Saúde saborosa

Nada melhor do que uma segunda-feira para retomar aquela alimentação balanceada e saudável que deixamos escapar pelo caminho nos finais de semana. E começar com um franguinho cozido é simplesmente sensacional. Isso se ele for feito da maneira correta, claro.

Sim, porque não tem nada pior do que ter que comer peito de frango sem gosto todo dia só para não sair da dieta. Minha missão nesses muitos meses de blog que já acumulei sempre foi mostrar como é possível comer bem e saborear coisas deliciosas sem que elas sejam gordurosas e ultra calóricas. A receita de hoje é mais uma prova que só porque algo é saudável não quer dizer que seja sem graça ou sem gosto.

Frango ensopado com aspargo

Frango ensopado com aspargo

1 peito de frango
150 g de aspargo
1/2 lata de tomate pelado
50 g de cebola roxa picada
1 dente de alho amassado
60 ml de caldo de galinha
30 ml de vinho branco
azeite, sal, pimenta, tomilho e cominho a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com sal e pimenta a gosto. Aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola picada e o alho amassado até ficarem macios e aromáticos. Despeje o vinho e deixe refogar mais um pouco até evaporar completamente.
Junte meia lata de tomate pelado, o caldo de galinha, o tomilho e o cominho em pó a gosto. Deixe ferver e acrescente o peito de frango. Cozinhe por 15 minutos em fogo baixo mantendo uma leve fervura.
Quando estiver quase pronto, junte o aspargo fresco cortado em pedaços médios. Deixe mais 5 minutos até que o aspargo fique al dente. Sirva a seguir.

O melhor desta receita é a sua simplicidade absurda. Ela serve como coringa de qualquer dia ou noite corrida e com falta de inspiração. E apesar de ser super fácil e levar poucos ingredientes, se preparada e apresentada da maneira certa, ela serve perfeitamente para um jantar mais sofisticado.

Isso porque justamente sua simplicidade faz com que combine com qualquer acompanhamento. Se quiser fazer este prato para uma ocasião mais especial, aproveite para investir num risoto de limão siciliano que complementa muito bem o frango com aspargo. A combinação fica completa com uma bela taça de vinho e uma mousse de chocolate no fim.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Anúncios

Rapidez garantida

Tem dias que não sabemos como fazer para incluir legumes e verduras na nossa alimentação sem ter que recorrer àquela velha combinação: carne assada + legumes cozidos no vapor. Certamente esta opção é uma das mais saudáveis e deve mesmo fazer parte da alimentação diária.

Mas quando encontro receitas como esta de hoje que levam esta combinação para outro nível e dão uma pequena adaptada tenho que provar. Nada melhor do que achar opções para variar um pouco as refeições de todos os dias podendo ainda incluir os tão importantes legumes variados que existem.

Linguado envolto em abobrinha

Linguado envolto em abobrinha

2 filés pequenos de linguado
100 g de abobrinha
suco de 1 limão
30 ml de vinho branco
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Tempere o peixe com sal e pimenta a gosto e reserve. Com o auxílio de um fatiador de legumes, corte a abobrinha em tiras finas no sentido longitudinal de modo que fique da grossura da abobrinha inteira.
Com cuidado, posicione um dos filés de linguado por cima de uma das fatias de abobrinha. Enrole e firme com palitos para não abrir. Repita o procedimento com o outro filé e a outra fatia de abobrinha.
Pré-aqueça o forno em 200˚C. Arrume os filés de peixe numa forma refratária antiaderente de maneira que o feixe da abobrinha enrolada fique por baixo para não abrir. Derrame o vinho branco e o suco de limão envolta dos peixes. Leve para assar por 10 minutos ou até atingir o ponto desejado. Sirva com arroz selvagem.

O linguado é um dos peixes mais suaves que existe. Com isso, ele aceita praticamente qualquer acompanhamento no prato. Outra vantagem é que, por ser tão delicado, ele cozinha muito rápido. Às vezes 10 minutos em forno a 200˚C já é demais. Fique de olho e tire o peixe assim que ficar opaco para não ficar mole demais e correr o risco de se desmanchar.

Adorei esta receita por ela ser absurdamente fácil e rápida de preparar. Ao todo gastei 15 minutos entre arrumar os filés e terminar de assá-los. Para facilitar ainda mais a sua vida, aconselho comprar as abobrinhas já fatiadas. Assim elas vem já no formato e tamanho perfeitos para fazer o prato.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Buscando alternativas

Parece que virou moda essa tal de doença celíaca. A triste verdade é que esse problema não é nada novo mas só agora está sendo tratado com a importância devida.  Por muitos anos as pessoas que sofrem por intolerância ao glúten, proteína presente no grão do trigo, eram impedidas de comer delícias como massas, pizzas e pães fresquinhos já que todos estes ingredientes tem como matéria base o trigo e seus derivados.

