Os quatro elementos do sabor

Esses dias aproveitei uma noite livre e fui fazer um curso de cozinha tailandesa numa escola de culinária aqui de São Paulo. Além de saborear delícias dessa comida milenar, pude ver pessoalmente alguns truques básicos que transformam todo prato tailandês numa experiência gastronômica fantástica.

Segredos e detalhes das receitas à parte, uma das coisas mais interessantes que descobri nessa aula foi a importância que os quatro sabores exercem na culinária tailandesa. Segundo a professora e chef que estava ministrando o curso, todos os pratos incluem ingredientes para ressaltar o picante, o salgado, o doce e o azedo. A ordem de importância dos quatro e a quantidade usada na receita indica a ordem na qual devemos senti-los ao provar o prato.

Curry de salmão com berinjela

Curry de salmão com berinjela

1 lata de filé de salmão em água
1 col. de sobremesa de azeite
1 col. de sopa cheia de pasta de curry tailandesa vermelha
1 dente de alho
1/2 berinjela média cortada em cubos
100 g de vagem macarrão cortada em pedaços
60 ml de leite de coco light
1 col. de chá de açúcar mascavo
1 col. de chá de molho de peixe
suco de 1/2 limão

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com o azeite. Acrescente a pasta de curry e o alho picado e refogue por 1 ou 2 minutos para soltar os temperos até sentir o aroma da pasta. Coloque os pedaços da berinjela e da vagem e mexa bem até que fique tudo coberto com a pasta.
Adicione o leite de coco aos poucos e mexa bem para misturar os ingredientes. Por fim coloque o açúcar, o molho de peixe e o limão e deixe ferver. Abaixe o fogo e cozinhe de 5 a 7 minutos mantendo uma leve fervura até que os vegetais fiquem macios e crocantes e o molho reduza e engrosse um pouco.
Desligue o fogo, mexa bem e acrescente o filé de salmão em pedaços. Sirva por cima de arroz integral ou arroz jasmim.

Este curry, como a grande maioria deles, foca no picante e inclui o doce, salgado e azedo apenas como toques refrescantes sentidos no fundo. De certa forma, os quatro sabores ficam brigando entre si para saber qual será o vencedor e, neste caso, o picante acaba ganhando com uma pequena margem.

O bom de receitas como esta é que podemos adaptá-las um pouco ao nosso gosto. Se você não é muito chegado num prato picante demais pode diminuir a quantidade de pasta de curry usada. Dessa forma a briga entre os quatro sabores ficará ainda mais intensa e poderá ser percebida com maior felicidade. Incrível, não?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Gourmet sem complicações

Quando estamos sem muito tempo para preparar uma refeição elaborada procuramos técnicas e métodos que facilitem nossas vidas. Eu, por morar sozinha, faço essa busca diariamente já que estou sempre cozinhando apenas para uma pessoa. Confesso que tem dias que fico com preguiça de fazer coisas complexas demais só para mim.

Uma técnica fantástica que descobri esses dias foi a de cozinhar peixes em papelotes de papel alumínio. Além de serem perfeitos para contabilizar porções individuais, não sujo nenhuma panela enquanto preparo um prato delicioso. Tem coisa melhor do que não ter montes de louça para lavar depois daquele almoço gostoso e aconchegante?

Tilápia no papelote com vegetais

Tilápia no papelote com vegetais

1 filé de tilapia (120 g)
100 g de tomate cereja cortados em quatro
¼ de cebola roxa cortada em tiras
75 g de vagem macarrão cortadas em pedaços
1 col. de sopa de azeitonas pretas picadas
suco de 1 limão
1 col. de sobremesa de alcaparras
1 col. de chá de orégano
1 col. de chá de azeite
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma grelha elétrica em temperatura alta. Numa tigela, junte os tomates cortados em quatro, a cebola fatiada, a vagem cortada em pedaços, as azeitonas picadas, as alcaparras, o orégano, o suco de limão e o azeite. Misture bem para que todos os vegetais peguem o sabor do limão e do azeite. Salpique uma pitada de sal e de pimenta-do-reino. Reserve.
Tempere o peixe com sal e pimenta a gosto. Para preparar os papelotes, arrume duas folhas retangulares (20 x 25 cm) de papel alumínio sobre uma superfície lisa. Coloque o filé no centro e arrume os vegetais com a marinada por cima. Com cuidado, levante as abas do papel alumínio e junte-as como se fosse um embrulho. Feche bem o pacotinho certificando-se de que está hermeticamente fechado para que o vapor não escape.
Coloque o papelote sobre a grelha e deixe cozinhar e 15 a 20 minutos até que o peixe fique pronto. Tenha cuidado ao abrir o pacote pois o vapor que sairá estará bem quente. Sirva acompanhado de arroz integral.

A melhor parte de cozinhar peixes com esta técnica é que eles ficam macios e suculentos usando uma quantidade mínima de azeite (apenas o da marinada dos vegetais). Quando assamos peixes no forno é preciso usar uma quantidade bem maior de azeite se quisermos que atinjam esta consistência (sem o azeite ele fica um pouco ressecado).

Outra vantagem desta técnica é que o tempo de cozimento é reduzido já que o vapor formado dentro do papelote acelera o processo. Vale checar se o peixe já está pronto com 10 minutos de grelha para avaliar quanto tempo ainda resta. Quando eu fiz este prato, deixei um total de 15 minutos na grelha pois a minha não chega a uma temperatura extremamente alta. No fim o tempo total depende de cada aparelho.

Por hoje é só.

Bon appetit!