Um arco-íris saudável

Está cansado da saladinha simples de alface e tomate que sempre servem nos restaurantes ou nos quilos da vida? Eu sempre procuro variar o máximo possível minha alimentação. Mas isso inclui também a salada que acompanha e não apenas o prato principal escolhido do dia.

Tem dias que vou ao supermercado só pensando nos ingredientes específicos que quero usar na minha próxima salada. Mas como nem sempre tenho tempo para fazer isso, geralmente tenho guardado no freezer alguns vegetais básicos que deixam qualquer salada mais completa ou simplesmente deliciosa.

Salada colorida

Salada colorida

50 g de cebola roxa
50 g de edamame congelado
70 g de milho congelado
50 g de tomate cereja
sal, azeite, suco de limão e vinagre a gosto

Modo de preparo:
Ferva 500 ml de água e dê um choque térmico no edamame e no milho congelados. Escalde-os na água fervente por 2 minutos e em seguida coloque numa bacia com água e gelo. Escorra e coloque numa tigela. Reserve.
Corte a cebola em cubinhos pequenos e o tomate cereja em quatro pedaços cada. Junte ao edamame e ao milho na tigela e misture bem. Tempere com sal, azeite, suco de limão e vinagre a gosto. Sirva a seguir.

Esta foi uma saladinha um pouco mais incrementada que inventei um dia desses porque queria algo à mais do que a tradicional alface com tomate para acompanhar meu jantar. Resolvi pegar ingredientes básicos que já tinha em casa e fazer algo bem bonito investindo na diversidade das cores.

Alias, isso é algo que as pessoas costumam esquecer. A primeira sensação que temos com a comida é a visual. A aparência do prato feito antes de comer é tão ou mais importante quanto o sabor em si. Não há nada menos apetitoso do que algo que parece feio ou estragado. Invista no arco-íris das cores ao montar sua próxima salada. Além de bonita você vai estar garantindo um maior número de vitaminas e nutrientes tão importantes para a saúde.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

As vantagens da preparação caseira

Quem disse que uma alimentação saudável e balanceada não pode incluir delícias pecaminosas como um belo e suculento hambúrguer? O segredo está em escolher bem os ingredientes e as porções. Como sempre, o mais indicado é optar pela versão caseira, já que os encontrados prontos nas grandes redes de restaurantes são absurdamente enormes.

Outra vantagem de fazer seu próprio hambúrguer é poder escolher a carne usada. Os melhores cortes são os mais magros da carne bovina como a alcatra, coxão mole ou mesmo o macio filé mignon. Muitas receitas levam ovo e farelo de pão torrado para segurar os hambúrgueres, mas as mais gostosas são feitas exclusivamente com uma boa porção de carne, como esta que trago hoje.

Hambúrguer picante com conserva de cebola roxa

Hambúrguer picante com conserva de cebola roxa

Cebola:
50 g de cebola roxa
60 ml de vinagre de vinho branco
5 g de açúcar mascavo
1/4 de col. de chá de sal

Hambúrguer:
120 g de carne moída
azeite, sal, pimenta calabresa, cominho e coentro picado a gosto

Modo de preparo:
Corte a cebola roxa em rodelas finas. Coloque o vinagre, o açúcar e o sal numa tigela pequena. Mexa bem até dissolver por completo. Se preciso, leve ao micro-ondas por alguns segundos para ajudar a dissolver. Coloque a cebola na tigela e deixe em conserva por pelo menos 6 horas ou até 2 dias.
Para fazer o hambúrguer, junte a carne moída, com o coentro picado numa tigela. Tempere com sal, pimenta calabresa e cominho a gosto e misture bem para formar uma bola homogênea. Achate delicadamente até ficar em formato de hambúrguer. Coloque numa forma refratária antiaderente regada com um fio de azeite.
Leve para assar em forno pré-aquecido a 200˚C por 20 minutos ou até atingir o ponto desejado. Sirva com a cebola roxa em conserva por cima.

