Superando desafios

Hoje começo já confessando uma coisa. Nunca fui muito fã de nhoque. Sim, eu sei, é super clássico, um prato extremamente adorado na Itália e parte das refeições mais tradicionais do País. Aqui em São Paulo tem até o tal do dia do Nhoque, no qual todo dia 29 do mês é dia de comer nhoque para ter muita fortuna nas semanas seguintes.

Meu problema com esse coitado era que sempre achei pesado demais, com muito gosto de batata e nada que me lembrasse uma massa ou macarrão saboroso. Isso até que conheci esta receita que trago para vocês hoje. Não só foi a minha primeira vez fazendo nhoque caseiro (cuja experiência foi super bem sucedida) mas também descobri finalmente uma receita deliciosa e do meu agrado.

Nhoque de mandioquinha com ricota ao sugo e brócolis

Nhoque de mandioquinha com ricota ao sugo e brócolis

200 g de mandioquinha cozida, bem macia
1 gema
5 col. de sopa de farinha de trigo
100 g de ricota
sal a gosto

molho
1/2 lata de tomate pelado
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
100 g de brócolis em floretes
azeite, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Comece cozinhando a mandioquinha em água salgada até ficar bem macia. Deixe esfriar um pouco e junte a mandioquinha com a gema, a farinha e a ricota esfarelada numa tigela. Misture bem com as mãos até formar uma bola homogênea. Se precisar polvilhe com mais um pouco de farinha.
Transfira a massa para uma superfície enfarinhada e divida em quatro partes. Forme tiras longas e finas com cada parte de modo que fiquem como cobrinhas. Corte cada tirinha em pedaços pequenos de aproximadamente 1 centímetro de largura. Repita com o restante da massa.
Ferva 1 L de água e cozinhe o nhoque em porções por 5 minutos ou até que os pedaços subam até a superfície. Escorra e reserve. Repita até terminar tudo.
Para fazer o molho, refogue a cebola e o alho em um fio de azeite até ficarem aromáticos. Despeje metade da lata de tomate e o brócolis. Cozinhe em fogo médio por 5 a 7 minutos ou até ferver bem e reduzir um pouco. Sirva o nhoque regado com o molho de tomate e brócolis.

Não sei se foi o fato de ter ricota ou se realmente prefiro a mandioquinha por achá-la mais leve que a batata inglesa normal, mas esta receita de nhoque ficou absolutamente deliciosa. O melhor é que ele não me deu a sensação pesada que geralmente sentia quando comia nhoque antes.

Resolvi fazer este molho de tomate com brócolis mais suave para acompanhar o nhoque, mas você pode preparar qualquer molho de sua preferência. O mais clássico, e que cai super bem com esta versão, é o de carne moída, ou tradicional bolonhesa. Mas como sou adepta da inovação, aproveite para usar a imaginação e criar receitas diferentes. Que tipo de molho você escolheria para este prato?

Por hoje é só.

Bon appetit!

Quentinho e gostoso

Julho está logo alí e esse clima friozinho pede uma deliciosa sopa para esquentar o corpo e a alma. Claro que existem as soluções super práticas de sopas de saquinhos que basta ferver a água e está pronta sua janta. Mas neste caso, para mim, não há nada melhor do que preparar uma versão bem caseira cheia de legumes e verduras gostosas.

Dito isso, como vocês sabem, também sou adepta da praticidade na cozinha. Certas preparações compensam picar cada vegetal separadamente e cozinhá-los aos poucos. Neste caso não há o menor problema em usar aquelas combinações de legumes já cortados e congelados. Facilita muito a vida e a sopa fica tão gostosa quanto.

Minestrone à jardineira

Minestrone à jardineira

50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
70 g de espinafre congelado
100 g de mix de legumes congelados
50 g de penne integral
1/2 lata de tomate pelado
350 ml de caldo de frango
azeite, orégano, sal, pimenta a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho até ficarem aromáticos. Acrescente o mix de legumes congelados e mexa levemente para começar a separar os pedaços.
Despeje metade de uma lata de tomate pelado junto com o caldo e quebre os tomates em pedaços. Mexa bem até começar a ferver. Junte o caldo de frango, deixe ferver novamente, abaixe o fogo e cozinhe mantendo uma leve fervura por 10 a 15 minutos.
Acrescente o macarrão para começar a cozinhar. Após 5 minutos junte o espinafre congelado. Deixe cozinhar mais alguns minutos até que a massa esteja no ponto desejado. Tempere com orégano, sal e pimenta a gosto e sirva com torradinhas.

