisso, nada melhor do que aproveitar esta quinta-feira pré sexta-feira santa para saborear um belo medalhão de filé mignon. Esta receita não tem nada de muito elaborado, criei num momento de extrema correria no qual tinha pouquíssimos ingredientes em casa. Mas ela ficou tão saborosa que tinha que compartilhar.

Filé mignon aromático

Filé mignon aromático

1 medalhão de filé mignon médio
1 dente de alho amassado
1 col. de chá de tomilho
1 col. de chá de sálvia
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Tempere o filé com sal e pimenta a gosto. Amasse o dente de alho e misture com o tomilho e a sálvia. Cubra toda a carne com essa misture e leve para assar numa forma refratária anti-aderente em forno pré-aquecido a 200˚C. Asse em forno médio-baixo por 20 minutos para que cozinhe por completo e lentamente. Assim a carne não ficará ressecada e permanecerá suculenta e levemente rosada por dentro. Sirva acompanhado de vegetais no vapor.

O bom desta receita é que não requer nenhuma sofisticação nem muito tempo de esforço para deixá-la saborosa. Nada melhor do que tirar este dia para preparar algo simples e guardar as energias para o grande e agitado final de semana que vem por aí.

Caso você não goste muito do sabor impactante de ervas como tomilho e sálvia secas, pode deixá-las apenas durante o tempo de preparo da carne e retirá-las na hora de comer. Deixando-as durante os 20 minutos que a carne está assando já é suficiente para dar um sabor deliciosamente suave ao filé mignon.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Tradições adaptadas

Segunda-feira já é um dia complicado. A semana começando, você tentando voltar a rotina de trabalho depois de um final de semana relaxante e sem muita preocupação. E nesse meio, ainda tem que decidir o que preparar para o almoço, fazer planos de cardápio e comprar os ingredientes. Desanimador, não?

O melhor jeito de fugir de tudo isso é escolher algo simples, prático, rápido e, principalmente, delicioso para preparar nessas segundas-feiras difíceis. Por isso, pratos compostos que servem como refeição completa são a melhor opção. Na maioria das vezes você suja apenas uma panela e só precisa se preocupar e pensar em fazer um único prato gostoso, caseiro e aconchegante. Melhor impossível

Arroz “sujo”

Arroz "sujo"

1/2 xíc. de chá de arroz sete grãos (ou algum outro arroz integral de sua preferência) cru
2 peitos de frango médios
1 cebola pequena
1 pimentão verde médio
1 pimentão vermelho médio
2 dentes de alho
sal, azeite, pimenta chili, tomilho e coentro a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o arroz de acordo com as instruções da embalagem e reserve. Corte os pimentões em pedaços pequenos e pique a cebola e os dentes de alho. Reserve. Tempere o frango com sal a gosto e corte em pedaços médios. Reserve.
Aqueça uma panela wok antiaderente em fogo médio e refogue o frango com um fio de azeite até começar a dourar. Acrescente a cebola e o alho e continue mexendo até amaciar os vegetais. Coloque os pedaços de pimentão na panela e mexa mais um pouco.
Adicione a pimenta chili e o tomilho a gosto e mexa bem para incorporar completamente. Se necessário, acrescente alguns pingos de água para ajudar a misturar bem os temperos. Por fim, despeje o arroz já pronto na wok e mexa bem para incorporar todos os ingredientes. Se quiser, pode acrescentar mais um pouco de pimenta chili para deixar o prato mais temperadinho. Sirva com folhas de coentro fresco picado por cima e floretes de brócolis ou couve-flor cozidos no vapor para acompanhar.

Rende 2 porções.

Prato típico do sudeste norte-americano (mais precisamente da região de Louisiana) a receita é feita tradicionalmente com fígado de galinha. Isso dá ao arroz uma cor de aspecto “sujo”, daí o nome da receita. Entretanto, o fígado pode ser substituído por peito de frango, como nesta versão, ou ainda por salsichas de frango ou peru caseiras.

O mais importante nesta preparação são os temperos. O clássico utilizado é a pimenta cayenne. Entretanto, por ser mais difícil de achar em supermercados comuns ela pode ser substituída pela pimenta chili sem maiores prejuízos ao sabor. O importante é ter uma pegada quente e picante para dar o gostinho tão delicioso dos pratos típicos dessa região.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Achando a receita perfeita

Depois de várias receitas preparadas com o mesmo princípio e apenas algumas modificações acho que encontrei a versão perfeita. Quem acompanha o blog já me viu comentar sobre as vantagens de assar peixes ou filés de frango em papelotes de alumínio. Além de manter toda a maciez e suculência, quase não é necessário acrescentar gordura e não tem nada para limpar depois (a melhor parte, na minha opinião!).

