Fácil, rápido, saboroso e saudável

Existem inúmeras pessoas no mundo que acreditam que o peito de frango é uma carne sem graça e sem gosto. Para eles, apenas um molho bem incrementado e inevitavelmente calórico teria a capacidade de deixar um prato feito com essa proteína mais saborosa e apresentável.

Mas não é preciso muito para deixar esta carne delicada do frango suculenta e deliciosa. Uma esperta marinada feita com os ingredientes certos já é suficiente para transformar qualquer frango absolutamente fantástico. O segredo está em usar ervas aromáticas e deixar a marinada curtindo por algumas horas.

Frango grelhado à marinada de tomilho

Frango grelhado à marinada de tomilho

1 peito de frango
1 col. de sopa de mostarda
15 g de mel
1 dente de alho amassado
1 col. de sopa de suco de limão
1 col. de chá de azeite
sal e tomilho a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com sal a gosto. Junte todos os demais ingredientes num saquinho de plástico e mexa bem para ficar homogêneo. Acrescente o frango à marinada e leve à geladeira por pelo menos 1 ou até 6 horas. Retire da geladeira e deixe em temperatura ambiente 20 minutos antes de assar.
Aqueça uma grelha elétrica em temperatura alta. Retire o peito de frango e descarte a marinada. Grelhe o frango por 5 minutos de cada lado ou até atingir o ponto desejado. Tenha cuidado para não deixar por muito tempo para não ficar ressecado. Sirva com legumes no vapor ou grelhados.

Adorei esta simples marinada que descobri dia desses. O mel e o suco de limão deixam o frango impregnado e fazem com que ele se mantenha extremamente suculento enquanto está na grelha. Além disso, o tomilho traz um toque divinamente especial ao tempero final da carne.

Adoro receitas simples como esta. Apesar de precisar ser preparada com antecedência, já que o frango precisa ficar curtindo por algum tempo na marinada antes de grelhar, o processo de preparo e execução da receita é extremamente fácil e rápido. E a melhor parte é que o sabor final ficou divino. Fácil, rápido, saboroso e saudável. Tem coisa melhor?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Versões caseiras

Convenhamos, a barrinha de cereal é uma das melhores invenções do último milênio. Para quem busca seguir uma alimentação saudável, esses lanchinhos práticos são ótimos para aquele lanche esperto no meio da tarde. É bem verdade que precisamos saber escolher a melhor opção, as que tenham menos açúcar e mais cereais integrais etc. Mas qualquer uma que tenha uma boa quantidade de proteína ajuda a manter a saciedade por um bom tempo até a hora de jantar.

Depois de testar inúmeras marcas, claro que já tenho as minhas preferidas. Mas, ao mesmo tempo, a pulga da cozinha que me leva a querer testar todas as receitas possíveis e imagináveis me fez querer tentar também fazer barrinhas caseiras. Escolhi esta receita pois parecia super simples e bastante saudável. No fim adorei o resultado!

Barrinha de cereal caseira

Barrinha de cereal caseira

60 g de amendoim torrado picado
6 g de cereal de arroz integral
22 g de aveia prensada
10 g de sementes de abóbora
40 g de banana passa picada
3 damascos picados
40 g de mel

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno em 180˚C. Forre uma forma refratária quadrada com várias folhas de papel alumínio de maneira que o papel transborde para fora. Isso facilitará a retirada das barrinhas depois que ficarem prontas. Unte o papel alumínio com um fio de óleo de soja e reserve.
Junte todos os ingredientes, menos o mel, em uma tigela grande e mexa bem para incorporar tudo e ficar bem misturado. Aos poucos derrame o mel e vá mexendo constantemente para que tudo fique coberto. Despeje a mistura na forma preparada e espalhe bem para ficar com uma grossura uniforme.
Coloque outra folha de alumínio untada por cima da mistura e pegue algo pesado para prensar a barrinha. Mantenha por 5 minutos pressionando para que fique bem apertado. Isso vai ajudar as barrinhas a ficarem inteiras quando esfriarem.
Leve para assar no forno pré-aquecido por 40 minutos. Tire do forno e deixe esfriar ainda na forma por pelo menos 15 minutos. Retire as barrinhas segurando pelo papel alumínio com cuidado. Corte em 6 e leve à geladeira para ajudar a firmar. As barrinhas duram 1 semana em temperatura ambiente guardadas em recipiente fechado. Elas também podem ser congeladas por 3 meses.

