Jantar sem complicações

Depois da comemoração de ontem pelos nove meses de blog, estou de volta com outra receita super prática para continuar no clima da correria da semana. Este prato requer um pouco de preparo prévio, mas na hora de cozinhar ele fica pronto em menos de 10 minutos. Perfeito para um jantar express depois de um dia longo no trabalho.

O clássico salteado oriental preparado na panela wok admite uma infinidade de combinações de ingredientes. Às vezes me divirto pegando a primeira coisa que vejo na geladeira para criar pratos novos. O segredo é escolher uma boa dose de legumes crocantes, uma fonte de proteína gostosa e um molho básico para arrematar. Esta versão que criei ficou especialmente gostosa.

Salteado simples de carne com vegetais

Salteado simples de carne com vegetais

100 g de coxão mole
100 g de vagem
100 g de pimentão
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
1 col. de sopa de cebolinha picada
10 ml de shoyu light
30 ml de caldo de galinha
15 ml de molho de ostra oriental
5 ml de vinagre de arroz
1 col. de chá de maizena
azeite e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Corte a carne, a vagem e o pimentão em tiras finas e reserve. Pique a cebola e o alho. Numa tigela, misture o shoyu, o caldo de galinha, o molho de ostra, o vinagre e a maizena. Mexa bem até ficar completamente homogêneo.
Aqueça uma frigideira wok em fogo médio e regue com um fio de azeite. Comece refogando a cebola e o alho até ficarem macios. Acrescente a carne e mexa constantemente até começar a dourar. Por fim, junte a vagem e o pimentão e continue mexendo até que tudo esteja cozido mas ainda al dente.
Derrame o molho e mexa até engrossar um pouco (aprox. 3 minutos). Sirva acompanhado de arroz branco ou integral e salpicado com a cebolinha picada e a pimenta calabresa.

O mais importante para lembrar quando estamos preparando salteados deste estilo na wok é deixar todos os ingredientes pré prontos e cortados e deixar o molho pronto numa tigela. Todos este passos são essenciais já que depois que começa o processo de cozimento dos alimentos, o tempo total de preparo não passa de 10 minutos. Tudo fica pronto super rápido.

Com certeza este não será o último salteado oriental que irei preparar na vida. Realmente adoro esta receita já que ela permite várias substituições e funciona muito bem num dia corrido. Quando sei que vou chegar em casa tarde à noite, já deixo os ingredientes pré cortados e guardados na geladeira. Assim, depois de chegar em casa meu jantar fica pronto num flash. E fica absolutamente delicioso.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Na correria básica de todos os dias

Correria tem sido a palavra básica dos meus dias ultimamente. Mal tenho tempo de respirar, quanto mais pensar em algo elaborado para preparar para o almoço. Como imagino que esta seja a realidade de muitos de vocês, nada melhor do que compartilhar algumas das minha receitas chave para dias como esses.

Geralmente acho boas ideias nos sites que frequento e faço apenas algumas poucas modificações para ficarem mais práticas ainda. Esta de hoje pedia grão de bico, mas como tinha ervilha e vagem em casa resolvi adaptar para facilitar minha vida. No fim ficou super saboroso mostrando que na cozinha praticamente qualquer combinação é válida.

Frango à italiana

Frango à italiana

1 peito de frango
50 g de ervilha em conserva
100 g de vagem congelada
50 g de pimentão vermelho picado
1/2 lata de tomate pelado
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
azeite, sal, pimenta, salsinha, manjericão e orégano a gosto

Modo de preparo:
Corte o peito de frango em cubos médios e tempere com sal e pimenta a gosto. Aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho até ficarem macios e aromáticos. Acrescente o frango e mexa para começar a dourar.
Junte metade de uma lata de tomate pelado, e a vagem congelada. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe de 5 a 7 minutos mantendo uma leve fervura até que o frango fique pronto. Por fim, acrescente o pimentão picado, a ervilha e tempere com salsinha, manjericão e orégano a gosto. Sirva com arroz integral ou macarrão al dente.

Adoro pratos rápidos e completos como este que ficam prontos em menos de 20 minutos. A praticidade de ter legumes congelados facilita demais a vida de quem, como eu, vive na correria. Apesar de parecer menos saudável que os frescos, na verdade os vegetais congelados retêm todo seu valor nutricional e não deixam a desejar em nada em comparação com as versões compradas na hora.

