Novidades inusitadas

Quem me acompanha desde o princípio do blog sabe que estou sempre à procura de receitas divertidas, diferentes e, mais importante, saudáveis. Às vezes é difícil achar uma combinação que inclua todos esses elementos, mas quando encontro preciso provar para ver se vale à pena.

Foi o que aconteceu com esta receita de hoje. Apesar de conhecer algo sobre a culinária mexicana, confesso que nunca tinha ouvido falar deste prato específico. Muito provavelmente isso se deve ao fato da minha experiência ser mais com a comida dita “tex-mex” que tem muita influência da culinária do sul dos Estados Unidos e que já virou uma mescla de tradições gastronômicas.

Puebla-style chicken mole

Puebla-style chicken mole

1 peito de frango
1 dente de alho amassado
50 g de cebola picada
120 ml de caldo de galinha
1/2 lata de tomate pelado
15 g de uva passa branca
1 col. de sopa rasa de cacau em pó
azeite, sal, pimenta calabresa, casca de laranja, cominho e canela a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho até ficarem macios. Salpique o cominho e a canela em pó a gosto e mexa bem para incorporar os temperos.
Derrame o caldo de galinha e acrescente a tira de casca de laranja, a uva passa e metade de uma lata de tomates pelados. Deixe ferver e coloque o peito de frango para cozinhar.
Quando o frango estiver cozido, retire e desfie com cuidado pois estará quente. Salpique o cacau em pó e mexa bem para não formar nenhuma bolinha e certificar-se de que está totalmente dissolvido.
Retorne o frango desfiado à panela e misture tudo para incorporar os sabores e ficar homogêneo. Deixe ferver por 10 a 15 minutos ou até reduzir bem. Sirva por cima de arroz ou macarrão e salpique pimenta calabresa a gosto.

O que mais me chamou a atenção nesta receita foi a lista de ingredientes. Nunca tinha pensado em colocar cacau em pó num prato que basicamente funciona como um molho de frango ótimo para acompanhar arroz, macarrão ou, como fiz no meu caso, polenta cremosa.

Aqui vale uma ressalva. A quantidade indicada dos ingredientes é exatamente a que estava na receita original. Quando fui provando o prato, à medida que cozinhava, achei que o sabor do cacau estava um pouco forte demais. Acabei acrescentando o restante da lata de tomates pelados para dar uma quebrada. No fim, achei o gosto sensacional. Se você adora experimentar coisas novas vale à pena com certeza! Mas vá com calma na hora de colocar o cacau em pó e não esqueça de ir provando o tempero para adequá-lo ao seu gosto.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para um café da manhã especial

O fim de semana pode já estar acabando, mas nada impede que você se divirta mais um pouco enquanto ele ainda está aqui. Para deixar as manhãs de domingo mais gostosas, gosto de preparar um café da manhã especial e diferente. Assim sinto que estou curtindo um pouco mais esses momentos de tranquilidade e sem muita preocupação.

Adoro preparar aveia cozida no microondas com leite e mel. Alias, já publiquei aqui minha receita preferida de mingau de aveia à la americana. A versão que trago hoje é uma variação mais elaborada do mesmo conceito. Demora um pouquinho mais para ficar pronta, mas é tão delicioso que vale a pena esperar.

Aveia assada

Aveia assada

2 xic. de chá de aveia em flocos
1/3 xic. de chá de açúcar mascavo
2 col. de sopa de uva passa ou outra fruta seca de sua preferência
2 col. de sopa de castanha picada
1 col. de chá de fermento
1 1/2 xic. de chá de leite desnatado
1/2 xic. de chá de papinha de maçã
2 claras

Modo de preparo:
Misture os ingredientes secos numa tigela. Aos poucos, acrescente o leite mexido com a papinha de maçã e as claras. Misture tudo e incorpore as uvas passas na massa até ficar homogênea. Unte uma forma refratária 20×20 com uma pitada de margarina light e despeje a mistura. Leve para assar em forno médio (200˚C) de 30 a 40 minutos ou até que um palito inserido no meio saia limpo. Deixe descançar por 5 minutos e sirva a seguir.

Rende de 4 a 6 porções.

