Molhos especiais

Preparar medalhões de filé mignon para o almoço pode parecer um prato simples demais ou até sem graça. Realmente, comer apenas um pedaço de carne sem nada para acompanhar, mesmo que seja um suculento filé mignon, tem seu lado simplório demais.

Mas aqui entra a individualidade e criatividade essencial de todo cozinheiro. Um belo molho faz toda a diferença na hora de saborear um medalhão desta carne, uma das mais saudáveis que há para comer. O importante para manter o prato saudável é escolher um molho saboroso mas não muito cremoso como este que descobri esses dias.

Filé mignon ao molho de shitake

Filé mignon ao molho de shitake

1 medalhão de filé mignon médio
100 g de shitake fresco
1 dente de alho picado
3 col. de sopa de cebola picada
60 ml de caldo de carne
20 ml de vinho branco seco
5 ml de vinagre balsâmico
1 col. de sopa de cebolinha picada
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Tempere o filé com sal e pimenta a gosto. Leve para assar em forno médio (180˚C) pré-aquecido por 20 minutos ou até atingir o ponto desejado. Reserve.
Para preparar o molho, aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio e refogue a cebola e o alho picados por 2 ou 3 minutos até começarem a ficar macios. Acrescente o shitake fatiado e continue refogando por mais alguns minutos até o cogumelo murchar um pouco.
Despeje o caldo de carne, o vinho branco e o vinagre balsâmico e cozinhe mexendo de vez em quando até reduzir e engrossar levemente (aproximadamente 5 minutos). Adicione a cebolinha picada, mexa mais um pouco e desligue o fogo. Regue a carne com o molho e sirva acompanhado de arroz selvagem e legumes cozidos.

Apesar de não usar amido ou farinha, o molho consegue engrossar bem ao cozinhar por alguns minutos devido ao vinagre balsâmico que tem um toque adocicado. Isso sem falar na combinação do vinagre com o vinho e o sabor fresco do shitake que tornam este molho absolutamente divino.

A quantidade indicada na receita rende bastante molho e chega a ser suficiente para duas pessoas. Entretanto, preparei desta mesma forma apenas para mim e estava tão gostoso que comi tudo. Já tinha feito outros molhos parecidos à base de cogumelos frescos, mas este conseguiu subir para o topo da lista pela fantástica combinação de sabores. Ficou simplesmente sensacional.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sobras inusitadas

Alguns dias atrás publiquei aqui uma receita de edamame, ou soja verde, que pode ser encontrada congelada ainda na vagem e é bastante comum na culinária japonesa e norte-americana. Como a receita que preparei rendia 2 porções, aproveitei para comer naquele dia como salada de acompanhamento no jantar e guardei o restante para saborear de almoço no dia seguinte.

O legal  desta receita é que ela é bastante versátil e serve justamente para diversos momentos ou tipos de refeições. Desta vez optei por refogar alguns camarões congelados que tinha comprado e juntá-los ao succotash de edamame que havia sobrado. Meu almoço ficou completo e bastante saboroso.

Succotash de edamame com camarão

Succotash de edamame com camarão

200 g de camarão limpo, cozido e congelado
150 g de edamame congelado na vagem
100 g de milho verde congelado
1 col. de sobremesa de azeite
1/2 pimentão verde ou vermelho pequeno
1/2 cebola
1 dente de alho
15 ml de vinho branco
10 ml de vinagre de arroz
salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o edamame e o milho verde congelados em uma panela com água fervente por 3 a 5 minutos. Escorra bem e passe por água corrente para parar o cozimento. Retire a soja da vagem e reserve juntamente com o milho.
Descongele o camarão numa tigela deixando na geladeira da noite pro dia. Escorra a água que soltar. Aqueça uma panela wok ou frigideira antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue o camarão salpicado com sal e pimenta a gosto por 2 ou 3 minutos até aquecer bem. Transfira o camarão para um prato e reserve.
Acrescente a cebola picada, o pimentão picado e o alho amassado à wok e refogue com um fio de azeite. Mexa bem até começar a ficar macio. Junte o milho, o edamame e o vinho branco. Refogue bem mexendo constantemente até evaporar quase todo o líquido.
Retorne o camarão à panela e continue mexendo para misturar e aquecer bem todos os ingredientes. Desligue o fogo e tempere com o vinagre de arroz e a salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto.

Rende 2 porções.

Nada melhor do que receitas práticas como esta para preparar num dia corrido de meio de semana. Alias, este prato mostra como é possível aproveitar sobras deliciosas do dia anterior para criar refeições inusitadas e diferentes no dia seguinte.

