Para festejar o retorno

Depois de um mês de férias “forçadas” o blog está de volta! E para comemorar, vou trazer para vocês esta semana um cardápio completo de delícias para fazer um jantar sofisticado e romântico para aquela pessoa especial na sua vida. Dessa vez o mote “culinária saudável” não será o foco das receitas.

Não que este cardápio seja de todo péssimo. Mas digamos que não seria uma boa opção para fazer rotineiramente. Aproveite as dicas de receitas desta semana para ocasiões especiais. Afinal, de vez em quando é permitido sair da dieta balanceada que nos esforçamos tanto diariamente para seguir. Todos merecemos um dia de extravagâncias.

Lombinho com crosta de pão e amêndoas ao molho de barbecue de ameixa

Lombinho com crosta de pão e amêndoas ao molho de barbecue de ameixa

1 peça de lombo de porco magra (aprox. 1kg)
3 col. de sopa cheias de manteiga light
2 fatias de pão integral
30 g de amêndoas em lascas
sal, pimenta e sálvia a gosto

para o molho
100 g de ameixa fresca ou congelada
1 col. de sopa cheia de mostarda
2 col. de sopa de mel

Modo de preparo:
Tempere o lombinho com sal, pimenta do reino moída na hora e sálvia a gosto. Arrume num refratário e cubra com papel alumínio. Leve à geladeira e deixe marinando no tempero por pelo menos 4 horas.
Derreta a manteiga numa tigela no micro-ondas apenas para que fique líquida. Não deixe esquentar demais ou ferver. Despeje a manteiga por todo o lombinho de forma que ele fique completamente besuntado.
Triture as fatias de pão integral num multiprocessador até que fique completamente esfarelado. Junte as amêndoas em lascas e triture mais um pouco para que fiquem em pequenos pedaços. Espalhe a mistura de pão com amêndoas por cima do lombinho para que fique completamente coberto.
Cubra novamente com o papel alumínio e leve ao forno pré-aquecido a 230˚C por 50 minutos. Retire a cobertura e volte ao forno para gratinar a crosta de pão (aproximadamente mais 10 minutos).
Enquanto o lombinho assa, prepare o molho de barbecue de ameixa. Junte a ameixa, a mostarda e o mel numa panela pequena e aqueça em fogo baixo. Mexa bem até que tudo fique incorporado e aquecido. Não é necessário ferver. Ajuste as quantidades de mel e mostarda a gosto.
Retire o lombo do forno, corte em fatias e sirva regado com o molho de barbecue de ameixa.

Rende de 6 a 8 porções.

Esta receita é uma clássica da minha mãe. Sempre que tem almoços ou jantares especiais lá em casa ela prepara este prato e todos sempre amam. Tudo bem que eu fiz minhas mudanças básicas. Por exemplo, ela insiste que o pão tem que ser branco, mas eu acabei comprovando que pão integral funciona tão bem quanto.

Outra mudança que fiz foi acrescentar o molho de barbecue de ameixa para servir como acompanhamento do lombinho. Senti que faltava alguma coisa para deixar a carne de porco mais molhadinha, já que usei bem menos manteiga do que a quantidade indicada por ela. Sem contar que molhos adocicados à base de frutas são perfeitos para acompanhar lombinhos. No fim ficou uma delícia!

Por hoje é só.

Bom appetit!

Novidades caseiras

O post de hoje é mais um que entra para a lista das delícias caseiras mais rápidas e mais baratas que suas respectivas primas encontradas em restaurantes. Já fiz outros wraps na minha vida de chef de cozinha. Inclusive compartilhei o clássico de salmão defumado com vocês aqui algum tempo atrás. Ou mesmo o de peito de peru defumado light.

Mas este de hoje achei válido testar de novo pois encontrei algo sensacional no supermercado. Atum defumado! Que delícia. Quem disse que peixe defumado tem que ser só salmão? Acaba virando falta de imaginação ficar sempre na mesma. Quando achei o atum defumado tive que comprar para provar. E, claro, amei!