Uma dica que posso dar é para ficar de olho enquanto a aveia estiver assando no forno. Na receita original dizia para assar por 20 minutos. Entretanto, passado esse tempo vi que a minha ainda estava totalmente crua. Acabei deixando 38 minutos até que ficasse no ponto. Mas é preciso ter cuidado para que não queime, principalmente nas bordas.

Fiquei absolutamente encantada com esta receita. Super saborosa, ela é ótima também para preparar com antecedência já que permite congelar as outras porções para comer outros dias. No meu caso, fiz e congelei outros 3 pedaços em tigelas individuais. No dia que quero comer uma, apenas deixo na geladeira para descongelar da noite para o dia seguinte e aqueço no microondas 1 minuto e meio. Fica divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Vai um cineminha aí?

Tenho um segredo para contar para vocês. Pipoca está liberado! Explico. Não estou falando daquele balde enorme de pipoca gosmenta de tanta manteiga que insistem em oferecer nos cinema por aí afora. Cada um desses baldes é uma fábrica de gordura saturada e milhares de calorias desnecessárias e totalmente dispensáveis.

Mas uma pipoquinha caseira, feita na porção certa, sem manteiga e com uma quantidade de sal moderada pode ser altamente saudável. Isso porque o milho da pipoca é riquíssimo em fibras, fundamentais para a saúde e bom funcionamento do intestino. Então, da próxima vez que bater aquela vontade de ir no cinema comer um saquinho de pipoca, fique em casa, alugue um filme e se delicie com esta receita. Você ainda economiza um bocado.

Pipoca caseira

Pipoca caseira

2 col. de sopa de milho para pipoca
sal a gosto

Modo de preparo:
Despeje o milho numa panela grande antiaderente. (IMPORTANTE: ela necessariamente precisa ser antiaderente. Se não for, coloque também 1 col. de chá de óleo de canola para que a pipoca não grude no fundo e não queime.) Sob fogo alto, segure a panela junto com a tampa certificando-se de que não irá soltar.
Mexa de vez em quando para que o milho não queime. Espere começar a ouvir o estouro da pipoca e continue sacudindo. Quando a frequência dos estouros diminuírem, desligue o fogo e abra a tampa com cuidado. Salpique sal a gosto e sirva imediatamente.

A primeira vez que fiz foi emocionante. Confesso que estava com um pouco de medo e como demorou um pouco para começar a estourar cheguei a pensar que não ia dar certo. Quando o primeiro milho estourou quase chorei de emoção. Foi lindo demais.

Pipoca com uva passa

Adoro pipoca caseira por ela ser muito mais fresquinha do que as do cinema ou de microondas. Isso sem contar que assim podemos controlar o tamanho da porção para não correr o risco de comer demais. (Aqueles sacos de microondas na verdade são enormes e servem muito mais do que uma pessoa, o problema é conseguir parar na hora certa.) E se você é que nem eu que adora misturar doce com salgado, sugiro acrescentar 2 col. de sopa de uvas passas. Fica uma delícia e assim evitamos recorrer ao chocolate.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Vamos tomar chá?

Continuando a tradição de aos domingos compartilhar uma receita doce, trago para vocês hoje uma delícia tradicionalmente saboreada no, também típico, chá das 5 inglês. Pãozinho doce que lembra um muffim americano, o scone inglês é bastante versátil e pode até servir como um gostoso café da manhã nesses dias mais relaxados do final de semana.

Outra maravilha deste doce são as inúmeras opções de sabores. Para os tradicionais, nada melhor do que investir em gotinhas de chocolate que derretem maravilhosamente ao serem aquecidas. Já para os aventureiros, há versões feitas com maçã e canela, pêra com nozes ou até de frutas vermelhas.

Sou tradicional, mas não gosto apenas de chocolate. Por isso resolvi fazer um sabor também bastante apreciado: aveia com uva passa. E a melhor parte, apesar de ter que preparar toda a receita de uma só vez (que rende 8 porções), os scones podem ser congelados para serem saboreados outra hora. Fantástico, não?