A notícia boa é que já estão surgindo diversas opções no mercado para reverter o problema. É possível encontrar pães, macarrões, farinhas e muitos outros ingredientes feitos à base de arroz ou quinoa, para citar apenas alguns exemplos. Este delicioso macarrão à base de arroz, que usei como ingrediente da receita de hoje, é uma ótima alternativa.

Fussili cremoso ao funghi secchi com ervilha

Fussili cremoso ao funghi secchi com ervilha

60 g de macarrão de arroz
15 g de funghi secchi
80 g de ervilha em conserva
1 dente de alho amassado
1/2 col. de sopa de farinha de arroz
30 ml de vinho branco
60 ml de caldo do funghi
1 polenguinho
azeite, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Aqueça 200 ml de água e tire logo antes de ferver. Despeje numa tigela e acrescente o funghi secchi para hidratar. Deixe reservado por pelo menos 20 minutos.
Ferva 500 ml de água e cozinhe o macarrão, como qualquer outro, até ficar al dente (aproximadamente 7 minutos). Escorra e reserve. Regue com um fio de azeite para não grudar.
Numa panela antiaderente, refogue o alho amassado com um fio de azeite até ficar aromático. Acrescente o funghi já hidratado e cortado em pedaços pequenos. Mexa para refogar um pouco e aquecer. Despeje o vinho branco e deixe ferver até secar quase todo o líquido.
Dissolva a farinha de arroz em 60 ml do caldo do funghi para tirar qualquer bolinha que formar. Acrescente à panela e mexa constantemente até engrossar. Junte a ervilha e o polenguinho e mexa para formar um molho cremoso. Por fim, despeje o macarrão reservado e mexa bem para incorporar todos os ingredientes. Sirva a seguir.

Como eu não sofro de intolerância ao glúten não tenho como ter certeza se os demais ingredientes desta receita são seguros para os celíacos pois não me preocupei totalmente com isso na hora de preparar. A minha intenção aqui era apenas mostrar que agora estão começando a surgir opções para que eles possam também saborear de mais algumas delícias na cozinha.

No fim esta receita pode ser preparada de maneira convencional com macarrão e farinha feitas de trigo. A combinação dos ingredientes e o molho cremoso que se formou no final ficou uma verdadeira delícia. Por coincidência também preparei este prato totalmente vegetariano. Mas se você quiser colocar um pouco mais de sustância vale acrescentar camarões grelhados por cima na hora de servir. Fica absolutamente sensacional.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Testando novidades

Confesso que fica difícil achar novas receitas para experimentar todos os dias para trazer novidades para o blog. Mas eu adoro esse desafio e acabo encontrando ideias diferentes e curiosas navegando por outros site de culinária que existem na internet.

Certo dia achei uma receita cuja foto me impressionou demais. A combinação e o contraste das cores deixaram o prato com uma cara divinamente apetitosa. Tudo por causa do branquinho delicado de um filé de peixe encoberto por uma linda camada de azeitonas pretas picadas. Tive que experimentar.

Tilápia com crosta de azeitona preta

Tilápia com crosta de azeitona preta

1 filé de tilápia
1 col. de sopa de azeitona preta picada
1/2 col. de sopa de farinha de rosca
10 ml de azeite
1 dente de alho amassado
30 ml de vinho branco
tomilho, manjericão, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno em 180˚C. Tempere a tilápia com sal a gosto e reserve. Numa tigela, junto a azeitona preta picada bem miúda, com o dente de alho amassado, o tomilho e o manjericão picados. Acrescente o azeite, a farinha e a pimenta a gosto e misture bem até formar uma pasta homogênea.
Arrume o filé de peixe num refratário antiaderente untado com um fio de azeite. Espalhe a mistura de azeitona por cima do filé e derrame o vinho branco em volta dele. Leve para assar no forno pré-aquecido por 20 a 25 minutos ou até atingir o ponto desejado. Sirva com legumes refogados ou cozidos no vapor.

Talvez no final o meu prato não tenha ficado tão bonito quanto na foto da receita original nem tenha ficado como eu esperava que fosse ficar. Mas o sabor estava delicioso e isso é o que importa. Gostei de experimentar esta nova maneira de cozinhar peixes, com uma espécie de lagoa de vinho envolta dele. A técnica assegurou que a tilápia ficasse absurdamente macia e suculenta quando provei.

