De volta às origens

É com extrema felicidade que hoje comemoro 1 ano de blog!

Antes de mais nada, gostaria de agradecer imensamente todos aqueles que tem me acompanhado diariamente (mesmo que nos últimos meses nem tanto…) nessa caminhada de compartilhar receitas saborosas, saudáveis (mesmo que às vezes nem tanto… =]) e práticas para ajudar a deixar o dia a dia mais gostoso e divertido. Foram tantos elogios, conselhos, incentivos e agradecimentos que nem sei o que falar para expressar minha gratidão a todos vocês que curtiram o tempo que passamos juntos até agora.

Mas não pensem que acabou por aqui. Apesar de realmente ter que diminuir a frequência dos posts (por mim continuaria postando todos os dias, acreditem, mas outros compromissos vão surgindo por aí) não tenho a menor pretensão de abandonar este filho que criei e tenho cultivado com tanto carinho. Estarei por aqui, podem esperar!

E para comemorar um ano de descobertas, aprendizados e aprimoramentos na cozinha, resolvi compartilhar com vocês aquela que talvez seja uma das mais, se não a mais característica receita minha (que não é minha coisa nenhuma, mas tem lá seus toques especiais dados por mim). Esta aqui não é light, nem saudável, nem balanceada, nem nada do tipo. Mas como só fazemos aniversário uma vez no ano, achei que dessa vez não teria problema. Concordam?

All-American Chocolate Chip Cookie

Chocolate chip cookies

200 g de manteiga sem sal amolecida em temperatura ambiente
2 ovos
3/4 de xíc. de chá de açúcar mascavo
3/4 de xíc. de chá de açúcar
3 col. de chá cheias de essência de baunilha
2 xíc. de chá de farinha de trigo
120 g de chocolate meio amargo picado em pedaços bem pequenos
1 col. de chá de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal

Modo de preparo:
Junte a manteiga amolecida com o açúcar e o açúcar mascavo numa tigela grande e bata com uma batedeira de mão em velocidade média-baixa até que fique tudo incorporado e leve. Acrescente a essência de baunilha e os ovos um a um e bata até ficar homogêneo. Reserve.
Em outra tigela, junte a farinha, o bicarbonato de sódio e a pitada de sal e misture bem. Acrescente a mistura seca aos poucos na mistura de manteiga e bata em velocidade baixa apenas para incorporar tudo. Por fim, junte o chocolate picado e mexa com uma colher para que fique bem misturado.
Pré-aqueça o forno a 180˚C e unte várias formas chatas com um pouco de manteiga. Aos poucos, vá colocando bolinhas da massa na forma com o auxílio de duas colheres. Cada bolinha não deve ter do que uma bola de gude pois os cookies achatam e crescem bastante. Certifique-se também de deixar espaço suficiente entre cada um para que não grudem ao assarem.

Recém saídos do forno.

Leve ao forno pré-aquecido para assar uma travessa por vez e deixe de 8 a 10 minutos dependendo de cada forno. O truque para saber se os cookies estão prontos é retirá-los no momento em que começarem a dourar na pontinha lateral da parte de baixo. Eles vão parecer um pouco crus ainda, mas terminarão de endurecer depois que esfriarem.

Deixe esfriar completamente ainda na travessa.

Repita com as demais travessas até que todos os cookies assem. Deixe esfriar por completo ainda na forma. Com o auxílio de uma espátula, retire os cookies e guarde fora da geladeira num recipiente de plástico bem fechado. Eles duram de 5 a 7 dias.

Difícil vai ser durarem mais do que algumas horas!

Rende aprox. 60 cookies.

