Misturando sabores

Quem disse que geleia apenas pode ser saboreada na torrada do café da manhã ou com o bolinho no lanche da tarde? Este doce delicioso é tão eclético que funciona super bem também para preparar molhos e temperos especiais para as carnes no almoço ou jantar.

Amo geleias. Tanto que até já preparei minhas versões caseiras como compartilhei com vocês neste post da geleia de morango e neste da de cereja. E adoraria, também, ter feito este prato de hoje com uma dessas delícias feitas em casa. Mas como não encontrei uma boa receita de geleia de laranja ainda, desta vez foi industrializada mesmo.

Tilápia ao vinagrete de laranja

Tilápia ao vinagrete de laranja

1 filé de tilápia
1 col. de sopa de geleia de laranja
1 col. de chá de azeite
1 col. de chá de vinagre de vinho branco
1 col. de chá de suco de laranja concentrado
sal e páprica picante a gosto

Modo de preparo:
Tempere a tilápia com sal e páprica picante a gosto. Numa tigela, misture a geleia de laranja com o azeite, o vinagre e o suco de laranja concentrado. Mexa bem até ficar completamente homogêneo.
Pré-aqueça o forno em 200˚C. Arrume o filé no centro de duas folhas de papel alumínio. Espalhe a mistura de geleia por cima do peixe e feche o papel formando um papelote de alumínio.
Leve ao forno pré-aquecido e deixe assar por 15 minutos. Retire do forno, deixe descansar 5 minutos e abra o papelote com cuidado para sair o vapor quente. Sirva com arroz selvagem e legumes verdes cozidos no vapor.

Assar peixes em papelotes como este não só garantem que eles fiquem super suculentos como também fazem do vinagrete de geleia de laranja um molho delicioso. O vapor formado durante o processo acaba derretendo a geleia e transformando a mistura num molho delicado e macio.

Para quem gosta de misturar sabores salgados com doces esta receita é espetacular. A páprica picante colocada no peixe para temperar antes de adicionar a geleia forma uma combinação divina com o molho e acrescenta uma pitada de ardor ao prato. Nada como misturar todos os sabores, salgado, doce e picante, numa garfada só.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

As vantagens da preparação caseira

Quem disse que uma alimentação saudável e balanceada não pode incluir delícias pecaminosas como um belo e suculento hambúrguer? O segredo está em escolher bem os ingredientes e as porções. Como sempre, o mais indicado é optar pela versão caseira, já que os encontrados prontos nas grandes redes de restaurantes são absurdamente enormes.

Outra vantagem de fazer seu próprio hambúrguer é poder escolher a carne usada. Os melhores cortes são os mais magros da carne bovina como a alcatra, coxão mole ou mesmo o macio filé mignon. Muitas receitas levam ovo e farelo de pão torrado para segurar os hambúrgueres, mas as mais gostosas são feitas exclusivamente com uma boa porção de carne, como esta que trago hoje.

Hambúrguer picante com conserva de cebola roxa

Hambúrguer picante com conserva de cebola roxa

Cebola:
50 g de cebola roxa
60 ml de vinagre de vinho branco
5 g de açúcar mascavo
1/4 de col. de chá de sal

Hambúrguer:
120 g de carne moída
azeite, sal, pimenta calabresa, cominho e coentro picado a gosto

Modo de preparo:
Corte a cebola roxa em rodelas finas. Coloque o vinagre, o açúcar e o sal numa tigela pequena. Mexa bem até dissolver por completo. Se preciso, leve ao micro-ondas por alguns segundos para ajudar a dissolver. Coloque a cebola na tigela e deixe em conserva por pelo menos 6 horas ou até 2 dias.
Para fazer o hambúrguer, junte a carne moída, com o coentro picado numa tigela. Tempere com sal, pimenta calabresa e cominho a gosto e misture bem para formar uma bola homogênea. Achate delicadamente até ficar em formato de hambúrguer. Coloque numa forma refratária antiaderente regada com um fio de azeite.
Leve para assar em forno pré-aquecido a 200˚C por 20 minutos ou até atingir o ponto desejado. Sirva com a cebola roxa em conserva por cima.

Para quem está acostumado a comer os hambúrgueres dos restaurantes certamente vai achar o tamanho deste feito em casa bem pequeno. Mas repito: a quantidade da versão caseira é a mais indicada para manter uma alimentação balanceada sem exageros.