Wrap caseiro de atum defumado

Wrap caseiro de atum defumado

1 unidade de wrap integral
2 col. de sopa de creme de ricota light
100 g de atum defumado congelado
2 unidades de pimentão vermelho em conserva
folhas verdes a gosto

Modo de preparo:
Retire o atum defumado e deixe descongelar em temperatura ambiente de 20 a 30 minutos. Você pode deixar descongelando também dentro da geladeira de 2 a 4 horas antes de usar.
Aqueça o wrap numa frigideira antiaderente por 3 minutos ou leve para assar em forno baixo (180˚C) por 10 minutos apenas para aquecer levemente. O wrap já é pré-cozido e precisa apenas de poucos minutos para ficar pronto para usar.
Espalhe o creme de ricota light por todo o wrap. Arrume as folhas verdes e por cima coloque as fatias de atum defumado. Por fim, posicione o pimentão em conserva no centro de tudo.
Enrole o wrap com cuidado para que o recheio não saia. Corte ao meio e saboreie com uma bela saladinha ou caneca de sopa.

Aproveitei esse restinho de pimentão vermelho em conserva que ainda tinha guardado na minha geladeira para dar um toque a mais no wrap. Pensei que o sabor adocicado da conserva do pimentão cairia muito bem com o atum defumado e estava certa. A combinação de gostos ficou absolutamente sensacional.

Você pode escolher, também, outros acompanhamentos para o recheio de atum defumado do seu wrap. Experimente colocar cebolas caramelizadas ou alcachofras cozidas. O resultado fica uma delícia. Mas se quiser saborear o sensacional atum na sua majestosa solidão certamente não irá ficar decepcionado. Sozinho ele já é perfeito também.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Sugestões gostosas

Parece que o inevitável aconteceu. Pela primeira vez em mais de 10 meses de blog não consegui atualizá-lo com uma nova receita ontem. Me senti uma inútil, mas entendo que isso iria acontecer uma hora ou outra. O fato é que agora não vou mais conseguir atualizar o blog todos os dias. Mas prometo tentar compartilhar com vocês pelo menos três receitas diferentes por semanas.

A de hoje, inclusive, é perfeita para esses dias com pouquíssimo tempo e muita correria. Além de ser uma sopinha deliciosa e saudável para jantares mais leves, ela fica pronta em pouquíssimo tempo e usa ingredientes práticos e simples. Nada melhor para facilitar a vida de quem mora sozinho.

Sopão de linguado

Sopão de linguado

1 filé de linguado
50 g de milho congelado
130 g de mix de vegetais congelados
150 g de batata doce
1 col. de sopa de suco de limão siciliano
240 ml de caldo de legumes
30 g de creme de leite light
sal, pimenta e tomilho a gosto

Modo de preparo:
Lave bem a batata doce e corte em cubos médios. Caso queira pode descascar, mas não é necessário. Ferva o caldo de legumes e cozinhe a batata em fogo baixo mantendo uma leve fervura por 20 minutos ou até amolecer levemente. Acrescente os vegetais e o milho congelados e deixe cozinhar por mais alguns minutos.
Tempere a sopa com o suco de limão, sal, pimenta e tomilho a gosto. Junte o filé de linguado cortado em pedaços e deixe mais 3 minutos. Desligue o fogo e derrame o creme de leite light. Misture bem e deixe descansar cinco minutos antes de servir para que o peixe termine de cozinhar. Sirva com uma saladinha e torradas integrais.

Quase nunca uso creme de leite nas minhas receitas, mesmo sendo light. Isso porque não acho que compense as calorias e gorduras acrescentadas sendo que posso substituir por outros ingredientes na maioria das vezes sem prejudicar a receita. Neste caso, o creme de leite é usado apenas para engrossar um pouco o caldo da sopa.

Aqui não conseguimos usar iogurte natural para substituir o creme de leite, mas conseguimos engrossar o caldo com um pouquinho de amido de milho ou farinha de trigo. Isso se você realmente quiser engrossá-lo porque a sopa fica uma delícia mesmo com o caldo mais ralinho. O que vale, no fim, é o gosto pessoal.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para os momentos em que falta inspiração

Nada como ter na geladeira alguns ovos para momentos de falta de inspiração na cozinha. Super versáteis, os ovos são ótimas fontes de proteína e já foi comprovado que comer uma quantidade moderada pode até ajudar a controlar o nível de colesterol no sangue, ao contrário do que era acreditado antes.

São tantas receitas possíveis que usam ovos como ingrediente base que mal dá para escolher só uma. Gosto de variar bastante e incluir outros ingredientes nas misturas para fazer combinações diferentes e inusitadas. Desta vez fiquei no básico e usei apenas opções vegetarianas. Mas acrescentar fatias de peito de peru ou salsichas de peru light também teria feito minha fritada ficar sensacional.