Adorei esta versão prática e rápida da clássica minestrone italiana. O bom desta sopa é que ela funciona perfeitamente bem como uma refeição completa e é uma ótima opção para uma noite vegetariana no meio da semana. Por outro lado, caso queira acrescentar cubos de carne para deixá-la ainda mais completa a combinação fica perfeita.

Há quem seja contra usar esses pacotes de legumes congelados na comida. Realmente em certos pratos não há nada melhor do que comprar as versões mais fresquinhas da feira. Neste caso, preparar uma sopinha numa noite preguiçosa de inverno pede a facilidade dos pré-prontos. Aproveite o tempo extra que não vai ser usado na cozinha para aconchegar-se no sofá com a pessoa amada e assistir a um bom filme.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Simplicidade express

Acho que estou precisando encontrar novos livros de receita. Chega uma hora que não há mais tantas receitas novas para provar e testar para compartilhar com vocês. Ao mesmo tempo, essa aparente falta de novidade também me dá a oportunidade de fazer criações inusitadas.

No final das contas há uma vantagem. Posso comprovar mais ainda o quanto é fácil fazer uma refeição completa, simples e saudável sem muita sofisticação ou necessidade de ingredientes mirabolantes. A sugestão que trago hoje foi uma adaptação de outra receita que encontrei por aí. Super simples, ficou uma delícia e merece ser provada.

Tilápia com relish de milho verde

Tilápia com relish de milho verde

1 filé de tilápia
100 g de milho em conserva
1 tomate italiano médio
suco de 1 limão
sal, pimenta e coentro a gosto

Modo de preparo:
Aqueça o forno em 220˚C. Tempere o filé de tilápia com sal a gosto e leve para assar numa forma refratária antiaderente regada com um fio de azeite por 15 minutos.
Enquanto isso, corte o tomate em cubinhos e descarte as sementes. Junte o milho verde e regue com o suco de limão. Tempere com pimenta a gosto e misture bem para incorporar todos os ingredientes.
Tire o filé de tilápia do forno e despeje o relish de tomate com milho por cima. Retorne ao forno e deixe assando por mais 7 a 10 minutos ou até que o peixe fique no ponto desejado. Sirva salpicado com as folhas de coentro a gosto e acompanhado de arroz selvagem e salada verde.

Absurdamente fácil de fazer, este prato fica pronto em 25 minutos. Apesar de simples, é bem gostoso pela combinação de sabores provenientes do suco de limão e do coentro. Além disso, o prato é super saudável e refrescante, nada melhor para um almoço de semana despretensioso e familiar.

Gosto de juntar legumes e verduras diversos para fazer molhos ou salsas diferentes para carnes e peixes. Desta forma, além de deixar um simples filé de tilápia sem graça mais interessante, consigo incluir esses alimentos tão saudáveis de uma maneira divertida na minha alimentação.

Por hoje é só.

Bom appetit!

Uma releitura dos clássicos

Ratatouille é um prato típico da cozinha francesa. Feito com uma variedade de vegetais cozidos numa panela funda, ele fica perfeito como acompanhamento para todo tipo de carne ou prato principal de um sofisticado almoço ou jantar. Fácil de fazer, o ratatouille é tão conhecido que virou até nome de um filme de desenho animado bastante premiado.

A dica que trago hoje não é a receita do típico ratatouille mas usando os mesmos ingredientes da base podemos fazer adaptações para transformar outros pratos em combinações deliciosas. Para os puristas esta receita pode parecer um sacrilégio, mas para mim ficou uma delícia e conseguiu manter a essência do delicioso ratatouille.

