Sabendo escolher os acompanhamentos

Continuando com a semana de receitas para aquele cardápio de jantar especial, nada melhor do que um acompanhamento simples mas incrementado ao mesmo tempo para casar perfeitamente com o lombinho de porco que sugeri post anterior. E como a primeira receita não foi exatamente o que podemos considerar “saudável”, vale investir num segundo prato um pouco mais preocupado com a alimentação balanceada.

Pensando nisso, resolvi preparar um risoto diferente. Aqui uso o termo “risoto” abertamente, no sentido de significar “arroz incrementado” e não necessariamente da maneira como estamos acostumados a pensar um risoto: arroz arbóreo típico italiano bastante cremoso e com molho de queijo. Modéstia à parte, todos meus risotos são deliciosos, mas este senti que teve um gostinho especial.

Risoto de arroz selvagem com aspargo verde

Risoto de arroz selvagem com aspargo verde

200 g de arroz selvagem
200 g de aspargo verde fresco
120 ml de vinho branco
1/2 cebola picada
2 dentes de alho amassados
azeite e sal a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho até ficarem aromáticos. Acrescente o arroz e tempere com sal a gosto. Refogue mais um pouco para que o arroz solte o aroma natural que tem. Despeje o vinho branco e deixe evaporar quase todo mexendo de vez em quando.
Acrescente a quantidade de água indicada na embalagem para cozinhar o arroz e deixe o tempo indicado mantendo uma leve fervura em fogo baixo. Quando faltar 5 minutos para o arroz ficar pronto, junte o aspargo lavado e cortado em pedaços pequenos. Deixe secar toda a água até que o arroz esteja totalmente cozido e sirva a seguir.

Rende de 4 a 6 porções.

Um dos fatores que deixou este prato especial foi que fui inventando a receita na hora que estava preparando. Apesar de não ser um risoto clássico pensei que nada impedia de começar com o mesmo passo que uso quando estou fazendo a receita italiana, refogar o arroz no vinho branco. Nem preciso dizer que fez toda a diferença.

O arroz selvagem é uma ótima alternativa de grão integral para incluirmos na nossa dieta semanal. Além de ter muito mais fibras que o arroz integral comum, ele possui um sabor característico que deixa qualquer refeição mais saborosa e especial. A combinação que fiz com o aspargo ainda garantiu um verdinho tão importante no resultado final. E claro, ficou divino!

Por hoje é só.

Bom appetit!

Anúncios

Para os momentos em que falta inspiração

Nada como ter na geladeira alguns ovos para momentos de falta de inspiração na cozinha. Super versáteis, os ovos são ótimas fontes de proteína e já foi comprovado que comer uma quantidade moderada pode até ajudar a controlar o nível de colesterol no sangue, ao contrário do que era acreditado antes.

São tantas receitas possíveis que usam ovos como ingrediente base que mal dá para escolher só uma. Gosto de variar bastante e incluir outros ingredientes nas misturas para fazer combinações diferentes e inusitadas. Desta vez fiquei no básico e usei apenas opções vegetarianas. Mas acrescentar fatias de peito de peru ou salsichas de peru light também teria feito minha fritada ficar sensacional.

Fritada de funghi secchi com brócolis

Fritada de funghi secchi com brócolis

1 ovo
2 claras
20 g de funghi secchi
100 g de brócolis
1 polenguinho
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Esquente 200 ml de água e tire logo antes de ferver. Deixe o funghi secchi de molho por pelo menos 20 minutos na água quente para amolecer bem. Escorra e corte em pedaços pequenos.
Arrume os cogumelos e o brócolis cortado em floretes numa forma refratária antiaderente untada com um fio de azeite. Corte o polenguinho em cubos pequenos e coloque por cima.
Junte o ovo e as claras numa tigela e bata bem com um garfo até ficar homogêneo. Tempere com sal e pimenta a gosto. Derrame a mistura de ovos por cima do restante dos ingredientes na travessa. Leve para assar em forno pré-aquecido em 220˚C por 45 a 50 minutos ou até ficar completamente cozido. Sirva com uma salada especial.

Apesar de levar um bom tempo assando no forno, este prato é bastante simples de fazer e funciona super bem como um jantarzinho leve numa sexta-feira à noite antes de sair para a balada. Comendo uma refeição assim você consegue chegar sem estar desfalecendo de fome no bar ou na boate e dará conta de aproveitar a noite inteira sem extravagâncias.

Adoro fazer fritadas e outras receitas que levam ovos. Alias, esta salada de ovo com peito de peru defumado, que compartilhei com vocês alguns meses atrás, ainda é uma das minhas receitas preferidas de todas que já provei pro blog. Sempre que estou sem imaginação para fazer coisas novas volto para ela e me delicio mais uma vez.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Um arco-íris saudável

Está cansado da saladinha simples de alface e tomate que sempre servem nos restaurantes ou nos quilos da vida? Eu sempre procuro variar o máximo possível minha alimentação. Mas isso inclui também a salada que acompanha e não apenas o prato principal escolhido do dia.

