Aprendendo coisas novas

Às vezes não há nada melhor do que uma receitinha simples e básica para complementar o almoço. As conservas são ótimas para preservar os legumes e vegetais fresquinhos por mais algum tempo, além de acrescentar um sabor delicioso à comida. E quando são feitas em casa ganham todo um gostinho especial.

Sempre tive vontade de fazer conservas caseiras, mais no sentido de aprender como são feitas do que para substituir as versões industrializadas que compro. Depois de provar esta, percebi que as conservas feitas em casa são bem mais saborosas do que as compradas prontas. Agora vou ter que comprar muitas verduras para aproveitar essa minha nova descoberta na cozinha.

Abobrinha em conserva

Abobrinha em conserva

360 ml de vinagre de arroz
300 g de abobrinha em rodelas finas
2 col. de sopa de açúcar
1 col. de sopa de sal
pimenta calabresa em flocos a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela, junte o vinagre de arroz com o sal e o açúcar. Mexa bem para incorporar tudo. Leve ao fogo baixo e aqueça, sem deixar ferver, mexendo constantemente por alguns minutos até dissolver o sal e o açúcar completamente. Você pode também levar ao micro-ondas por 30 segundo para terminar de dissolver os cristais.
Lave bem a abobrinha e jogue fora as pontas. Corte em rodelas finas, ou na espessura que preferir, e mergulhe na mistura de vinagre. Acrescente a pimenta calabresa em flocos a gosto e mexa certificando-se que todo o legume esteja coberto. Leve à geladeira por pelo menos 6 horas antes de servir.
A conserva pode ser guardada na geladeira por 5 dias.

Esta versão de conserva de abobrinha usou vinagre de arroz e pimenta calabresa em flocos para dar um toque oriental ao sabor final, mas você pode usar vinagre de vinho branco normal caso prefira. Como eu gosto muito do sabor do vinagre de arroz, achei esta versão da conserva super saborosa e não mudaria nada.

Vale ressaltar que esta conserva caseira fica com o sabor do vinagre bem ressaltado. As versões industrializadas usam mais sal e açúcar para suavizar o sabor, o que é uma opção caso você não goste muito do sabor forte do vinagre. De qualquer maneira, a versão caseira tem um gosto mais natural do que as compradas prontas, o que, para mim, é sempre uma vitória.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Um arco-íris saudável

Está cansado da saladinha simples de alface e tomate que sempre servem nos restaurantes ou nos quilos da vida? Eu sempre procuro variar o máximo possível minha alimentação. Mas isso inclui também a salada que acompanha e não apenas o prato principal escolhido do dia.

Tem dias que vou ao supermercado só pensando nos ingredientes específicos que quero usar na minha próxima salada. Mas como nem sempre tenho tempo para fazer isso, geralmente tenho guardado no freezer alguns vegetais básicos que deixam qualquer salada mais completa ou simplesmente deliciosa.

Salada colorida

Salada colorida

50 g de cebola roxa
50 g de edamame congelado
70 g de milho congelado
50 g de tomate cereja
sal, azeite, suco de limão e vinagre a gosto

Modo de preparo:
Ferva 500 ml de água e dê um choque térmico no edamame e no milho congelados. Escalde-os na água fervente por 2 minutos e em seguida coloque numa bacia com água e gelo. Escorra e coloque numa tigela. Reserve.
Corte a cebola em cubinhos pequenos e o tomate cereja em quatro pedaços cada. Junte ao edamame e ao milho na tigela e misture bem. Tempere com sal, azeite, suco de limão e vinagre a gosto. Sirva a seguir.

Esta foi uma saladinha um pouco mais incrementada que inventei um dia desses porque queria algo à mais do que a tradicional alface com tomate para acompanhar meu jantar. Resolvi pegar ingredientes básicos que já tinha em casa e fazer algo bem bonito investindo na diversidade das cores.