Rende 6 porções.

O bom desta receita é que ela não inclui nenhum conservante ou aditivo artificial como todas as outras barrinhas compradas prontas. Ao mesmo tempo, elas continuam funcionando perfeitamente para um lanchinho esperto por poderem ser transportadas com facilidade e serem bastante práticas.

Aqui vai um alerta: é possível que as barrinhas não fiquem inteiras depois de esfriarem por não ter mel suficiente ou não terem sido prensadas de maneira correta antes de serem assadas. Neste caso, nada impede que você guarde o resultado final para comer como uma deliciosa granola caseira. Acrescente a mistura ao iogurte ou saboreie com leite no café da manhã. Seja como for, o sabor final continua sendo uma verdadeira delícia!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Geladinho saboroso

Tudo bem que estamos no meio do inverno e tudo bem que, hoje especialmente, está um gelo aqui em São Paulo. Mas quem disse que não podemos aproveitar uma deliciosa bola de sorvete no frio? Há culturas no mundo que acreditam ser até mais saudável comer sorvetes no frio já que não ocorreria uma mudança brusca de temperatura no corpo.

Estando frio ou não, nada como uma delícia dessas para melhorar o dia de qualquer um. Pequei esta ideia de uma receita semelhante que tem no site do Jamie Oliver, um dos meus chefs preferidos. Na receita dele o “sorvete” era feito com mirtílo, mas como tinha estas lindas framboesas no meu congelador resolvi testar com outro sabor.

Sorvete de framboesa instantâneo

Sorvete de framboesa instantâneo

125 g de framboesa congelada
1 pote pequeno de iogurte natural desnatado
1 col. de sobremesa de mel

Modo de preparo:
Junte os ingredientes no liquidificador ou mixer de mão e bata até ficar homogêneo e cremoso. Sirva imediatamente.

Este sorvete não deixa de ser bem parecido com o outro de banana que publiquei aqui uns tempos atrás. Mas se formos analisar honestamente, o de banana que é “sorvete” mesmo já que é feito com leite. Este agora é mais um “frozen iogurte”. De qualquer maneira, isso tudo é só um detalhe. O que importa mesmo é que os dois ficaram absolutamente deliciosos!

Apesar de ter mel como um dos ingredientes deste doce, no meu especificamente não acrescentei e não achei que fez falta. Dito isso, eu gosto de sobremesas menos doces e mais azedinhas. Além disso, adoro a doçura natural das framboesas. No fim, a quantidade de mel acrescentada depende exclusivamente do seu gosto pessoal. Aproveite o dia e seja criativo com suas receitas na cozinha.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Aquele toque especial

Convenhamos, um belo medalhão de filé mignon já é absolutamente sensacional sozinho. Ainda mais se for assado da maneira correta para ficar tostadinho por fora e perfeitamente rosa por dentro. Absurdamente macio, o filé mignon é considerado por muitos o corte mais nobre de carne vermelha. Eu concordo plenamente.

Por ser tão saboroso, apesar da baixa quantidade de gordura que tem (o que não deixa de ser uma vantagem para quem quer manter uma alimentação saudável), às vezes um simples molho caseiro já é suficiente para completar o prato do filé. Hoje trago para vocês uma adaptação que fiz de um molho originalmente sugerido para comer com nuggets de frango. Ficou divino.

Filé mignon ao molho de amora com mostarda e mel

Filé mignon ao molho de amora com mostarda e mel

1 medalhão médio de filé mignon
100 g de amora congelada
1 col. de chá de mel
1 col. de sopa de mostarda
sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:
Tempere a carne com sal e pimenta do reino moída na hora a gosto. Pré-aqueça o forno em 200˚C e leve o filé para assar por 25 minutos, ou até atingir o ponto desejado. É importante deixar o filé já temperado em temperatura ambiente por pelo menos 20 minutos antes de colocar para assar. Assim, ele irá cozinhar de maneira uniforme e não apenas dourar por fora permanecendo cru por dentro.
Enquanto isso, coloque as amoras numa tigela e deixe em temperatura ambiente por 10 a 15 minutos para que comece a descongelar. Quando estiver mais maleável acrescente o mel e a mostarda e mexa com cuidado para incorporar todos os ingredientes.
Cinco minutos antes da carne ficar pronta, retire do forno e despeje o molho por cima. Retorne o filé para terminar de assar. Sirva com legumes grelhados ou cozidos no vapor.