Fritada de funghi secchi com brócolis

Fritada de funghi secchi com brócolis

1 ovo
2 claras
20 g de funghi secchi
100 g de brócolis
1 polenguinho
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Esquente 200 ml de água e tire logo antes de ferver. Deixe o funghi secchi de molho por pelo menos 20 minutos na água quente para amolecer bem. Escorra e corte em pedaços pequenos.
Arrume os cogumelos e o brócolis cortado em floretes numa forma refratária antiaderente untada com um fio de azeite. Corte o polenguinho em cubos pequenos e coloque por cima.
Junte o ovo e as claras numa tigela e bata bem com um garfo até ficar homogêneo. Tempere com sal e pimenta a gosto. Derrame a mistura de ovos por cima do restante dos ingredientes na travessa. Leve para assar em forno pré-aquecido em 220˚C por 45 a 50 minutos ou até ficar completamente cozido. Sirva com uma salada especial.

Apesar de levar um bom tempo assando no forno, este prato é bastante simples de fazer e funciona super bem como um jantarzinho leve numa sexta-feira à noite antes de sair para a balada. Comendo uma refeição assim você consegue chegar sem estar desfalecendo de fome no bar ou na boate e dará conta de aproveitar a noite inteira sem extravagâncias.

Adoro fazer fritadas e outras receitas que levam ovos. Alias, esta salada de ovo com peito de peru defumado, que compartilhei com vocês alguns meses atrás, ainda é uma das minhas receitas preferidas de todas que já provei pro blog. Sempre que estou sem imaginação para fazer coisas novas volto para ela e me delicio mais uma vez.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Para facilitar

Não é de hoje que comento o quanto os refogados orientais são pratos práticos e rápidos para um dia corrido. Seja no almoço ou jantar, estes salteados básicos preparados na frigideira grande e funda, típica asiática, a wok, ainda ajudam a acrescentar legumes e verduras na nossa alimentação.

Por serem super fáceis e fazer e usarem praticamente nada de gordura na preparação, estes pratos são perfeitos para consumir no dia a dia. Aqui a única ressalva que vale fazer é quanto ao uso do shoyu. Como este molho japonês é bastante salgado, não é preciso salgar mais nada os ingredientes. Além disso, aconselho usar a versão light que contem bem menos sódio que a tradicional.

Refogado de frango com brócolis

Refogado de frango com brócolis

1 peito de frango em cubos
100 g de floretes de brócolis
50 g de cebola roxa cortada em quadrados médios
1 dente de alho amassado
azeite, shoyu e pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela wok em fogo médio e regue com um fio de azeite. Refogue o alho até ficar aromático. Junte o frango cortado em cubinhos e mexa até começar a cozinhar. Acrescente a cebola e os floretes de brócolis e refogue até amaciarem bem.
Vá adicionando o shoyu a gosto enquanto refoga para temperar e evitar que os ingredientes grudem na panela. Por fim, salpique pimenta calabresa a gosto. Sirva com arroz integral e uma salada.

Por ser uma receita básica, estes salteados admitem inúmeras variações de ingredientes e sabores. Alguns outros que já publiquei aqui, como o salteado simples de carne com vegetais e o frango com castanha à moda tailandesa, são apenas mais algumas sugestões para deixar seu jantar mais saboroso e práticos nessas noites corridas de segunda-feira.

Para a receita de hoje apenas juntei o que tinha na geladeira. Alias, o brócolis que usei ainda era da versão congelada comprada pré-pronta, só para facilitar ainda mais minha vida. Caso prefira usar os legumes frescos, siga como mencionei anteriormente na receita. Mas se for usar a versão congelada, vale dar um choque térmico no brócolis em água fervendo para depois mergulhar na água gelada. Assim ele estará pronto para ser refogado junto com os demais ingredientes.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Novas tentativas

Depois que fiz aquela primeira geleia de morango que publiquei aqui sabia que não demoraria muito para querer testar outras receitas. Isso porque apaixonei-me demais por geleias caseiras. Descobri que elas tem um sabor muito mais intenso e delicioso do que as que compramos prontas.

Mas como as versões tradicionais levam bastante açúcar, resolvi testar uma outra receita adaptando os ingredientes para poder usar aquele “açúcar light”, que nada mais é do que uma mistura de açúcar normal com o adoçante sucralose que pode ir ao forno e fogão. O segredo, neste caso, é acrescentar um pouco de suco de limão fresco para ajudar a dar o ponto certo da geleia.

