A emoção da primeira vez

Confesso que algum tempo atrás tinha certa resistência em comer coisas cruas. Entretanto, depois que aprendi a comer sushi e me apaixonei perdidamente as coisas começaram a fluir naturalmente. O próximo passo lógico seria evoluir do quibe assado (que eu já adorava) para o quibe cru. Foi amor à primeira garfada.

A partir desse ponto não demorou muito eu já queria experimentar meus dotes culinários e preparar essa delícia em casa. E convenhamos, os bons restaurantes árabes que oferecem esse prato geralmente cobram caro por ele. Ou seja, nada melhor do que aprender para fazer em casa mesmo. E digo com absoluta convicção que ficou igualzinho ao dos restaurantes: sensacional!

Quibe cru

Quibe cru

150 g de filé mignon moído (ou outra carne magra de sua preferência)
60 g de trigo para quibe
2 col. de sopa de hortelã fresca picada
1/2 cebola picada
3 col. de sopa de cebolinha picada
1 limão tahiti
sal e pimenta-do-reino a gosto
folhas de hortelã para decorar

Modo de preparo:
Coloque o trigo para quibe numa tigela e cubra com água em temperatura ambiente. Deixe de molho durante duas horas. Depois, coe o trigo e esprema bem com as mãos para sair toda a água.
Em outra tigela, tempere a carne moída com sal e pimenta a gosto. Acrescente o trigo, a hortelã e metade da cebola picada. Misture bem com as mãos até ficar completamente homogêneo. Leve à geladeira por 30 minutos. Na hora de servir, arrume no prato com o restante da cebola picada, a cebolinha picada e decore com as folhas de hortelã. Regue com o suco de limão a gosto.

Enquanto procurava receitas de como fazer quibe achei algumas com detalhes diferentes. Por exemplo, alguns lugares falavam da necessidade de deixar o trigo de molho para depois espremê-lo antes de usar. Já outros diziam que esse passo era desnecessário e apenas falavam em lavar bem o trigo usando de 5 a 10 águas diferentes.

Como já tinha ouvido falar que era necessário deixar o trigo de molho, resolvi seguir a receita que falava para fazer isso. Deu super certo e ficou uma delícia. Não sei se fazendo do outro jeito também funciona, talvez valha a pena testar para saber. De qualquer maneira, nada melhor do que um receita simples e prática como esta para preparar num dia corrido das férias.

Por hoje é só.

Bon appetit!

A base para uma refeição deliciosa

As vezes não tem nada melhor do que tomar uma sopinha leve para acabar bem o dia. Super versáteis, os caldos caem bem em qualquer estação do ano e não só no inverno como muitos podem pensar. Há também algumas versões frias para degustar nos meses mais quentes do ano. Vale a pena pesquisar as inúmeras receitas para achar uma que agrade no momento adequado.

Mas a minha sugestão de hoje não é nada diferente nem fora do comum (como as sopas frias podem parecer). Super simples de fazer, a receita que preparei ficou uma delícia e cai super bem numa noite tranquila para ficar em casa lendo um bom livro ou vendo algum filme interessante na televisão. E por ser super leve, recomendo algumas torradas integrais e uma generosa salada para acompanhar. Garanto que vai ser satisfação na certa.

Sopa de espinafre light

Sopa de espinafre light

150 g de espinafre cortado em fatias finas
1 tablete de caldo de legumes
400 ml de água
200 ml de leite desnatado
1 col. de sopa rasa de farinha de trigo
noz-moscada a gosto

Modo de preparo:
Dissolva o caldo de legumes na água e leve ao fogo até ferver. Acrescente o espinafre e cozinhe em fogo baixo até que as folhas fiquem macias (aproximadamente 5 minutos). Dissolva a farinha no leite desnatado mexendo sempre para não “empelotar”. Junte ao caldo com o espinafre e cozinhe em fogo médio mexendo até engrossar (aproximadamente 5 minutos). Salpique noz-moscada a gosto por cima e sirva em seguida.

A sopa preparada com estes ingredientes já fica uma delícia e rende um prato generoso, mais do que suficiente para satisfazer – e bem – uma pessoa. Entretanto, é sempre possível incrementar ainda mais a preparação com alguns ingredientes à mais.

Uma opção é incluir outras folhas verdes além do espinafre para tornar a sopa ainda mais rica e saborosa. Que tal acrescentar 50 g de agrião e couve manteiga picados? Além de proporcionar mais nutrientes, estas folhas dão um gostinho amargo delicioso que combina muito bem com a noz-moscada salpicada no fim. Outra sugestão é colocar pedacinhos de peito de frango cortados em cubinhos para adicionar mais uma fonte de proteína ao prato.

A simplicidade desta sopa é seu maior trunfo já que ela pode ser consumida da maneira como está como também servir de base para sopas mais elaboradas e reforçadas. Use sua imaginação para incrementar a receita. O que mais você acrescentaria?

Por hoje é só.

Bon appetit!