Alias, isso é algo que as pessoas costumam esquecer. A primeira sensação que temos com a comida é a visual. A aparência do prato feito antes de comer é tão ou mais importante quanto o sabor em si. Não há nada menos apetitoso do que algo que parece feio ou estragado. Invista no arco-íris das cores ao montar sua próxima salada. Além de bonita você vai estar garantindo um maior número de vitaminas e nutrientes tão importantes para a saúde.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Pronto para viagem

Eu entendo que nem todo mundo tem tempo para preparar uma refeição completa e balanceada na correria do dia a dia. Mas nem por isso é preciso gastar muito com restaurantes caros ou comer qualquer besteira na rua para economizar uns trocados. Com um pouco de imaginação é possível preparar um belo almoço e levar para comer no trabalho.

Já dei diversas dicas de saladas super saborosas aqui no blog que funcionam justamente para esse propósito. Algumas das minhas preferidas sempre incluem uma boa dose de proteína, alguma leguminosa e vegetais ultra crocantes. Esta de dois feijões, a de lentilha com salmão e a de milho com salsicha com certeza podem ser preparadas com antecedência e formam um belo almoço express.

Salada de beterraba com frango desfiado, cenoura baby e ervilha

Salada de beterraba com frango desfiado, cenoura baby e ervilha

1 peito de frango cozido e desfiado
125 g de beterraba
50 g de cenoura baby
100 g de ervilha em conserva
mix de folhas verdes
azeite, limão e vinagre a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o frango temperado com sal e pimenta a gosto, desfie e reserve. Se preferir, pode comprar o frango já pronto e desfiado. Cozinhe também a beterraba e corte em cubos pequenos. Se preferir pode comprar a beterraba cozida no vapor e embalada à vácuo.
Arrume o mix de folhas verdes a gosto num prato. Coloque a beterraba em cubinhos por cima. Decore com a cenoura baby e a ervilha em conserva. Termine com o peito de frango desfiado e tempere com azeite, limão e vinagre de vinho branco a gosto.

Mais uma vez acabei criando uma salada qualquer com ingredientes pré-prontos que tinha em casa para um daqueles dias super corridos da vida. Como sempre, vale usar toda a imaginação e o gosto pessoal para incluir os legumes e as proteínas que mais gostamos. Afinal, ninguém vai querer comer uma salada apenas por obrigação, certo? Tem que ser uma experiência prazerosa.

O mais importante é sempre procurar deixá-la bastante colorida. Neste caso, investi no roxo da beterraba, o laranja da cenoura e o verde da ervilha. Além disso, eu gosto de  ter como base um belo mix de folhas verdes, com algumas claras e escuras e outras crocantes para dar mais textura ao prato. O frango desfiado garante a proteína necessária para fazer deste prato uma refeição completa. Simples, fácil e prático. Quem precisa de mais?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Buscando sabores novos

Quando pensamos em saladas muitas pessoas pensam em coisas sem graça, só com alface e tomate, certo? Entretanto, o mundo das saladas é incrivelmente diverso e pode trazer uma combinação de ingredientes inusitados e deliciosos. Adoro fazer saladinhas para acompanhar um sanduíche natural quando janto na faculdade. Por isso, estou sempre procurando receitas novas e interessantes.

Já compartilhei várias dicas super saborosas aqui no blog. A de beterraba com espinafre e feijão branco é uma das minhas preferidas, mas tem também opções mais simples como a de grão de bico ou a de soja. E para deixar sua salada ainda mais gostosa, tenho também algumas sugestões de molhos deliciosos.

Salada de escarola, milho e feijão branco

Salada de escarola, milho e feijão branco

10 folhas de escarola
100 g de vagem
50 g de milho
125 g de feijão branco em conserva
azeite, vinagre de vinho branco, salsinha e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:
Abra a lata de feijão branco em conserva e escorra o líquido que vem dentro. Lave bem o feijão em água corrente para tirar o excesso de sal. Reserve numa tigela.
Cozinhe a vagem em água fervente por 2 ou 3 minutos até ficar al dente. Escorra e transfira para um banho de água fria com gelo para parar o cozimento e ficar crocante. Junte o milho e a vagem na tigela com o feijão branco reservado. Mexa bem para misturar tudo.
Aqueça uma frigideira antiaderente e regue com um fio de azeite. Corte as folhas de escarola em tiras e leve à frigideira para refogar. Mexa por alguns minutos até murchar bem. Acrescente a escarola refogada aos outros ingredientes e tempere com azeite, vinagre, salsinha e pimenta do reino a gosto. Sirva de acompanhamento no seu jantar.