Ratatouille de frango grelhado

Ratatouille de frango grelhado

1 peito de frango
100 g de abobrinha
100 g de berinjela
100 g de tomate
50 g de cebola
100 g de pimentão verde
1 col. de sobremesa de azeite
1 col. de sobremesa de vinagre balsâmico
sal, pimenta, manjericão e manjerona a gosto

Modo de preparo:
Pré-aqueça uma grelha elétrica em temperatura alta. Numa tigela, misture o azeite, o vinagre balsâmico e as ervas picadas até ficarem bem homogêneas. Tempere com sal e pimenta a gosto. Corte os vegetais em rodelas médias e unte generosamente com a mistura de temperos até cobrir tudo. Derrame o restante do molho por cima do frango para temperar por completo.
Posicione primeiro o peito de frango na grelha e deixe cozinhar por 10 minutos virando de vez em quando. Depois, coloque o pimentão e a abobrinha na grelha. Grelhe de 5 a 7 minutos virando de vez em quando até ficarem macios. Acrescente a berinjela e a cebola e grelhe por 5 minutos. Por fim, coloque o tomate e deixe apenas 2 ou 3 minutos.
Sirva em seguida acompanhado de arroz selvagem.

O bom desta receita é a simplicidade e rapidez com que fica pronta. Perfeito para um dia quente de verão, nada impede que seja feito também em dias frios ou chuvosos como os que temos tido nas últimas semanas. Outra vantagem deste prato é que inclui uma variedade deliciosa de vegetais super saudáveis e indispensáveis para nossa alimentação.

Os ingredientes clássicos do ratatouille são a cebola, a berinjela e a abobrinha. Entretanto, o acréscimo do tomate e do pimentão ajuda a completar a miscelânea de cores do prato. Você também pode escolher outros caso prefira, como a cenoura, batata ou mandioquinha. O importante é ter a maior variedade possível.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Refeições ecléticas

Quantas vezes você já deixou de almoçar ou comeu qualquer besteira no trabalho por mera falta de tempo? Geralmente temos a impressão de que precisamos de horas a fim para preparar algo saudável e gostoso para comer. Entretanto, é possível fazer uma bela refeição sem gastar muito tempo ou dinheiro, basta fazer alguns simples planejamentos.

Num dia em que quiser jantar um delicioso prato de massa ao molho de tomate, aproveite para preparar esta receita. Digo isso porque ela se transforma numa fantástica salada de macarrão que pode ser levada para almoçar no dia seguinte no trabalho. Além de ser divinamente saborosa, ela é super fácil de fazer e demora menos de 30 minutos para ficar pronta.

Salada de macarrão com berinjela

Salada de macarrão com berinjela

50 g de penne integral
100 g de berinjela
100 g de tomate cereja
1 col. de sopa de extrato de tomate
1 col. de sopa de alcaparras
15 ml de vinagre de vinho branco
30 ml de água
azeite, sal, pimenta e manjericão a gosto

Modo de preparo:
Ferva uma panela de água e cozinhe o macarrão de acordo com as instruções da embalagem até que fique al dente. Escorra e regue com um fio de azeite para não grudar. Reserve.
Enquanto a massa cozinha, aqueça uma outra panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Coloque a berinjela cortada em cubos e refogue por alguns minutos para começar a cozinhar. Acrescente os tomates cereja inteiros e refogue mais alguns minutos até que comecem a estourar.
Numa tigela, misture o extrato de tomate, o vinagre, a água e tempere com sal e pimenta a gosto. Despeje na panela e deixe ferver. Reduza o fogo e cozinhe a berinjela por mais 5 minutos mantendo uma leve fervura até que murche por completo e o engrosse levemente.
Desligue o fogo, junte as alcaparras e o manjericão a gosto. Mexa bem e por último acrescente o macarrão cozido. Deixe esfriar um pouco ou guarde na geladeira até o momento de servir. Coma acompanhada de um filé de peixe ou frango grelhado.

Chamar este prato de salada vem apenas do fato dela ser comida em temperatura ambiente ou até gelada ao invés de quente. Entretanto, nada impede que você saboreie esta deliciosa refeição como um prato de massa ao molho de tomate com berinjelas normal.

A intenção aqui é mostrar que esta combinação também funciona super bem como um prato gelado o que significa que ele pode ser feito num dia e as sobras transformam-se numa ótima e saborosa opção para o almoço corrido do trabalho no dia seguinte. Além de super fácil, a junção dos tomates com a berinjela e o manjericão e as alcaparras formam um casamento espetacular de sabores.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Brincando de criar

Não acontece sempre, mas ultimamente tenho usado meus “dotes” culinários para adaptar receitas e criar conceitos novos a partir de outras sugestões que encontro por aí. Muito disso vem da vontade de gastar tudo que tenho guardado na geladeira e não desperdiçar tanta comida (como já aconteceu antes). Mas às vezes também acabo mudando alguns ingredientes por achar que outros combinariam mais ou complementariam melhor determinado prato.