Para quem está acostumado a comer os hambúrgueres dos restaurantes certamente vai achar o tamanho deste feito em casa bem pequeno. Mas repito: a quantidade da versão caseira é a mais indicada para manter uma alimentação balanceada sem exageros.

O fato desta receita usar apenas carne e dispensar o ovo e o pão torrado na preparação também influencia no tamanho final da porção. Ou seja, ele pode até parecer menor, mas a carne está bem mais concentrada o que faz do hambúrguer mais consistente. Isso sem contar com o sabor que, aliado ao coentro e ao cominho, ficou absolutamente divino!

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para facilitar

Não é de hoje que comento o quanto os refogados orientais são pratos práticos e rápidos para um dia corrido. Seja no almoço ou jantar, estes salteados básicos preparados na frigideira grande e funda, típica asiática, a wok, ainda ajudam a acrescentar legumes e verduras na nossa alimentação.

Por serem super fáceis e fazer e usarem praticamente nada de gordura na preparação, estes pratos são perfeitos para consumir no dia a dia. Aqui a única ressalva que vale fazer é quanto ao uso do shoyu. Como este molho japonês é bastante salgado, não é preciso salgar mais nada os ingredientes. Além disso, aconselho usar a versão light que contem bem menos sódio que a tradicional.

Refogado de frango com brócolis

Refogado de frango com brócolis

1 peito de frango em cubos
100 g de floretes de brócolis
50 g de cebola roxa cortada em quadrados médios
1 dente de alho amassado
azeite, shoyu e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela wok em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue o alho até ficar aromático. Junte o frango cortado em cubinhos e mexa até começar a cozinhar. Acrescente a cebola e os floretes de brócolis e refogue até amaciarem bem.
Vá adicionando o shoyu a gosto enquanto refoga para temperar e evitar que os ingredientes grudem na panela. Por fim, salpique pimenta calabresa a gosto. Sirva com arroz integral e uma salada.

Por ser uma receita básica, estes salteados admitem inúmeras variações de ingredientes e sabores. Alguns outros que já publiquei aqui, como o salteado simples de carne com vegetais e o frango com castanha à moda tailandesa, são apenas mais algumas sugestões para deixar seu jantar mais saboroso e práticos nessas noites corridas de segunda-feira.

Para a receita de hoje apenas juntei o que tinha na geladeira. Alias, o brócolis que usei ainda era da versão congelada comprada pré-pronta, só para facilitar ainda mais minha vida. Caso prefira usar os legumes frescos, siga como mencionei anteriormente na receita. Mas se for usar a versão congelada, vale dar um choque térmico no brócolis em água fervendo para depois mergulhar na água gelada. Assim ele estará pronto para ser refogado junto com os demais ingredientes.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Delícias rápidas

Estou sempre procurando soluções rápidas e práticas para facilitar a minha vida na cozinha. Não que não goste de preparar refeições mais elaborada, com carinho e horas de dedicação para que fique tudo perfeito. Mas isso é só quando tenho mais tempo para me dedicar à arte da culinária. No dia a dia é praticidade na veia.

Desde que descobri os legumes cozidos no vapor e embalados à vácuo me apaixonei. Fato, eles acabam saindo um pouco mais caros do que comprá-los frescos para cozinhar em casa. Mas às vezes a facilidade que eles nos proporcionam compensa totalmente.

Sopa de mandioquinha com cebolinha verde

Sopa de mandioquinha com cebolinha verde

200 g de mandioquinha cozida no vapor
300 ml de caldo de legumes
1/2 cebola roxa picada
4 ou 5 talos de cebolinha picados
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Corte a mandioquinha em pedaços bem pequenos. Junte com a cebola e o caldo de legumes num multiprocessador ou
liquidificador e bata até ficar bem liso e homogêneo. Acrescente mais água a gosto até atingir a consistência desejada.
Leve para ferver numa panela antiaderente e tempere com sal e pimenta a gosto. Cozinhe por 5 a 10 minutos até ficar bem quente. Na hora de servir, decore com a cebolinha picada por cima. Saboreie acompanhado de torradinhas e um filé de peixe grelhado.