O mais importante para lembrar quando se vive em constante correria é ter ingredientes básicos guardados no congelador e na despensa. Tendo sempre uma lata de tomate pelado, pacotes de verduras congeladas e carnes guardadas em porções individuais no freezer é possível preparar uma bela refeição sem o menor esforço. Melhor impossível, não?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Uma complexidade de sabores

Já publiquei aqui no blog diversas receitas super gostosas e nutritivas feitas com cevadinha, esse grão integral tão maravilhoso e indispensável para quem deseja ter uma alimentação saudável. Uma das minha preferidas é a sopa de cevadinha com carne, absolutamente deliciosa e perfeita para essas noites frias de inverno.

A receita de hoje é parecida com outra que também já publiquei aqui mas tem um toque diferente. Ao invés de servir como uma espécie de risoto, como é o caso desta outra receita, a de hoje transforma-se numa deliciosa salada diferente. Aproveite um dia mais calmo para brincar e testar novos sabores na cozinha. Assim aprendemos e descobrimos coisas maravilhosas.

Salada de cevadinha tostada com vagem e shitake

Salada de cevadinha tostada com vagem e shitake

45 g de cevadinha
400 ml de água
100 g de shitake
100 g de vagem
5 ml de óleo de gergelim torrado
5 ml de shoyu
1 sache de mel
1 dente de alho
1 col. de sopa de cebolinha
gengibre a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente e regue com o óleo de gergelim torrado. Toste a cevadinha, mexendo sempre, por alguns minutos até que fique aromática. Despeje os 400 ml de água fervente, abaixe o fogo e cozinhe mantendo uma leve fervura por 40 a 50 minutos ou até que a cevadinha fique macia.
Enquanto isso, ferva mais 300 ml de água e cozinhe a vagem por 3 a 5 minutos até que fique al dente. Escorra e coloque a vagem numa bacia com água e gelo para parar o cozimento. Reserve.
Aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio e refogue o shitake fatiado até começar a murchar. Acrescente a cevadinha já cozida e escorrida e a vagem. Mexa bem para incorporar todos os ingredientes e aquecer levemente.
Numa tigela, misture o shoyu com o mel, o dente de alho amassado e o gengibre em pó a gosto. Na hora de servir, regue a salada com o molho e salpique cebolinha picada a gosto. Sirva com um mix de folhas verdes para um jantar vegetariano numa noite especial.

O fato de usar o óleo de gergelim torrado para tostar a cevadinha no início da receita traz um nível de sabor ao prato indescritível. Por ser bastante impactante, recomendo que tenham muito cuidado ao utilizar o óleo. Um pequeno fio já é mais do que suficiente para trazer esse sabor diferente e inovador à receita.

Outro toque especial desta receita é justamente a leve tostada dada à cevadinha antes de cozinhá-la. Esse grão tem naturalmente um sabor com leves toque de nozes. Ao tostá-la, esse sabor é liberado e ajuda a elevar a complexidade do prato final. Recomendo degustar desta salada em temperatura ambiente depois que tenha esfriado um pouco do final do preparo.

Por hoje é só.

Bon appetit!

O delicioso sabor da lembrança

Confesso: tem dias que morro de saudades dos anos que passei morando nos Estados Unidos. E sim, tenho saudades especialmente da comida que comia lá. Mas peraí, americano não come só fast food? Claro que não! Isso é uma visão deturpada que tenho tentado mudar desde que voltei para o Brasil.

Alias, existem diversos pratos tipicamente norte-americanos que são deliciosos e certamente não se assemelham em nada com os sanduíches das lanchonetes que vemos por aí. Com grande influência anglo-saxônica, a culinária dos Estados Unidos reúne também inúmeras características dos diversos povos que fizeram do país o que ele é hoje.

“Torta” de frango express (chicken pot pie)

“Torta” de frango express – (Chicken Pot Pie)

1 unidade de massa folhada para pastel de forno (30 g)
1 peito de frango cortado em cubos
150 ml de caldo de frango
1 folha de louro
100 g de batata cortada em cubos
100 g mix de vegetais congelados (com ervilha, vagem e cenoura)
1 col. de sopa cheia de farinha de trigo
30 ml de caldo de frango
azeite, sal, pimenta, tomilho e sálvia a gosto

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno em temperatura alta (220˚C). Arrume a massa folhada numa travessa antiaderente untada com um fio de azeite. Corte a massa em quatro tiras médias e leve para assar até dourarem (aproximadamente 10 minutos).
Enquanto isso, aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue os pedaços de frango até dourarem bem. Reserve.
Numa panela grande, ferva 150 ml de caldo de frango junto com a folha de louro. Acrescente a batata e cozinhe por 10 minutos até que fique macia. Junte o mix de vegetais congelados e deixe cozinhar por mais 2 minutos.
Numa tigela, misture a farinha com mais 30 ml de caldo de frango até que fique homogêneo e sem bolinhas. Derrame a mistura na panela e acrescente os cubos de frango dourados. Mexa bem e cozinhe até engrossar (de 2 a 3 minutos). Tempere com sal, pimenta, tomilho e sálvia a gosto. Sirva acompanhado das tiras de massa folhada.