Se você já sabe que a semana vai ser corrida, aproveite um dia mais light para cozinhar pratos como este e guardar um pouco de sobras para aproveitar nos dias seguintes. Assim você não gasta tanto tempo na cozinha, não deixa de ter variedade nas refeições e de quebra consegue manter uma alimentação super saudável com receitas nutritivas e balanceadas.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Simples e sofisticado na medida certa

Preciso confessar uma coisa. Quando me perguntavam se gostava de camarão sempre respondia que não, que detestava ou que não via graça nenhuma. A verdade: nunca tinha provado. Bem, tinha comido uma vez quando tinha uns 12 anos e realmente não achei graça na época. Depois, por receio de ter qualquer alergia já que é bastante comum, nunca tinha feito questão de provar de novo.

Pois hoje tudo mudou. Esta viagem gastronômica na qual embarquei nos últimos meses tem me aberto os olhos (e o estômago!) a tantas delícias que resolvi dar mais uma chance a esses pequeninos do mar. E não é que é bom mesmo? Para comemorar resolvi testar minha primeira receita de camarão. Ficou absurdamente maravilhoso e recomendo até para quem não gosta.

Espaguetti ao molho de camarão, escarola e tomate cereja

Espaguetti ao molho de camarão, escarola e tomate cereja

1 pacote de macarrão instantâneo integral
100 g de camarão pequeno descascado, pré-cozido e congelado
6 – 8 folhas de escarola
10 tomates cereja
1 col. de sopa de azeite
1 dente de alho
30 ml de vinho branco seco
60 ml de água
1 col. de chá de amido de milho
suco de limão, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Descongele o camarão numa tigela deixando na geladeira da noite pro dia. Escorra a água que soltar e reserve o camarão.
Cozinhe o espaguetti de acordo com as instruções da embalagem descartando o tempero que vem junto. Quando estiver pronto, escorra e transfira para um prato. Reserve.
Aqueça uma panela wok ou frigideira antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue o camarão salpicado com sal e pimenta a gosto por 2 ou 3 minutos até aquecer bem. Transfira o camarão para um prato e reserve. Acrescente o alho amassado, a escarola picada e os tomates cerejas cortados ao meio à wok. Despeje o vinho branco e refogue por alguns minutos até a escarola murchar e o líquido evaporar quase todo.
Dissolva o amido de milho na água e acrescente à panela. Mexa bem até engrossar (aproximadamente 3 minutos). Retorne o camarão à wok e misture até aquecer e incorporar todo o molho. Por fim, acrescente o macarrão cozido à panela, desligue o fogo e mexa bem para misturar tudo. Regue com o suco de limão a gosto e sirva com uma taça de vinho branco ou espumante.

Absurdamente simples, esta receita ainda tem a vantagem de ser super rápida e ficar pronta em 20 minutos. Uma tática para deixá-la mais fácil é comprar o camarão já cozido, descascado e congelado por facilitar a vida. Entretanto, o prato pode perfeitamente ser preparado com o camarão cru. Neste caso, refogue bem o camarão no começo do preparo até ficar bem cozido e rosado.

Aproveite que hoje é feriado (por mais que seja sábado) e prepare este prato para alguma pessoa amada. Como fiz apenas para mim, esta quantidade rende apenas 1 porção. Para render 2 basta dobrar os ingredientes. Acredite, nada como um almoço gostoso, simples e sofisticado como este para fazer qualquer dia ficar especial.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Novidades reforçadas

Pouco conhecido no Brasil, o edamame, ou soja verde, faz parte da alimentação cotidiana na culinária japonesa. Muito por isso, também já foi bastante incorporada no dia a dia norte-americano. Riquíssima em proteína e fibras, é uma aliada fundamental para quem deseja manter uma alimentação saudável.

O edamame é encontrado normalmente congelado ainda na vagem e deve ser cozido em água fervente por alguns minutos. Depois, deve ser retirado da vagem e comido apenas o grão. Entretanto, também é possível encontrar a soja verde já retirada da vagem e congelada em pacotes de 300 g. O processo de cozimento é o mesmo, bastam 3 a 5 minutos na água fervente que está pronta para ser deliciada.

Succotash de edamame com milho verde

Succotash de edamame com milho verde

150 g de edamame congelado na vagem
100 g de milho verde congelado
1 col. de sobremesa de azeite
1/2 pimentão verde ou vermelho pequeno
1/2 cebola
1 dente de alho
15 ml de vinho branco
10 ml de vinagre de arroz
salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o edamame e o milho verde congelados em uma panela com água fervente por 3 a 5 minutos. Escorra bem e passe por água corrente para parar o cozimento. Retire a soja da vagem e reserve juntamente com o milho.
Aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio. Regue com um fio de azeite e refogue a cebola picada, o pimentão picado e o alho amassado. Mexa bem até começar a ficar macio. Acresente o milho, o edamame e o vinho branco. Refogue bem mexendo constantemente até evaporar quase todo o líquido para misturar todos os ingredientes.
Desligue o fogo e tempere com o vinagre de arroz e a salsinha, cebolinha, sal e pimenta a gosto. Sirva como acompanhamento de um grelhado de sua preferência.