Há certas sopas que precisam ficar curtindo nelas mesmas por horas para que fiquem com o sabor perfeito. Uma que publiquei aqui uns tempos atrás, a de cevadinha com carne, certamente se encaixa nessa categoria. Quanto mais tempo ela for preparada com antecedência e mais tempo ficar curtindo na panela antes de comer, mais deliciosa fica.

Mas o bom desta de hoje é que a sopa já fica deliciosa apenas com 10 minutos de preparo. Como a mandioquinha comprada pronta cozida no vapor não é temperada com nada vale prestar muita atenção na hora de acrescentar os temperos que quiser. Aproveite para usar a imaginação e combinar seus sabores preferidos. Com certeza uma pitada de noz moscada também deve ficar uma delícia.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para facilitar a vida

Seguindo no mesmo ritmo de ontem, a opção e dica que trago para vocês hoje é de uma salada reforçada que fica pronta em 5 minutos. Feita quase exclusivamente de ingredientes que podemos ter guardados na despensa, ela é perfeita para levar como almoço de trabalho já que despensa refrigeração se for preparada de manhã para ser consumida no meio do dia.

Fiz esta receita num dia super corrido em que precisei comer a primeira coisa que vi pela frente. Como tinha estes ingredientes em casa, acabei criando esta mistura e ficou uma delícia. Dito isso, você também pode criar outras combinações dependendo do que já tiver em casa. A intenção aqui é facilitar a vida ao máximo e não complicar tendo que comprar ingredientes específicos.

Salada de beterraba com feijão verde

Salada de beterraba com feijão verde

80 g de beterraba em cubos cozida no vapor
80 g de feijão verde em conserva
50 g de cebola roxa picada
50 g de pimentão vermelho picado
sal, pimenta, azeite e cebolinha a gosto

Modo de preparo:
Abra a embalagem de beterraba em cubos cozida no vapor e separe a porção desejada. Faça o mesmo com o feijão verde em conserva. Pique a cebola e o pimentão verde e junte todos os ingredientes numa tigela para que fique bem misturado. Tempere com sal, pimenta, azeite e cebolinha picada a gosto.

Desde que conheci esses pacotes de verduras cozidas no vapor e embaladas à vácuo fiquei encantada. Já provei vários, entre ervilha, beterraba, batata e até frango desfiado. Todos são gostosos e super saudáveis, já que não contêm conservantes nem utilizam óleo no preparo. Basta ajustar o tempero com sal e pimenta a gosto que formam uma refeição rápida e deliciosa.

E para completar esta salada de hoje, experimente levar junto uma latinha de sardinha ou atum conservado em água. Além de acrescentar uma boa fonte de proteína, indispensável para ter uma refeição completa, é super prático pois também dispensa refrigeração e pode ser guardado em estoque na despensa. Assim, na hora de sair para o trabalho naquela correria básica de toda manhã, é só pegar uma latinha e a salada já pronta.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Novos patamares de sabor

Depois que entrei na onda de comer peixe cru e outras delícia da culinária japonesa começou a me dar vontade de experimentar outras iguarias geralmente preparadas sem cozimento. Já tinha provado o ceviche peruano e o kibe cru árabe e me apaixonado. Então, pensei que havia chegado a hora de navegar pelas ondas francesas e testar o famoso steak tartare.

À primeira vista confesso que este prato não parece lá muito apetitoso. A carne utilizada não chega a ser moída, como no caso do kibe cru, e ainda é misturada com gema de ovo crua e molho inglês para dar sabor. Pode parecer uma mistura extremamente bizarra de ingredientes, mas não é que no final da certo? Testado e aprovado!