Minha pretensão nunca foi me transformar numa chef de cozinha e muito menos criar receitas sensacionais, sou feliz testando e conhecendo o trabalho de outros. Mas era de se esperar que depois de tantos meses nessa brincadeira alguma coisa eu ia aprender, não é?

Camarão à italiana com tomate e berinjela assados

Camarão à italiana com tomate e berinjela assados

1 tomate italiano grande
250 g de berinjela
100 g de camarão fresco
1 dente de alho picado
suco de 1 limão
azeite, sal, pimenta e salsinha a gosto

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno a 230˚C. Corte o tomate em 8 pedaços e a berinjela em rodelas ou cubos médios e arrume numa travessa antiaderente. Tempere com o alho, um fio de azeite, sal e pimenta a gosto. Mexa bem com as mãos para que tudo fique coberto. Leve para assar por aproximadamente 20 minutos ou até que comece a murchar.
Retire a travessa do forno e junte os camarões limpos e descascados. Regue com o suco de limão e salpique salsinha fresca por cima. Retorne ao fogo por apenas 3 minutos para que o camarão termine de cozinhar. Sirva com arroz selvagem e uma saladinha verde para acompanhar.

Essa receita é uma que adaptei bastante da original que encontrei. Tanto que até modifiquei o nome e “inventei” que ela era “à italiana” já que a mistura de berinjela com tomate e azeite para sempre irá remeter à deliciosa culinária italiana na minha cabeça.

Confesso que acabei assando demais o camarão o que o deixou um pouco borrachudo (e branco demais, como podem ver na foto). Entretanto, alguns poucos minutos a menos no forno e teria ficado perfeito, até porque o suco de limão já se encarrega de começar o processo de cozimento dele. De qualquer maneira, o fato de tê-lo assado demais não prejudicou o sabor do prato e a complementação de sabores ficou absolutamente deliciosa.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Os saborosos renegados

Às vezes fico me perguntando, porque será que livros e sites de receitas dão tanto destaque aos pratos principais das refeições e renegam os coitados dos acompanhamentos para um canto sem dar a menor importância a eles? Convenhamos, é bem difícil achar uma boa receita de acompanhamento fácil, gostoso e saudável nos tantos livros de culinária que existem.

Por sorte, passo tanto tempo procurando especificamente opções de acompanhamentos para minhas refeições que acabo encontrando algumas pérolas perdidas por aí. A dica que trago hoje é uma dessas, super fácil de fazer e absolutamente deliciosa. Confiram.

Ragu de grão de bico

Ragu de grão de bico

1/2 caixa de grão de bico em conserva
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
100 g de cenoura em rodelas
100 g de abobrinha em rodelas
2 col. de sopa de extrato de tomate
240 ml de caldo de frango
azeite, sal e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho picados até amaciarem e ficarem aromáticos. Acrescente a cenoura cortada e refogue por mais alguns minutos para começar a cozinhar. Junte o extrato de tomate e mexa bem para incorporar todos os ingredientes. Despeje o caldo de frango, deixe ferver e cozinhe em fogo baixo mantendo uma leve fervura por 5 minutos.
Adicione a abobrinha e continue cozinhando por mais 3 minutos. Por fim, junte o grão de bico escorrido e lavado para retirar o excesso de sal. Tempere com sal e pimenta calabresa a gosto e deixe ferver por mais alguns minutos até o molho reduzir bem e engrossar levemente. Sirva como acompanhamento de um belo filé de salmão grelhado.

Nesta receita vale ressaltar a importância de seguir os passos da maneira certinha. Como a cenoura demora mais tempo para cozinhar e amolecer do que a abobrinha ela precisa ser acrescentada bem antes no processo de cozimento. É importante também deixar para colocar a abobrinha bem no final para que não fique mole demais.

Como sempre, as medidas e quantidades que dou na minha versão da receita são perfeitas para fazer o prato para uma pessoa só comer naquela hora. Entretanto, este prato é tão delicioso que valeria a pena fazer o dobro, usar a caixa inteira de grão de bico e guardar o resto do prato para saborear numa outra hora.

Por hoje é só.

Bon appetit!