Como esta receita inclui refogar as folhas de escarola o legal é comê-la assim que ficar pronta para poder saborear tudo com uma temperatura levemente aquecida. Entretanto, nada impede que você prepare esta salada para levar de almoço ou jantar no seu trabalho. Nesse caso, não esqueça de deixar esfriar completamente antes de tampar o pote para não criar gotinhas de umidade.

Adorei esta nova salada que encontrei. A combinação suave das folhas de escarola refogadas casou perfeitamente com o leve sabor adocicado do feijão branco e do milho. Além disse, a vagem crocante deu mais uma dimensão de textura ao produto final.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Refeições ecléticas

Quantas vezes você já deixou de almoçar ou comeu qualquer besteira no trabalho por mera falta de tempo? Geralmente temos a impressão de que precisamos de horas a fim para preparar algo saudável e gostoso para comer. Entretanto, é possível fazer uma bela refeição sem gastar muito tempo ou dinheiro, basta fazer alguns simples planejamentos.

Num dia em que quiser jantar um delicioso prato de massa ao molho de tomate, aproveite para preparar esta receita. Digo isso porque ela se transforma numa fantástica salada de macarrão que pode ser levada para almoçar no dia seguinte no trabalho. Além de ser divinamente saborosa, ela é super fácil de fazer e demora menos de 30 minutos para ficar pronta.

Salada de macarrão com berinjela

Salada de macarrão com berinjela

50 g de penne integral
100 g de berinjela
100 g de tomate cereja
1 col. de sopa de extrato de tomate
1 col. de sopa de alcaparras
15 ml de vinagre de vinho branco
30 ml de água
azeite, sal, pimenta e manjericão a gosto

Modo de preparo:
Ferva uma panela de água e cozinhe o macarrão de acordo com as instruções da embalagem até que fique al dente. Escorra e regue com um fio de azeite para não grudar. Reserve.
Enquanto a massa cozinha, aqueça uma outra panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Coloque a berinjela cortada em cubos e refogue por alguns minutos para começar a cozinhar. Acrescente os tomates cereja inteiros e refogue mais alguns minutos até que comecem a estourar.
Numa tigela, misture o extrato de tomate, o vinagre, a água e tempere com sal e pimenta a gosto. Despeje na panela e deixe ferver. Reduza o fogo e cozinhe a berinjela por mais 5 minutos mantendo uma leve fervura até que murche por completo e o engrosse levemente.
Desligue o fogo, junte as alcaparras e o manjericão a gosto. Mexa bem e por último acrescente o macarrão cozido. Deixe esfriar um pouco ou guarde na geladeira até o momento de servir. Coma acompanhada de um filé de peixe ou frango grelhado.

Chamar este prato de salada vem apenas do fato dela ser comida em temperatura ambiente ou até gelada ao invés de quente. Entretanto, nada impede que você saboreie esta deliciosa refeição como um prato de massa ao molho de tomate com berinjelas normal.

A intenção aqui é mostrar que esta combinação também funciona super bem como um prato gelado o que significa que ele pode ser feito num dia e as sobras transformam-se numa ótima e saborosa opção para o almoço corrido do trabalho no dia seguinte. Além de super fácil, a junção dos tomates com a berinjela e o manjericão e as alcaparras formam um casamento espetacular de sabores.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para juntar a galera

Ontem à tarde me deu uma vontade louca de inaugurar minha forma de mini muffins que comprei na minha última viagem aos Estados Unidos. O problema disso é que como moro sozinha fazer 12 mini muffins só para mim acaba sendo uma tentação absurda. Não teria como não acabar comendo tudo.