Scone de aveia com uva passa

Scone de aveia com uva passa

70 g farinha de trigo integral
70 g de farinha de trigo branca
40 g de aveia em flocos
3 col. de sopa açúcar mascavo
1 col. de chá de fermento químico
1/2 col. de chá de bicarbonato de sódio
1 col. de chá de canela em pó 10
2 col. de sopa rasas de margarina light sem sal
1/2 pote de iogurte natural desnatado
1 ovo
1 col. de chá de essência de baunilha
40 g de uva passa

Modo de preparo:
Misture num multiprocessador as farinhas, aveia, açúcar e canela. Acrescente a margarina aos poucos e continue batendo até ficar com consistência de farofa grossa. Transfira para uma tigela e adicione o fermento, o bicarbonato, o iogurte, o ovo e a essência de baunilha. Misture delicadamente apenas até ficar tudo misturado. Cuidado para não mexer demais para o fermento e o bicarbonato não perderem seus poderes de crescimento. Por fim, acrescente as uvas passas.
Coloque a massa numa superfície previamente enfarinhada e sove 4 ou 5 vezes para terminar de misturar os ingredientes. A massa estará bem pegajosa. Faça uma bola e achate em formato de disco. Transfira para uma assadeira antiaderente e corte o disco em 8 pedaços iguais. Não há necessidade de separar os pedaços.
Asse em forno médio (200˚C) de 12 a 15 minutos até ficar levemente dourado. Espere esfriar um pouco antes de quebrar os pedaços e sirva com uma xícara de chá.

Rende 8 porções.

Confesso que foi minha primeira vez sovando uma massa sobre superfície enfarinhada. Me senti a doceira profissional. Brincadeiras à parte, realmente foi bem difícil transferir a massa para a assadeira já que, como falei antes, ela fica bastante pegajosa. Depois descobri que isso é totalmente normal e é este fato que dá a textura característica do scone, que fica macio e praticamente dissolve na boca.

O scone ao ser saboreado sozinho já fica uma delícia. Entretanto, se quiser dar um plus no seu lanchinho da tarde, vale colocar um pouquinho de geleia sem açúcar ou queijo cottage. Além de dar uma molhadinha no pão, proporciona uma mistura divina de sabores fazendo com que seu chá da tarde nunca mais seja igual. Mas cuidado para não exagerar e querer comer mais de um pedaço, combinado? Aprecie com moderação.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Inovando na salada

Como já falei aqui, sempre achei engraçado ver receita de salada. São tantas as opções e variações que no fim o que conta mesmo é o gosto pessoal na escolha dos ingredientes. Entretanto, tenho visto tantas sugestões diferentes e interessantes nos livros de culinária saudável que estou comprando que resolvi testar uma delas no meu almoço de ontem.

Me interessei pelos ingredientes, coisas simples que nunca tinha pensado em combinar numa salada. Além do fato de ser bom variar de vez em quando e não comer sempre uma salada com mix de folhas verdes e tomate. Enjoa. E não é que a inovação valeu a pena? Ficou deliciosa! A seguir compartilho a facílima receita que tirei do mesmo livro, Receitas maravilhosas do Spamed para uma dieta de manutenção, que usei para fazer o cação assado.

Salada de repolho, cenoura e uva-passa

Salada de repolho, cenoura e uvas-passas

40 g de repolho branco ralado
1/2 cenoura pequena ralada
1/2 pepino baby cortado em rodelas finas
1 col. de sopa de uvas-passas

Modo de preparo:
Misture num prato o repolho, a cenoura e o pepino. Decore por cima com as uvas-passas.

As quantidades indicadas são suficiente para fazer uma porção. Se quiser preparar para mais pessoas é só aumentar o montante dos ingredientes de acordo com o gosto de cada um.

No almoço de ontem, resolvi não condimentar a salada com nenhum molho para poder ter a experiência de comê-la pura e sentir o gosto real dela. Ficou deliciosa. A combinação do frescor do pepino com o docinho da uva-passa deixa a salada com um toque mais do que especial.

Entretanto, pode-se preparar um molho de iogurte simples e saudável para acompanhá-la. Sugiro misturar 1 pote de iogurte natural desnatado, suco de 1 limão, 1 col. de sopa de azeite de oliva, sal e pimenta-do-reino a gosto. É o molho mais fácil de preparar e fica bem gostoso. Minha mãe fez para acompanhar a salada dela e quando provei vi que combinou perfeitamente.

Outra opção de molho é substituir o iogurte natural por queijo cottage, sendo, aproximadamente, de 3 a 4 col. de sopa para as medidas dos outros ingredientes.

Por hoje é só.

Bon appetit!