Modéstia à parte, meus cookies são realmente sensacionais. Já gostaram tanto e foram tão aprovados que me pediram para prepará-los para uma festinha de aniversário de criança. Isso sem contar com as inúmeras tardes de domingo nas quais eu me juntava com as amigas para fazermos cookies e comer assistindo filmes trash na TV. Bom demais! Alias, aqui vai uma dica para variar o clássico brigadeiro da TPM: cookies! 😉

Estes cookies não parecem em nada com aqueles que compramos industrializados no supermercado ou em lanchonetes da vida. Por serem caseiros e terem alguns truques pessoais meus, eles saem bem mais macios e menos maçudos do que os demais. Mas convenhamos, isso que faz deles uma verdadeira delícia. Impossível descrever o sabor incrível destas guloseimas. Só fazendo em casa mesmo para experimentar!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Para fechar com chave de ouro

Nada melhor do que terminar a semana de cardápio especial para aquele jantar romântico do que com uma deliciosa sobremesa, não é mesmo? Eu sempre adorei fazer doces. Alias, minhas primeiras aventuras na cozinha foram no mundo das sobremesas. Tudo graças a minha mãe que sempre teve uma mão fantástica para preparar guloseimas deliciosas.

Foi só depois que aprendi a ter uma alimentação mais balanceada e saudável que comecei a brincar com os pratos salgados. Por isso, sempre vou ter um carinho especial pelas minhas receitas de sobremesas. E mesmo procurando sempre seguir uma alimentação mais nutritiva e balanceada, me dou o direito de fazer gostosuras de vez em quando. Ainda mais quando posso prepará-las para alguém especial. Tem um gostinho maravilhoso.

Brownie de cacau com cereja

Brownie de cacau com cereja

100 g de farinha de trigo
1 xíc. de chá de açúcar
3/4 xíc. de chá de cacau em pó
1 col. de chá de fermento em pó
1 pitada de sal
1/3 xíc. de chá de geleia de cereja com pedaços de fruta
80 ml de água
5 col. de sopa cheias de manteiga light
1 ovo
1 clara
20 g de chocolate 85% picado

Modo de preparo:
Numa tigela, junte a farinha, o açúcar, o cacau em pó, o fermento e uma pitada de sal. Misture bem com um garfo até que fique tudo incorporado. Reserve.
Aqueça uma panela antiaderente em fogo baixo e despeje a geleia, a água e a manteiga light. Mexa bem até que a manteiga derreta e a mistura fique homogênea. Deixe esfriar levemente e junte à mistura seca de farinha. Misture delicadamente com uma colher até ficar completamente incorporado.
Aos poucos, junte o ovo e a clara e misture bem. Por fim, coloque os pedaços de chocolate meio amargo 85% e termine de incorporar tudo.
Despeje a mistura numa forma refratária untada com um fio de óleo ou azeite e leve para assar em forno pré-aquecido em 180˚C por 40 minutos ou até que um palito inserido no meio saia quase limpo. É importante ficar ainda um pouco úmido no centro para garantir que o brownie fique molhadinho e macio.

É de dar água na boca!

Rende de 10 a 14 porções.

Impossível descrever a delícia que ficou este brownie. Confesso que esta foi a primeira vez que fiz brownies completamente caseiros. Isso porque morando 9 anos nos Estados Unidos era sempre mais fácil comprar aquelas caixas de misturas pré prontas e só acrescentar água e ovos. Dito isso, garanto que esta versão feita em casa é infinitamente mais gostosa.

Apesar do sabor do chocolate ser bem mais predominante do que o da cereja, o fato de usar a geleia na receita traz um quê de especial ao gosto final. Isso sem contar que ao utilizar uma geleia com pedaços de frutas faz com que encontremos surpresinhas de cereja no meio do brownie. Acredite, esta receita foi uma das melhores que já preparei e vale todas as calorias. Mas vamos combinar de consumir com moderação, ok?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para lamber os lábios

Se tem uma coisa que eu amo fazer são doces. Não fosse a quantidade de louça para lavar depois (que sempre acaba sendo maior do que com pratos salgados) eu daria preferência para cozinhar sobremesas sempre. Acho que herdei isso da minha mãe, que tradicionalmente tem uma mão muito boa para as preparações doces.

O outro problema é morar sozinha. Com pratos salgados é mais fácil preparar porções únicas, mas com sobremesas fica mais complicado. Por isso, quando tenho uma desculpa para fazer docinhos para mais pessoas corro e agarro a oportunidade. Esta receita de hoje fazia tempos que queria testar e valeu completamente a espera. Que delícia!

