Para fechar com chave de ouro

Nada melhor do que terminar a semana de cardápio especial para aquele jantar romântico do que com uma deliciosa sobremesa, não é mesmo? Eu sempre adorei fazer doces. Alias, minhas primeiras aventuras na cozinha foram no mundo das sobremesas. Tudo graças a minha mãe que sempre teve uma mão fantástica para preparar guloseimas deliciosas.

Foi só depois que aprendi a ter uma alimentação mais balanceada e saudável que comecei a brincar com os pratos salgados. Por isso, sempre vou ter um carinho especial pelas minhas receitas de sobremesas. E mesmo procurando sempre seguir uma alimentação mais nutritiva e balanceada, me dou o direito de fazer gostosuras de vez em quando. Ainda mais quando posso prepará-las para alguém especial. Tem um gostinho maravilhoso.

Brownie de cacau com cereja

Brownie de cacau com cereja

100 g de farinha de trigo
1 xíc. de chá de açúcar
3/4 xíc. de chá de cacau em pó
1 col. de chá de fermento em pó
1 pitada de sal
1/3 xíc. de chá de geleia de cereja com pedaços de fruta
80 ml de água
5 col. de sopa cheias de manteiga light
1 ovo
1 clara
20 g de chocolate 85% picado

Modo de preparo:
Numa tigela, junte a farinha, o açúcar, o cacau em pó, o fermento e uma pitada de sal. Misture bem com um garfo até que fique tudo incorporado. Reserve.
Aqueça uma panela antiaderente em fogo baixo e despeje a geleia, a água e a manteiga light. Mexa bem até que a manteiga derreta e a mistura fique homogênea. Deixe esfriar levemente e junte à mistura seca de farinha. Misture delicadamente com uma colher até ficar completamente incorporado.
Aos poucos, junte o ovo e a clara e misture bem. Por fim, coloque os pedaços de chocolate meio amargo 85% e termine de incorporar tudo.
Despeje a mistura numa forma refratária untada com um fio de óleo ou azeite e leve para assar em forno pré-aquecido em 180˚C por 40 minutos ou até que um palito inserido no meio saia quase limpo. É importante ficar ainda um pouco úmido no centro para garantir que o brownie fique molhadinho e macio.

É de dar água na boca!

Rende de 10 a 14 porções.

Impossível descrever a delícia que ficou este brownie. Confesso que esta foi a primeira vez que fiz brownies completamente caseiros. Isso porque morando 9 anos nos Estados Unidos era sempre mais fácil comprar aquelas caixas de misturas pré prontas e só acrescentar água e ovos. Dito isso, garanto que esta versão feita em casa é infinitamente mais gostosa.

Apesar do sabor do chocolate ser bem mais predominante do que o da cereja, o fato de usar a geleia na receita traz um quê de especial ao gosto final. Isso sem contar que ao utilizar uma geleia com pedaços de frutas faz com que encontremos surpresinhas de cereja no meio do brownie. Acredite, esta receita foi uma das melhores que já preparei e vale todas as calorias. Mas vamos combinar de consumir com moderação, ok?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Misturando sabores

Quem disse que geleia apenas pode ser saboreada na torrada do café da manhã ou com o bolinho no lanche da tarde? Este doce delicioso é tão eclético que funciona super bem também para preparar molhos e temperos especiais para as carnes no almoço ou jantar.

Amo geleias. Tanto que até já preparei minhas versões caseiras como compartilhei com vocês neste post da geleia de morango e neste da de cereja. E adoraria, também, ter feito este prato de hoje com uma dessas delícias feitas em casa. Mas como não encontrei uma boa receita de geleia de laranja ainda, desta vez foi industrializada mesmo.