O fato desta receita usar apenas carne e dispensar o ovo e o pão torrado na preparação também influencia no tamanho final da porção. Ou seja, ele pode até parecer menor, mas a carne está bem mais concentrada o que faz do hambúrguer mais consistente. Isso sem contar com o sabor que, aliado ao coentro e ao cominho, ficou absolutamente divino!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Um arco-íris no prato

Desde que aprendi a preparar almôndegas caseiras e vi o quão fáceis são de fazer tenho preparado bastante para almoçar. Além de ser uma opção super saudável de incluir carne vermelha na alimentação, as almôndegas permitem uma infinidade de molhos diferentes e saborosos como acompanhamento.

Como busco sempre incluir uma boa dose de legumes e verduras junto com o resto da refeição achei perfeita esta receita de almôndegas ao molho de pimentões tricolores. Já imaginava que o resultado final ficaria divinamente delicioso mas pensei que incluir as três cores de pimentões no prato também o deixaria colorido e bonito. Estava certa.

Almôndegas com pimentões tricolores

Almôndegas com pimentões tricolores

50 g de pimentão vermelho
50 g de pimentão verde
50 g de pimentão amarelo
300 ml de caldo de carne
100 g de coxão mole moído
50 g de cebola picada
1 dente de alho picado
1/2 clara
1/2 fatia de pão integral
1/2 col. de sopa de farinha de trigo
15 ml de água
5 ml de vinagre de vinho branco
manjericão, orégano, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Corte os pimentões em tiras finas. Ferva o caldo de carne e acrescente os pimentões. Deixe cozinhar por 10 minutos em fogo baixo mantendo uma leve fervura até que os legumes fiquem macios mas não tenham se desmanchado.
Enquanto isso, prepare as almôndegas. Junte numa tigela a carne moída, a cebola e o alho picados, 1/2 clara de ovo e 1/2 fatia de pão integral triturada. Tempere com sal e pimenta a gosto e misture tudo com as mãos até formar uma bola. Tire pequenos pedaços e molde as almôndegas. Com esta quantidade é possível fazer de 7 a 9 almôndegas pequenas.
Unte uma forma refratária antiaderente com um fio de azeite e arrume as almôndegas. Leve para assar em forno pré-aquecido em 220˚C por 30 minutos ou até que fiquem completamente cozidas. Vire as almôndegas na metade do tempo para que assem de maneira uniforme.
Enquanto as almôndegas assam, termine de preparar o molho. Junte 1/2 col. de sopa de farinha de trigo com 15 ml de água numa tigela e mexa bem para que fique completamente homogêneo. Despeje a mistura na panela com o caldo de carne e os pimentões e cozinhe mexendo constantemente até engrossar e reduzir um pouco (de 3 a 5 minutos). Acrescente o vinagre de vinho branco e o manjericão e orégano frescos a gosto. Desligue o fogo e tampe para manter o caldo aquecido enquanto as almôndegas terminam de assar.
Na hora de servir, regue as almôndegas com o molho de pimentões. Sirva acompanhado de polenta cremosa ou arroz integral.

Apesar de parecer trabalhosa, a receita fica pronta em aproximadamente 45 minutos, dependendo apenas do tempo que demora para as almôndegas assarem por completo. O sabor final também compensa a demora já que a combinação dos três pimentões com as almôndegas assadas e regadas no delicioso molho de carne fica divino.

Ao invés de assá-las no forno você pode também fritá-las levemente numa frigideira antiaderente untada com um fio de azeite por alguns minutos e depois terminar de cozinhá-las junto com o caldo de pimentões. Desta forma elas acabam cozinhando mais rápido. Entretanto, eu optei por assá-las no forno já que é a maneira mais saudável de prepará-las por não utilizar quase óleo nem gordura.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Refeições ecléticas

Quantas vezes você já deixou de almoçar ou comeu qualquer besteira no trabalho por mera falta de tempo? Geralmente temos a impressão de que precisamos de horas a fim para preparar algo saudável e gostoso para comer. Entretanto, é possível fazer uma bela refeição sem gastar muito tempo ou dinheiro, basta fazer alguns simples planejamentos.

Num dia em que quiser jantar um delicioso prato de massa ao molho de tomate, aproveite para preparar esta receita. Digo isso porque ela se transforma numa fantástica salada de macarrão que pode ser levada para almoçar no dia seguinte no trabalho. Além de ser divinamente saborosa, ela é super fácil de fazer e demora menos de 30 minutos para ficar pronta.