Steak tartare

Steak tartare

100 g de filé mignon
1/2 gema de ovo
1 col. de chá de alcaparra picada
50 g cebola roxa bem picada
1 col. de chá de molho inglês
1 col. de chá de mostarda Dijon
1 col. de chá de vinagre balsâmico
1 col. de chá de azeite
salsinha, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Pique bem a carne com a ponta da faca até que fique praticamente moída à mão. Numa tigela, misture a carne com os demais ingredientes e tempere com salsinha, sal e pimenta a gosto. Prove e adéque os temperos como preferir. Sirva acompanhado das clássicas batatas chips, de preferências assadas na hora em casa.

Todos já devem saber mas não custa nada repetir: é preciso ter muito cuidado ao consumir produtos como carnes e ovos crus. Certifique-se que seu açougueiro é de confiança e exija sempre a carne mais fresca do dia. O mesmo vale para os ovos. Não utilize aqueles guardados há algum tempo na geladeira, dê preferência para os mais frescos que tiver.

Não vou mentir, o sabor é bem diferente e requer um pouco de tempo para acostumar-se. Mas depois de relaxar e abstrair o que realmente há no prato é possível perceber a complexidade dos sabores presentes. Para manter a refeição saudável, não opte pelas batatas fritas servidas geralmente de acompanhamento. Espere que amanhã ensino como fiz chips de batata doce que comi junto do steak tartare e que ficaram absolutamente divinas!

Por hoje é só.

Bon appetit!

As deliciosas leguminosas

Para muitos brasileiros a ideia de não comer arroz e feijão diariamente no almoço parece loucura. Essa combinação, uma das mais saudáveis possíveis segundo inúmeros nutricionistas e médicos, já faz parte da rotina e tradição brasileira. Com isso, conseguimos ter em nossa alimentação a quantidade perfeita de leguminosas, tão essenciais para nossa saúde.

Entretanto, neste ponto eu não sou brasileira mesmo. Gosto do clássico arroz com feijão, mas confesso que não é dos meus pratos preferidos e certamente não está presente todos os dias na minha alimentação. Por isso, tive que encontrar outras maneiras de comer vegetais leguminosos e esta receita de hoje é a solução perfeita.

Ensopado de lentilha com edamame

Ensopado de lentilha com edamame

1/2 caixa de lentilha em conserva
100 g de edamame congelado
1/2 cebola roxa picada
1 dente de alho amassado
1/2 lata de tomate pelado
suco de 1 limão
azeite, salsinha, hortelã, cominho, canela, sal e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Escorra a lentilha e passe por água corrente por alguns minutos para retirar o excesso de sal da conserva. Reserve numa tigela. Enquanto isso, ferva 300 ml de água e leve o edamame congelado para cozinhar assim que começar a ferver. Deixe por 2 minutos, escorra a água e passe por água gelada para parar o cozimento. Junte à lentilha reservada.
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola picada e o alho amassado até ficarem aromáticos. Junte 1/2 lata de tomate pelado junto com o caldo e mexa bem para quebrar todos os pedaços de tomate que tiver. Deixe ferver, abaixe o fogo e acrescente a lentilha e o edamame reservado. Tempere com salsinha, hortelã, cominho, canela, sal e pimenta calabresa a gosto para que fique saboroso. Cozinhe mantendo uma leve fervura por mais 2 ou 3 minutos. Sirva com torradinhas integrais.

Na receita original havia sugestões de quantidades de cada tempero para acrescentar na hora do preparo. Entretanto, prefiro deixar “a gosto” pois entendo que cada pessoa tem paladares diferentes. E certamente a melhor parte de cozinhar é conseguir adequar a receita ao nosso gosto pessoal.

Entretanto, vale ir provando à medida que são adicionados os temperos. No meu caso, coloquei 1 col. de sopa cada de salsinha e hortelã picadas e 1 col. de chá de cominho e canela em pó. O sal e a pimenta calabresa foi de olho. No fim a combinação de temperos trouxe uma delicadeza e complexidade deliciosa ao prato. Não deixa de ser uma refeição perfeita para uma noite fresca de outono.

Por hoje é só.

Bon appetit!