Para reverter a situação, nada melhor do que chamar pessoas amadas para saborear a delícia junto com você. Melhor ainda, estes mini muffins são uma ótima desculpa para juntar todo mundo e saborear um delicioso pote de café ou chá num singelo lanchinho da tarde.

Mini muffins de cacau com chocolate amargo

Mini muffins de cacau com chocolate amargo

14 col. de sopa de farinha de trigo
1/4 de xíc. de chá de açúcar mascavo
2 col. de sopa de cacau em pó sem açúcar
1/2 col. de chá de fermento em pó
1/2 col. de chá de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
120 ml de água
1/2 col. de sobremesa de essência de baunilha
1/2 col. de sopa de vinagre de vinho branco
30 g de chocolate amargo (70% cacau ou mais)
30 ml de óleo de canola
1 clara

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno a 200˚C. Unte uma forma refratária de mini cupcakes com 12 unidades com um pouco de azeite. Reserve. Quebre o chocolate amargo em quadradinhos pequenos e reserve.
Numa tigela, misture os ingredientes secos (da farinha até o sal) e misture delicadamente com uma colher até ficar homogêneo. Em outra tigela, junte os demais ingredientes (menos o chocolate amargo) e bata ligeiramente com um garfo até misturar completamente.
Abra um buraco no meio da tigela com os ingredientes secos e derrame a mistura de óleo, água e a clara. Comece a mexer com cuidado com o auxílio de uma colher ou garfo até que fique tudo bem misturado. Cuidado para não mexer demais se não os muffins podem ficar duros. Acrescente 2/3 do chocolate picado e misture à massa.
Divida a massa entre os 12 recipientes da forma de mini muffins até que todos fiquem cheios. Pegue o resto do chocolate picado e coloque um pedacinho por cima de cada muffin. Leve para assar de 8 a 9 minutos ou até que um palito enfiado no meio saia limpo. Sirva como acompanhamento de uma bela xícara de chá ou café como lanche da tarde.

Rende 12 mini muffins.

Não há palavras para descrever a delícia que ficaram estes mini muffins. Absurdamente fofinhos e macios, eles derretem na boca e levam o sabor espetacular do cacau a um patamar nunca antes atingido. A receita original era para fazer 12 muffins do tamanho normal. Entretanto, como a minha forma era de mini muffins, dividi a receita ao meio e fiz 12 do tamanho pequeno.

Caso você queira preparar estas delícias do tamanho tradicional, esta quantidade indicada rende 6. Para fazer 12, apenas dobre os ingredientes. E neste caso, não se esqueça de aumentar o tempo de forno para 15 minutos, aproximadamente. Mas vamos combinar, os pequenininhos são muito mais fofos e, por serem mini, podemos comer mais de um sem culpa. Melhor impossível, não é?

Por hoje é só.

Bon appetit!

O sabor caseiro

Divertidas e coloridas, as saladas aperitivo são ótimas para incrementar qualquer refeição. Geralmente preparadas com antecedência, estas delícias funcionam como entradinhas elegantes e sofisticadas para qualquer jantar. As inúmeras combinações de ingredientes também proporcionam uma variedade incrível para não ficar sempre na mesma.

Uma clássica, que sempre aparece em almoços ou jantares especiais, é a salada de berinjela. Prática e simples, existem milhares de maneiras de preparar. Entretanto, o básico é geralmente o mesmo: pegar berinjela e juntar outros vegetais como pimentões e cebola e cozinhar até ficarem todos macios. A receita que fiz é da minha mãe e tem um gostinho caseiro delicioso.

Salada de berinjela com grão de bico

Salada de berinjela com grão de bico

1 berinjela grande
1 pimentão vermelho médio
1 pimentão amarelo médio
1 cebola média
250 g de grão de bico cozidos
30 ml de azeite
30 ml de vinagre
140 ml de água

Modo de preparo:
Corte a berinjela, os pimentões e a cebola em pedaços quadrados médios. Coloque numa panela funda e acrescente o azeite, o vinagre e a água. Tempere com sal e levante fervura. Quando estiver fervendo, abaixe o fogo e cozinhe destampado e 15 a 20 minutos ou até que tudo esteja amolecido. Misture o grão de bico cozido e tempere com cebolinha ou salsinha a gosto. Sirva com torradinhas integrais.