Tilápia ao vinagrete de laranja

Tilápia ao vinagrete de laranja

1 filé de tilápia
1 col. de sopa de geleia de laranja
1 col. de chá de azeite
1 col. de chá de vinagre de vinho branco
1 col. de chá de suco de laranja concentrado
sal e páprica picante a gosto

Modo de preparo:
Tempere a tilápia com sal e páprica picante a gosto. Numa tigela, misture a geleia de laranja com o azeite, o vinagre e o suco de laranja concentrado. Mexa bem até ficar completamente homogêneo.
Pré-aqueça o forno em 200˚C. Arrume o filé no centro de duas folhas de papel alumínio. Espalhe a mistura de geleia por cima do peixe e feche o papel formando um papelote de alumínio.
Leve ao forno pré-aquecido e deixe assar por 15 minutos. Retire do forno, deixe descansar 5 minutos e abra o papelote com cuidado para sair o vapor quente. Sirva com arroz selvagem e legumes verdes cozidos no vapor.

Assar peixes em papelotes como este não só garantem que eles fiquem super suculentos como também fazem do vinagrete de geleia de laranja um molho delicioso. O vapor formado durante o processo acaba derretendo a geleia e transformando a mistura num molho delicado e macio.

Para quem gosta de misturar sabores salgados com doces esta receita é espetacular. A páprica picante colocada no peixe para temperar antes de adicionar a geleia forma uma combinação divina com o molho e acrescenta uma pitada de ardor ao prato. Nada como misturar todos os sabores, salgado, doce e picante, numa garfada só.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Novas tentativas

Depois que fiz aquela primeira geleia de morango que publiquei aqui sabia que não demoraria muito para querer testar outras receitas. Isso porque apaixonei-me demais por geleias caseiras. Descobri que elas tem um sabor muito mais intenso e delicioso do que as que compramos prontas.

Mas como as versões tradicionais levam bastante açúcar, resolvi testar uma outra receita adaptando os ingredientes para poder usar aquele “açúcar light”, que nada mais é do que uma mistura de açúcar normal com o adoçante sucralose que pode ir ao forno e fogão. O segredo, neste caso, é acrescentar um pouco de suco de limão fresco para ajudar a dar o ponto certo da geleia.

Geleia de cereja caseira

Geleia de cereja caseira

350 g de cereja
125 g de açúcar light
1/2 col. de sopa de suco de limão siciliano

Modo de preparo:
Corte as cerejas ao meio para tirar o caroço ou use um utensílio específico para tirá-los. Junte as cerejas numa panela funda e acrescente um pouco de água apenas para que não grudem no fundo da panela (de 2 a 3 col. de sopa). Ligue o fogo e cozinhe as cerejas até amaciarem bem (aproximadamente 15 minutos).
Abaixe o fogo e acrescente o suco de limão e o açúcar light. Mexa bem até dissolver todo o açúcar. Aumente o fogo para começar a ferver. Em seguida, abaixe e mantenha fogo médio enquanto cozinha. Mexa de vez em quando e retire a espuma que formar com uma colher.
Após 10 minutos, faça o primeiro teste para ver se já está no ponto. Para fazer o teste, coloque um prato no freezer antes de começar a fazer a geleia. Retire-o e pingue algumas gotas do doce. Espere 15 segundos e passe o dedo pela geleia. Se ficar firme e formar um caminho certinho está no ponto. Se a geleia escorrer e juntar novamente, ainda não está pronta.
Continue cozinhando e testando o ponto a cada 5 ou 10 minutos. Assim que ficar na consistência correta, desligue o fogo, deixe esfriar e coloque em potes esterilizados.

Rende aprox. 400 g.

Se fazer geleia já é uma arte, fazer geleia com menos açúcar do que o normal é uma arte mais complicada ainda. A verdade é que esta minha primeira tentativa parecia haver ficado no ponto certo 20 minutos depois que comecei a cozinhá-la. Depois descobri que ela ficou um pouco rala demais. Apesar disso, o sabor ficou uma absolutamente divino! E, convenhamos, é isso que realmente importa no final das contas.