“Brownie” de limão

“Brownie” de limão

massa
95 g de farinha de trigo
1/4 de xícara de chá de açúcar
4 metades de noz-pecã
2 col. de sopa de manteiga gelada sem sal
2 col. de sopa de óleo de canola
1 pitada de sal

creme
3/4 de xícara de chá de açúcar
2 col. de sopa de farinha de trigo
2 ovos
1 clara
120 ml de suco de limão siciliano
raspas de limão siciliano

Modo de preparo:
Para preparar a massa, junte a farinha, o açúcar e as nozes num multiprocessador. Pulse algumas vezes para misturar bem e triturar as metades de noz-pecã. Acrescente a manteiga gelada, o óleo e a pitada de sal. Pulse mais algumas vezes para misturar e ficar como farofa grossa.
Derrame a massa numa forma refratária untada com um fio de óleo. Aperte bem e alise para ficar uniforme. Leve ao forno pré-aquecido a 180˚C por 20 minutos ou até começar a dourar.
Enquanto isso, prepare o creme. Junte o açúcar, a farinha e as raspas de limão numa tigela. Misture bem com um garfo até ficar homogêneo. Acrescente o suco de limão, os ovos e a clara. Mexa com um batedor de arame até ficar completamente liso.
Derrame o creme por cima da massa ainda quente. Retorne ao forno e asse por mais 25 minutos ou até que o creme fique completamente firme. Deixe esfriar, corte em pedaços, cubra e leve à geladeira por pelo menos 2 horas antes de servir.

Rende de 8 a 12 quadrados.

A verdade é que este doce está mais para tortinhas de limão quadradas do que brownie. O creme de cima é uma coisa absolutamente deliciosa e cremosa, quase impossível de descrever. E a massa que fica por baixo tem uma consistência leve e sabor suave. E como desta vez não fui só eu que provei, tenho a confirmação de várias pessoas que o resultado final ficou divino mesmo.

O tempo de geladeira indicado é o que dá ao doce a consistência necessária para poder comê-lo com as mãos, como barrinha ou brownie. Mas se você não aguentar esperar pode saboreá-lo com garfo e faca mesmo. Pura, esta sobremesa já é uma delícia, mas certamente com uma calda de chocolate meio amargo deve ficar espetacular também.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para os momentos em que falta inspiração

Nada como ter na geladeira alguns ovos para momentos de falta de inspiração na cozinha. Super versáteis, os ovos são ótimas fontes de proteína e já foi comprovado que comer uma quantidade moderada pode até ajudar a controlar o nível de colesterol no sangue, ao contrário do que era acreditado antes.

São tantas receitas possíveis que usam ovos como ingrediente base que mal dá para escolher só uma. Gosto de variar bastante e incluir outros ingredientes nas misturas para fazer combinações diferentes e inusitadas. Desta vez fiquei no básico e usei apenas opções vegetarianas. Mas acrescentar fatias de peito de peru ou salsichas de peru light também teria feito minha fritada ficar sensacional.

Fritada de funghi secchi com brócolis

Fritada de funghi secchi com brócolis

1 ovo
2 claras
20 g de funghi secchi
100 g de brócolis
1 polenguinho
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Esquente 200 ml de água e tire logo antes de ferver. Deixe o funghi secchi de molho por pelo menos 20 minutos na água quente para amolecer bem. Escorra e corte em pedaços pequenos.
Arrume os cogumelos e o brócolis cortado em floretes numa forma refratária antiaderente untada com um fio de azeite. Corte o polenguinho em cubos pequenos e coloque por cima.
Junte o ovo e as claras numa tigela e bata bem com um garfo até ficar homogêneo. Tempere com sal e pimenta a gosto. Derrame a mistura de ovos por cima do restante dos ingredientes na travessa. Leve para assar em forno pré-aquecido em 220˚C por 45 a 50 minutos ou até ficar completamente cozido. Sirva com uma salada especial.

Apesar de levar um bom tempo assando no forno, este prato é bastante simples de fazer e funciona super bem como um jantarzinho leve numa sexta-feira à noite antes de sair para a balada. Comendo uma refeição assim você consegue chegar sem estar desfalecendo de fome no bar ou na boate e dará conta de aproveitar a noite inteira sem extravagâncias.