Tem dias que vou ao supermercado só pensando nos ingredientes específicos que quero usar na minha próxima salada. Mas como nem sempre tenho tempo para fazer isso, geralmente tenho guardado no freezer alguns vegetais básicos que deixam qualquer salada mais completa ou simplesmente deliciosa.

Salada colorida

Salada colorida

50 g de cebola roxa
50 g de edamame congelado
70 g de milho congelado
50 g de tomate cereja
sal, azeite, suco de limão e vinagre a gosto

Modo de preparo:
Ferva 500 ml de água e dê um choque térmico no edamame e no milho congelados. Escalde-os na água fervente por 2 minutos e em seguida coloque numa bacia com água e gelo. Escorra e coloque numa tigela. Reserve.
Corte a cebola em cubinhos pequenos e o tomate cereja em quatro pedaços cada. Junte ao edamame e ao milho na tigela e misture bem. Tempere com sal, azeite, suco de limão e vinagre a gosto. Sirva a seguir.

Esta foi uma saladinha um pouco mais incrementada que inventei um dia desses porque queria algo à mais do que a tradicional alface com tomate para acompanhar meu jantar. Resolvi pegar ingredientes básicos que já tinha em casa e fazer algo bem bonito investindo na diversidade das cores.

Alias, isso é algo que as pessoas costumam esquecer. A primeira sensação que temos com a comida é a visual. A aparência do prato feito antes de comer é tão ou mais importante quanto o sabor em si. Não há nada menos apetitoso do que algo que parece feio ou estragado. Invista no arco-íris das cores ao montar sua próxima salada. Além de bonita você vai estar garantindo um maior número de vitaminas e nutrientes tão importantes para a saúde.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Incrementando o básico

São inúmeras as pesquisas que mostram os benefícios para a saúde de incluir a soja na alimentação diária. Além de ser uma ótima fonte de fibras e antioxidantes, a soja também contem altos níveis de proteína o que faz dela uma excelente inclusão diária na alimentação dos vegetarianos.

Comecei a apaixonar-me pela soja apenas recentemente. Depois que descobri também o edamame, a soja verde tipicamente consumida na gastronomia japonesa, vi o quanto esta leguminosa pode ser super saborosa. Há quem prefira consumir a soja quente como substituta do feijão na combinação clássica com o arroz. Eu particularmente prefiro ela assim: numa deliciosa salada.

Salada colorida de duas sojas

Salada colorida de duas sojas

mix de folhas verdes
50 g de edamame congelado
80 g de soja em conserva
50 g de cogumelo paris fatiado
50 g de tomate cereja
azeite a gosto

Modo de preparo:
Ferva 300 ml de água e escalde o edamame congelado por 2 minutos. Passe por água corrente e deixe escorrendo. Retire a soja cozida em conserva e deixe cair água corrente por cima para lavá-la e retirar bem o excesso de sal.
Na hora de montar a salada, arrume o mix de folhas verdes num prato a gosto. Por cima, coloque o edamame escorrido e a soja em conserva lavada. Decore com o tomatinho cereja e os cogumelos fatiados. Regue com azeite a gosto e sirva a seguir.

Apesar de todos sabermos a importância de incluir folhas verdes e salada crua na nossa alimentação diária, muitas pessoas tem preguiça de começar seu almoço ou jantar com uma singela saladinha. O problema é que eles pensam que saladinha precisa ser só alface e tomate.

Eu adoro começar minhas refeições com uma bela salada. Mas eu também faço questão de deixá-las deliciosas e fujo sempre da simplicidade da alface americana com o tomate em rodelas. Quando consigo incluir feijões na salada penso que ficam mais deliciosas ainda. Aproveite esta e outras dicas de saladas deliciosas que já publiquei aqui e monte você também sua próxima “singela saladinha”.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sequinhas e crocantes

Como comentei no post de ontem, o melhor acompanhamento para o clássico steak tartare são batatas chips assadas. Isso para quem não quiser enfrentar as verdadeiras batatas fritas que geralmente seguem junto do prato nos restaurantes típicos franceses. Não vejo muita vantagem em comer as batatas fritas sendo que estas ficam tão deliciosas quanto, mas cada um, cada um, né?

Já publiquei uma outra receita de batata chips assadas aqui no blog uns tempos atrás. Esta não é lá muito diferente, mas como usa a batata doce ao invés da batata inglesa comum o sabor fica outro e trás à refeição um toque especial. Quem quiser também pode salpicar um pouco de salsinha picada fresca por cima das batatas chips. Como não tinha em casa, fiz sem mesmo.

Chips de batata doce

Chips de batata doce

150 g de batata doce
azeite e sal a gosto

Modo de preparo:
Lave bem a batata e escove para tirar toda a sujeira e terra. Corte bem fininha, mantendo a casca, com o auxílio de um fatiador e legumes. Tempere com sal a gosto e regue com um fio de azeite.
Leve para assar em forno pré-aquecido em 230˚C por 30 minutos ou até que fiquem bem secas e crocantes. Vire as fatias da batata na metade do tempo para assar de maneira uniforme.