Ela ter ficado rala pode ter acontecido por dois motivos. O fato de ter usado esse açúcar misturado light pode não ter feito com que o doce formasse a consistência correta. Outra possibilidade é eu ter tirado a geleia cedo demais do fogo. Depois dessa experiência, decidi que na minha próxima tentativa vou usar a tal da pectina usada nas receitas com menos açúcar. Essa substância naturalmente presente nas frutas pode ser acrescentada para ajudar a engrossar as geleias. Acho que vai dar certo. Depois conto como foi.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Relembrando o passado

Nada me parece tão Americano quanto a combinação de manteiga de amendoim com geleia. Quem nunca viu um filme no qual alguém esteja comendo um típico sanduíche com esse recheio? Quando sinto muita saudade da minha adolescência nos Estados Unidos, confesso que abro a geladeira e como uma colher de sopa de manteiga de amendoim. É bom demais.

Por isso fiquei tão empolgada quando achei esta receita de muffins que combinava os dois ingredientes clássicos. Me pareceu um pouco estranho assar os muffins com a geleia já dentro. Mas a melhor parte foi descobrir que o sabor ficou absolutamente divino sem sobrecarregar demais nenhum dos dois. Mesmo quem não é muito fã da manteiga de amendoim vai conseguir aproveitar a delicadeza dela nesta receita.

Mini muffin de manteiga de amendoim com geleia

Mini muffin de manteiga de amendoim com geleia

1/2 xíc. de chá de farinha de trigo
1/2 col. de chá de fermento em pó
1/4 col. de chá de bicarbonato de sódio
1/8 col. de chá de sal
1/4 xíc. de chá de açúcar mascavo
1/4 xíc. de chá de iogurte semidesnatado
1/2 col. de sopa de óleo de canola
1 col. de sopa de manteiga de amendoim natural
1 clara
1 col. de sopa de geleia

Modo de preparo:
Numa tigela grande, misture a farinha com o fermento, o bicarbonato e o sal. Reserve. Em outra tigela, junte o açúcar, o iogurte, o óleo, a manteiga de amendoim e a clara. Bata na batedeira em velocidade baixa até ficar homogêneo.
Faça um buraco no centro da mistura seca e acrescente a mistura molhada aos poucos. Mexa com uma colher de pau apenas até ficar tudo incorporado. Tenha cuidado para não mexer demais pois os muffins podem ficar duros.
Unte uma forma de mini muffins com azeite ou margarina. Divida metade da massa entre as forminhas. Coloque um pingo da geleia no centro de cada muffin de forma que ela fique dividida de maneira igual entres os muffins. Derrame o restante da massa nas formas terminando de cobrir a geleia em cada um.
Leve para assar em forno pré-aquecido em 180˚C de 12 a 15 minutos ou até que um palito enfiado no meio saia limpo. Saboreie com uma bela xícara de chá no lanche da tarde.

Rende 12 mini muffins.

Como todas as outras receitas de muffins que já publiquei aqui no blog (tanto a integral de banana, a de chocolate branco com damasco e a de cacau com chocolate meio amargo) estes muffins também podem ser congelados para serem saboreados num outro dia. Para isso, basta deixá-los esfriarem por completo e embalar cada um num saquinho de plástico.

Vale à pena investir na versão natural da manteiga de amendoim para esta receita e para qualquer outra que você desejar. Digo isso porque as versões industrializadas, apesar de falarem que não contêm gorduras trans, incluem uma pequena quantidade mesmo assim, o que as torna menos saudáveis. Além disso, a versão natural é bem mais saborosa.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Segredos da família

Amo geleia. Meu café da manhã perfeito sempre inclui 1 ou 2 torradas integrais com um pouco de queijo branco e 1 col. de sobremesa bem generosa de geleia. Gosto tanto dessa delícia que conheço praticamente todas as marcas existentes: as com açúcar, as sem açúcar e com adoçante, as com menos açúcar, as adoçadas com suco de fruta e sem adoçante. Enfim, todas.