Adoro fazer fritadas e outras receitas que levam ovos. Alias, esta salada de ovo com peito de peru defumado, que compartilhei com vocês alguns meses atrás, ainda é uma das minhas receitas preferidas de todas que já provei pro blog. Sempre que estou sem imaginação para fazer coisas novas volto para ela e me delicio mais uma vez.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Quando a preguiça bate na porta

Tem dias que a preguiça toma conta como nunca. Quando isso acontece, fico sem vontade de ligar até o forno, quanto mais pensar em algo elaborado ou complexo para fazer para o jantar. Para noites assim, nada melhor do que ter na geladeira alguns ovos e outros ingredientes rápidos para fazer aquela omelete esperta.

Gosto de criar recheios para omeletes na hora que vou fazê-las. O mais divertido é abrir a despensa ou a geladeira e juntar aquilo que já tenho em casa em combinações inusitadas. Nada de ter que pensar com antecedência no que vou precisar comprar para fazer minha janta. Foi assim que surgiu este prato. Aproveitei para terminar com um vidro de pimentão em conserva que tinha na geladeira e usar o resto do shitake que não tinha terminado do dia anterior. Ficou uma delícia.

Omelete de shitake e pimentão vermelho em conserva

Omelete de shitake e pimentão vermelho em conserva

1 ovo
2 claras
100 g de shitake fresco
1 col. de sopa de cebolinha picada
1 un. de pimentão vermelho em conserva
azeite, manjericão, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Quebre o ovo e derrame numa tigela. Acrescente as claras e bata levemente com um garfo até ficar homogêneo. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Pique o pimentão vermelho e o shitake e reserve.
Aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue o shitake até murchar e reserve num prato. Despeje a mistura de ovos na frigideira e mexa delicadamente para cobrir toda a superfície. Quando começar a firmar, mexa com uma espátula e acrescente o shitake refogado e o pimentão picado.
Sirva por cima de torradas e salpique com a cebolinha e o manjericão a gosto.

Chamo de omelete o que na verdade chega a ser mais um ovo mexido. O motivo: já tentei fazer aquelas omeletes lindas e perfeitamente dobradas ao meio mas sempre dá errado. Os ovos acabam quebrando quando tento virá-los e termino fazendo um grande mexidão mesmo.

No fim, seja em forma de omelete ou em forma de ovos mexidos, este prato é uma ótima opção para esses dias preguiçosos. Nada como ter um delicioso jantar na mesa em menos de 10 minutos sem muita louça para lavar no final. Depois ainda dá para curtir a preguiça vendo aquele filme gostoso e bebendo uma bela taça de vinho. Pitoresco, não?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Novos patamares de sabor

Depois que entrei na onda de comer peixe cru e outras delícia da culinária japonesa começou a me dar vontade de experimentar outras iguarias geralmente preparadas sem cozimento. Já tinha provado o ceviche peruano e o kibe cru árabe e me apaixonado. Então, pensei que havia chegado a hora de navegar pelas ondas francesas e testar o famoso steak tartare.

À primeira vista confesso que este prato não parece lá muito apetitoso. A carne utilizada não chega a ser moída, como no caso do kibe cru, e ainda é misturada com gema de ovo crua e molho inglês para dar sabor. Pode parecer uma mistura extremamente bizarra de ingredientes, mas não é que no final da certo? Testado e aprovado!

Steak tartare

Steak tartare

100 g de filé mignon
1/2 gema de ovo
1 col. de chá de alcaparra picada
50 g cebola roxa bem picada
1 col. de chá de molho inglês
1 col. de chá de mostarda Dijon
1 col. de chá de vinagre balsâmico
1 col. de chá de azeite
salsinha, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Pique bem a carne com a ponta da faca até que fique praticamente moída à mão. Numa tigela, misture a carne com os demais ingredientes e tempere com salsinha, sal e pimenta a gosto. Prove e adéque os temperos como preferir. Sirva acompanhado das clássicas batatas chips, de preferências assadas na hora em casa.