Uma das preparações mais clássicas norte-americanas são as tortas, sejam elas doces ou salgadas. Esta que compartilho com vocês hoje é uma das mais apreciadas e é considerada uma verdadeira “confort food”. Ou seja, aquela comidinha super caseira que sua mãe prepara para você quando está doente e de cama.

A versão tradicional inclui uma crosta completa de massa podre normal para tortas. Entretanto, a versão que achei e testei em casa dá uma certa leveza ao prato fazendo dele um pouco mais saudável e com certeza mais rápido e fácil de preparar. No fim, o sabor é aquele que me acostumei a comer quando morava lá. Absolutamente deliciosa, esta torta cai muito bem numa noite friazinha de inverno.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Pratos completos e balanceados

Com certeza você é como eu e acabou exagerando um pouco nas comilanças do final de semana. Nada melhor do que uma segunda-feira para voltar à rotina e encarar de novo os princípios de uma alimentação balanceada e saudável. Uma boa dose de proteína magra com legumes variados e carboidratos complexos é a combinação perfeita.

E para começar a semana com o pé direito, um filé de peito de frango cai super bem. Mas minha sugestão não é aquela sem graça de tantas dietas que vemos por aí nas revistas nas quais eles nos mandam ficar só no franguinho grelhado sem gosto e sem nada. Com alguns ingredientes diferentes conseguimos transformar uma refeição leve em algo super saboroso sem desandar a alimentação.

Frango à camponesa

Frango à camponesa

1 peito de frango
suco de 1/2 laranja
100 g de mix de vegetais congelados
50 g de cebola picada
1 dente de alho picado
2 col. de sopa de extrato de tomate
120 ml de água
azeite, sal e salsinha a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com sal a gosto. Coloque numa tigela e derrame o suco de laranja. Deixe marinando por pelo menos 1 hora.
Enquanto isso, aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho picados até ficarem aromáticos e começarem a amaciar. Acrescente o extrato de tomate e o mix de vegetais congelados. Mexa bem para que fique tudo incorporado e os legumes comecem a separar.
Junte a água e o peito de frango com o suco da marinada. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe por 10 minutos mantendo uma leve fervura até que o frango fique cozido e o molho reduza um pouco. Na hora de servir, salpique salsinha fresca a gosto. Sirva com arroz selvagem ou este couscous de quinoa delicioso.

Optei por usar um mix de vegetais congelados com vagem, ervilha e cenoura por pura praticidade já que isso diminui o tempo de preparo do prato. Além disso, não preciso ficar me preocupando em lavar, descascar e picar os legumes que iria usar. Entretanto, se você preferir pode comprar uma combinação de vegetais diferente como abobrinha, cenoura e vagem para cortar em cubinhos e usar no preparo do prato.

O bom desta receita é que ela já inclui uma boa dose de legumes no próprio prato. Assim, não precisamos ficar pensando em outras receitas para fazer de acompanhamento e servir na hora do almoço. Aqui, com apenas alguns minutos, temos uma refeição completa e balanceada perfeita para começar a semana bem.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Fechando com chave de ouro

Na hora de planejar um cardápio a dica que posso passar é pensar na refeição como algo completo. Quanto mais variada a comida e com o maior número de ingredientes diferentes, maior a chance dela formar parte de uma alimentação balanceada. Por isso, invista em alimentos com propriedades e características distintas que sejam boas fontes de proteínas, carboidratos, legumes, verduras e frutas.

Completando o cardápio do meu jantar especial, escolhi um acompanhamento que reunia tanto uma boa fonte de carboidrato quanto uma verdura para acrescentar fibras, vitaminas e minerais. Desta forma, consegui manter uma boa proporção de nutrientes no jantar inteiro. Sem contar que combinou perfeitamente com o prato principal que trouxe proteínas e frutas à mistura.