Mas nenhuma é tão deliciosa quanto a geleia de morango que a Tia Léo, irmã da minha vó, fazia todos os anos para presentear a família no natal. Por alguma razão, essa geleia trazia consigo um ar diferente de “receita de família” e o gostinho delicioso acompanhava.

Depois que entrei para esse mundo da culinária me bateu uma vontade muito grande de querer aprender a fazer geleias. Sempre achei que seria impossivelmente difícil. E para começar nessa aventura pensei que a primeira receita que testaria teria que ser a geleia da Tia Léo. Descobri que não é nada difícil, apenas trabalhoso. Mas o sabor final compensa e muito!

Geleia de morango da Tia Léo

Geleia de morango da Tia Léo

1 kg de morango fresco
1 kg de açúcar

Modo de preparo:
Lave bem todos os morangos e retire os talos e as folhas verdes. Deixe as frutas inteiras. Coloque numa bacia grande e derrame todo o açúcar por cima. Cubra e deixe os morangos curtindo no açúcar de 12 a 24 horas em local reservado mas fora da geladeira.
Na hora de fazer a geleia, despeje todo o conteúdo da bacia numa panela funda. É importante que ela seja bem funda mesmo pois o doce sobe bastante quando começa a ferver.
Comece cozinhando em fogo médio baixo até que o açúcar dissolva completamente. Aumente para fogo alto e deixe ferver. Cozinhe em fogo médio mantendo uma leve fervura e mexendo de vez em quando. Retire a espuma que formar com uma colher.
O doce demora de 30 a 50 minutos para ficar pronto, depende da temperatura em que cozinha e do quão maduro estão os morangos. Teste o ponto da geleia após 30 minutos e quanto estiver pronto desligue o fogo.
Para saber se já está no ponto, pegue um prato e coloque no freezer. Derrame um fio da geleia no prato bem gelado. Após 30 segundos passe o dedo no meio da geleia. Caso fique o caminho certinho e não escorra está no ponto.
Desligue o fogo e deixe amornar um pouco na panela. Derrame em potes esterilizados e leve à geladeira. A geleia dura algumas semanas conservada na geladeira ou alguns meses conservadas à vácuo em local fresco e seco.

Rende de 900 g a 1 kg.

Antes de descobrir como era feita essa geleia pensava que seria bem complicado, cheio de truques e segredos que só a Tia Léo conhecia. Afinal, receitas de família tem esse áurea de “secretas”, não é mesmo? Mas a verdade é que a receita é super simples e segue a lógica de praticamente todas as geleias caseiras. Quer lista de ingredientes mais simples do que 1 kg de morango e 1 kg de açúcar?

Como era minha primeira vez fazendo este doce precisava de um controle de qualidade de peso. Peguei um pouco e dei de presente para uma outra tia minha. Assim que ela provou disse que o sabor estava igual a clássica feita pela Tia Léo. Ou seja, funcionou! E o sabor é indescritível. Nenhuma geleia industrializada que você já tenha provado se compara. Teste a receita e comprove. É uma delícia mesmo!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Em busca do molho perfeito

Um dos cortes mais nobres de carne vermelha, o filé mignon saboreado sozinho, apenas temperado com uma pitada de sal e pimenta do reino moída na hora, já é suficiente para fazer uma refeição absolutamente deliciosa. Entretanto, o sabor suave e suculento deste corte também permite uma imensidade de molhos como acompanhamento.

Para deixar seu prato mais sofisticado, vale experimentar com diversas possibilidades de ingredientes para criar vários molhos saborosos. Cada vez que escolho preparar um filé mignon para meu almoço gosto de procurar um acompanhamento diferente e interessante. Desta vez achei um super simples de fazer e o sabor final ficou incrível.