Geleia de cereja caseira

Geleia de cereja caseira

350 g de cereja
125 g de açúcar light
1/2 col. de sopa de suco de limão siciliano

Modo de preparo:
Corte as cerejas ao meio para tirar o caroço ou use um utensílio específico para tirá-los. Junte as cerejas numa panela funda e acrescente um pouco de água apenas para que não grudem no fundo da panela (de 2 a 3 col. de sopa). Ligue o fogo e cozinhe as cerejas até amaciarem bem (aproximadamente 15 minutos).
Abaixe o fogo e acrescente o suco de limão e o açúcar light. Mexa bem até dissolver todo o açúcar. Aumente o fogo para começar a ferver. Em seguida, abaixe e mantenha fogo médio enquanto cozinha. Mexa de vez em quando e retire a espuma que formar com uma colher.
Após 10 minutos, faça o primeiro teste para ver se já está no ponto. Para fazer o teste, coloque um prato no freezer antes de começar a fazer a geleia. Retire-o e pingue algumas gotas do doce. Espere 15 segundos e passe o dedo pela geleia. Se ficar firme e formar um caminho certinho está no ponto. Se a geleia escorrer e juntar novamente, ainda não está pronta.
Continue cozinhando e testando o ponto a cada 5 ou 10 minutos. Assim que ficar na consistência correta, desligue o fogo, deixe esfriar e coloque em potes esterilizados.

Rende aprox. 400 g.

Se fazer geleia já é uma arte, fazer geleia com menos açúcar do que o normal é uma arte mais complicada ainda. A verdade é que esta minha primeira tentativa parecia haver ficado no ponto certo 20 minutos depois que comecei a cozinhá-la. Depois descobri que ela ficou um pouco rala demais. Apesar disso, o sabor ficou uma absolutamente divino! E, convenhamos, é isso que realmente importa no final das contas.

Ela ter ficado rala pode ter acontecido por dois motivos. O fato de ter usado esse açúcar misturado light pode não ter feito com que o doce formasse a consistência correta. Outra possibilidade é eu ter tirado a geleia cedo demais do fogo. Depois dessa experiência, decidi que na minha próxima tentativa vou usar a tal da pectina usada nas receitas com menos açúcar. Essa substância naturalmente presente nas frutas pode ser acrescentada para ajudar a engrossar as geleias. Acho que vai dar certo. Depois conto como foi.

Por hoje é só.

Bon appetit!

Nada melhor do que uma sopinha

Com esse frio todo que tem feito aqui em São Paulo ultimamente nada melhor do que uma bela sopinha para esquentar as noites geladas que tem me feito sofrer. Adoro preparar estas delícias nesta época do ano. São tantas opções maravilhosas que nem sei por onde começar.

A melhor parte de fazer sopas é que além de serem super nutritivas, são também bastante leves, não pesam no estômago e nos deixam com uma sensação de saciedade por bastante tempo. Eu prefiro fazer as minhas em casa, mas para quem quiser tomar uma sopinha por aí vale uma dica: fuja dos “cremes” que geralmente levam muito creme de leite ou leite gordo na preparação e mandam a boa forma para bem longe.

Caldo verde magro

Caldo verde magro

180 g de batata
50 g de cebola picada
1 dente de alho amassado
300 ml de caldo de legumes
100 g de couve manteiga cortada em tiras
60 g de peito de peru light cortado em tiras
azeite, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Aqueça uma panela antiaderente e regue com um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho picados até ficarem aromáticos. Acrescente o caldo de legumes e deixe ferver. Cozinhe as batatas cortadas em cubos pequenos até ficarem levemente macias.
Com um amassador de batatas ou um garfo, amasse as batatas ainda dentro do caldo na panela para que forme uma espécie de purê rústico. Não precisa amassar demais para ficar homogêneo, o bacana e manter alguns pedaços de batata ainda intactos.
Junte a couve e o peito de peru cortados em tiras e deixe ferver por mais 2 ou 3 minutos para amaciarem. Tempere com sal e pimenta a gosto e sirva bem quente com torradinhas integrais ou um bela salada verde.

Gostei muito desta receita de caldo verde pois ela emagrece bastante a versão normal. Como não usa paio ou linguiça gorda na lista de ingredientes e opta pelo peito de peru light, a sopa ganha mais uma dimensão de leveza e torna-se uma perfeita aliada para estes dias frios de inverno.

Quando preparei o prato usei batatas inglesas comuns, mas nada impede que você use sua imaginação e substitua por batata doce ou mandioquinha. Com certeza com estas pequenas alterações a sopa vai ganhar ainda mais originalidade e irá transformar-se em uma experiência gastronômica única.

Por hoje é só.

Bon appetit!