Vagem holandesa com batatas ao molho de tomate rústico

Vagem holandesa com batatas ao molho de tomate rústico

400 g de vagem holandesa
400 g de batata bolinha
300 g de tomate cereja
2 dentes de alho
60 – 120 ml de água
azeite, coentro, sal e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente funda em fogo médio. Regue com um fio de azeite e refogue os dentes de alho amassados até ficarem aromáticos. Corte as batatas em cubos pequenos e acrescente à panela mexendo para dourarem levemente. Derrame a água até cobrir todas as batatas e aumente o fogo para começar a ferver. Abaixe o fogo e cozinhe por 5 minutos mantendo uma leve fervura.
Depois desse tempo, junte as vagens à panela e cozinhe por mais 3 minutos até que elas fiquem al dente. Caso seja necessário, acrescente mais um pouco de água. Por fim, coloque os tomates inteiros e tempere com sal, pimenta calabresa moída e coentro a gosto. Cozinhe por mais alguns minutos até que os tomates fiquem macios e formem um molho reduzido. Sirva a seguir.

Rende 4 a 6 porções.

A combinação da vagem com a batata e o tomate ficou suave e delicada sem transformar-se em algo sem graça demais. O fato de usar o tomate cereja inteiro e não tomates grandes cortados também acrescentou um toque levemente adocicado ao molho fazendo com que o sabor final ficasse mais complexo.

Dito isso, acho que talvez tenha faltado um quê a mais no tempero. Penso que alguns raminhos de tomilho ou alecrim acrescentados ao prato no final teriam complementado o sabor da batata e casariam muito bem com o gosto final do molho. Numa próxima vez que preparar este prato pretendo testar com novas combinações de ervas para ver como fica. De qualquer maneira, feito desta forma, o prato não deixa a desejar e ficou uma delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sobras inusitadas

Alguns dias atrás publiquei aqui uma receita de edamame, ou soja verde, que pode ser encontrada congelada ainda na vagem e é bastante comum na culinária japonesa e norte-americana. Como a receita que preparei rendia 2 porções, aproveitei para comer naquele dia como salada de acompanhamento no jantar e guardei o restante para saborear de almoço no dia seguinte.

O legal  desta receita é que ela é bastante versátil e serve justamente para diversos momentos ou tipos de refeições. Desta vez optei por refogar alguns camarões congelados que tinha comprado e juntá-los ao succotash de edamame que havia sobrado. Meu almoço ficou completo e bastante saboroso.

Succotash de edamame com camarão

Succotash de edamame com camarão

200 g de camarão limpo, cozido e congelado
150 g de edamame congelado na vagem
100 g de milho verde congelado
1 col. de sobremesa de azeite
1/2 pimentão verde ou vermelho pequeno
1/2 cebola
1 dente de alho
15 ml de vinho branco
10 ml de vinagre de arroz
salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o edamame e o milho verde congelados em uma panela com água fervente por 3 a 5 minutos. Escorra bem e passe por água corrente para parar o cozimento. Retire a soja da vagem e reserve juntamente com o milho.
Descongele o camarão numa tigela deixando na geladeira da noite pro dia. Escorra a água que soltar. Aqueça uma panela wok ou frigideira antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue o camarão salpicado com sal e pimenta a gosto por 2 ou 3 minutos até aquecer bem. Transfira o camarão para um prato e reserve.
Acrescente a cebola picada, o pimentão picado e o alho amassado à wok e refogue com um fio de azeite. Mexa bem até começar a ficar macio. Junte o milho, o edamame e o vinho branco. Refogue bem mexendo constantemente até evaporar quase todo o líquido.
Retorne o camarão à panela e continue mexendo para misturar e aquecer bem todos os ingredientes. Desligue o fogo e tempere com o vinagre de arroz e a salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto.

Rende 2 porções.

Nada melhor do que receitas práticas como esta para preparar num dia corrido de meio de semana. Alias, este prato mostra como é possível aproveitar sobras deliciosas do dia anterior para criar refeições inusitadas e diferentes no dia seguinte.

Se você já sabe que a semana vai ser corrida, aproveite um dia mais light para cozinhar pratos como este e guardar um pouco de sobras para aproveitar nos dias seguintes. Assim você não gasta tanto tempo na cozinha, não deixa de ter variedade nas refeições e de quebra consegue manter uma alimentação super saudável com receitas nutritivas e balanceadas.

Por hoje é só.

Bon appetit!