Também acho que vale usar esta ideia da receita para experimentar com outras combinações. Uma boa opção seria substituir a azeitona preta por alcaparras ou mesmo pimentões vermelhos picados bem pequenos. Para uma versão um pouco mais leve, vale também usar legumes como abobrinhas ou berinjelas para formar a crosta do peixe. Tenho certeza que ficariam divinos também.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Uma sinfonia de sabores deliciosos

Como comentei neste post anterior, tenho adorado brincar de fazer molhos para peixes e outras carnes à base de frutas frescas. Se a receita daquele dia combinava mais com carnes vermelhas ou outras mais pesadas, a de hoje é perfeita para regar por cima de opções mais delicadas como um delicioso filé de peixe branco ou um peito de frango grelhado.

Ambas as receitas ficaram divinas e são ótimas maneiras de incluirmos mais frutas na nossa alimentação. Todos os nutricionistas e profissionais de saúde já concordam que precisamos comer de 3 a 5 frutas diferentes por dia. Para quem não é tão fã assim dessas gostosuras, juntá-las num molho delicioso como estes ajuda a cumprir a meta sem muita dificuldade.

Tilápia ao molho de pêra com damasco

Tilápia ao molho de pêra com damasco

1 filé de tilápia
1 pêra média
25 g (+/- 2 und.) de damasco seco
60 ml de vinho branco seco
suco de 1/2 limão siciliano
1 folha de louro
raspas de limão e sal a gosto

Modo de preparo:
Tempere a tilápia com sal a gosto e leve para assar numa forma refratária antiaderente em forno médio-baixo pré-aquecido em 200˚C. Deixe assar por 20 minutos ou até atingir o ponto desejado. Reserve.
Enquanto o peixe cozinha, corte a pêra em cubos pequenos descartando o miolo. Caso deseje também pode descascar a fruta mas não é necessário. Coloque numa tigela e regue com o suco do limão siciliano. Acrescente as raspas do limão a gosto e reserve.
Despeje o vinho branco numa panela antiaderente e acrescente os damascos inteiros. Deixe ferver e abaixe o fogo. Cozinhe mantendo uma leve fervura por 10 minutos ou até que os damascos estejam bem macios. Retire-os da panela e deixe esfriar num prato até conseguir manusear. Corte em pedaços pequenos.
Coloque os pedaços da pêra junto com o suco e as raspas da marinada dentro da panela com o resto do vinho. Deixe ferver novamente e abaixe o fogo para cozinhar mantendo uma leve fervura. Após 5 minutos, acrescente os damascos cortados em cubinhos. Deixe cozinhar por mais 5 a 7 minutos até que a pêra fique bem macia, os damascos amoleçam mais e o molho reduza e engrosse um pouco. Regue por cima do peixe assado e sirva em seguida.

Apaixonei-me completamente por esta receita. Parece que a combinação do docinho dos damascos com o azedo do limão e a neutralidade da pêra uniram-se para criar a mais bela sinfonia de sabores que já experimentei na vida. A receita original ainda sugeria acrescentar alecrim ao molho na hora do preparo no fogo. Achei desnecessário, não coloquei e acredito que não fez a menor falta.

De qualquer maneira, gostei tanto do sabor final que acabei fazendo algo que não costumo fazer e repeti a doze alguns dia depois. Contei para minha mãe da receita que tinha preparado e ela ficou tão interessada em provar que pediu para que preparasse para ela. Na segunda vez colocamos o molho por cima de peito de frango assado em papelote de alumínio. Ficou absolutamente divino e concluí que a receita funciona mesmo já que deu certo nas duas vezes que testei.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Investindo na criatividade

Ficar no peito de frango grelhado o tempo todo não dá, não é mesmo? Por isso estou sempre procurando receitas interessantes e diferentes de como preparar esta ave saborosa. Como a carne do frango é super suave ela consegue absorver bem qualquer tempero usado o que é excelente e abre mil caminhos para que a criatividade reine na cozinha.

Para quem está de dieta ou quer manter uma alimentação mais saudável, o peito é realmente a parte mais indicada já que é a mais magra do frango. Entretanto, podemos saborear coxas e sobrecoxas sem culpa nenhuma, mesmo quando estamos preocupados com a alimentação. O importante é só lembrar de tirar a pele antes de assar.