A verdade é que esta quantidade de molho é mais do que suficiente para servir 2 pessoas. Entretanto, como adoro amoras e por ter achado a combinação tão deliciosa, acabei comendo todo ele com o único medalhão de filé que preparei. Por isso que na foto parece que a carne foi devorada pelo molho.

A simplicidade deste prato faz dele uma ótima opção para um almoço ou jantar corrido no meio da semana. Além disso, é possível brincar com outros sabores e criar novos molhos. Que tal experimentar trocar as amoras por outras frutas como mirtílos ou framboesas? Certamente elas trarão uma dimensão de sabor tão gostosa quanto a original.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Começando de leve

Hoje é um dia muito especial: meu aniversário! Sim, sou daquelas pessoas que AMA comemorar o aniversário, ADORA receber presentes e ser paparicada. Afinal, é só um dia no ano, não é mesmo? Nada melhor do que juntar as pessoas amadas nesses dias e fazer uma grande festa com bastante comida e bebida boa.

E para comemorar com vocês começo o dia com um docinho bem light e saudável para ir esquentando o clima. Sim, porque para quem vai “chutar o pau da barraca”, como diz minha mãe, na festa de hoje à noite, tem que começar de leve para não correr o risco de despirocar total.

Musse de iogurte de chocolate

Musse de iogurte de chocolate

1 pote de iogurte natural desnatado
1 col. de sopa de cacau em pó
1 col. de sopa de mel

Modo de preparo:
Despeje o iogurte natural numa tigela. Acrescente o cacau em pó e o mel e mexa bem para que fique tudo completamente homogêneo. Se quiser, acrescente framboesas ou mirtílos por cima da musse para decorar. Fica uma delícia!

A receita é absurdamente simples e funciona super bem como uma sobremesa leve depois do almoço ou mesmo como um lanchinho esperto no meio da tarde. Seja como for que você escolha saborear esta receita, a quantidade de mel acrescentada fica ao critério de cada um. Se preferir mais docinho, pode colocar mais.

O mesmo vale para o cacau em pó. Como gosto bastante do sabor intenso do cacau puro, ou seja, sem ser adoçado, optei por fazer essa combinação de quantidades. Assim, obtive um adocicado leve do mel mas o sabor que sobressaiu foi do delicioso cacau em pó de primeira qualidade. Ficou absolutamente divino!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Uma complexidade de sabores

Já publiquei aqui no blog diversas receitas super gostosas e nutritivas feitas com cevadinha, esse grão integral tão maravilhoso e indispensável para quem deseja ter uma alimentação saudável. Uma das minha preferidas é a sopa de cevadinha com carne, absolutamente deliciosa e perfeita para essas noites frias de inverno.

A receita de hoje é parecida com outra que também já publiquei aqui mas tem um toque diferente. Ao invés de servir como uma espécie de risoto, como é o caso desta outra receita, a de hoje transforma-se numa deliciosa salada diferente. Aproveite um dia mais calmo para brincar e testar novos sabores na cozinha. Assim aprendemos e descobrimos coisas maravilhosas.