Todos já devem saber mas não custa nada repetir: é preciso ter muito cuidado ao consumir produtos como carnes e ovos crus. Certifique-se que seu açougueiro é de confiança e exija sempre a carne mais fresca do dia. O mesmo vale para os ovos. Não utilize aqueles guardados há algum tempo na geladeira, dê preferência para os mais frescos que tiver.

Não vou mentir, o sabor é bem diferente e requer um pouco de tempo para acostumar-se. Mas depois de relaxar e abstrair o que realmente há no prato é possível perceber a complexidade dos sabores presentes. Para manter a refeição saudável, não opte pelas batatas fritas servidas geralmente de acompanhamento. Espere que amanhã ensino como fiz chips de batata doce que comi junto do steak tartare e que ficaram absolutamente divinas!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para adoçar as tarde de domingo

Já virou rotina ver manchetes de revistas e artigos científicos afirmando que o tão apreciado chocolate não é mais tão vilão da saúde quanto pensávamos. Ao contrário, consumir uma pequena quantidade dessa delícia diariamente pode trazer inúmeros benefícios a nossa saúde. O importante é escolher qual chocolate saborear para que as calorias ingeridas não sejam completamente vazias.

Quanto maior a porcentagem de cacau no chocolate, melhor ele é para nossa alimentação. Isso porque os benefícios estão todos presentes na manteiga do cacau e no pó usado ao preparar o chocolate. As versões ao leite e principalmente o chocolate branco, que não contem nada de cacau em pó, aumentam demais o volume de açúcar da receita e deixam de lado as propriedades benéficas do doce.

Devo confessar que antes de passar pela reeducação alimentar não era muito fã de chocolate amargo. Alias, minha versão preferida era a pior possível: o chocolate branco. Hoje aprendi a saborear a delicadeza marcante do chocolate com maior percentual de cacau. Atualmente, para mim, quanto maior essa porcentagem, melhor.

Mas como ninguém é de ferro e todos merecemos uma escapulida de vez em quando, resolvi experimentar esta receita de muffins de chocolate branco com damasco. A quantidade de chocolate utilizada não é muita mas é perfeitamente suficiente para satisfazer meus desejos sem destruir completamente meu plano alimentar. Sensacional, não?

Mini muffin de chocolate branco com damasco

Mini muffins de chocolate branco com damasco

1 xíc. de chá de farinha de trigo
1/4 de xíc. de chá de açúcar
1 col. de chá de gengibre em pó
1/2 col. de chá de fermento em pó
1 pitada de sal
25 g de chocolate branco picado
90 ml de leite desnatado
1 1/2 col. de sopa de margarina light
1 clara
25 g de damasco seco picado

Modo de preparo:
Junte a farinha de trigo, o açúcar, o gengibre, o fermento, a pitada de sal e o chocolate picado numa tigela e misture bem com um garfo para que fique tudo incorporado. Em outra tigela, misture o leite, a margarina derretida e a clara. Mexa bem com um garfo para que fique homogêneo.
Aos poucos, incorpore a mistura molhada na mistura seca. Mexa com delicadeza apenas para que fique homogêneo mas tenha cuidado para não mexer demais. Por fim acrescente o damasco picado e termine de mexer.
Pré-aqueça o forno em 200˚C. Despeje a massa em forminha de mini muffins antiaderentes untados com spray de azeite. Leve ao forno e deixe assar de 12 a 14 minutos ou até que um palito enfiado no meio saia limpo. Saboreie com uma xícara de chá de frutas no lanche da tarde.

Rende 12 mini muffins.

Sou apaixonada por muffins, ainda mais estes tamanho miniatura já que podemos comer mais de um sem pesar demais a consciência. Tenho várias receitas de sabores diferentes e me divirto experimentando cada uma. Aqui no blog já publiquei outras, como a de banana com farinha integral e a de cacau com chocolate amargo.

Mas sem dúvida esta nova de chocolate branco com damasco tornou-se minha preferida. A mistura de sabores ficou divina e a quantidade utilizada é perfeita para dar aquele gostinho e satisfazer meus desejos sem sobrecarregar demais a receita. O melhor é que podemos congelar os muffins já pronto para saborear um outro dia. Aproveite para fazer muitos e ir comendo ao longo da semana. Aposto que vai adorar.

Por hoje é só.

Bon appetit!