Filé mignon com geleia de tomate

Filé mignon com geleia de tomate

1 medalhão de filé mignon
1 col. de sopa de cebolinha picada
1 dente de alho amassado
100 g de tomate picado
30 ml de água
15 ml de vinagre balsâmico
azeite, sal, pimenta e alecrim a gosto

Modo de preparo:
Tempere o filé mignon com sal, pimenta e alecrim a gosto. Leve para assar numa forma refratária antiaderente em forno pré-aquecido a 200˚C por 20 minutos ou até ficar no ponto desejado.
Enquanto o filé estiver assando, aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebolinha picada e o alho amassado até ficarem aromáticos (de 1 a 2 minutos). Acrescente o tomate picado, a água e o vinagre balsâmico. Deixe ferver e abaixe o fogo mantendo uma leve fervura. Cozinhe de 10 a 15 minutos até reduzir bastante e ficar bem concentrado. Sirva a geleia de tomate por cima do filé e decore com um raminho de alecrim.

Confesso que antigamente não era muito fã de alecrim. Depois descobri que esta erva é uma das melhores para temperar carnes vermelhas já que seus sabores se complementam muito bem. O segredo, então, é saber a quantidade certa para usar. De modo geral o que vale é o gosto de cada pessoa. Entretanto, como o alecrim tem um sabor bem forte, se você não estiver muito acostumado com ele comece usando bem pouquinho.

Nesta receita o tempero do alecrim casou perfeitamente com a geleia de tomate. Como o vinagre balsâmico tem um leve toque agridoce, o molho passa por um processo leve de caramelização. Assim, o sabor final da geleia junta uma constelação de sensações que transformam o prato final numa verdadeira delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

O poder da escolha

Não há nada melhor do que um domingo a tarde bem preguiçoso sem nada de importante para fazer. Ficar deitada no sofá na frente da televisão ou do computador ouvindo música e colocando as ideias em ordem. Num cenário aconchegante como este a cereja do bolo vem em forma de receita.

Achei esta receita, como tantas outras, num site e me encantei pela simplicidade dela. Para dizer bem a verdade fiquei chocada (e um pouco desconfiada) com a lista de ingredientes e a maneira de prepará-la. Tudo parecia tão simples que me vi na obrigação de testar, só para comprovar que era verdade mesmo. E era.

Crepe de cacau com geleia de cereja

Crepe de cacau com geleia de cereja

1 col. de sopa de cacau em pó sem adição de açúcar
2 ovos
2 col. de sopa de leite de coco light
2 col. de sopa de farinha de trigo
1 1/2 col. de sopa de margarina light

Modo de preparo:
Despeje todos os ingredientes num copo próprio e bata com um mixer. Caso não tenha, é possível bater também no liquidificador. Cubra com filme plástico e deixe descansar por no mínimo 20 minutos.
Aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio. Coloque 2 ou 3 col. de sopa da massa e gire a frigideira com a mão para cobrir toda a superfície e formar uma camada fininha. Cozinhe de 1 a 2 minutos até ficar levemente dourada na parte de baixo. Com o auxílio de uma espátula, levante o crepe e vire para cozinhar do outro lado. Deixe por mais 30 segundos e sirva num prato. Recheie com geleia de cereja e enrole. Repita até acabar a massa.

Rende de 8 a 10 crepes.

Fiquei simplesmente encantada com esta receita. Absurdamente simples, ela requer apenas um pouco de prática para formar a camada fininha de massa na frigideira. Entretanto, depois do primeiro crepe (que sempre sai mais ou menos mesmo) o processo flui tranquilamente.

O bom deste crepe é que ele é extremamente leve e não muito adocicado. Alias, como ele não leva nada de açúcar, tem apenas o gostinho característico e delicioso do cacau em pó. O doce vem exclusivamente da escolha da geleia. Mas se você quiser fazer uma sobremesa mais docinha, vale acrescentar 1 bola de sorvete de creme ou chocolate ao recheio. Fica divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!