Salada de cevadinha tostada com vagem e shitake

Salada de cevadinha tostada com vagem e shitake

45 g de cevadinha
400 ml de água
100 g de shitake
100 g de vagem
5 ml de óleo de gergelim torrado
5 ml de shoyu
1 sache de mel
1 dente de alho
1 col. de sopa de cebolinha
gengibre a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente e regue com o óleo de gergelim torrado. Toste a cevadinha, mexendo sempre, por alguns minutos até que fique aromática. Despeje os 400 ml de água fervente, abaixe o fogo e cozinhe mantendo uma leve fervura por 40 a 50 minutos ou até que a cevadinha fique macia.
Enquanto isso, ferva mais 300 ml de água e cozinhe a vagem por 3 a 5 minutos até que fique al dente. Escorra e coloque a vagem numa bacia com água e gelo para parar o cozimento. Reserve.
Aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio e refogue o shitake fatiado até começar a murchar. Acrescente a cevadinha já cozida e escorrida e a vagem. Mexa bem para incorporar todos os ingredientes e aquecer levemente.
Numa tigela, misture o shoyu com o mel, o dente de alho amassado e o gengibre em pó a gosto. Na hora de servir, regue a salada com o molho e salpique cebolinha picada a gosto. Sirva com um mix de folhas verdes para um jantar vegetariano numa noite especial.

O fato de usar o óleo de gergelim torrado para tostar a cevadinha no início da receita traz um nível de sabor ao prato indescritível. Por ser bastante impactante, recomendo que tenham muito cuidado ao utilizar o óleo. Um pequeno fio já é mais do que suficiente para trazer esse sabor diferente e inovador à receita.

Outro toque especial desta receita é justamente a leve tostada dada à cevadinha antes de cozinhá-la. Esse grão tem naturalmente um sabor com leves toque de nozes. Ao tostá-la, esse sabor é liberado e ajuda a elevar a complexidade do prato final. Recomendo degustar desta salada em temperatura ambiente depois que tenha esfriado um pouco do final do preparo.

Por hoje é só.

Bon appetit!

As maravilhas das frutas frescas

Ultimamente tenho adorado passear pelo mundo dos molhos à base de frutas. Além de trazerem um toque adocicado delicioso elas deixam os pratos super saborosos sem carregá-los demais. E não há nada mais refrescante do que saborear uma refeição leve e deliciosa, não é mesmo?

A versatilidade das frutas é incrível já que além de serem uma ótima base para molhos cremosos também funcionam muito bem como salsas fresquinhas e deliciosas. Esta outra receita que publiquei há algumas semanas mostra bem como um mesmo ingrediente pode ser usado em preparações completamente diferentes. Ambas ficaram uma delícia.

Filé mignon ao barbecue de ameixa preta

Filé mignon ao barbecue de ameixa preta

1 medalhão de filé mignon
1 ameixa preta média
50 g de cebola picada
1 dente de alho picado
1 col. de sopa de mel
1 col. de sopa de vinagre de arroz
1 col. de sopa de ketchup
1 col. de sopa de mostarda forte
1 col. de chá de shoyu light
1 col. de café de gengibre em pó
1 anis estrelado
1 cravo da índia
azeite, sal e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Primeiro prepare o filé. Tempere com sal e pimenta a gosto e leve para assar em forno pré-aquecido a 200˚C por 20 minutos ou até atingir o ponto desejado.
Enquanto o filé assa, prepare o molho. Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho picados por alguns minutos até ficarem macios e aromáticos. Acrescente a ameixa cortada em cubos e mexa para começar a cozinhar.
Junte os demais ingredientes e coloque na panela. Mexa bem para que tudo fique incorporado. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe por 10 minutos mantendo uma leve fervura até que a ameixa fique bem macia e o molho engrosse um pouco.
Retire o filé do forno e despeje o molho por cima. Retorne ao forno e asse por mais 5 minutos. Sirva em seguida acompanhado de arroz selvagem e legumes no vapor.

A receita original sugeria servir este molho por cima de lombo de porco assado. Entretanto, como tinha este suculento filé mignon em casa resolvi preparar com a carne mesmo. O sabor agridoce ficou super saboroso e com certeza combinaria muito bem com carne de porco ou até um carré de cordeiro assado.

De modo geral, molhos à base de frutas são perfeitos para qualquer tipo de carne. As salsas frescas servidas frias combinam melhor com carnes brancas como peixes e frangos. Já os molhos mais elaborados e cozidos, como este de hoje, são ótimos para carnes mais marcantes e pesadas. De qualquer maneira, acrescentar frutas aos pratos principais transforma as refeições em experiências deliciosas.

Por hoje é só.

Bon appetit!