Para que as batatas fiquem bem sequinhas elas precisar ser cortadas o mais fino possível. O bom é utilizar um mandolin, espécie de cortador de legumes japonês que fatia vegetais bem fininhos. Eu, como não tinha um, fui na faca mesmo. Com isso, minhas fatias não ficaram de espessuras iguais e algumas não conseguiram ficar tão crocantes assim. Mas o sabor ficou delicioso do mesmo jeito.

Eu sempre indico nas receitas para temperar com sal a gosto pois acredito que cada um sabe a quantidade que agrada. Neste caso, vale ressaltar para colocarem um pouco mais do que seria o normal para vocês. Isso porque o sal ajuda a retirar a água da batata na hora que ela está assando. Desta forma, elas conseguem ficar mais sequinhas e crocantes quando estão no forno.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Buscando sabores novos

Quando pensamos em saladas muitas pessoas pensam em coisas sem graça, só com alface e tomate, certo? Entretanto, o mundo das saladas é incrivelmente diverso e pode trazer uma combinação de ingredientes inusitados e deliciosos. Adoro fazer saladinhas para acompanhar um sanduíche natural quando janto na faculdade. Por isso, estou sempre procurando receitas novas e interessantes.

Já compartilhei várias dicas super saborosas aqui no blog. A de beterraba com espinafre e feijão branco é uma das minhas preferidas, mas tem também opções mais simples como a de grão de bico ou a de soja. E para deixar sua salada ainda mais gostosa, tenho também algumas sugestões de molhos deliciosos.

Salada de escarola, milho e feijão branco

Salada de escarola, milho e feijão branco

10 folhas de escarola
100 g de vagem
50 g de milho
125 g de feijão branco em conserva
azeite, vinagre de vinho branco, salsinha e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:
Abra a lata de feijão branco em conserva e escorra o líquido que vem dentro. Lave bem o feijão em água corrente para tirar o excesso de sal. Reserve numa tigela.
Cozinhe a vagem em água fervente por 2 ou 3 minutos até ficar al dente. Escorra e transfira para um banho de água fria com gelo para parar o cozimento e ficar crocante. Junte o milho e a vagem na tigela com o feijão branco reservado. Mexa bem para misturar tudo.
Aqueça uma frigideira antiaderente e regue com um fio de azeite. Corte as folhas de escarola em tiras e leve à frigideira para refogar. Mexa por alguns minutos até murchar bem. Acrescente a escarola refogada aos outros ingredientes e tempere com azeite, vinagre, salsinha e pimenta do reino a gosto. Sirva de acompanhamento no seu jantar.

Como esta receita inclui refogar as folhas de escarola o legal é comê-la assim que ficar pronta para poder saborear tudo com uma temperatura levemente aquecida. Entretanto, nada impede que você prepare esta salada para levar de almoço ou jantar no seu trabalho. Nesse caso, não esqueça de deixar esfriar completamente antes de tampar o pote para não criar gotinhas de umidade.

Adorei esta nova salada que encontrei. A combinação suave das folhas de escarola refogadas casou perfeitamente com o leve sabor adocicado do feijão branco e do milho. Além disse, a vagem crocante deu mais uma dimensão de textura ao produto final.

Por hoje é só.

Bon appetit!

O primeiro passo

Quem disse que precisamos de receitas mirabolantes para fazer uma comidinha gostosa e aconchegante no nosso dia a dia? Tem vezes que o que mais me deixa feliz é abrir a geladeira e brincar de juntar ingredientes para fazer algo simples, rápido e delicioso.

Foi justamente isso que aconteceu quando “criei” a receita da minha dica de hoje. Sempre começo minhas refeições com uma saladinha básica mas desta vez queria algo um pouco a mais do que apenas folhas verdes com um tomatinho aqui ou ali. Foi então que tive a ideia de usar uma porção de feijão fradinho que tinha sobrado na geladeira. Ficou uma delícia.

Salada simples colorida de feijão fradinho

Salada simples colorida de feijão fradinho

Mix de folhas (alface crespa, escarola, radicchio)
50 g de tomate cereja
3 col. de sopa de feijão fradinho cozido
sal, pimenta e azeite a gosto

Modo de preparo:
Arrume as folhas num prato. Coloque o feijão fradinho no centro das folhas e arrume os tomates cereja em volta. Tempere com sal, pimenta e azeite a gosto. Sirva de entrada do seu almoço ou jantar.

Eu gosto de temperar minhas saladas apenas com um fio de azeite. Mas para quem gosta de algo um pouco mais elaborado e gostoso há inúmeras opções de molhos caseiros deliciosos que você pode provar. Neste post inclui duas receitas que testei e achei fantásticas.

A dica importante que posso dar é para fugir dos molhos e temperos industrializados já que eles contêm quantidades muito altas de sódio e conservantes nada saudável para nossa saúde. Como tudo no mundo da culinária, quanto mais simples e mais caseira a preparação, melhor e mais gostosa ela fica.

Por hoje é só.

Bon appetit!