Coxa de frango ao alho

Coxa de frango ao alho

2 coxas de frango sem pele
1/2 cabeça de alho
45 ml de vinho branco
1 col. de sobremesa de mostarda
60 ml de caldo de galinha
1 col. de chá de farinha
1 col. de sopa de cebolinha picada
sal, pimenta e azeite a gosto

Modo de preparo:
Tempere o frango com sal e pimenta a gosto e reserve. Descasque cada dente de alho e amasse levemente com a lateral da faca. Aqueça uma frigideira antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue os dentes de alho mexendo de vez em quando até começarem a dourar. Retire da frigideira e reserve.
Coloque as coxas de frango na panela e cozinhe até começarem a dourar (aproximadamente 5 minutos de cada lado). Retorne os dentes de alho à frigideira e derrame o vinho branco. Cozinhe com uma leve fervura até o líquido evaporar quase todo.
Numa tigela, misture a mostarda, o caldo de galinha e a farinha. Acrescente a mistura à panela. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe semi-tampado mantendo uma leve fervura por 10 minutos ou até que o frango esteja completamente cozido, os dentes de alho tenham amaciado bem e o molho tenha engrossado. Sirva salpicado com a cebolinha picada.

Adoro o sabor delicado e a textura suave dos dentes de alho assados ou cozidos. Preparados inteiros desta maneira, eles perdem sua intensidade e transformam-se em delicados acompanhamentos a uma carne macia e saborosa como a da coxa do frango. Isso sem contar com o tempero fantástico que eles proporcionam ao prato final.

Dito isso, um dos pontos altos desta receita foi o molho de mostarda acrescentado no final. Absolutamente divino, o molho incorpora todos os sabores do frango e do alho que foram selados na frigideira anteriormente. Não esqueça de comer acompanhado de couscous marroquinho ou arroz branco para sugar todo esse molho. Ele ficou absolutamente divino.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Variações deliciosamente criativas

Amo risoto. Um belo prato cremoso de arroz especial com ingredientes deliciosos. Tem coisa melhor? Mas também adoro encontrar variações criativas para pratos tradicionais. É incrível como existem pessoas que conseguem criar receitas sensacionais com pequenas alterações às clássicas. Fico impressionada com tamanha esperteza.

Foi o caso desta receita que achei e me senti na obrigação de testar. Parecia tão divinamente maravilhosa que o poder dela sobre mim foi incontrolável. E não estava errada. O resultado ficou tão fantástico que já entrou para minha lista de receitas espetaculares. Prove e comprove, é de matar de tão perfeita.

Risoto de cevadinha com shitake e aspargo

Risoto de cevadinha com shitake e aspargo

45 g de cevadinha crua
100 g de shitake fresco
150 g de aspargo fresco
1/2 cebola média
1 dente de alho
30 ml de vinho branco seco
500 ml de caldo de vegetais
10 g de parmesão light
sal, pimenta e azeite a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela funda antiaderente em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho picados até amaciarem e soltarem o aroma. Acrescente a cevadinha e refogue por 30 segundos mexendo sempre para fritar levemente. Junte o vinho branco e cozinhe até o líquido evaporar.
Despeje 1/2 xíc. do caldo de vegetais e deixe ferver. Mantenha uma leve fervura em fogo médio-baixo e cozinhe mexendo de vez em quando até o líquido evaporar quase todo. Acrescente mais 1/2 xíc. do caldo e repita o procedimento até a cevadinha cozinhar e começar a ficar macia. O processo deve demorar de 30 a 40 minutos.
Enquanto o risoto fica pronto, ferva 300 ml de água e cozinhe o aspargo de 2 a 3 minutos até ficar al dente. Escorra e deixe correr água fria para parar o cozimento. Reserve. Em outra panela, refogue o shitake cortado em fatias por alguns minutos até amaciarem levemente. Reserve.
Quando a cevadinha estiver pronta, deixe o líquido restante evaporar quase todo, junte o aspargo e o shitake e mexa bem. Desligue o fogo e acrescente o parmesão light ralado. Misture tudo para incorporar todos os ingredientes e ficar levemente cremoso. Sirva como prato principal ou de acompanhamento para uma carne grelhada.

A cevadinha é uma ótima alternativa para o arroz arbório tradicionalmente usado em risotos italianos já que cozinha praticamente da mesma forma. Entretanto, a vantagem de substituir o arroz pela cevadinha é que ela é um grão integral e ajuda a manter o bom funcionamento do organismo dentro de uma alimentação saudável.

Além de ser mais nutritiva que o arroz arbório, a cevadinha também possui um leve sabor com toques de nozes que traz ao risoto um outro nível de complexidade ao paladar. Fiquei encantada com esta receita e não tenho palavras para descrever o sabor absolutamente divino do resultado final. Foi amor à primeira garfada.

Por hoje é só.

Bon appetit!