Rende 2 porções.

São inúmeras as maneira de saborear o edamame. Esta receita encontrei num site de comidas norte-americanas e diz ser um prato típico desse país. Entretanto, também é possível comer o edamame como lanche da tarde apenas cozido na vagem e temperado com o pouco de sal. O importante é lembrar de retirar da vagem antes de comer.

Adorei esta mistura de edamame com milho. Fiz para saborear de duas maneiras. Na primeira noite comi como salada mesmo, apenas com estes ingredientes. Já na noite seguinte, aproveitei as sobras e grelhei camarões para acompanhar. O tempero do vinho branco misturado com o vinagre de arroz deu um toque divino à preparação simples e singela.

Por hoje é só.

Bon appetit!

O sabor da saúde

Quem não gosta de comer um franguinho grelhado leve numa segunda-feira? É sempre bom voltar do final de semana, geralmente tumultuado e pesado no que diz respeito à comida, com algo saudável mas extremamente saboroso.

Entretanto, só um peito de frango grelhado também pode ser muito sem graça. Por isso, nada melhor do que incrementar um pouco este que é um prato tão simples e clássico para começar a semana com o pé direito. Nesta receita, os toques a mais podem até parecer pequenos, mas fazem toda a diferente e tornam o prato sensacional.

Frango ao limão com alcaparras

Frango ao limão com alcaparras

1 filé de peito de frango médio
1 limão siciliano
1 col. de sopa de alcaparras
80 ml de vinho branco
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Tempere o peito de frango com sal e pimenta a gosto. Aqueça uma frigideira antiaderente e coloque o frango para grelhar. Vire de vez em quando para que asse de maneira uniforme de ambos os lados. Se preciso, salpique com alguns pingos de água para ajudar a não grudar. Quando estiver pronto, reserve num prato.
Despeje na mesma frigideira o vinho branco, o suco de meio limão siciliano e as alcaparras. Deixe ferver e mexa sem parar para reduzir e engrossar um pouco (de 3 a 5 minutos). Regue por cima do frango e sirva em seguida. Se quiser, esprema o suco da outra metade do limão por cima da carne antes de comer.

Achei esta receita super leve e saborosa. Como adoro o saborzinho do limão não senti nenhum problema em colocar a segunda metade do suco antes de degustar. Entretanto, se você não quiser o sabor do limão muito pronunciado, dispense a outra metade.

Este franguinho cai super bem com acompanhamentos simples como legumes cozidos no vapor e arroz integral. Se quiser deixar um pouco mais sofisticado, invista no arroz selvagem que traz um quê de rústico ao prato. Batatas assadas no forno com alecrim e um fio de azeite também formam um acompanhamento perfeito para esta refeição super saborosa.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Brincando de ser gourmet

Desde que comecei a brincar de cozinheira (e passei a assistir inúmeros programas de culinária) estava com vontade de preparar uma refeição verdadeiramente sofisticada, com direito à entrada, prato principal, acompanhamento e sobremesa. Mas como concretizar essa vontade se moro sozinha e cozinho para uma pessoa só, eu?

A solução foi usar minha querida mamãe como cobaia (sempre a melhor pessoa para te elogiar seja qual for o resultado da brincadeira, fica a dica). Aproveitei que estava passando o final de semana na casa dela e resolvi preparar um almoço especial. A sobremesa vocês já conheceram (publiquei a receita aqui ontem do crepe de cacau). Agora é a vez do prato principal com o acompanhamento. E só digo uma coisa, ficou absolutamente divino!

Peito de frango com trança de vegetais e arroz selvagem

Peito de frango com trança de vegetais e arroz selvagem

1/2 xíc. de chá de arroz selvagem
2 peitos de frango sem pele (com aproximadamente 200 g cada um)
100 g de cogumelo paris fatiado
1 abobrinha grande
1 cenoura grande
1/3 de nabo
100 ml de vinho branco seco
sal, pimenta e alecrim a gosto