O prato de hoje pode parecer mais do mesmo, mas desta vez ficou tão suculento e tão perfeito que não tem como não glorificar esta receita em particular. Talvez seja apenas o fato deu ter conseguido deixar o tempo exato assando, sem passar demais nem de menos. Mas talvez seja a combinação de ingredientes que, para mim, foi perfeita.

Peito de frango na mostarda de grãos com abobrinha e tomate cereja

Peito de frango na mostarda de grãos com abobrinha e tomate cereja

1 peito de frango médio
1/2 abobrinha média
5 tomates cereja
1 col. de sopa de mostarda de grãos
1/4 de cebola
1 col. de sobremesa de azeite
1 col. de chá de tomilho
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, junte a abobrinha cortada em pedaços com os tomates cereja cortados ao meio e a cebola cortada em meia luas. Tempere com o tomilho e o azeite e mexa bem para que tudo fique coberto. Reserve.
Tempere o peito de frango com sal e pimenta a gosto. Arrume duas folhas de alumínio numa superfície plana e coloque o frango no meio. Unte a parte superior do frango com a mostarda e faça alguns furos na superfície da carne para que os temperos entrem durante o cozimento. Arrume os legumes por cima do frango e feche o alumínio formando um papelote. Tenha cuidado para que fique totalmente fechado mas ainda com espaço internamente para o vapor circular.
Asse em forno médio (210˚C) por 15 minutos. Após esse tempo, abra com cuidado o papelote para checar o cozimento. Caso seja necessário, retorne ao forno por mais 5 minutos. Deixe descansar alguns minutos com o papelote fechado antes de servir.

Além do frango ter ficado no ponto exato (nem ressecado, nem duro) tanto a abobrinha quanto o tomate acabam soltando um pouco de sua água durante o cozimento. Por isso, tudo fica molhadinho e suculento no final. O tomilho também ajuda a dar um gostinho fantástico pois combina muito bem com o sabor neutro do frango e dos vegetais.

Adoro cozinhar com papelotes de alumínio. Desde que descobri a maravilha deles evito preparar qualquer prato de outra maneira. E não é apenas por ser mais saudável. Devo confessar que a preguiça de lavar a louça depois do almoço geralmente é muito grande. Com o papelote não tem quase nada para arrumar depois. Melhor impossível, certo?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Simples e marcante

Numa quarta-feira como esta nada melhor do que uma receitinha simples e ordinária para não complicar a vida, certo? E como já sabemos, é sempre importante aumentar o nosso consumo de peixes. Estas deliciosas carnes magras são ricas em ácidos graxos insaturados necessários para mantermos uma boa saúde.

Que tal então juntar o útil ao agradável e preparar hoje um filezinho de peixe extremamente delicioso e que fica pronto em menos de 30 minutos? Uma simples combinação de temperos marcantes transforma o sabor delicado da tilápia em uma refeição gostosa e que você vai lembrar por um bom tempo.

Tilápia com crosta de tomilho e gergelim

Tilápia com crosta de tomilho e gergelim

1 filé médio de tilapia
1 col. de sobremesa de azeite
suco de 1 limão siciliano
1 dente de alho
1 col. de chá de tomilho
1 col. de sopa de semente de gergelim torrada
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Tempere o filé de tilápia com o azeite, o limão, sal e pimenta-do-reino a gosto. Deixe marinando por 10 minutos para incorporar os sabores.
Numa tigela, misture o alho amassado com o tomilho e as sementes de gergelim. Salpique a mistura por cima do peixe. Com o auxílio dos dedos, aperte bem para fixar e formar uma camada em toda a parte superior do filé.
Pré-aqueça o forno em 200˚C e asse o peixe numa forma refratária por aproximadamente 20 minutos ou até que fique pronto. Sirva com legumes cozidos e arroz integral.

O tomilho é uma erva bem marcante que vai bem com qualquer peixe. A intensidade do tempero realça o sabor delicado da tilápia e transforma o prato numa deliciosa mistura. Já as sementes de gergelim acrescentam um toque crocante a esta simples e delicada preparação.

Convenhamos, realmente as vezes não há nada melhor do que uma receitinha assim: simples, rápida, prática e perfeitamente saborosa. Para que ficar quebrando a cabeça em busca de preparações sofisticadas e pretensiosas? Aproveite o tempinho que não gastou preparando o almoço para namorar um pouquinho. Melhor, cozinhe este peixe para seu respectivo queridinho. Aposto que ele vai amar.

Por hoje é só.

Bon appetit!