Rende de 4 a 6 porções.

Normalmente a receita não leva grão de bico. Entretanto, resolvi acrescentá-lo para tornar a salada mais nutritiva com essa ótima fonte de proteína. Desta maneira, a salada pode tornar-se uma refeição completa. Caso queira preparar o prato apenas para servir como aperitivo, pode dispensar o grão de bico.

Deliciosa, esta salada fica mais ainda melhor preparada de véspera e guardada na geladeira. Assim, o azeite e o vinagre no qual os legumes foram cozidos tem mais tempo para impregnar os ingredientes e deixar o sabor mais pronunciado. Se não quiser ou não puder preparar de véspera, pode fazê-la pela manhã e deixá-la curtindo na geladeira durante o dia. Algumas horas já são suficientes para concentrar o sabor delicioso.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Tentando de novo

Estou sempre em busca de novidades para testar na cozinha. As vezes não procuro um prato em si ou uma receita completa e sofisticada. Em muitas ocasiões apenas molhos diferentes já trazem um toque especial e inovador ao almoço diário e conseguem transformar uma simples refeição em algo espetacular.

Desde que vi uma primeira receita de molho de hortelã encasquetei em testá-la e conseguir reproduzir aquilo que pensava seria uma experiência gastronômica divina. Como compartilhei aqui no comecinho do blog, minha primeira tentativa não foi lá muito bem sucedida. Dia desses, então, resolvi testar outra opção de molho de hortelã, bem diferente daquele.

Filé grelhado ao molho de hortelã

Filé grelhado ao molho de hortelã

1 pedaço médio de filé magro
1 fatia de pão integral
2 maços de hortelã fresco
2 col. de sobremesa de azeite
1 col. de sobremesa de vinagre de vinho branco
40 ml de água
1 dente de alho picado
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Rasgue a fatia de pão e coloque num multiprocessador. Acrescente as folhas de hortelã, o azeite, o vinagre e o alho. Triture até ficar homogêneo. Coloque a água aos poucos até atingir a consistência desejada. Reserve.
Tempere o filé com sal e pimenta a gosto. Aqueça uma grelha elétrica em temperatura alta e grelhe o filé por aproximadamente 5 minutos (ou até o ponto desejado). Sirva com o molho regado por cima.

Certamente este molho de hortelã ficou bem mais saboroso do que o primeiro que tentei fazer. Uma das razões é bem simples e diz respeito mais às minhas habilidades como cozinheira do que às receitas em si. Desta vez não exagerei na quantidade de hortelã acrescentada à receita o que fez com que o sabor ficasse bem mais delicado e gostoso.

Entretanto, continuo achando que deve existir uma receita melhor de molho de hortelã por aí. Esta que preparei para este preto ficou um pouco massenta demais, culpa talvez de uma quantidade muito grande de pão indicada nos ingredientes. Dito tudo isso, o sabor não ficou de todo ruim. Alias, deu para apreciar bastante esta minha nova aventura. Quem sabe você não consegue melhorar ainda mais o molho com seu toque pessoal? Aproveite para compartilhar suas dicas também nos comentários.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Refeições de um prato só

Inspirada na culinária oriental, refeições de um prato só como esta que trago hoje são ótimas opções para facilitar a vida na hora de pensar no almoço. Até para quem come no trabalho esta dica funciona perfeitamente já que pode ser acomodada em apenas um taper-wear e armazenada na geladeira do escritório até chegar o horário do almoço.

O espaço reduzido para acomodar toda a comida força uma interação interessante dos ingredientes da receita. Apesar de ser possível comer uma coisa de cada vez, a mistura de sabores dentro da tigela traz uma combinação fantástica para o prato.