Salada de macarrão com berinjela

Salada de macarrão com berinjela

50 g de penne integral
100 g de berinjela
100 g de tomate cereja
1 col. de sopa de extrato de tomate
1 col. de sopa de alcaparras
15 ml de vinagre de vinho branco
30 ml de água
azeite, sal, pimenta e manjericão a gosto

Modo de preparo:
Ferva uma panela de água e cozinhe o macarrão de acordo com as instruções da embalagem até que fique al dente. Escorra e regue com um fio de azeite para não grudar. Reserve.
Enquanto a massa cozinha, aqueça uma outra panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Coloque a berinjela cortada em cubos e refogue por alguns minutos para começar a cozinhar. Acrescente os tomates cereja inteiros e refogue mais alguns minutos até que comecem a estourar.
Numa tigela, misture o extrato de tomate, o vinagre, a água e tempere com sal e pimenta a gosto. Despeje na panela e deixe ferver. Reduza o fogo e cozinhe a berinjela por mais 5 minutos mantendo uma leve fervura até que murche por completo e o engrosse levemente.
Desligue o fogo, junte as alcaparras e o manjericão a gosto. Mexa bem e por último acrescente o macarrão cozido. Deixe esfriar um pouco ou guarde na geladeira até o momento de servir. Coma acompanhada de um filé de peixe ou frango grelhado.

Chamar este prato de salada vem apenas do fato dela ser comida em temperatura ambiente ou até gelada ao invés de quente. Entretanto, nada impede que você saboreie esta deliciosa refeição como um prato de massa ao molho de tomate com berinjelas normal.

A intenção aqui é mostrar que esta combinação também funciona super bem como um prato gelado o que significa que ele pode ser feito num dia e as sobras transformam-se numa ótima e saborosa opção para o almoço corrido do trabalho no dia seguinte. Além de super fácil, a junção dos tomates com a berinjela e o manjericão e as alcaparras formam um casamento espetacular de sabores.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Aquele toque final

Seguindo conselhos e pedidos de uma leitora fiel, a @julianamo, resolvi testar algumas receitas de molhos diferentes para saborear junto com as saladinhas que preparo. Não quis colocar apenas um porque acho que quanto mais variedade e opções temos, melhor. Por isso esperei até conseguir testar pelo menos dois.

Para dar ainda mais variedade, escolhi um mais cremoso e um estilo vinagrete. Ambos são super saudáveis e pouco calóricos o que é ótimo para quem quer continuar mantendo uma alimentação saudável. Mas nada melhor do que ter esses molhinhos para incrementar as nossas saladas, não é mesmo?

Molho cremoso de tofu com gergelim

Molho cremoso de tofu com gergelim

135 g de tofu soft
2,5 ml de óleo de gergelim torrado
2,5 ml de shoyu light
60 ml de vinagre de arroz
1 dente de alho amassado
1 col. de sopa de coentro picado
1 col. de sopa de cebolinha picada
2 col. de chá de mel
pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Escorra bem o tofu para retirar o excesso de água. Junte todos os ingredientes e misture num processador de alimentos. Bata bem até ficar homogêneo e cremoso.

Rende 10 col. de sopa e pode ser guardado bem tampado por 3 dias na geladeira.

Vinagrete de pepino com ervas

Vinagrete de pepino com ervas

100 g de pepino
30 ml de azeite
15 ml de vinagre de vinho branco
1 col. de sopa de salsinha picada
1 col. de sopa de cebolinha picada
1 col. de sopa de iogurte desnatado
1/2 col. de chá de mostarda dijon
1/2 col. de chá de açúcar
1 pitada de sal

Modo de preparo:
Descasque o pepino, corte ao meio no sentido do comprimento e retire as sementes. Corte em pedacinhos e leve ao multiprocessador junto com os demais ingredientes. Bata até ficar homogêneo.

Rende 10 col. de sopa e pode ser guardado num recipiente hermeticamente fechado na geladeira de 3 a 4 dias.

O molho de tofu com gergelim é bem marcante. Tudo por causa do óleo de gergelim torrado que mostra todo seu poder mesmo com uma quantidade bem pequena usada. Vá com calma na hora que estiver acrescentando o óleo na receita. Prove e acrescente mais a gosto.

Já o vinagrete de pepino é bem suave e delicado. Ele traz uma sensação refrescante à salada e ajuda a deixá-la leve e saborosa. Uma dica para preparar qualquer tipo de vinagrete é usar a velha medida de 1 parte de vinagre para 3 de azeite. Funciona super bem e fica uma delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

As delícias refrescantes da cozinha

Quando estou sem muito tempo para preparar meu almoço gosto de achar receitas super fáceis e praticas para testar. Um simples peito de frango grelhado ou assado é um ingrediente goringa para qualquer refeição leve e saudável mas que pode ficar sem graça se preparado sozinho.

No final das contas, o truque é achar algum molho ou acompanhamento saboroso para incrementar o prato. Opção perfeita para dias quentes de verão, esta receita também cai super bem nas outras estações do ano. Simples, leve e incrivelmente deliciosa, os ingredientes desta “salsa” criam uma combinação única de sabores que nunca tinha provado na vida.