Modo de preparo:
Ferva 2 xíc. de chá de água e acrescente o arroz selvagem. Mantenha uma leve fervura e cozinhe por 45 minutos em fogo baixo com a tampa parcialmente fechada. Quando estiver pronto, coe o arroz e regue com um fio de azeite. Reserve.
Tempere os peitos de frango com sal, pimenta e alecrim a gosto. Reserve.
Corte a cenoura e o nabo em tiras compridas e finas. Retire a casca da abobrinha com cuidado e corte em tiras aproximadamente do mesmo tamanho dos pedaços de cenoura e nabo. Descarte o miolo da abobrinha. Prepare ume tigela com água gelada e gelo. Numa panela, ferva 300 ml de água e cozinhe os vegetais por no máximo 3 minutos. Eles devem amaciar um pouco mas permanecerem al dente.
Depois desse tempo, coloque imediatamente na bacia com água gelada para que mantenham sua consistência. Arrume um pedaço de papel manteiga em cima do balcão. Com cuidado, comece a trançar os vegetais para formar uma rede. Faça duas tranças separadas alternando os pedaços de cenoura, abobrinha e nabo para que fiquem bem coloridas.

montagem
Corte dois pedaços grandes de papel alumínio e coloque sobre o balcão. Posicione o peito de frango temperado no meio e arrume metade dos cogumelos por cima. Com cuidado, coloque a trança de vegetais em cima dos cogumelos. Regue com um fio de azeite e metade do vinho. Feche o papelote de alumínio certificando-se de que está totalmente fechado para que o vapor não escape. Repita o procedimente com o outro pedaço de frango.
Arrume os dois papelotes numa forma refratária e leve para assar em forno pré-aquecido a 200˚C de 20 a 30 minutos. Na hora de servir, abra o papel alumínio com cuidado para sair o vapor quente. Arrume no prato metade do arroz selvagem e o peito de frango com a trança de legumes.

Rende 2 porções.

Não vou mentir, este almoço (e principalmente este prato) requer um pouco de paciência e trabalho para preparar. Mas o resultado vale muito a pena. Toda vez que assamos pedaços de carne em papelotes de alumínio eles ficam super suculentos e macios pois não perdem sua umidade. Já o vinho branco ajuda a deixar o frango super molhadinho.

A trança de legumes e as fatias de cogumelo trazem uma delicadeza ao prato e complementam maravilhosamente bem a simplicidade do peito de frango. A opção de acompanhar o almoço com o arroz selvagem foi ideia minha (já que não estava incluída na receita original). No fim ambos se complementaram divinamente e o almoço foi um sucesso. Não deixa de ser uma ótima opção quando quiser impressionar seus convidados. Super recomendo.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Feliz natal diferente

Exagerou na ceia de ontem e não consegue pensar em comida hoje? A última coisa que quer ver pela frente hoje é mais peru ou pernil assado? Está viajando e esqueceu de checar se tinha vaga em algum restaurante para almoçar no dia 25? A sugestão de hoje é super leve, fácil de fazer e divinamente saborosa. Nada melhor para um dia como hoje no qual o que mais queremos é ficar em casa e passar tempo com pessoas amadas.

Frango com azeitona e ameixa seca

Frango com azeitona e ameixa seca

300 g de peito ou sobre coxa de frango sem pele e gordura
1/2 tablete de caldo de frango
2 col. de sopa de vinagre de vinho branco
1 col. de sopa de vinagre balsâmico
100 g de azeitonas verdes sem caroço
100 g de ameixas secas sem caroço
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Tempere o peito ou sobre coxa de frango com sal e pimenta a gosto. Numa panela antiaderente, doure os pedaços de frango até começarem a branquear (aproximadamente 2 minutos de cada lado). Dissolva o tablete de caldo de frango em 250 ml de água fervente e adicione à panela. Acrescente o vinagre de vinho branco e o vinagre balsâmico e deixe ferver.
Adicione as azeitonas e as ameixas e abaixe o fogo mantendo uma fervura leve. Cozinhe em fogo baixo com a panela tampada até que o frango fique pronto e o molho engrosse um pouco (aproximadamente 15 minutos). Sirva a seguir.

Rende 2 porções.

Além de manter um clima natalino super gostoso, as ameixas secas quando cozidas junto com o frango começam a se desmanchar e acrescentam um sabor delicioso ao molho do prato. Outra vantagem é que quando elas ficam macias, ajudam a engrossar o molho com mais facilidade.

Esta receita é uma delícia para comer em qualquer época, mas fica ainda mais gostosa nas festas de final de ano quando as frutas secas estão em alta. Como o molho fica bem docinho e saboroso, o prato pede acompanhamentos simples e delicados como batatas assadas no forno ou arroz integral simples. Para o toque final, salpique orégano a gosto por cima do molho ou das batatas. Saboreie acompanhado das pessoas que ama.

Por hoje é só.

Desejando um feliz natal.

E, como sempre, um bon appetit!