Rice bowl (tigelinha de arroz)

Rice bowl

1/2 xic. de chá de arroz integral cozido
1 filé de tilápia (130 g)
50 g de vagem holandesa
50 g de couve-flor
50 g de cenoura
1 col. de sopa vinagre de vinho branco
1 col. de sopa vinagre balsâmico
1/2 col. de sopa de missô vermelho
1/2 limão
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Numa tigela pequena, misture o missô com os vinagres até formar um líquido homogêneo. Reserve. Cozinhe o arroz integral de acordo com as instruções indicadas. Reserve.
Lave bem as verduras. Corte a cenoura em rodelas e a couve-flor em floretes pequenos. Ferva 400 ml de água e escalde os legumes num escorredor. Despeje as verduras imediatamente num recipiente com água gelada e cubinhos de gelo. Reserve.
Para fazer o peixe, tempere com sal e pimenta a gosto. Esprema meio limão e leve ao forno médio (200ºC) pré-aquecido numa forma refratária por aproximadamente 25 minutos. Para montar o prato, coloque o arroz numa tigela e cubra com os vegetais e o filé de peixe em pedaços por cima. Por fim, regue com a mistura de missô e vinagre.

Esta forma de cozinhar os legumes pode parecer diferente, mas é muito utilizada também para preparar vegetais que são acrescentados a saladas. Além de reterem suas cores vibrantes, as verduras não perdem a textura crocante deliciosa e característica de quando são consumidos crus. Isso sem contar que escaldar os legumes ao invés de fervê-los é super rápido e fácil, o que ajuda e muito na hora de preparar a comida.

Pelo tamanho pequeno da tigela pode até parecer na foto que não tem arroz no prato. Mas acredite, ele está muito bem coberto e acaba sendo melhor temperado dessa maneira. Isso porque toda a mistura de missô com vinagre e vinagre balsâmico acaba escorrendo e embebedando o arroz que fica por baixo, uma ótima pedida para incrementar o que seria um arroz integral sem graça.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Feliz natal diferente

Exagerou na ceia de ontem e não consegue pensar em comida hoje? A última coisa que quer ver pela frente hoje é mais peru ou pernil assado? Está viajando e esqueceu de checar se tinha vaga em algum restaurante para almoçar no dia 25? A sugestão de hoje é super leve, fácil de fazer e divinamente saborosa. Nada melhor para um dia como hoje no qual o que mais queremos é ficar em casa e passar tempo com pessoas amadas.

Frango com azeitona e ameixa seca

Frango com azeitona e ameixa seca

300 g de peito ou sobre coxa de frango sem pele e gordura
1/2 tablete de caldo de frango
2 col. de sopa de vinagre de vinho branco
1 col. de sopa de vinagre balsâmico
100 g de azeitonas verdes sem caroço
100 g de ameixas secas sem caroço
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Tempere o peito ou sobre coxa de frango com sal e pimenta a gosto. Numa panela antiaderente, doure os pedaços de frango até começarem a branquear (aproximadamente 2 minutos de cada lado). Dissolva o tablete de caldo de frango em 250 ml de água fervente e adicione à panela. Acrescente o vinagre de vinho branco e o vinagre balsâmico e deixe ferver.
Adicione as azeitonas e as ameixas e abaixe o fogo mantendo uma fervura leve. Cozinhe em fogo baixo com a panela tampada até que o frango fique pronto e o molho engrosse um pouco (aproximadamente 15 minutos). Sirva a seguir.

Rende 2 porções.

Além de manter um clima natalino super gostoso, as ameixas secas quando cozidas junto com o frango começam a se desmanchar e acrescentam um sabor delicioso ao molho do prato. Outra vantagem é que quando elas ficam macias, ajudam a engrossar o molho com mais facilidade.

Esta receita é uma delícia para comer em qualquer época, mas fica ainda mais gostosa nas festas de final de ano quando as frutas secas estão em alta. Como o molho fica bem docinho e saboroso, o prato pede acompanhamentos simples e delicados como batatas assadas no forno ou arroz integral simples. Para o toque final, salpique orégano a gosto por cima do molho ou das batatas. Saboreie acompanhado das pessoas que ama.

Por hoje é só.

Desejando um feliz natal.

E, como sempre, um bon appetit!