Frango grelhado com salsa de ameixa preta

Frango grelhado com salsa de ameixa preta

1 peito de frango médio
1 col. de chá de azeite
sal, cominho em pó e alho em pó a gosto
1 ameixa preta grande
1/2 cebola roxa
1 col. de chá de vinagre de vinho branco
1 col. de chá de molho de pimenta
sal e coentro a gosto

Modo de preparo:
Tempere o peito de frango com o azeite, o sal, o cominho e o alho em pó. Massageie bem para que fique bem temperado. Leve ao forno pré-aquecido em 220˚C e asse de 15 a 20 minutos ou até ficar no ponto desejado. Cubra para não esfriar e reserve.
Para preparar a salsa, corte a ameixa ao meio e retire o caroço. Pique em cubos médios e despeje numa tigela. Corte a cebola roxa em cubinhos pequenos. Acrescente à tigela e regue com o vinagre e o molho de pimenta. Tempere com sal a gosto. Para servir, distribua a salsa fria por cima do peito de frango quente e decore com folhas de coentro rasgadas a gosto. Saboreie com arroz selvagem e legumes verdes ao vapor.

Uma das melhores coisas que percebi ao provar este prato foi a sensação refrescante de combinar frutas frescas com a cebola, o vinagre e a pitada de pimenta. A combinação criada transformou um simples peito de frango assado numa refeição sofisticada e leve ao mesmo tempo. Nada melhor para uma segunda-feira à tarde.

Outra vantagem desta receita é que você pode preparar a salsa horas antes de finalizar o almoço. É possível, até, fazer a salsa com um dia de antecedência e deixá-la guardada na geladeira. Na hora de comer basta preparar o frango, derramar a mistura de ameixa por cima e temperar com o coentro a gosto. Aproveite um dia corrido para provar este prato. Tenho certeza que vai se deliciar.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sofisticando o simples

Decidi que minha nova missão na vida é converter os céticos do tofu. Apaixonei-me tão completamente por esta delícia que procuro diariamente novas maneiras de prepará-lo e aumentar meu arsenal de receitas. E esse vício não poderia ser melhor. Isso porque este queijo feito à base de soja é super saudável e ótimo para quem tem intolerância a lactose.

Por ter um sabor tão suave, muitas vezes a razão pela qual as pessoas torcem o nariz para ele, o tofu aceita praticamente qualquer tempero. São estas combinações diferentes e inusitadas que fazem as receitas ficarem instigantes e deliciosas.

Steak de tofu com vegetais

Steak de tofu com vegetais

200 g de tofu firme
100 g de shitake fresco
100 g de baby carrots
2 dentes de alho
1 col. de sopa de mel
3 col. de sopa de shoyu light
1/2 col. de sopa de vinagre de vinho branco
1/2 col. de sobremesa de pimenta calabresa moída

Modo de preparo:
Corte o tofu em quatro pedaços iguais. Coloque num recipiente pequeno e regue com um pouco de shoyu. Deixe marinando por pelo menos 30 minutos. Numa tigela, misture 1 col. de sopa de shoyu, o mel, o vinagre e a pimenta calabresa. Reserve.
Aqueça uma frigideira antiaderente e refogue o alho e a cenoura com alguns pingos de água. Mexa por alguns minutos até começar a cozinhar. Acrescente o shitake cortado em tiras e refogue por mais alguns minutos até amaciar. Despeje o molho preparado reservado e mexa bem de 3 a 5 minutos até engrossar. Reserve os vegetais num prato.
Coloque 1 col. de sopa de shoyu na frigideira e posicione as fatias de tofu. Deixe aquecer sem mexer por 2 ou 3 minutos até começar a escurecer. Vire e repita o procedimento do outro lado. Sirva acompanhado dos legumes reservados e torradinhas integrais.

Das várias maneiras de preparar tofu que já testei algumas se destacaram e tornaram-se minhas preferidas, como o tofu assado com aspargos e o tofu texano. Mas a nova que trago hoje certamente entrou para a lista. Com ar gourmet, estes “filezinhos” de tofu são deliciosos e perfeitos para um jantar leve e sofisticado.

O bom desta mistura é que aceita algumas modificações caso prefira outros vegetais ou não tenha cenouras em casa. Vale testar com vagem macarrão, tiras de pimentão verde ou vermelho ou mesmo aspargos. A princípio qualquer vegetal de consistência firme combina bem com os “filezinhos”  de tofu.

Por hoje é só.

Bon appetit!